Viajar por cidades turísticas pode ser financeiramente bem complicado, ainda mais se for em alta temporada. A situação fica ainda mais difícil para o bolso quando se trata de países onde o euro e o dólar circulam.

Isso não é impedimento para deixar de curtir tudo que a cidade tem para oferecer. Até porque visitar uma cidade turística vai além de conhecer os pontos turísticos. Muitas vezes como você faz para ir a cada um deles e com quem interage durante o caminho é o que torna a experiência verdadeiramente autêntica.

Exatamente por isso que preparei essa lista para vocês não deixarem de aproveitar cada momento da trip!

Aqui estão as 11 dicas para conhecer cidades turísticas sem gastar rios de dinheiro:

1. Pontos turísticos gratuitos

Alguns dos pontos turísticos das cidades são gratuitos, sejam monumentos, museus, catedrais ou parques. Outros têm entrada gratuita em dias específicos, como por exemplo na Europa, que no primeiro domingo do mês não é necessário pagar para entrar em alguns museus. Ou como no Brasil que tem um dia da semana que é gratuito, inclusive nos feriados.

Quando for visitar uma cidade, recomendo que use o Google Trips para acompanhar o horário de funcionamento dos estabelecimentos e a mapear os locais próximos. Use também o TripAdvisor para ver as dicas da galera.

2. Contrate passeios nas cidades e não a distância

Infelizmente há lugares que só podemos acessar indo com guia turísticos credenciados, ou por simplesmente ser mais fácil contratar uma empresa para levar ao local. O bom exemplo desse tipo de situação é ao visitar o deserto do Atacama, no Chile, ou Salar do Uyuni, na Bolívia.

Nesses casos, quando não houver possibilidade de fazer o passeio por conta própria, o ideal é ir diretamente na empresa da excursão e fechar o seu pacote lá. Isso porque como haverá diversas empresas na cidade que oferecem o mesmo passeio, é mais fácil de negociar e pedir um desconto. Então, nesse caso, opte por fechar a excursão na empresa e não online.

3. Free Walking Tour e Free City Tour

O que é muito comum em encontrar em várias cidades do mundo são o Free Walking Tour e o Free City Tour, ambos com o propósito de levar os turistas para conhecer os pontos turísticos da cidade, bairros e centros históricos. Sempre com um roteiro bem formulado a ser seguido. 

O melhor? Os guias levam e vão contando a história dos locais enquanto você aproveita para interagir com pessoas do mundo todo que também estão no tour.

4. Couchsurfing


Couchsurfing é uma das melhores opções para conhecer cidades turísticas sem gastar muito

O Couchsurfing é uma comunidade de troca de experiência e de vivência cultural, por isso está nesta lista.

Os couchsurfers são muito abertos a encontros com viajantes para turistar e mostrar lugares além dos pontos turísticos. A vantagem é que com certeza ele(a) conhecerá os melhores meios de locomoção pela cidade, como economizar mais ainda durante o passeio e levará a lugares pouco conhecidos pelos turistas, porém, surpreendentes.

No site do Couchsurfing também é possível conferir os eventos em cada cidade do mundo, criados pelos próprios Couchsurfers. Digo por experiência própria que é algo a se utilizar até mesmo na sua própria cidade!

5. Comprar ingresso com antecedência

Antes de comprar ingresso nas bilheterias para algum lugar de uma cidade turística mais visitada, visite o site oficial e garanta um antecipado. Muitas vezes sai mais em conta adquirindo online do que comprando o ingresso físico. Além disso, já deixa garantido a sua visitação, pois, se o lugar for muito procurado, certeza que os ingressos se esgotam muito rápido!

Uma dica é visitar o site do Ticket Bar e comprar ingressos com desconto. Eles vendem ingressos desde excursões até tour de bicicleta.

6. Meia entrada para estudantes

Se você for estudante, aproveite para conseguir alguns descontos. Mas lembre-se que a carteirinha precisará ser a internacional caso esteja viajando fora do Brasil. Para isso, solicite a sua com antecedência pelo site da ISIC. Aliás, caso você não seja estudante, mas tem entre 18 e 30 anos, consegue fazer uma carteirinha especial para garantir alguns descontos. ;)

7. Transporte público

Nem sempre é fácil chegar aos pontos turísticos, até porque muitos ficam em locais totalmente diferentes um dos outros. Então acaba sendo necessário se locomover de transporte de um ponto a outro.

O Uber já é uma grande ajuda, mas o mais barato continua sendo por transporte público, seja ônibus, metrô ou trem. Ainda mais se houver a opção de compra de passes.

  • O que são esses passes?

Os passes dão permissão para usar ônibus e metrô várias vezes por dia pagando uma única taxa. O funcionamento e validade dos passes depende de cada país ou cidade. O ideal é consultar o site de transportes do lugar e ver as opções.

Caso você ainda queira transporte público 100% gratuito, não se preocupe, pois é possível em alguns lugares, por exemplo na Estônia, que é totalmente de graça em todo território nacional! Melbourne, na Austrália e Manchester, na Inglaterra, também oferecem ônibus gratuito. Veja a lista de cidades e as condições para usar o transporte sem pagar nada clicando aqui.

8. City Card

Outra dica para os viajantes que querem fazer a tão sonhada Eurotrip. Além de viajar entre os países de trem, veja se a companhia que você comprou os bilhetes oferece outros descontos. No caso da Eurail, apresentado o seu Eurail Pass, é possível obter alguns descontos para obter o City Card.

Similar aos passes, o City Card funciona em alguns países da Europa e, além de dar acesso ao transporte público de forma ilimitada, também permite entrada gratuita em diversos estabelecimentos, como os museus, e também acesso à Wi-fi.

9. Carona


Viajar para cidades turísticas pode ser mais barato ao usar aplicativos de carona

Muito comum em vários países, não deixe de levar em consideração a carona. Muitos mochileiros transitam assim durante a viagem sem muitos problemas. No Brasil, a carona não é muito confiáve,l mas vem mudando com a ajuda de alguns aplicativos. Um deles, o BlaBlaCar, muito utilizado e de maior confiabilidade atualmente.

A diferença de uma carona comum é que usando o aplicativo os passageiros ajudam no rateio da viagem. O que acaba saindo muito mais barato do que pegar Uber ou ônibus de viagem.

Além do famoso BlaBlaCar, o Waze está chegando com tudo com a nova funcionalidade de compartilhamento de carros, o Waze CarPool

10. Tour de bike

As bikes coletivas chegaram para ficar! Felizmente, facilitando a vida de muita gente que faz turismo de uma forma um pouco menos convencional. Alugando a bicicleta por poucos dinheiros a hora, você pode fazer o percurso até o pontos turísticos, conhecendo melhor cada canto da cidade, aproveitando assim para se integrar mais ao local. Quer melhor experiência do que isso?

Cada país ou cidade pode ter empresas diferentes disponibilizando o compartilhamento de bikes, então o ideal é fazer uma pesquisa antes da viagem.

11. Hospede-se de graça em troca de trabalho

Cidades turísticas no geral são mais caras, principalmente quando se trata de hospedagens.

Quanto mais próximas e melhor o acesso aos pontos turísticos e ao transporte público, o preço aumenta mais ainda.

É aqui que vem a dica: seja um worldpacker!

  • Por quê?

Há vários anfitriões que estão super bem localizados e em várias cidades do mundo. Além de economizar muito com sua estadia em cidades não muito baratas, ainda tem a oportunidade de ter experiências incríveis com pessoas sensacionais.

Está em dúvidas de como a Worldpackers funciona? Com este vídeo, em apenas 1 minuto tudo fica mais claro! 

Sabe de mais alguma dica indispensável que deveria estar listado aqui? Comente aí embaixo, com certeza vai ajudar muitos outros viajantes!


71f47668abc3e16f8ebb5458edaaab4f

Nathalia

Criadora do blog Onde Vim Parar, desenvolvedora de aplicativos, leitora de romances históricos e ...

+ Ver mas

Sep 24, 2018


¿Te gusta? No te olvides de dejar Nathalia saber :-)


Deja tu comentario aquí

Escriba aquí sus preguntas y saludos al autor