8 dias de retiro e imersão na Chapada dos Veadeiros como voluntário

Em busca de contato com a natureza, me aventurei como voluntário em uma das chapadas mais famosas do Brasil, em Goiás.

C193870168a9aa44af7af783d79331fc

Tiago

Ago 27, 2018

4min

Worldpacker e Morro da Baleia ao fundo

Estava viajando pelo Brasil, conhecendo suas riquezas naturais e culturais, e compartilhando histórias de seu povo acolhedor.

A Chapada dos Veadeiros, tornou-se um retiro para um período de trocas de habilidades por hospedagem e também um período de imersão e autoconhecimento, esse que é um dos melhores destinos no Brasil para quem procura viajar barato.

Minha intenção era ficar dois dias em algum hostel em Alto Paraíso de Goiás, mas ao procurar no aplicativo do Worldpackers um local de troca de hospedagem, encontrei a Pousada Capim Estrela (Bússola da Alma). Local com beleza natural em abundância e no coração da Chapada!

Após ser aprovado pelo anfitrião, comecei a organizar minha viagem para o local, onde vou compartilhar como foram meus dias de trocas e aprendizado!

Leia também: Conheça as 8 maiores festas populares brasileiras como voluntário

1. Start

Como já estava mochilando pelo Brasil, viajei até Brasília para pegar um ônibus com destino à cidade de Alto Paraíso de Goiás, com duração de quatro horas de viagem. 

Desembarcando na rodoviária de Alto Paraíso, logo percebi a boa vibração do local. 

Caminhei em torno de dez minutos até a rótula da estrada que vai para São Jorge, com a intenção de conseguir carona até a Pousada Capim Estrela. Oito minutos depois apareceu uma carona solidária, onde pude descer em frente à Capim Estrela.

Gracias pela carona, gracias pela generosidade!

2. Habilidades

Era uma jornada de trabalho de quatro horas por dia, mas bem flexíveis. De acordo com a disponibilidade, fui encarregado de organizar, roçar o capim, compostagem e zelar pelo local, algo tranquilo e de acordo com minhas possibilidades.

Leia: O que fazer em Alter do chão, no Pará: conheça tudo sobre a região

3. Estadia e estrutura do Capim Estrela

Fui muito bem recebido pelo anfitrião. Ele me apresentou toda a estrutura da pousada.

Os chalés seguem princípios da geometria sagrada. São triangulares e formam uma grande estrela no meio do capinzal.

O meu quarto era próprio, onde havia uma cama de casal.

Com uma cozinha bem ampla para preparar os alimentos, o anfitrião já havia orientado para levar alimentos para os dias em que eu iria ficar. O hostel fica bem no coração da Chapada, por tanto não havia locais próximos como mercados ou restaurantes, mas pude também aproveitar a horta do local.

O Capim Estrela segue uma linha de sustentabilidade, toda a energia utilizada é captada através de placas voltaicas, todas as torneiras fornecem água mineral e toda água que é utilizada passa por um processo de reaproveitamento e purificação.

Como Worldpacker, posso garantir que o lugar é para renovar as energias, um local pacato e de paz, são para pessoas que procuram se reconectar com a natureza.

Continue viajando: 10 picos e montanhas no Brasil para você explorar e se desafiar

Chalé em formato triangular

4. Relação com o staff

Peu e André foram anfitriões muito atenciosos, onde desde o início passaram todas as informações necessárias para chegar ao local, o que levar, e também permitem que o Worldpacker contribua com sugestões para o local. 

Além de deixar o voluntário à vontade, criando meu próprio horário de auxílio nas atividades designadas pelos mesmos.

Peu e André nos envolvem com suas histórias de viagens e contos da Chapada dos Veadeiros, além de preparem rangos de primeira!

5. Benefícios

Somente a oportunidade de estar no coração da Chapada dos Veadeiros, para mim, já foi um grande presente!

Os benefícios foram a hospedagem gratuita, algumas poucas horinhas como voluntário, bicicleta à vontade, cozinhar a vontade, carona para cachoeira e a amizade desenvolvida com os anfitriões!

6. Natureza em abundância ao redor

Capim Estrela fica a 18 km do Centro de Alto Paraíso e 18 km de São Jorge.

Em frente fica o Morro da Baleia, com sua formação milenar, e, atrás da pousada, o Morro do Buracão, ambos muito conhecidos na Chapada dos Veadeiros.

Pedalando alguns poucos minutos, pude encontrar o Jardim de Maytrea, mais um ponto turístico deste local sagrado.

7. Liberdade e tempo livre

Nas horas de folga, eu utilizava a bicicleta para conhecer os locais aos arredores. Como sou fotógrafo, utilizei da habilidade para registrar e divulgar a magia do local.

Pude também fazer trekking no Morro do Buracão, onde pude contemplar uma vista privilegiada da Chapada. Excelente local para meditar e se reconectar com a natureza.

Horários de folga não eram problema, já que eu podia voluntariar de acordo com a minha disponibilidade.

Teve cachoeira? Sim! O Peu ofereceu carona até o local e posso afirmar: foi uma excelente escolha.

Veja mais: 7 motivos por que todo brasileiro deveria fazer uma viagem para a Amazônia

Vista do alto do Morro do Buracão

8. Dica

Estar presente, estar conectado com a natureza, buscar um propósito e autoconhecimento e estar de acordo com as necessidades do local são chaves essenciais para conseguir ser aprovado como Worldpacker no Capim Estrela.

Estas dicas são muito importante para “estar” em Capim Estrela, a Bússola da Alma. 

Você também pode continuar viajando com a Worldpackers, leia também: 




Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor







Mais sobre esse tema