Categorias

Palestina Livre #1: a inscrição e a entrevista para o voluntariado

Depois de viajar três vezes para a África, fui voluntário na Palestina, para onde estou voltando em 2018, com uma diferença: agora você vai poder me acompanhar em cada passo dessa jornada! Durante as próximas semanas, vou compartilhar tudo por aqui, desde o pré-embarque até a volta para casa.


08951906e41ed43a7b06437a9aedaad2

Gustavo

Fundador do Trip Voluntária e autor do livro "Africanamente: o que vivi e aprendi como voluntário...

Mar 22, 2018

Turma de voluntário Worldpackers no Hostel Ramallah

Bom dia, boa tarde, boa noite, Worldpacker!

Meu nome é Gustavo Leutwiler Fernandez e, desde a semana passada, estou com vocês aqui na Worldpackers para falar sobre voluntariado. Sou autor do livro “Africanamente: o que vivi e aprendi como voluntário na África” e criador do Trip Voluntária, por meio dos quais eu oriento e tiro dúvidas daqueles que querem viajar para realizar um trabalho dessa natureza.

É claro que você está mais do que convidado a mandar sua crítica, dúvida, sugestão, opinião ou elogio! Use e abuse deste espaço que também é seu.

No meu artigo de estreia, falei sobre por que escolhi ser um worldpacker na Palestina - se você perdeu, confira aqui

Vamos agora para a prática, começando pelo momento de se candidatar à vaga de voluntário e a entrevista.

Seja um Worldpacker

Antes de mais nada: você já é um membro verificado da Worldpackers, certo?

AINDA NÃO??? Então corre! Além de desfrutar de toda a comunidade pelo período de um ano, você ganha descontos exclusivos em eventos, produtos e serviços que vão tornar sua experiência ainda mais intensa e inesquecível. 

O momento do apply

Depois de tornar-se membro verificado e fazer login no site, é hora de candidatar-se à vaga de voluntário. Eu optei por trabalhar no Hostel in Ramallah. O nome é autoexplicativo, né? Trata-se de um hostel (ah vá!) localizado em Ramallah (não diga!), a capital administrativa da Palestina na Cisjordânia.

O hostel te oferece diversas opções de trabalho: atuar na recepção, serviços gerais, manutenção, administração, limpeza, decoração, cozinha, comunicação, arte, mídias sociais ou na fazenda orgânica mantida pelos próprios donos - esta última opção é uma história que merece um artigo só pra ela… fica ligado!

Esta é a página do Hostel in Ramallah dentro da Worldpackers. Acesse e consulte as opções de voluntariado disponíveis. 

Todas elas funcionam da mesma forma: você ganha hospedagem, café da manhã e jantar em troca do seu trabalho. O hostel também oferece uma cozinha bem equipada, caso você queira fazer suas compras e cozinhar a própria comida. As condições do hostel e as opções gastronômicas serão assunto de outro artigo.

Independentemente da opção de trabalho que você escolher, os donos - dois irmãos palestinos super gente boa que já moraram vários anos no exterior - são bastante flexíveis e você pode colaborar em tudo aquilo que se sentir à vontade. Eu, por exemplo, cheguei para atuar na parte de comunicação e marketing, mas me envolvi tanto que acabei cozinhando alguns jantares, cobrindo turnos e até metendo a mão na terra quando visitei a fazenda!

Encontrou a vaga que mais se encaixa no seu perfil? Leia atentamente a descrição e, depois, clique em “Aplique agora”. Lembre-se que existe um limite mínimo de duas semanas de permanência e um máximo de seis meses de antecedência para se candidatar ao voluntariado.

Na hora de se candidatar, você terá a oportunidade de enviar uma mensagem de apresentação. Escreva-a em inglês e não se preocupe tanto com uma gramática impecável nem em impressionar com sua formação acadêmica, títulos ou experiência profissional - mas não deixe de citá-las, caso você as tenha.

O mais importante aqui é demonstrar que você é uma pessoa madura, comprometida com os propósitos que unem a comunidade Worldpackers: ser responsável nas suas atividades e estar aberto a novas culturas. O grande pesadelo do anfitrião, nesta hora, é receber aquele adolescente tardio que só quer saber de curtição e bagunça e não está nem aí para a contrapartida de colaborar com as atividades do hostel. Definitivamente, eles preferem receber alguém sem uma formação extensa, mas que tenha maturidade, disposição, bom humor e boa relação interpessoal.

Sala do hostel Ramallah

A entrevista

Depois que o hostel te aceitar, um dos irmãos (quase sempre é o Bubu, o mais novo) irá marcar uma conversa via Skype contigo.

Ele vai te explicar, com mais detalhes, quais são as atividades do hostel e o que esperam do seu trabalho, além de tirar suas dúvidas e orientar a respeito de como chegar até lá. Dependendo da vaga para a qual você se candidatou - em especial aquelas que envolvem administração da hospedagem ou comunicação e marketing - é provável que eles te peçam para apresentar ideias práticas e objetivas que pretende implantar por lá, como um plano de divulgação em redes sociais ou atrações que possam enriquecer a experiência dos hóspedes. 

Isso também faz parte da avaliação a respeito do seu nível de comprometimento com o trabalho, pois eles já tiveram voluntários no passado que não renderam o esperado e apenas se aproveitaram da oportunidade para contar com uns dias de hospedagem gratuita. Simplesmente não seja essa pessoa, ok?

Além disso, outras dicas que podem te ajudar nesta hora: caso você não tenha experiência na área em que vai atuar, pesquise e se informe sobre ela, para que já chegue à entrevista com algumas noções daquilo que quer sugerir para o anfitrião. Isso demonstra interesse e motivação para realmente compensar o investimento que estão fazendo em você.

Outro ponto importante é respeitar a opinião e o conhecimento do outro. Lembre-se que você é o forasteiro e são eles que estão a vida inteira lidando diariamente com o negócio, portanto considere que é bem provável que eles já tenham pensado e até mesmo testado tudo aquilo que você está tendo de ideia agora. 

Você não é o expert que vai chegar para solucionar todos os problemas com um passe de mágica, mas sim o voluntário disposto a trabalhar para o time, integrar-se à equipe, criar coletivamente e contribuir com o que for preciso. Dá pra resumir em uma única palavra: humildade.

Seguindo esses passos, você tem tudo para ser o próximo worldpacker rumo à Palestina, contribuir com um projeto que vale a pena ser apoiado e vivenciar uma experiência que você não irá esquecer jamais.

Se tiver dúvida, já sabe: é só me mandar mensagem aqui mesmo pela plataforma da Worldpackers, ok?

Até a próxima semana, pessoal. Salaam!



08951906e41ed43a7b06437a9aedaad2

Gustavo

Fundador do Trip Voluntária e autor do livro "Africanamente: o que vivi e aprendi como voluntário...

Mar 22, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar tripvoluntaria saber :-)


Comentários