Categorias

Diário de uma professora de inglês na Tailândia

Conforme prometido em meu primeiro artigo, estou de volta para relatar o meu dia a dia como professora de inglês voluntária na Thong Tos Foundation, em Bangkok.


Cdf62329b96cf072d55c50685c8896bd

Tâmara

Viajando e aprendendo a viver de maneira simples.

Mar 28, 2018

voluntária worldpacker dando aula de inglês na Tailândia

Essa foi minha primeira experiência na Worldpackers, fechei duas semanas com esta ONG. A experiência ocorreu do dia 08/03/18 ao dia 22/03/18.

No momento da confirmação, a ONG envia uma mensagem padrão, confirmando a sua estadia e dizendo que você vai trabalhar até 3 horas por dia, 3 vezes por semana. Esse esquema está sujeito a alterações, dependendo da época do ano que você for. No meu caso, foi logo no início das férias escolares e ao chegar em Thong Tos soube que daria aulas para o jardim de infância, de segunda à sexta, das 10h às 11h, finais de semana livres.

Como eu cheguei depois das 11h, nesse dia fiquei livre, segui para o meu quarto com uma grata surpresa. Quarto espaçoso, iluminado e com ar condicionado e wi-fi, o quarto tinha uma mesa, cadeiras e duas beliches novas. Escolhi a minha cama e pronto, estava muito bem instalada e sozinha no quarto, pois em março não há muitos voluntários por causa das férias.

No outro dormitório havia mais um voluntário Worldpacker e nesse dia ele me levou para conhecer as proximidades, lugar pra comer, supermercados e lavanderias.

A Thong Tos fica um pouco afastada da parte turística de Bangkok, mas nada que um Sky Train (BTS) ou ônibus não resolvam. É uma boa caminhada até a Khao San Road, avenida com maior concentração de turistas do mundo todo, com comida de rua e mercados noturnos, mas dá pra fazer numa boa.

No dia seguinte, acordei com calma, tomei café e desci para a sala de aula. O dormitório fica no segundo andar do prédio e o jardim de infância no térreo (perfeito).

Cheguei e já fui recebida calorosamente pelas quase 20 crianças da turma. Duas tailandesas acompanham a aula. No primeiro dia, ela me sugeriu desenhar animais na lousa e pedir para as crianças falarem os nomes (diga-se de passagem, meu desenho é de palitinho até hoje). Improvisei e consegui executar a tarefa proposta.

Não há muitos recursos e materiais disponíveis, o que conta é a nossa vontade de querer estar ali e fazer o melhor com o que temos no momento.

No primeiro dia, fiquei uma hora com as crianças, nem vi passar. A professora tailandesa avisou com um sinal que o tempo tinha acabado, me despedi das crianças com um HI-5 em cada uma e fui aproveitar o meu dia na nova cidade que seria minha casa pelas próximas 2 semanas.

Passeei muito por Bangkok, fiz muita coisa legal, talvez isso possa virar assunto para um outro artigo.

Vou me ater a experiência como professora.

No segundo dia, a professora já me avisou, logo de início, que a aula seria de apenas meia hora. Elas separaram uns livros com abecedário, cores, números, animais e objetos.

 

Voluntária Worldpacker dando aula de inglês para crianças na Tailândia

Não é necessário fluência no idioma para esta experiência em particular. É importante acertar na pronúncia, mas um inglês intermediário já te garante êxito como professor(a) de jardim de infância.

Não deixe de aproveitar essa oportunidade por achar que seu inglês não é bom o suficiente. Com boa vontade tudo vai se encaixando e aquelas crianças são puro amor.

A educação me pareceu bem rígida e sempre fui respeitada durante as aulas.

Nesse meio tempo, o outro voluntário ficou sem turma por causa das férias e passou a dividir a sala comigo.

Todos os dias, fazíamos as mesmas atividades com os poucos recursos que nos ofereceram, eu sempre tentava encaixar uma musiquinha que é sucesso garantido com os pequenos. Como o tempo era curto, nem dava para fugir do escopo.

Fiquei uma semana nesse ritmo, meia hora de aula por dia, o resto do tempo livre para fazer o que quiser. Para mim, eu gostaria até de ter mais horas de trabalho, pois descobri que levo jeito pra coisa e queria poder ajudar mais ainda.

Como o universo não brinca em serviço, fui convidada pela dona da ONG a ir dar aulas na vila rural que é a cidade natal dela e o local que ela fica quando a filha está de férias. Eu era totalmente livre para decidir, mas como cidade grande não é muito a minha praia, resolvi topar e ir conhecer o lado rural da Tailândia.

Foi uma experiência incrível, daria um artigo todinho só contando tudo que eu vivi em cinco dias em Ongkharak.

voluntária worldpackers andando de bicicleta na área rural da Tailândia

Imersão total na cultura tai muçulmana, sendo parte integrante da rotina da família, jantando junto todos os dias e tendo a chance de conviver com as crianças, ensinando e criando laços.

Tenho certeza que algumas delas jamais se esquecerão de mim, como nunca me esquecerei delas. O carinho e a valorização do meu trabalho superam até os ganhos financeiros, ainda mais pra mim, que fiquei um bom tempo num trabalho que já não fazia sentido só pela grana. Não tem preço!

Quem quiser saber mais detalhes dessa experiência incrível na vila rural, pode me chamar no chat, que ficarei muito feliz em compartilhar, quem sabe não vira tema do meu próximo artigo.

Fiquem ligados que vem mais coisa boa por aí.



Cdf62329b96cf072d55c50685c8896bd

Tâmara

Viajando e aprendendo a viver de maneira simples.

Mar 28, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar TamSantos saber :-)


Comentários