Como vivi um mês na praia com R$300

Olá, meu nome é Mari, e eu sei que esse título parece mentira, mas não é. Eu realmente consegui viver muito bem com 300 reais em um mês inteiro.


C63b0dde9f775bc2162d23ccba6e9e2a

Mariana

Viajar Gastando Pouco, Nomadismo Digital e Voluntariado pelo Worldpackers. Qualquer dúvida é só c...

+ Ver mais

Ago 22, 2018

voluntária em céu estrelado

Aqui listei alguns tópicos que foram mega importantes para mim e podem ajudar você a economizar também.

1. Economizando desde a aplicação

A escolha do destino

Para começar, se você não tem muita grana é legal pensar em economizar desde o planejamento da viagem.

Eu estava nesta situação, então por mais que eu queira viajar o mundo todo, mantive os pés no chão na escolha do meu primeiro destino. Escolhi Ubatuba, a apenas 180km da minha casa, o que fez eu gastar bem pouco com passagens.

É importante também procurar todos os modos possíveis de se chegar ao seu destino. Eu, nesta aplicação, fiz metade do caminho de ônibus e a outra metade consegui uma carona em um aplicativo de caronas.

Os aplicativos de caronas são uma ÓTIMA opção para nós viajantes, pois barateiam muito o custo da viagem e permitem que "investiguemos" um pouco a vida de quem vai nos oferecer a carona, lendo comentários e avaliações de pessoas que já viajaram com aquele motorista antes.

Lembro que quando consegui esta carona para ir para Ubatuba a data que o motorista cadastrou não era a mesma que eu tinha escolhido para chegar no hostel.

Esses detalhes podem ser conversados com os anfitriões, sem nenhum problema. Falei com a Malu, anfitriã do Ecotrip Hostel, que só poderia ir um dia depois por conta de uma carona e por ela foi tudo certo. 

Tudo pode ser conversado e resolvido, os primeiros diálogos são importantes para você descobrir características de seu anfitrião, se ele é mais maleável, rígido, etc.

No final das contas, a minha ida que ficaria por 90 reais ficou por apenas 55 e a carona ainda me buscou na porta de casa, um luxo para um mochileiro! 

2. Aposte na feira da cidade

Comendo com 25 reais por semana

Quando cheguei no Ecotrip Hostel, já sabia que ganharia o café da manhã. Como sou uma pessoa que não come muito, conseguia tomar um belo café e ainda guardar um pão para comer de tarde, então no final das contas foi como se o hostel me desse o café da manhã e um lanche.

Com as manhãs e as tardes salvas, me restava preencher os horários do almoço e da janta.

Dei muita sorte de no Ecotrip Hostel conviver com staffs que já estavam na cidade a algum tempo e eles me convidaram para participar das comprinhas da semana.

Eles recolhiam em média dez reais de cada staff e iam na feira da cidade que acontecia todos os sábados de manhã.

Além de ser uma ótima oportunidade de conhecer os nativos de Ubatuba, eu economizei MUITO, pois com uma média total de 40 reais tínhamos um verdadeiro banquete para todos e em todos os dias da semana. Sem contar que meu corpo agradeceu meu modo mais saudável de alimentação, pois comíamos muitas frutas e verduras da feirinha.

No Ecotrip Hostel ainda contávamos com um jardim agroflorestal que oferecia alguns alimentos sazonais, ou seja, de época em época é possível comer alguns frutos que brotam ali mesmo no quintal. No mês de minha hospedagem fui presenteada com muitos abacates e carambolas.

Viver em hostel tem também outras vantagens, todo mundo se ajuda e vira uma grande família. Muitos hóspedes nos convidam para jantar e também nos oferecem alimentos que deixarão para trás, pois as vezes não conseguem consumir tudo que compraram antes do dia de partir.

É tudo junto e misturado, mas sempre com muito respeito e atenção. Só consumimos algo que nos é dado e é sempre bom poder oferecer algo em troca também. É necessário nestes momentos usar do bom senso e nunca se esquecer que você é um funcionário da casa.

O espírito do mochileiro é sempre da economia, então se você precisa economizar vai se sentir rapidamente em casa. Conheci alguns staffs que tinham até vara de pescar, uma ótima dica para quem vai se hospedar no litoral. Peixe fresco na faixa toda semana.

Para concluir esse tópico, vamos aos valores. Eu gastava então por semana 10 reais com a feirinha e uns 15 reais com outras coisas no supermercado. Em algumas semanas, nem no supermercado eu precisava ir, então me dava ao luxo de pedir um lanche ou rachar uma pizza com os colegas. 

3. Cultive as amizades

Elas são a principal fonte de economia

Além do fatos dos staffs se ajudarem nas comprinhas da semana, como já citei acima, eles também podem dar dicas valiosas de lugares e rolês ótimos e econômicos. É muito importante sempre perguntar para alguém que conhece melhor o lugar antes de fazer qualquer coisa.

Desde um simples café, até uma trilha ou ir em uma praia. Eles sempre têm dicas valiosas que farão você economizar demais.

Na minha estadia também fiquei muito amiga de inúmeros hóspedes, que me deram dicas e até caronas para praias. Em uma semana, fiquei tão amiga de uma hóspede que estava viajando sozinha que fomos juntas para várias praias, o que fez eu conhecer mais lugares e não pagar ônibus, pois ela estava de carro.

Como já disse, é sempre necessário o bom senso, pois viver em um hostel é exatamente manter o equilíbrio entre ser um funcionário mas também ser um turista. Muitas amizades vão surgir e essa troca de energias é o mais rico que se pode ganhar, a economia é apenas uma consequência.

Mesmo com as caronas que consegui, andei de ônibus algumas vezes. Em Ubatuba o terminal de ônibus que leva para todas as praias fica a apenas três quadras do hostel em que eu estava e custa menos de 4 reais por viagem.

Fiz algumas trilhas por praias, que foram os melhores rolês da viagem. Nestes dias nós sempre levávamos a famosa marmitinha, então na maioria das vezes gastei apenas o valor da passagem para chegar e voltar da praia e curti o dia inteiro no meio da natureza. A beleza das praias de Ubatuba não tem preço, literalmente. 

jardim do Ecotrip Hostel

4. Fechando a conta

O menos é sempre mais

Na volta para casa também consegui carona pelo aplicativo de caronas e desta vez consegui economizar ainda mais. Cheguei em casa gastando apenas 45 reais. Então no total com transporte, ida e volta para casa, eu gastei exatamente 100 reais.

Lembrando também que o meu hostel era bem localizado, então não precisei de translado da rodoviária até ele. Quando cheguei em Ubatuba e quando fui embora de lá, fiz esse trajeto a pé. Mais uma economia na conta.

Com alimentação, no meio de tantas parceiragens, gastei em média 25 reais por semana, o que também totalizou por volta de 100 reais naquele mês.

Tenho certeza que se ficasse mais tempo lá esse valor diminuiria ainda mais, pois alguns staffs mais antigos já viviam com bem menos que isso.

De rolês eu também gastei em média 100 reais. Confesso que adoro beber uma cervejinha e fugi bastante dela neste mês para manter minhas economias. No hostel a lata de cerveja saía mais barata para nós staffs, mas mesmo assim me controlei bem.

É difícil manter o equilíbrio entre "tenho que economizar" e "quero curtir essa oportunidade linda". Conseguir manter o foco é o ponto crucial do mochileiro raiz, rs.

No final o menos é sempre mais. Com menos dinheiro você é obrigado a conhecer mais a cidade em que está, os nativos e os lugares mais típicos. Com menos gastos em uma viagem, mais dinheiro para próxima.

Boa trip mochileiros! Nunca se esqueçam, somos todos uma família, se ajudem sempre. 



C63b0dde9f775bc2162d23ccba6e9e2a

Mariana

Viajar Gastando Pouco, Nomadismo Digital e Voluntariado pelo Worldpackers. Qualquer dúvida é só c...

+ Ver mais

Ago 22, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Mariana saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor