Categorias

África: um mundo a ser descoberto (em mim)

A Tanzânia entrou no meu roteiro de viagens por que eu queria descobrir uma África que vai muito além da pobreza. Encontrei um país com problemas culturais, mas cheio de boas lições e amor próprio.


9dab9cd78fcfca1d3fa0756014a19ab9

Lisiane

Historiadora e jornalista, resolvi dois meses antes de completar meus 30 anos, partir para uma av...

Jun 19, 2018

Paisagem africana

Lembro que desde que fiz um voluntariado na Índia em 2012, a ideia de seguir para o continente Africano estava incluída na minha lista, mas não seria possível naquele momento por causa dos poucos recursos para bancar passagens, acomodação e alimentação. 

Por esse motivo guardei esse desejo, foquei na minha carreira e todas as outras coisas que, como a maioria, acabamos fazendo para ter uma vida “estável”.

Seis anos depois, após saber o que era o workexchange e ver no site da Worldpackers várias vagas para trabalho social na África, uma me chamou a atenção. Foi como uma luz no fim do túnel.

Vi que o projeto Nyumba Ya Bibi Sebastiana em Arusha, na Tanzânia, trabalhava com adolescentes em situação de risco, foi ali que decidi onde seria a meu terceiro voluntariado e a segunda experiência sendo Worldpacker.

Decisão tomada, foi hora de procurar passagens e anotar tudo o que precisava para a viagem. Estudei sobre o país lendo blogs, sites e acumulando todas as informações possíveis para que quando aterrissasse no Kilimanjaro Airoport, me sentisse familiarizada com a cidade que eu iria morar por dois meses.

Além de descobrir esse país no Norte da África, a minha intenção é viver experiências em diversos lugares, viajando por um ano. A minha aventura começou dia 16 de fevereiro, antes da Tanzânia passei três meses sendo voluntária em Malta para dar um upgrade no inglês. Daqui sigo para o Marrocos, para outro projeto social com crianças.

Voluntária em passeio na Africa

Para que meu plano desse certo e eu pudesse fazer voluntariados por diversos países, eu deveria colocar em prática uma lista de tarefas, inclusive, aquelas que iam me fazer ter dinheiro para viajar.

Pedi demissão de dois trabalhos, onde atuava como jornalista, com os acordos eu pude pegar os fundos de garantia. Vendi meu carro e aluguei meu apartamento, pronto! Assim, eu consegui grana para viajar e viver algo que fugisse da minha rotina de 12 horas de trabalho por dia, dos plantões em feriados e aos fins de semana.

Acima da fuga, estava a vontade incessante de viver além da caixinha. É clichê, mas é a pura verdade, a felicidade está nas coisas simples.

Troquei o meu carro pelo avião, que é meu principal transporte agora. A redação cheia de computadores e deadline, se tornou uma sala pequena com 11 garotas com idades entre 16 a 22 anos, cheias de energia e com vontade de aprender português. Os terninhos e saltos, foram doados e agora eu trabalho de chinelo, calça jeans e camiseta.

Eu sempre soube que a África seria um destino incrível, e olha que eu até agora só voluntariei na Tanzânia, mas essa experiência está me mostrando algo maior.

Sabe gratidão? Falo do significado real dessa palavra. É isso que sinto todos os dias, mesmo naquelas manhãs cheias de saudade, é gratidão que sinto por estar aqui, por aprender tanto e por estar vivendo exatamente como eu havia planejado meses atrás.

voluntaria em projeto social africano

O medo existe e vai sempre existir, dizem que é importante para garantir a existência, principalmente por ser mulher e viajar sozinha. Porém, no meu caso, ele foi dando espaço para algo maior, mesmo sabendo que essa aventura requer cuidados, hoje é a curiosidade e a vontade de fazer diversos trabalhos em locais diferentes que me movem.

Sentir o frio na barriga toda vez que eu passo por uma imigração, ficar de boca aberta com as paisagens incríveis, fazer novos amigos e viver momentos únicos juntos, poder trabalhar em projetos sociais contribuindo com alguém que até pouco tempo você nem conhecia, ajudar a melhorar a vida dela é o que faz isso valer a pena.

O medo jamais vai limitar os meus sonhos e hoje eu sou mais forte que antes.



9dab9cd78fcfca1d3fa0756014a19ab9

Lisiane

Historiadora e jornalista, resolvi dois meses antes de completar meus 30 anos, partir para uma av...

Jun 19, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Lisi Martins saber :-)


Comentários