Tudo sobre a Bélgica: 5 dicas para montar seu roteiro

Nesse texto te conto tudo sobre a Bélgica: o que fazer, onde ir, o que comer e outras dicas que vão te ajudar a elaborar um roteiro incrível pelo país.


C26fec2dc4057e094af1a0a287e940aa

Jan 30, 2019

Nascida em Taiwan, criada no Brasil, morando atualmente em Taipei. Estou viajando e me mudando por esse mundão há cerca de três anos. Enfermeira, a...

Tudo sobre a Bélgica: dicas para seu roteiro

A Bélgica é um pequeno país de grande importância histórica com participação em ambas guerras mundiais e é o berço da formação da União Européia. 

Mais conhecida pelo famoso combo de waffles, batata frita, chocolate e cervejas artesanais, a Bélgica promete te cativar pelas suas ruelas, cidades medievais, arquitetura única e cultura. 

Quer saber onde ir, o que fazer e algumas dicas de como aproveitar melhor o país, enfim, tudo sobre a Bélgica? Continue lendo que vou dividir um pouco da experiência incrível que tive nesse lugar.

Confira as 9 dicas para quem quer saber tudo sobre a Bélgica antes de viajar pra lá:

1. O que comer e beber?

Acredito ser um tanto impossível pensar na Bélgica sem associá-la ao típico fritas, chocolates, waffles e cerveja. Experimente as batatas fritas super crocantes por fora e fofinhas por dentro com os seus diversos tipos de molho (não deixe de experimentar o Andalouse feito de maionese, pasta de tomate e pimentões).

E quanto aos chocolates? Se a Suíça surge à mente quando se pensa em chocolate, sugiro que experimente os belgas e você vai entender a diferença. Te garanto que não existe comparação e nenhum chocolate no mundo é tão gostoso quanto ao belga. 

Saboreie os famosos chocolates da Neuhaus, Godiva, Leonidas, Nirvana e espere encontrar um pedacinho de céu acompanhando o café da manhã, o café da tarde, o chá e em qualquer outra ocasião.

Waffles belgas! Dá pra pensar na Bélgica sem os seus famosos waffles? Pra começar, o waffle em si não é exatamente belga e existem três diferentes tipos de waffles predominantemente encontrados pelo país, mas o mais importante é saber que o seu destaque encontra-se nos pequenos cristais de açúcar na massa que se caramelizam à medida que esquentam e proporcionam um sabor e cheiro incomparáveis. Experimente ele com chantili, frutas, chocolate, da forma que imaginar. Eu gosto dela sem nada, só o gostinho do açúcar caramelizado faz o meu dia.

Por último, é impossível falar da Europa em geral sem lembrar da cerveja, né? Na Bélgica então, sem chance! Existem mais de mil diferentes cervejarias, sendo as mais famosas produzidas por monges em monastérios. 

É importante lembrar que toda as cervejas possuem um copo próprio e acredita-se que beber em seus devidos copos proporciona uma melhor experiência no seu sabor. E claro, divirta-se com os diversos e únicos nomes dados a cada cerveja e descubra a história por detrás de tanta criatividade.

Agora, tente não se restringir somente ao básico e explore outros itens da culinária, como os mexilhões acompanhados de fritas, carne de coelho, cozidos de carne, entre outros.


Tudo sobre a Bélgica: o waffle é uma comida típica por lá

2. Idiomas

Diferente de alguns países, a Bélgica ainda possui uma certa rivalidade territorial de acordo com o idioma falado, então recomendo ficar atento à região onde se encontra. 

Um dos principais idiomas é o holandês belga, ou Flemish, falado por cerca de 60% da população, majoritariamente ao norte, onde encontra-se fronteira com a Holanda. 

Outros 40% falam principalmente o francês e uma minoria nas cidades que fazem fronteira com a Alemanha falam o alemão. 

E o inglês? Em cidades com foco turístico o inglês é mais facilmente aceitável, mas espere uma certa resistência similar à encontrada na França. Experimente falar um palavra ou outra em francês e se vire com o inglês em seguida, uma vez que apenas a tentativa em falar o francês mostra que você é consciente da região onde está visitando e demonstra o seu interesse e respeito pela cultural local.

3. Locomoção

Planejar um roteiro inesquecível pela Bélgica e conhecer o país inteiro é extremamente conveniente, acessível e o trem é definitivamente a melhor opção de locomoção. O preço padrão da passagem não chega a ultrapassar €15, super em conta, né? 

E se eu te contar que no site da companhia ferroviária existem inúmeras promoções diferentes e garanto que você vai encontrar um que te ajude a economizar uma boa grana e conhecer o país inteiro? Existem promoções durante o fim de semana, preços especiais para estudantes, para viagens de curta distância, para maiores de 65 anos, menores que 26 anos, longa distância, uso freqüente e até durante os dias da semana. 

Sim, a Bélgica foi um dos poucos países que visitei onde senti que existe um estímulo com devidos meios para favorecer o turismo. Se você estiver planejando uma viagem à Bélgica, recomendo explorar o site da companhia de trem e encontrar a melhor opção para você e para o seu bolso. Recomendo também fazer o download do app da empresa e manter todas as suas passagens em mãos.


Tudo sobre a Bélgica: os trens são super eficientes

4. Eventos e festivais

Se você já foi à Bélgica ou está constantemente de olho na programação dos principais festivais de música, com toda a certeza sabe que sempre tem algum evento acontecendo por lá. 

Os maiores festivais de música ocorrem ao decorrer do ano, mas com maior concentração durante o verão europeu, época das férias escolares e tempo onde jovens de toda a Europa viajam para curtir o calor e as festas que a temporada oferece.

Com a chegada do outono, inicia-se outra temporada de shows de dança, ópera, exibições em museus estrelando artistas internacionalmente conhecidos. 

Desde os grandes festivais até os menores eventos culturais, te garanto que o país tem de tudo um pouco para agradar a todos. Caso você esteja pela Bélgica e tiver a possibilidade de manter um roteiro flexível, não deixe de conferir a agenda de eventos e talvez esticar ou até mesmo mudar os seus planos por aqui. 

5. Dicas de cidades para incluir no seu roteiro pela Bélgica:

Bruxelas


Tudo sobre a Bélgica: Bruxelas, a capital

É praticamente impossível elaborar um roteiro pela Bélgica sem que Bruxelas surja à mente. 

O seu famoso quarteirão repleto de prédios com arquitetura típica do século XVII, o esplêndido Grand Place, é sem sombra de dúvida um dos principais cartões postais do país, tanto durante o dia quanto à noite com o icônico Town Hall, que se ilumina e promete te deixar encantado com o local. 

Visite também a Galeria Real de Saint Hubert em busca das principais lojas de chocolate belga, a Catedral de St Michael e St Gudula, local de importantíssimos matrimônios e funerais.

Se você tem interesse em adicionar os museus ao seu roteiro, não deixe de conhecer o Museu de Instrumentos Musicias (visite o rooftop bar), o Museu Magritte, Caudenberg e o Museu Real de Belas Artes da Bélgica.

Estique o dia e vá caminhar no Parc Royal e logo em frente a um de seus portões encontra-se o Palácio Real de Bruxelas, aberto ao público por algumas semanas durante o verão.

Se ainda tiver um tempo, visite o Museu Real das Forças Armadas e da História Militar e aproveite um dos melhores pontos pra se ter uma vista panorâmica da cidade. 

E que tal admirar o pôr do sol de um dos balcões do Palácio da Justiça? O local costuma ter cadeiras reclináveis, foodtruck e música durante o verão, onde você encontrará muitos europeus aproveitando cada segundo do sol.

Antuérpia


Tudo sobre a Bélgica: Antuérpia é a segunda maior cidade do país

Considero Antuérpia uma das cidades que você ama ou odeia, sem meio termo, mas se você está à procura de outra cidade repleta de waffles e mexilhões, esse definitivamente não é o local.

Antuérpia oferece uma visão diferente do tipicamente turístico, te proporciona uma experiência cultural através de seus museus, história e harmonia entre a arquitetura antiga e nova, claro, sempre bem acompanhado de uma boa cerveja artesanal belga.

A primeira parada obrigatória é sem sombra de dúvida a sua famosa e belíssima estação de trem. Se você está em debate entre viajar de ônibus, avião ou trem, opte pelo trem e você vai iniciar a sua experiência pela cidade se sentindo transportado a uma das estações de trem do Harry Potter. 

Visite o Museu da Fotografia, o Museu da Arte Contemporânea e o Museu aan de Stroom, que devido às suas enormes janelas de vidro, proporciona uma das melhores vistas panorâmicas próxima ao porto da cidade.

Caso você esteja por Antuérpia ao fim de semana, visite os mercados Friday Market, Exotic Market e o Sint-Jansvlet Antique Market, que ocorrem respectivamente às sextas, sábados e domingos.

Se perca pelas suas ruas, descubra caminhos e túneis subterrâneos, a arte de rua e visite o Grand Place em Antuérpia, bastante similar ao de Bruxelas, com as mesmas características arquitetônicas porém menos grandiosa. Explore a cidade a pé, de bicicleta ou abuse do transporte público, você quem decide.

Ghent


Tudo sobre a Bélgica: Ghent é uma pequena cidade que une construções antigas e modernas 

Capital da Província de Flandres Oriental, cidade portuária, extremamente amigável e convidativa, Ghent me conquistou desde o primeiro segundo. 

Perfeito para uma viagem de fim de semana, mas te garanto que você definitivamente vai querer passar ao menos uma noite se perdendo pela suas ruelas e descobrindo cafés escondidos nessa cidade medieval.

Menos bombardeada de turistas quando comparada à Bruxelas e Bruges, Ghent é definitivamente a cidade que você precisa incluir no seu roteiro à Belgica. Por ser uma cidade universitária, exceto durante as férias escolares, a cidade possui uma vida noturna bastante agitada, diversificada e culturalmente rica, sendo considerada como o centro cultural de Flandres. 

Outra características marcante de Ghent é o contraste extremamente harmonioso entre o passado e o presente evidente na arquitetura, cultura e cotidiano, muitas vezes sendo chamada de jovem cidade velha. 

Comece o teu dia visitando Gravesnsteen, castelo construído em 1180 com uma vista panorâmica da cidade em seu ponto mais alto, a Ponte de St Michael, talvez um dos principais marcos e paradas para fotografias com vista para o Rio Lys e o único ponto da cidade em que é possível ver o Castelo de St Nicholas, o Belfry de Ghent e a Catedral de St Bavo alinhados. Desfrute de uma cerveja artesanal local à beira da ponte e veja a cidade iluminar os seus prédios medievais com a chegada do anoitecer.

Da ponte de St Michael você consegue ver o rio Lys cortando a cidade, dividindo-a nos bairros Graslei e Korenlei. É à beira do rio que encontram-se diversos restaurantes, bares e cafés. 

Caso você prefira, compre o famoso combo de fritas e waffles, faça um piquenique à beira do rio como muitos turistas e locais o fazem, principalmente durante o verão. Aguarde o entardecer e observe a cidade se iluminar, refletindo os seus prédios no rio, é de tirar o fôlego.

O melhor a se fazer em Ghent é definitivamente se perder em suas ruelas descobrindo os seus segredos. Ande à esmo e chegue ao acaso em Patershol, pequeno bairro localizado abaixo do Castelo repleto de cafés e lojas.

Se a tua intenção é ter uma experiência completa e tem vontade de viver um intercâmbio de trabalho, tenho certeza que Kaba Hostel é uma excelente opção para você.

Bruges


Tudo sobre a Bélgica: Bruges é a cidade ideal para um bate e volta

Como a Bélgica é relativamente pequena, Bruges é uma entre muitas cidades perfeitas para fazer um bate e volta de qualquer canto do país.

Assim como Bruxelas, também é praticamente impossível mencionar o país sem incluir no seu roteiro essa pequena encantadora cidade. 

A cidade tem como a sua principal fonte de renda o turismo, mas também possui grande importância como um dos principais pontos de ligação com o mar, atuando diretamente na importação e exportação de produtos internacionais. 

Por ser notoriamente bem preservado, nunca ter sido extensivamente industrializado e poupado pelas guerras, Bruges mantém a sua característica medieval perceptível em seus edifícios e ruelas.

Caso você esteja fazendo um bate e volta, não se preocupe, é totalmente possível conhecer o melhor de Bruges em apenas algumas horas, mas se prepare, a cidade é tão linda que você vai ficar com um gostinho de quero mais. 

Comece o dia visitando a Igreja da Ns Senhora onde os túmulos ricamente esculpidos de Carlos, o Bravo, e a sua filha, Maria de Borgonha se encontram, perambule as ruas repletas de bares, cafés e restaurantes à beira do Rio Dijver, vá ao Burg, uma das praças da cidade repleta de edifícios históricos, como a Câmara Municipal e a Basílica do Sangue Sagrado e por fim, termine o dia em Markt, principal praça de Bruges repleta de turistas e batata frita com os mais diversos molhos e outros fast food. E depois? Repita.

Recomendo ir à cidade sem roteiro fixo, se perca, descubra novos detalhes e charmes que ela tem a oferecer. Fique atento ao horário do último trem, ou arranje uma desculpa para passar a noite e voltar só no dia seguinte.

Leuven


Tudo sobre a Bélgica: Leuven é uma ótima cidade para aproveitar os bares e a vida noturna

Vou ser bem sincera, Leuven definitivamente não estava no meu roteiro pela Bélgica e o único motivo da minha visita foi inicialmente visitar uma amiga voluntariando em um hostel por lá, mas caso você vá fazer um bate e volta, recomendo ir cheio de energia, explorar a cidade durante o dia e virar a noite aproveitando os seus bares.

Chegando em Leuven, você nota no primeiro instante o quanto a cidade é tranquila e cheia de energia positiva. É uma cidade universitária repleta de obras de arte únicas espalhadas pelas suas ruas. 

Comece conhecendo o Grote Markt, principal praça da cidade onde encontra-se a Igreja de St Peter, de estilo gótico, construída há mais de mil anos, cheia de obras primas de diversos artistas no seu interior. 

Na praça você também encontrará o Stadhuis, prédio da prefeitura, orgulho de Leuven, com o seu exterior ricamente decorado com 236 estátuas de personagens importantes para a história da cidade. 

Se busca um passeio mais tranquilo, que tal conhecer a beguinages? A região de Flandres é famosa por elas e a de Leuven é uma das mais conhecidas da região. Beguinages nada mais é do que comunidades constituídas de mulheres solteiras e viúvas que buscam poder contribuir com a sociedade e habitam nessas construções mantendo a sua vida social e trabalho.

A dica para a vida noturna é não ter planos, mas tenha energia. A cidade é repleta de bares e o seu centro ganha vida à noite. É engraçado como Leuven possui uma atmosfera artística e cult durante o dia e ao fim da tarde todas as lojas começam a fechar passando a impressão que de a cidade inteira vai ficar extremamente silenciosa. Mas esse é o momento de relaxar, tirar um cochilo, recarregar as energias e aproveitar a vida noturna que se estende até o amanhecer.

E aí? Gostou das dicas? Espero que tenha ficado com vontade de conhecer a Bélgica. Conheci boa parte do país em três diferentes viagens à Europa, e hoje, eu definitivamente recomendo explora-lá por inteiro antes de partir para o próximo país, visto o quão econômico as passagens de trem são por lá

Como hoje o meu perfil de viajante mudou bastante e viajo com maior flexibilidade, acredito que o melhor roteiro pela Bélgica é ter espontaneidade e se permitir se encantar pelo país sem muita pressa. Se tiverem qualquer dúvida ou quiserem compartilhar novas dicas, é só deixar nos comentários! 

Boa viagem! 


C26fec2dc4057e094af1a0a287e940aa

Jan 30, 2019

Nascida em Taiwan, criada no Brasil, morando atualmente em Taipei. Estou viajando e me mudando por esse mundão há cerca de três anos. Enfermeira, a...


Did you like it? Don't forget to let Torisa know :-)


Leave your comment here

Write here your questions and greetings to the author