É seguro viajar sozinha?

Viver não é muito seguro, né?! Você arrisca o tempo todo a passar por situações inusitadas e a se deparar com pessoas muito diferentes de você. Então, na prática, essa pergunta não tem resposta, ela tem indicativos.


41110035042907b9b5bdd35cf2a920d0

Yara

Every single person, ingredient, habit and idea came to show me that there's always something els...

+ Ver mais

Ago 21, 2018

Mulher casebre próximo à comunidade ribeirinha do município de Itacoatiara

É sempre importante pesquisar bastante sobre o local que você vai a fim de saber um pouco mais sobre aspectos culturais, costumes locais e algumas regras.

Um comportamento que é bem comum na cidade onde você mora pode ser muito mal visto em outro lugar e isso pode te colocar em situações de conflito, esteja atento e aberto a aprender sobre as diferenças culturais a fim de gerar aprendizado para todos.

Além disso, sair sozinho em lugares desconhecidos é sempre um indicativo de atenção redobrada: você não conhece o bairro, as pessoas, as comidas, os bichos, coisas simples que podem te colocar em risco sem você saber, como o veneno de um animal local ou um ritual que você não conhece os efeitos.

Não me entenda mal, eu sou à favor de testarmos o máximo de experiência que pudermos.

Floresta Amazônica, município de Itacoatiara, Amazonas

Ao fazê-lo tenha certeza de que alguém está olhando por você ou que você esteja em um lugar seguro.

Quando se é mulher, riscos são adicionados à isso. Muitos. Isso é um fato intrínseco ao ser mulher, então não vou me alongar muito nesse aspecto, apenas desejar que criemos todos consciência de que, sempre que possível, seja você a pessoa a olhar pela segurança de uma mulher. Obrigada.

Viajar sozinha implica que você é a única responsável por você na maior parte do tempo, mas há modos de amenizar isso: mantenha contato com pessoas de confiança.

Vez ou outra, mande um sinal de vida dizendo onde você está, como e com quem.

Não é que você tenha que deixar todo mundo atualizado sobre cada passo que dá, mas isso também evita que as pessoas fiquem preocupadas sem motivo.

Saber os seus rastros pode ser importante em um momento em que seja muito importante para a sua família te localizar ou o contrário.

Se possível, carregue com você o nome e contato de pelo menos duas pessoas de confiança que falem ou o idioma local, inglês ou outro que julgar relevante para a comunicação.

Já aconteceu de eu ir viajar por dias à lugares em que não havia energia elétrica, logo, sem celulares ou outros meios de comunicação que não o rádio (eu não sei me comunicar por rádio). Então dei um último aviso aos meus pais, expliquei o plano da viagem, o nome da comunidade ribeirinha que eu iria visitar e a quantidade de dias que eu ficaria fora. Sabendo das condições climáticas do lugar em que estava, avisei:

- O plano é voltar na quarta-feira, mas pode ser que fiquemos presos em uma tempestade, então é normal se não escutarem de mim até sexta-feira. Passado disso, talvez seja uma boa ideia entrar em contato com as pessoas daqui pra saber se eles têm notícias.

- Boa sorte, filha.

Dito e feito. Uma tempestade nos pegou no dia de nossa volta e ficamos presos por 2 dias em um casebre no meio da floresta. Se quer tínhamos pilhas pro rádio, então nem tínhamos uma estimativa de quando a tempestade acabaria. Aguardamos entre frutas, café e jogos. Achei ruim? Nem um pouco.

Sei que pra sua família isso pode ser uma grande angústia e motivo de alarde, incluindo o acionamento da polícia. Então tente ser realista quanto aos riscos que você corre e deixe seus amigos e familiares cientes disso.

Depois de toda essa burocracia, é hora de pensar positivo. Fazer escolhas boas e pensar na sua segurança sempre.

Algumas ideias parecem incríveis, mas talvez perigosas demais para serem feitas quando você está sozinha, então se comunique com quem já esteve lá ou com quem pode ter interesse em encarar essa com você.

Às vezes, tem uma outra pessoa querendo correr esse risco, mas esperando um outro louco no mundo para compartilhar isso.

Nessa caso foi a Bianca, que puxou uma canoa de 600 quilos comigo por dois quilômetros debaixo de sol.

Travessia em rumo ao igarapé Tucunaré, município de Itacoatiara, Amazonas

Acompanhados pelo Poró e a Maria, tivemos uma aventura que até já virou quadro. Obrigada!

Eu diria que viver é um risco, você só precisa escolher quais quer correr.


41110035042907b9b5bdd35cf2a920d0

Yara

Every single person, ingredient, habit and idea came to show me that there's always something els...

+ Ver mais

Ago 21, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Yara saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor