Turismo sustentável: 6 dicas para viajar com mais consciência

Praticar o turismo responsável e sustentável se torna cada vez mais necessário e urgente. Viajar com consciência é nossa resposta para os reflexos negativos do turismo predatório.

10min


78d73f844d9505bd11a408849325d24c

Thiago

Ago 14, 2020

Sou um fotógrafo goiano que curte a vida com ansiedade e sobriedade, enquanto ando por aí ouvindo músicas, admirando paisagens ou comendo comida ba...

Turismo sustentável responsavel

Um breve apanhado histórico: viagem e sustentabilidade

Entre os anos 1950 e 1973, devido a diversas questões sociais, políticas e econômicas, o mundo viveu um verdadeiro boom na área do turismo, o que serviu de ponto de partida para refletir sobre os impactos que atividade turística pode ter para as comunidades receptoras, tanto para o bem quanto para o mau. 

Consequentemente, foi no fim desse período que o conceito de turismo responsável e do empreendedorismo social começou a ser pensado, já que nem sempre a infraestrutura dos locais conseguia acompanhar o crescente número de visitantes, que por sua vez nem sempre tinham posturas adequadas.

Mais recentemente, o agravamento de tantas pautas globais, principalmente ambientais, como também o surgimento de formas ainda mais acessíveis de viajar, fizeram com o tema ganhasse mais força e urgência, sendo até inserido no Plano Nacional de Turismo 2018 – 2022 do Ministério do Turismo Brasileiro.

Mas afinal, o que é turismo responsável?


Turismo sustentável  sustentabilidade

Turismo responsável é um conjunto de ideias e iniciativas que refletem e propõem formas mais positivas de interação entre os turistas e a comunidade receptora, de forma a reconhecer o protagonismo de seus moradores, praticar a sustentabilidade no consumo de seus recursos e prezar pela preservação de sua natureza.

Em muitas regiões do Brasil as medidas públicas para o turismo sustentável ainda são incipientes, porém, o município brasileiro de Bonito, em Mato Grosso do Sul, já foi premiado como melhor destino de turismo responsável no mundo pela World Travel Market, feira da área turística realizada em Londres. O motivo foi seu sistema de voucher que serve para controle da atividade turística.

Infelizmente, os impactos negativos já sentidos com tanta clareza em diversas localidades turísticas, acabam por criar uma tendência de um turismo cada vez mais caro e restrito

Por isso, torna-se urgente e necessário repensarmos o papel que temos enquanto indivíduos nos lugares por onde passamos, sem deixar também de cobrar políticas públicas que reafirmem os ideais de um turismo benéfico para as comunidades receptoras e para o meio ambiente, ao mesmo passo em que o mantém acessível para todos.

6 dicas essenciais para a prática do Turismo Sustentável


Turismo sustentável o que é

Para ficar mais claro e já servir de inspiração, abaixo estão algumas iniciativas para a prática do turismo sustentável.

Assim, você vai desfrutar melhor tudo o que seu destino pode te oferecer, enquanto se conecta com a cultura local e deixa um legado positivo para as suas paisagens e para os seus moradores.

1. Incentive o comércio local

Durante uma viagem, comprar é inevitável! Nem que seja com água ou comida, em algum momento gastar no comércio local vai ser necessário e você pode fazer disso um gesto de incentivo.

Muitos comerciantes tem forte clientela por estarem há muito tempo no mercado e terem localização privilegiada, o que é totalmente digno, porém, também é importante dar uma oportunidade para tantos outros comerciantes que estão começando e que nem sempre estão nas melhores localizações. Para eles, consolidar uma clientela ainda é um desafio e, por isso, sua decisão pode fazer toda a diferença!



Quer ajudar ainda mais estes comerciantes que estão começando? Existem inúmeras plataformas de avaliação de estabelecimentos comerciais ou de dicas de viagem. Se você comprou e gostou, aproveite para deixar um comentário em alguma ou em várias dessas plataformas para ajudar a construir a reputação daquele comércio, e assim, incentivar outros turistas a comprarem lá também.

Você também pode ajudar o comércio local buscando profissionais, comerciantes ou produtores da comunidade local que atuam de maneira independente, como guias, agricultores e artesãos, que muitas vezes travam uma luta solitária para exercerem seu trabalho naquela localidade. Assim, seu dinheiro irá diretamente o bolso do idealizador daquele produto e/ou serviço.

Vale ainda, antes de cada escolha, pesquisar sobre os lugares em que você pretende gastar e dar preferência para aqueles que dão algum retorno para a localidade, seja através de:

  • Projetos sociais
  • Contratação de mão de obra local 
  •  Iniciativa sustentável em prol do meio ambiente

2. Evite ao máximo atrações que exploram animais


Turismo sustentável animais

Na era do ‘like’ pode parecer tentador ter uma foto ao lado de um animal que muitas vezes só habita o imaginário das pessoas. Porém, eles vivem apenas no imaginário das pessoas, pois o lugar deles é justamente bem longe da civilização, na natureza selvagem, onde eles podem ser livres com todos os seus hábitos e instintos. Por isso, pense muito bem antes de andar de elefante, beijar um golfinho ou pegar uma preguiça no colo.

Quase sempre só é possível trazer animais selvagens para o convívio humano com o uso de muitas práticas que configuram maus-tratos, como agressão, aprisionamento e dopagem. Mas, infelizmente, muitos turistas seguem fomentando essas atividades por falta de consciência ou informação.

Caso tenha interesse em algo do gênero, procure outros tipos de atividades que proporcionam no máximo a observação distante e silenciosa do animal, em condições que ele esteja totalmente livre e você seja apenas uma rápido visitante. Ainda assim, tenha plena clareza quanto à intenção do seu passeio e a também do seu compromisso com a preservação dos lugares e dos animais que irá encontrar.

Outra boa opção para admiradores da vida animal é visitar projetos ou instituições que desenvolvam atividades voltadas para prevenir a extinção e promover a reinserção na natureza de certas espécies de animais. Um exemplo bem reconhecido no Brasil é o Projeto Tamar, presente em nove estados brasileiros e que trabalha em prol da preservação da vida marítima. Algumas sugestões de cidade onde você pode conhecer o Projeto Tamar são a Mata de São João (BA) e Ubatuba (SP)

Em ambientes como este, normalmente a entrada que é cobrada já serve para manter o projeto em execução, mas além disso, você pode adquirir produtos que são produzidos dentro do projeto com objetivo de gerar renda, ou então, você pode simplesmente visitar as instalações para adquirir conhecimento e ter informações para compartilhar em momentos oportunos.

3. Cuide da sua acomodação e dos lugares por onde passar


Turismo sustentável portugal

Entenda que os ambientes por onde você passa são compartilhados, ou seja, muitas pessoas passaram por ali antes de você e muitas outras passarão depois que você for embora. Manter tudo em ordem depende não somente da eficiência da equipe de limpeza e manutenção, mas também da consciência de cada viajante que passa por ali. 

Além do óbvio e fundamental de prezar pela integridade de tudo que você utilizar e seguir à risca o regimento da sua acomodação, muitas outras atitudes podem demonstrar a gratidão e o respeito que você teve pelo anfitrião que te acolheu, por exemplo: 

  • Manter lâmpadas acesas só quando necessário
  • Deixar as torneiras bem fechadas
  • Comer tudo que por no prato durante as refeições
  • Entregar a acomodação o mais próximo possível de como a encontrou

No mais, as mesmas dicas relacionadas ao comércio local também servem para o lugar que você escolheu para ficar, ou seja, se possível escolha hospedagens que estão começando no mercado e caso aprove a experiência que teve, deixe comentários nas mais diversas plataformas de hospedagem elogiando a acomodação onde você ficou, de forma a incentivar que outros turistas fiquem ali também.

Mas, caso aconteça algo que você não gostou ou tenha alguma dica que pode ajudar a melhorar a qualidade da estadia dos hóspedes, use o poder do diálogo para informar os anfitriões de maneira gentil e construtiva.

Todo esse cuidado e zelo também vale para quando você estiver turistando. Não deixe nada seu nada e nem leve nada com você, além de boas lembranças e, se permitido, lindas fotografias da natureza!

4. Informe-se e estude sobre a cultural local


Turismo sustentável culturas voluntariado

A diversidade cultural talvez seja um dos elementos mais fascinantes de uma viagem. Encontrar um mundo com costumes tão diferentes pode ser encantador, mas também pode pregar boas peças. 

Por isso, faça uma pesquisa prévia sobre o lugar para onde você vai, na tentativa de identificar diferenças entre o seu comportamento e o deles que possam gerar algum tipo de constrangimento, fazendo o possível para você se adequar em prol do bom convívio

Lembre-se que a diversidade cultural é uma via de mão dupla, assim como em dado momento você é o forasteiro que precisa se adequar aos costumes de outra cultura, em algum momento você pode ser o local recebendo estrangeiros que também estranham muitos elementos da sua cultura.

Saiba respeitar o protagonismo cultural do lugar onde você está, especialmente quando for participar de atividades que envolvam religião. Talvez o que você esteja vendo não tenha o mínimo significado para você, mas ao mesmo tempo aquilo seja sagrado para muitos que vivem ali. Por isso, é importante ter uma postura respeitosa e, inclusive, saber o que, quem ou quando é permitido fotografar, tendo cautela para não transformar em entretenimento a vida alheia. Desta forma, a troca poderá ser muito rica e saudável para todos!

5. Turismo sustentável: compartilhe oportunidades

Compartilhar é uma excelente maneira de aproximar pessoas, reduzir os custos da viagem e inclusive, preservar o meio ambiente. Quer um exemplo? Três pessoas podem alugar um carro cada uma, colocando três carros a mais no trânsito, contribuindo para o congestionamento das vias e para a emissão de gases poluentes. 

Mas, essas três pessoas também podem entrar em um acordo de fazerem o mesmo roteiro e alugarem um único carro, dividindo o aluguel entre elas e amenizando todos os problemas citados anteriormente. Outras opções para também reduzir o fluxo de carros é o uso do transporte público, as caronas na estrada de forma segura e os aplicativos de carona compartilhadas, com o a BlaBlaCar.

A mesma iniciativa vale para refeições! Muitas vezes acontece desperdício de comida por cada um tentar se virar com sua própria refeição, em vez disso, é possível buscar pessoas que tenham paladar semelhante e queiram compartilhar refeições. 

Se  você estiver em um restaurante e perceber algum viajante sozinho, pergunte se ele estaria disponível para dividir um prato. Já em sua acomodação, se ela permitir o uso da cozinha, verifique se não tem outras pessoas interessadas em comprar ingredientes em conjunto para compartilharem uma refeição que seja do agrado de todos e que evite o desperdício.


Turismo sustentável consciente

6. Faça volunturismo de forma consciente

Ser voluntário é uma ótima forma de praticar o turismo que vai muito além do entretenimento, especialmente quando você tem a oportunidade de estar em instituições sem fins lucrativos, que dependem muito deste tipo de apoio. Porém, você também pode ser voluntário em muitos outros ambientes que precisam de uma mãozinha extra e que muitas vezes também realizam atividades que tem reflexos positivos para os seus hóspedes e para a comunidade local. 

Desta forma, sua passagem pela acomodação pode ser muito mais cooperativa do que a de um mero turista. Possivelmente, você também poderá ter um contato muito mais edificante com a cultura local através do seu anfitrião e das oportunidades que ele irá te oferecer enquanto morador.

Na plataforma Worldpackers existem diversos anfitriões que promovem um impacto social nos mais diversos âmbitos da sociedade, com acomodações que tem desde fins educativos para comunidades carentes até práticas ecológicas de construção e cultivo de alimentos. Assim, além de você oferecer um apoio para o avanço dessas atividades, você irá adquirir conhecimento que poderá ter reflexos para o seu local de origem e quem sabe gerar novas iniciativas do gênero em muitos outros lugares.

As consequências do turismo predatório


Turismo sustentável e turismo predatório

Em muitas outras localidades do mundo, medidas também já foram tomadas para que o turismo de massa não tenha tantos reflexos negativos, como no Butão, onde o número de turistas é controlado e existe uma taxa mínima diária para turismo.

Machu Picchu, na região de Cusco (Peru), Veneza (Itália) e Maiorca (Espanha) são também exemplos de outros destinos turísticos que estão tentando controlar o fluxo de visitantes.

As medidas aplicadas vão desde cobranças de taxas até à redução do número de acomodações alternativas disponíveis para aluguel, medidas muitas vezes motivadas pela própria comunidade local que tem observado a crescente depredação de suas paisagens.

Em alguns pontos da Tailândia, o turismo já se tornou até proibido, já que segundo Departamento de Recursos Marinhos e Costeiros da localidade, aproximadamente 80% dos recifes foi afetado pelas atividades turísticas.

Embora muitas dessas medidas acabem afetando mais diretamente certas camadas da sociedade, como no caso da cobrança de taxas que torna muitos destinos ainda mais inviáveis para viajantes de baixo orçamento, essas medidas foram a forma encontrada para conter os riscos do turismo predatório e amenizar os efeitos que a movimentação desenfreada de visitantes poderia ter para esses lugares.

Precisamos falar sobre turismo sustentável


Turismo sustentável natureza

Na atualidade, praticar o turismo responsável surge como uma poderosa ferramenta de prevenção e incentivo, que precisa urgentemente ganhar espaço em nossas reflexões e pautar as nossas escolhas enquanto viajantes, em prol da preservação do planeta, da sustentabilidade das comunidades anfitriãs e da manutenção de um turismo justo e democrático.

O sonho de se tornar cidadão do mundo deve sempre vir acompanhado do dever de enxergar cada lugar como uma extensão do seu próprio lar. Estar longe do lugar que chamamos de casa não nos torna menos responsável pelo lugar onde estamos, afinal, todo lugar é parte do mesmo mundo que todos nós compartilhamos!

Por tudo isso, encare o rio como uma extensão do seu chuveiro, a praia como uma extensão do seu quintal, as árvores como a extensão do seu jardim e cada ser vivente sobre a Terra como uma extensão da sua própria existência.


78d73f844d9505bd11a408849325d24c

Thiago

Ago 14, 2020

Sou um fotógrafo goiano que curte a vida com ansiedade e sobriedade, enquanto ando por aí ouvindo músicas, admirando paisagens ou comendo comida ba...


Deja tu comentario aquí

Escriba aquí sus preguntas y saludos al autor