As cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital

Algumas dicas para saber como escolher as cidades mais baratas da Europa para morar de acordo com seu perfil como viajante que não pode deixar os jobs atrasarem.


F3ccdd27d2000e3f9255a7e3e2c48800

Abr 30, 2019

Uma sonhadora tentando encontrar seu lugar no mundo, colecionando incertezas e com elas as melhores experiências que se poderia imaginar.

Saiba quais são as cidades mais baratas na Europa para nômades digitais

O sonho de poder trabalhar de qualquer lugar do mundo é cada vez mais frequente e enche os olhos dos profissionais que podem exercer seu trabalho apenas com a ajuda de alguns gadgets e da internet.

Eu, particularmente, assim que tive a oportunidade de ter um emprego totalmente remoto, abracei a chance com todas as forças. Sempre soube que seria um desafio grande conseguir conciliar as demandas diárias com a vontade de desbravar novos lugares e culturas. E, de fato, não é algo que todo mundo tira de letra.

Se essa é uma vontade sua, antes de largar tudo e se jogar no mundão, analise todas as opções, prós e contras desse novo desafio.

Primeiramente, vale escolher o tipo de região ou continente que você gostaria de explorar. Eu sempre sonhei com o velho mundo, e é por isso que hoje vou dar dicas das cidades mais baratas da Europa.

Mas antes de listar as 15 cidades mais bacanas para nômades digitais, vou comentar brevemente outros pontos importantes a serem analisados além do quesito grana:

Clima: você se adapta mais com o frio ou com o calor? Está preparado para chuva e neve ou só para dias ensolarados? Saiba qual o seu cenário ideal antes de embarcar. Partindo daí você já consegue delimitar mais os países e as épocas para visitá-los.

Segurança: em comparação ao Brasil, é bem provável que a maioria dos países europeus sejam mais seguros. Mas nem sempre é regra. Alguns países do leste da Europa, por exemplo, podem ser mais perigosos para LGBT ou para mulheres. Vale analisar esse fator também.

Internet: não adianta você encontrar uma ilha paradisíaca e super econômica se você não tiver por lá uma conexão potente e constante, ok?

Idioma: mesmo que isso não interfira diretamente no seu trabalho, é sempre bom ter uma certa segurança para se comunicar. Cidades muito pequenas e em países não tão turísticos, por exemplo, podem ser um pouco mais complicadas pois a maioria da população não costuma falar inglês.

Uma ferramenta extremamente útil para nômades digitais é o site Nomadlist. Por lá você consegue ver os mais precisos detalhes de um lugar, avaliados por integrantes da comunidade. Dá para fazer sua pesquisa inserindo filtros que ajudem a afunilar suas buscas ao que mais tem a ver com o seu perfil.

Então vamos às 16 sugestões de cidades mais baratas da Europa para os seus planos como nômade digital:

1. Budapeste, Hungria

A moeda lá pode ser um pouco confusa na hora de fazer o câmbio, mas Budapeste é uma unanimidade entre viajantes na Europa. Os nômades por lá curtem o fato de que, mesmo sendo uma capital relativamente grande, a cidade é barata. Além disso, o ambiente de startups é superpositivo.


Cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital: Budapeste, Hungria

2. Praga, República Tcheca

A capital tcheca foi a cidade mais barata do período de três meses que passei pela Europa como nômade digital. Eu super recomendo, mas com um alerta: um dos grandes atrativos da cidade é a noite. Com cervejas boas e baratas e festas em qualquer dia da semana, é preciso muito foco para manter a rotina de viajante e profissional. Quando estive lá, fui voluntária no Brix Bar & Hostel e esse foi, até agora, disparado, o hostel mais legal que já trabalhei. Recomendo muito!


Cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital: Praga, República Tcheca 

3. Varsóvia, Polônia

Os únicos dois pontos negativos analisados pelos nômades do Nomadlist são os de tolerância racial e aceitação LGBT, infelizmente. De resto, se esses itens não forem um problema para você, Varsóvia tende a ser uma das opções mais econômicas entre as grandes cidades europeias.


Cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital: Varsóvia, Polônia 

4. Belgrade, Sérvia

Embora ainda seja um país pouco explorado pelos viajantes, a Sérvia é um destino bem interessante e tem algumas boas opções de work Exchange pela Worldpackers, inclusive na capital Belgrade. Na cidade em que um bom jantar completo sai por menos de 5 dólares, vale passar um tempinho, principalmente para quem deseja ficar mais de 3 meses na Europa, já que o país tem seu visto específico.


Cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital: Belgrade, Sérvia 

5. Lisboa, Portugal

Aaah, Portugal. Seja pelo idioma ou pelas paisagens incríveis, os brasileiros amam esse país de tantas características incríveis. Uma delas é que, mesmo nas principais cidades como Lisboa e Porto, os custos de vida são bem acessíveis. Os nômades digitais que passam pela capital portuguesa devem aproveitar a oportunidade para conhecer os espaços de coworking de lá, muitos com projetos super inovadores e comunidades influentes no mundo todo.


Cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital: Lisboa, Portugal 

6. Sofia, Bulgária

No Leste Europeu, a cidade com um nome um tanto conhecidos pelos brasileiros é ainda pouco desconhecida. Por lá é fácil de viver com pouco. Se você não quiser fazer work Exchange, não vai gastar tanto assim no aluguel. Os custos com alimentação são baixos e a cidade é bastante convidativa para fazer tudo a pé, economizando no transporte.


Sófia, Bulgária

7. Tenerife, Ilhas Canárias

Mesmo sendo em uma ilha, Tenerife é uma das localidades mais econômicas para os nômades que desejam passar um tempo na Espanha. Se você trabalha com fotografia e redes sociais, pode até aproveitar para trocar algumas horas de trabalho por dia pela sua acomodação. Olha só essa vaga aqui!


Tenerife, Ilhas Canárias, Espanha

8. Bucareste, Romênia

A capital romena vem em pleno crescente entre os viajantes. Isso porque a entrada lá costuma ser fácil para os brasileiros, que podem ficar até 90 dias com visto de turista. Para os profissionais que desejam se estabelecer lá por um tempo, o custo de vida, a boa internet e a qualidade de vida são bons atrativos.


Cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital: Bucareste, Romênia 

9. Colônia, Alemanha

Essa pode não ser exatamente a opção mais barata, mas se você sonha em passar um tempo na Alemanha, Colônia é um dos locais mais econômicos do país — leia-se “não tão caros”. O preço é totalmente compatível com o que se espera de uma cidade em um país tão incrível. Por lá é fácil de se adaptar e grande parte da população fala inglês, facilitando o seu dia a dia.


Cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital: Colônia, Alemanha 

10. Porto, Portugal

Há uma certa rivalidade entre moradores de Lisboa e do Porto. Só quem já experimentou as duas cidades pode dizer qual é a mais bacana para se viver, mas também vai depender do que você busca. Fato é que Porto é bem menor, em tamanho e em população, e é um pouco mais cara por ser maior a concorrência na hora de encontrar um lugar para morar. Se o aluguel não for a sua intenção, vale espiar as opções de trabalho voluntário.


Cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital: Porto, Portugal 

11. Ljubljana, Eslovênia

Eu sei o que você está pensando. “Como é que eu vou morar em uma cidade que não sei nem como pronunciar o nome?”. Mas tente encontrar outros viajantes que já estiveram lá e você vai ver que todo mundo se apaixona pela pequena Ljubljana e seus 200 mil habitantes. Sem contar que os índices de segurança e qualidade de vida são compatíveis (ou até melhores!) que outras cidades mais badaladas como Berlim, por exemplo.


Cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital: Ljubljana, Eslovenia 

12. Zagreb, Croácia

Uma das favoritas da região dos balcãs, Zagreb se mostra cada vez mais pronta para os turistas e novos habitantes. Dá para se virar com inglês por lá, além de ter boa internet, bons cafés e coworkings para quem precisa trabalhar enquanto viaja. Se você não tem certeza que quer ficar muito tempo por lá, que tal ir como workdpacker por algumas semanas enquanto decide se segue viagem ou se fica?


Cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital: Zagreb, Croácia 

13. Tallin, Estônia

Essa é uma das cidades que não poderia ficar de fora dessa lista. Sabe por quê? Tallin é a capital à frente de um projeto de digitalização de processos que começou nos anos 90, com avanços únicos e desburocratização quase que total. Hoje em dia no país a população pode fazer tudo com um kit de identidade e assinatura digital. Para os empreendedores online, a Estônia lançou até um visto especial para nômades. Se você quiser saber mais sobre o assunto, dá uma pesquisa, super interessante!


Cidades mais baratas da Europa para ser nômade digital: Tallin, Estônia 

14. Istambul, Turquia

A capital turca é muito mais econômica que várias outras capitais citadas aqui na lista. Porém, segundo o ranking do Nomadlist, a conexão de internet ainda pode ser um empecilho. Vale analisar com cuidado se vale a pena para você ou se esse poderia ser um problema na hora de entregar seus jobs.


Istambul, Turquia

15. São Petersburgo, Rússia

Se você tem curiosidade de conhecer a Rússia, São Petersburgo é uma das melhores opções quando se analisa o perfil geral. Não tão econômica quanto outras opções como Samara ou Saratov, mas sem dúvida melhor rankeada em itens como segurança, diversão e internet.


São Petersburgo, Rússia

16. Liverpool, Inglaterra

Por último, incluo aqui uma cidade representante do Reino Unido para quem quer muito visitar a terra da rainha. Já aviso que nenhuma cidade é realmente barata lá, até por conta da conversão da moeda para nós brasileiros. Mas tem alguns lugares que, especialmente se você usar a Worldpackers como opção de hospedagem, dá sim para viver por um tempinho. Fiquei pouco mais de um mês em Liverpool trabalhando em um hostel e dá para dizer que a rotina de alimentação e lazer eram baratas. A cidade tem museus incríveis e são todos gratuitos!


Liverpool, Inglaterra

A partir da média de preço de alimentação, transporte, lazer e aluguel quando necessário, você pode decidir quais os seus próximos destinos como nômade digital. Mas, claro, analise também se o estilo da cidade tem a ver com você, com a sua personalidade e o que você busca atingir no quesito qualidade de vida. De nada adianta encontrar as cidades mais baratas da Europa se você não se identifica e se elas não fizerem seus olhos brilharem todos os dias.


F3ccdd27d2000e3f9255a7e3e2c48800

Abr 30, 2019

Uma sonhadora tentando encontrar seu lugar no mundo, colecionando incertezas e com elas as melhores experiências que se poderia imaginar.


Gostou? Não esqueça de deixar Tuani saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor