4 dicas para começar a planejar uma volta ao mundo

Você já imaginou fazer uma viagem de volta ao mundo? Conhecer diferentes destinos, culturas, culinárias, idiomas e belas paisagens. Um sonho que pode se tornar realidade!


0abc9e942e7f514952c38fa1bda6888d

Rosana Romão

Abr 09, 2019

Jornalista, corredora e mochileira. Amo meu Ceará, mas sou curiosa e quero conhecer o mundo. Bora?

Dicas para planejar uma volta ao mundo

Sem dúvidas, essa é uma das experiências mais interessantes que alguém pode ter na vida. No entanto, a maioria das pessoas pensa que dar uma pausa na rotina e embarcar nessa aventura é loucura ou algo muito distante da realidade. Não é verdade, e eu vou explicar o porquê neste texto.


Imagem de pés e um lago e muitas árvores ao fundo 

1. Como planejar o roteiro para uma volta ao mundo

Dar a volta ao mundo pode parecer inatingível e gerar muitas dúvidas, mas com um bom planejamento é possível programar tudo: tempo, finanças, logística e expectativas. Veja o passo-a-passo para tirar esse plano do papel.

  • Tenha uma motivação

Qual o seu objetivo em dar a volta ao mundo? Conhecer os destinos dos seus sonhos? Aprender e praticar idiomas? Participar de um projeto social? Envolver-se em atividades de voluntariado? São tantas as possibilidades que não será difícil eleger uma. Use esse objetivo como motivação para planejar a viagem e transformá-la em realidade.

  • Defina a sua disponibilidade

Não pense que você precisa de muito tempo para fazer esse tipo de viagem, afinal ela pode adaptar-se às suas necessidades. É claro que se você tiver muito tempo disponível e possibilidade de tirar um ano sabático, terá mais tempo para explorar os destinos. Porém, mesmo que tenha apenas os 30 dias corridos das suas férias, você também conseguirá realizar uma excelente viagem.

Nos dois casos, o que vai definir a intensidade da experiência será a motivação. Então o tempo é apenas uma base para programar os demais detalhes. Use a criatividade para aproveitá-lo da melhor forma.

  • Crie um planejamento

Com base na sua motivação e disponibilidade de tempo é hora de criar um planejamento. Coloque no papel tudo o que você precisa para alcançar esse plano e trace metas. Depois vem o mais importante: seguir as orientações para que esse plano se torne real.

2. Como montar um orçamento para uma viagem sabática de volta ao mundo


Mulher sentada na cama com um laptop montando um orçamento para uma volta ao mundo

O planejamento financeiro envolve dois pilares: o padrão de consumo do viajante e o custo de vida dos destinos visitados. Além disso, é importante usar a moderação e o bom senso nos gastos diários, afinal o objetivo de uma volta ao mundo são as experiências e não o consumo exagerado.

Portanto, quando montar o orçamento, priorize a parte burocrática e as necessidades. Comece listando os destinos que deseja visitar e defina o tempo que pretende passar em cada um deles. Veja se há necessidade de visto e tente providenciar esse documento o quanto antes.

Na estadia, os principais gastos estão relacionados à hospedagem, transporte e alimentação. Para economizar, experimente hospedar-se ou voluntariar em hostels, albergues, pousadas e couchsurfing, pois esse tipo de estadia oferece tarifas mais acessíveis e muitas vezes esses locais têm cozinha compartilhada, o que minimiza os gastos com alimentação.

Antes de comprar as passagens, considere todos os meios de transporte e priorize o transporte público para locomover-se nos destinos. Essa é uma forma de aproximar-se da cultura local e melhora o seu aprendizado com a geografia e história dos países.

Com base nessas informações, pesquise sobre a moeda local e taxas de câmbio para fazer uma estimativa do quanto você precisa para a viagem. Lembre-se de fazer um seguro viagem e garantir uma reserva para eventualidades. Além disso, acompanhe o seu planejamento financeiro enquanto estiver viajando para manter o foco.

  • Trabalhe enquanto viaja e faça sua viagem render mais

Sabe aquela sensação de que você poderia aproveitar muito mais o destino, mas o seu orçamento diz que não? Existem algumas formas de driblar isso. Que tal fazer o seu dinheiro render mais enquanto viaja tornando-se um nômade digital? Ou viajar para qualquer lugar do mundo sem pagar a hospedagem?

A Worldpackers é uma das plataformas preferidas dos mochileiros pois permite que o viajante tenha hospedagem gratuita em troca de trabalho em milhares de hostels e projetos sociais e ecológicos. Alguns anfitriões também oferecem refeições e a troca de experiências é muito benéfica para as duas partes.

Se você quer se aventurar pelo mundo como nômade digital e viver a vida com uma rotina diferente, além de diferentes tipos de voluntariado, a Worldpackers também oferece cursos onlines que vão te ajudar a ganhar uma grana extra enquanto viaja

3. Como comprar as passagens


Passagens e um celular em cima da mesa

Normalmente quando pensamos em passagens para dar a volta ao mundo logo associamos ao transporte aéreo. É importante lembrar que existem outros meios de deslocamentos, como trem, barco e ônibus. Além disso, você pode escolher entre adquirir uma única passagem ou comprar trechos separados.

  • Passagem de volta ao mundo

Existe um pacote de passagens aéreas chamado Round The World ticket, um bilhete de volta ao mundo. Funciona da seguinte forma: o passageiro monta um roteiro que começa e termina no mesmo país e segue o sentido ocidente-oriente ou o contrário.

O RTW tem um limite mínimo e máximo de trechos, bem como de tempo. Já o valor depende das preferências do viajante, mas normalmente uma passagem com 6 trechos internacionais custa R$ 7 mil por pessoa. Atualmente três empresas oferecem esse serviço: Star Alliance, SkyTeam e One World.

  • Volta ao mundo por trechos

Essa é uma opção para quem gosta de personalizar a viagem. Comprando tickets avulsos por trecho, há mais flexibilidade e liberdade para montar o roteiro, no entanto é preciso ficar atento às variações de tarifa conforme a demanda.

4. O que levar na mala para uma volta ao mundo

Não é porque você vai viajar o mundo que precisa levar todo o seu armário. Uma bagagem leve facilita deslocamentos, evita gastos com excesso de bagagem e até deixa um espaço para as compras da viagem — deixe esse item para os últimos dias e evite comprometer o orçamento.

Entre as roupas, priorize aquelas com cores neutras, tecidos leves, de secagem rápida e que não amassem. Independentemente do período do ano, leve roupas de banho e itens leves para o calor e segunda pele e casaco para o frio. Dessa forma, você estará preparado para diferentes climas.

Inclua uma necessaire com os itens básicos de higiene e use frascos pequenos para suprimentos como shampoo, condicionador e sabonete e reponha-os durante a viagem. Os equipamentos eletrônicos devem estar junto de carregadores, cartões de memória e baterias extras. Uma dica: leve um adaptador universal, pois a maioria dos países tem modelos de tomadas diferentes.

E para deixar a viagem mais tranquila, leve um travesseiro de pescoço inflável, óculos escuros e remédios de uso pessoal. Protetor solar e repelente também são válidos para todos os destinos.

Viu como dar a volta ao mundo não é um bicho de sete cabeças? Basta ter motivação, montar um planejamento e estar aberto a novas experiências. Se este é o seu sonho, prepare-se para voltar com uma enorme bagagem cultural e momentos inesquecíveis. Invista em você e conquiste o mundo!


0abc9e942e7f514952c38fa1bda6888d

Rosana Romão

Abr 09, 2019

Jornalista, corredora e mochileira. Amo meu Ceará, mas sou curiosa e quero conhecer o mundo. Bora?


Gostou? Não esqueça de deixar Rosana Romão saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor