A experiência Worldpackers me ajudou a mudar de vida, entenda por quê

Entenda como a minha primeira viagem pela Worldpackers virou a minha vida de ponta cabeça e como a segunda me mostrou um mundo de novas possibilidades.


0aa21fd0f8702728dcf6bf0cdd864e49

Abr 17, 2019

Travel blogger, Brazilian, 28. Helping Travel Lovers and Sharing Experiencies w/ Love!

Como a Worldpackers mudou minha vida

Neste artigo conto um pouco da minha história e de como as experiências Worldpackers foram transformando a minha vida aos pouquinhos até os dias atuais.

Hoje a minha realidade é totalmente diferente de quando comecei esta jornada, e venho caminhando cada vez mais em direção a um sonho antigo de viver viajando e trabalhando como nômade digital.

1. Conhecendo outras realidades

Eu confesso que a minha primeira experiência com a Worldpackers soava mais como uma grande aventura. 

Era uma experiência totalmente nova que ninguém do meu círculo de amizades haviam vivido antes. Isso foi lá em 2015 e, para vocês terem uma ideia, eu nem sabia direito para onde queria ir.

Comecei então a pesquisar e eis que surge a indicação de ir para a Chapada dos VeadeirosMais uma confissão aqui: nunca tinha ouvido falar sobre essa região naquela época!

A ideia era viajar sem gastar muito, descansar um pouco do trabalho, já que fiquei por lá por 15 dias de férias, conhecer pessoas novas e viver a vibe do local.

Aquela vida na Chapada era muito diferente da vida que eu levava em São Paulo.

Na minha rotina de trabalho em São Paulo era sempre tudo muito corrido, sem tempo para me preocupar se estava comendo direito ou não, sem contato com a natureza, sem tempo para me distrair e ficar sem fazer nada! Finais de semanas vazios, gastando dinheiro com baladas e bebidas afim de me sentir melhor com a relação ao estresse todo da semana.

Aqueles dias voluntariando no hostel foram tão contrários disso tudo. Sem pressa, eu prestava atenção a cada alimento que ingeria e assim descobri novos sabores, ouvia o som dos pássaros, contemplava a natureza, observava a lua e descobria um mundo novo.

Durante aqueles dias percebi que a vida não precisava ser aquela correria toda que eu estava vivendo, e que estava na hora de eu encontrar um equilíbrio e realizar mudanças para ter uma qualidade de vida melhor.


Imagem de mapa e o painel de um carro

2. Enxergando outras possibilidades

Iniciativa

Eu já carregava comigo a vontade de morar fora e de fazer um intercâmbio, mas tudo estava apenas naqueles planos falados sem muita ação.

Foi aí que eu tive um estalo e de lá da Chapada mesmo comecei a entrar em contato com diversas agências combinando datas para que eu fosse conhecer os programas de intercâmbio para a Austrália.

Tomei a decisão de que iria e dali em diante comecei a colocar a mão na massa para que o meu antigo sonho de morar na Austrália realmente se tornasse realidade.

Depois de três meses da minha volta à São Paulo, o meu intercâmbio estava fechado e em seis meses eu partiria para a Austrália na busca de desenvolver o meu inglês e realizar algo que eu já queria há muito tempo, mas nunca tomava a iniciativa de fazer.

O intercâmbio aconteceu, morei na Austrália por 1 ano e 3 meses e hoje estou no terceiro país que chamo de casa!

Alimentação

Na Chapada também conheci muitas pessoas vegetarianas (a maioria delas na verdade), alguns veganos e até crudívoros que, confesso, não fazia a menor do que se tratava esse tipo de dieta naquela época, mas cheguei a provar alguns pratos e pesquisar sobre o assunto depois.

Em todos os restaurantes e feiras haviam opções para esse público e tudo aquilo era um mundo muito novo para mim.

Enquanto estive por lá continuei a comer carne nas minhas refeições, mas depois do meu retorno decidi pesquisar mais sobre o assunto e desde então decidi que não queria mais que a carne fizesse parte da minha dieta alimentar.

Desde então, nunca mais comi carne e minha saúde nunca esteve tão boa!

Nova profissão

Na minha segunda experiência Worldpackers trabalhei em um hostel na Barra do Sahy, em São Paulo

Durante o meu trabalho como voluntária, percebi que o site do local precisava de algumas melhorias e me ofereci a ajudar. Como eu tenho um blog, o Em busca do desconhecido, eu sabia como utilizar a ferramenta de configuração do site, que era a mesma que eu usava.

As donas do hostel estavam gostando tanto o meu trabalho que me ofereceram uma posição de gerente, mas eu estava com viagem marcada para o exterior em um mês e queria aproveitar esse tempinho com a minha família e amigos já que não fazia muito tempo que eu havia voltado do meu intercâmbio na Austrália.

Então chegamos à uma proposta de trabalho remoto e até hoje trabalho alimentando e gerenciando o site do hostel.


Imagem da Jéssica em uma praia e ao fundo a lua cheia

3. Criando laços com outras pessoas

Quando você viaja sozinha, está muito mais aberta a conhecer novas pessoas.

Na época do voluntariado na Chapada dos Veadeiros éramos em duas voluntárias e em mais duas pessoas que eram funcionários fixos do hostel. Tenho o contato de todos eles e conversamos até hoje.

Um deles me recebeu em sua casa na Bélgica, onde mora atualmente, durante o mochilão que fiz pela Europa em 2018.

Fiz amizades com hóspedes que chegaram a escrever artigos para o meu blog e que ainda hoje me ajudam com dicas de como melhorar o meu espanhol.

A voluntária que trabalhava comigo na época chegou a ir em uma comemoração de um aniversário meu, virou mãe e acompanhamos a vida uma da outra.

Na minha segunda experiência com a Worldpackers, alguns hóspedes se tornaram amigos de longas conversas sobre sair viajando por ai e pude dar muitas dicas e inspirar um deles que, depois de conhecer o meu estilo de vida, decidiu cair no mundão também.

Mantenho o contato com as donas do hostel da Barra do Sahy até hoje. Criamos novos projetos juntas e sempre que possível passo por lá para dar um oi.  


Amigas em uma lancha e mar ao fundo

4. Saindo da bolha

Existe um mundo cheio de possibilidades esperando por você lá fora. Muitas vezes ele pode te parecer assustador, mas quem acaba colocando os próprios empecilhos antes mesmo de tentar somos nós mesmos.

Temos o mau hábito de achar que as coisas não vão dar certo pelo simples fato de serem desafiadoras.

Te proponho a agarrar esse seu desafio com todas as suas forças!

Tenha em mente que tudo aquilo o que fazemos com o coração e determinação dá certo. Não tem como dar errado a partir do momento que estamos focados em fazer acontecer.

É claro que nem tudo serão flores, mas quando as tiver, a beleza será muito mais contemplada por você que já passou pelos espinhos. Você é mais forte e capaz do que imagina! Pode ir muito mais longe.

Esse mundo é tão grande, tão cheio de possibilidades, com tantas realidades diferentes que o que pode parecer difícil ou fácil para você hoje é muito relativo.

O seu ponto de vista pode mudar, suas preferências podem ser ampliadas, seus pré-conceitos dissolvidos e uma nova versão de você surgirá!

A Worldpackers me ajudou a caminhar em direção aos meu sonhos!

E você, tá esperando o que para viver os seus ?!

Para mais informações e bate-papos: me mande uma mensagem!

Instagram: @jess.alvess_


0aa21fd0f8702728dcf6bf0cdd864e49

Abr 17, 2019

Travel blogger, Brazilian, 28. Helping Travel Lovers and Sharing Experiencies w/ Love!


Gostou? Não esqueça de deixar Jéssica saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor