voluntária praticando yoga em uma praia de San Diego

1. Alimentação

Pra quem não sabe, San Diego é fronteira com o México e a influência mexicana aqui é MUUUUITO forte! Eu que nunca tinha provado, me apaixonei. Se você não gosta de pimenta, cuidado! Eles colocam em tudo.

Toda terça-feira acontece o Taco Tuesday, é um costume regional onde os restaurantes fazem promoções de tacos.

Nós aqui do hostel geralmente vamos juntos até o bar American Junkie que fica em Downton.

Lá você paga $5 e pode comer tacos à vontade. É bem gostoso e o clima do bar é muito legal! Tem vários jogos, drinks em promoção e sempre fui muito bem atendida.

Ah, vale lembrar que aqui o costume de dar “tip” é muito forte, então, geralmente damos de gorjeta $1 por drink quando pegamos diretamente no bar ou uma porcentagem em cima do valor da conta (mais que 10%) quando sentamos numa mesa e somos servidos por alguém. 

Claro que é opcional, mas eles consideram muito rude não dar.

Não sei se eu deveria falar isso, porque não é nada saudável, mas existem opções bem baratas nos fast foods para quem precisa realmente economizar bastante. Dá pra comer por até $1, então fome eu prometo que ninguém vai passar!

Minha realidade: preciso economizar. O que EU faço?

Compro comida semanalmente no mercado, armazeno no hostel e cozinho aqui. Sai MUITO mais barato e eu não ferro com minha saúde! Fica a dica.

2. Lazer e festas

Em Downtown você pode encontrar várias opções de bares e baladas para se divertir durante a noite. É lotado de turistas e, para atrair clientes, eles estão sempre pelas ruas oferecendo cortesias para entrar e drinks de graça, é só ficar atento às pessoas que vêm falar com você.

Para quem quer curtir uma vibe mais local, praiana, eu recomendo os barzinhos que ficam nas orlas, principalmente em Pacific Beach. Muitos deles têm rooftops incríveis e você poderá ver o pôr do sol mais lindo do mundo tomando um bom drink. A galera que frequenta esses bares é mais nova, e apesar de ter muitos turistas, o pessoal local vai em peso.

Como aqui no hostel é sempre MUITO legal e divertido, eu acabo não saindo tanto, estamos sempre fazendo festinhas e eventos internos, por isso não tenho muitas dicas específicas para dar. Sei que o que não falta aqui são opções para se divertir, prometo!

3. Transporte e deslocamento

Eu só ando de busão, gente! Quando eu disse que viria pra cá, fizeram minha cabeça que seria muito difícil me locomover aqui, mas não é.

A viagem de ônibus custa $2,25 e você pode comprar passes diários ($5 pra andar a vontade de ônibus o dia todo), semanais ou mensais e economizar bastante.

O Google Maps é o melhor amigo do viajante, então use e abuse dele para se locomover (aconselho comprar um chip local para ter internet em todos os lugares e não se perder). 

Tem um outro aplicativo que se chama OneBusAway e nele você pode ver exatamente a hora que seu ônibus vai chegar e onde ele está, isso ajuda bastante a se programar.

Além disso, Uber e Lyft são muito utilizados por aqui. Às vezes compensa porque tem preços bem baixos para corridas compartilhadas. Se você estiver acompanhada(o), pode valer mais a pena dividir um carro do que pagar pelo busão. Confira os preços antes de sair de casa!

Tem a possibilidade de alugar bikes (vários apps) ou scooters (app Bird) para passear por aí. É bem barato e proporciona um rolê diferente do convencional.

voluntária em praia de San Diego

4. Passeios e atrações

A cidade em si é maravilhosa. Só de andar por aí você vai se apaixonar. A arquitetura das casas é muito linda e diferente de tudo que eu já tinha visto. Tem natureza por todo canto, as famosas palmeiras combinadas com o céu especialmente lindo daqui formam um visual surreal.

Se puder, tire um dia pra andar por aí e confirmar tudo que eu estou falando. Se não puder, tire os olhos do celular e olhe para a cidade enquanto estiver se locomovendo de um lugar pro outro.

Prometo que você não vai se arrepender!

Lugares imperdíveis:

  • Black’s Beach

Praia de nudismo opcional que mudou a minha relação com meu corpo. Escrevi sobre isso aqui.

Não precisa ficar nu se não quiser, mas VÁ! A praia é geralmente bem vazia, fica nos pés de uma reserva natural chamada Torrey Pines (só de chegar lá a vista já é absurdamente linda), onde as pessoas pulam de paragliders e asa delta, um show espetacular de ser ver.

É importante dizer que você tem que descer muitos degraus para chegar lá e para voltar, é claro, tem que subir todos. Pra mim foi MUITO difícil, eu não estava preparada e sinto muita dor nos joelhos, mas para o resto da galera foi bem tranquilo. 

É cansativo, mas vale a pena! Leve água e algo para comer, porque lá não tem restaurantes. 

O meu artigo Viagem, autoconhecimento e empoderamento também dá mais dicas sobre o lugar.

  • Balboa Park

É meu vizinho aqui do hostel. Fica no bairro Hillcrest e é um parque enorme, cheio de vida e atrações. Existem vários museus lá dentro e com certeza não dá pra visitar tudo em um dia só, mas só andar pelo parque já é um passeio incrível porque é lotado de árvores, flores, monumentos, artistas e muita beleza.

  • Mission Beach, Pacific Beach e Ocean Beach 

Praias lindas, perfeitas para assistir ao sol se pôr, cheias de pessoas se divertindo, surfando e praticando vários outros esportes, clima muito gostoso e alegre. Recomendo!

O Belmont Park fica na Mission Beach, um parque de diversões LINDO que tem a famosa montanha russa Giant Dipper, que é totalmente feita de madeira.

Em Pacific Beach tem o Crystal Pier, ele é enorme e te proporciona uma vista particularmente linda da praia. Vida noturna SUPER movimentada. Muitos bares e a principal escolha da galera mais jovem que tá afim de curtir pra caramba.

Também tem um píer que vale a pena caminhar sobre na Ocean Beach, com um céu que parece uma pintura de tão bonito.

  • La Jolla

Região MARAVILHOSA! Cheia de restaurantes e hotéis (caríssimos eu ouvi dizer, porque não fui em nenhum). 

Por ser a região mais cara para se morar por aqui, as casas são no estilo de novela! 

Água cristalina, possibilidade de ver leões marinhos brincando e tomando um solzinho, cercada de rochas e formações naturais muito diferentes. Ideal para praticar mergulho.

  • Trilhas

A única que eu fiz foi para Potato Chip Rock e aquela vista fez valer à pena o esforço! 

Se explorar trilhas é a sua vibe, é legal dar uma pesquisada. Tem várias possibilidades por aqui que podem te levar a lugares surpreendentes.

Se você tiver tempo, aconselho dar um pulo em Tijuana, porque dá pra curtir bastante e gastar muuuuito pouco. Tudo lá é bem barato e você troca seus dólares por (muitos) pesos logo na fronteira. Dá pra pegar um trem até lá e depois atravessar a pé!

Infelizmente, tem muitas pessoas mal intencionadas que ficam visando os turistas, por isso eu aconselho a ir com alguém que já foi ou ficar bem ligado, não dar muito papo para pessoas que te abordam na rua. Com cuidado, Tijuana pode ser um passeio bem legal!

5. Mochila

Eu cheguei bem no final de janeiro e trouxe na mala só roupas de calor e biquínis. Passei muuuito frio.

A temperatura gira em torno de 15º e quando sol se esconde atrás das nuvens fica gelado. Todo mundo aqui me acha louca de falar isso, mas estou acostumada com o calorzão do Brasil, né?

Agora a primavera começou, está esquentando e ficando bem mais agradável!

Aconselho então a trazer tanto roupas para o calor, quanto alguns casacos para a noite. Sempre dê uma olhada na previsão do tempo da época que você vier, eu não fiz isso e não foi legal, rs!

6. Vistos

Tirei meu visto de turista em São Paulo mais ou menos um mês antes de fechar minha viagem através da Worldpackers.

Quando eu tirei, ainda não tinha certeza de como seria minha viagem, mas sabia que iria para Nova York primeiro porque minha amiga e maior inspiração para viajar Letícia Mello está morando lá.

É importante demonstrar o máximo de vínculos com o Brasil e eu não mencionei que conhecia alguém que já morava aqui nos Estados Unidos. Falei que estava indo passar alguns dias em Nova York, como realmente fiz, não mencionei os meus planos de voluntariar (ainda não eram confirmados, ainda não tinha aplicado pela Worldpackers e acho que geraria muitas perguntas desnecessárias). 

Fui aprovada, recebi meu visto e ele tem validade por 10 anos.

Na imigração foi a mesma coisa. Lá eu já tinha tudo confirmado para vir para San Diego, tinha até passagem NY-SD, mas não mencionei. 

Infelizmente, com o Trump no comando eles estão muito mais exigentes e eu não queria arriscar dando muitos detalhes da minha viagem. Entrei tranquilamente no país e meu visto me permite ficar por aqui até seis meses.

Ficou alguma dúvida? Me chama no chat que a gente conversa! 



A36964ffddebcfd8d727bcd080724ba1

Ana

Ana, 23 anos, vivendo e compartilhando o sonho de viajar sozinha pela primeira vez! 📍San Diego- CA

Ago 22, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Ana saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor