Guia de atrações gratuitas na Chapada dos Veadeiros

Um guia para atrações gratuitas na Chapada dos Veadeiros incluindo cachoeiras, feiras e dicas sobre onde ficar para aproveitar a natureza ao máximo!


3ffa25ebdbbf8b6b2ef669f020af4270

Jan 17, 2019

I've been backpacking since 2011 in many diferent ways and time schedules, going to parts of Bolivia, Peru, Colombia, Argentina, Panamá, Spain and ...

Dicas de como gastar pouco ao conhecer a Chapada dos Veadeiros

1. A Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros compreende uma grande região no centro-oeste do estado de Goiás, a 260 quilômetros de distância de Brasília. 

Em meio a um cerrado repleto de canyons, riachos e cachoeiras, povoado por plantas torcidas e secas nos picos e suas matas às margens dos rios e córregos, está a cidade de Alto Paraíso de Goiás e seus pequenos distritos, onde fica 40% da extensão total do parque.


Localização da Chapada dos Veadeiros no mapa

A região toda tem tradição em culturas místicas, práticas sustentáveis e uma relação estabelecida com a natureza que vêm antes do turismo, com as comunidades quilombolas do Vale das Almas em Cavalcante. 

Os cenários envolvem casas de adobe (tijolos especiais de barro), ecovilas, fazendas de permacultura, trilhas bem sinalizadas e fáceis (nos mais variados moldes de turismo) além de um apoio comercial forte dentro da cidade com restaurantes, hosteis, pousadas, hotéis, supermercados, Centro de Atendimento ao Turista e feiras locais. 

2. Paga para entrar?

A entrada no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros ainda é grátis, apesar das especulações sobre cobrança que têm circulado. Em outras atrações de Alto Paraíso de Goiás e demais cidades no entorno da reserva, contudo, as coisas são um pouco diferentes. 

Muitas cachoeiras, como a dos Cristais, Louquinhas, do Segredo, de Santa Bárbara, dos Couros e entre tantas outras, as quais não têm acesso a partir do Parque, mas sim por propriedades privadas, são pagas, variando de 10 a 150 reais o passeio.


Feira do produtor rural da Chapada dos Veadeiros, que funciona aos sábados e conta com produtos artesanais, orgânicos, livros, barracas para tomar café da manhã, entre outros.

Outra coisa que acontece é que, ao chegar nas cidades turísticas como Cavalcante, Alto Paraíso de Goiás, São Jorge, Colinas do Sul, entre outras, as informações turísticas que se consegue através dos CAT's (Centro de Atendimento ao Turista) costumam ser patrocinadas, portanto indicando somente atrações privadas. A mesma coisa acaba acontecendo em hostels, hotéis e pousadas.


No CAT da Chapada dos Veadeiros acontece aos domingos a Feira do Artesão, onde você poderá encontrar remédios naturais, pulseiras, pinturas, dança, música, comida e muito mais

3. Atrações que não são pagas

Quando chegamos a um lugar novo, a fim de conhecer suas belezas naturais e evitar preços que não gostaríamos de pagar, o que devemos fazer é buscar pessoas que já estejam instaladas ali e que pensem da mesma maneira. 

Existem algumas alternativas, como utilizar  a própria plataforma da Worldpackers e conhecer a região através de seus anfitriões ou utilizar app's de hangout para conhecer pessoas locais, e por aí vai... 

Em Alto Paraíso de Goiás existe ainda outra opção que dispensa o uso da internet: a Estação Chapada. Essa casa de apoio aos viajantes da Chapada dos Veadeiros esta localizada a uma quadra da avenida principal da cidade e é tão conhecida que dispensa o uso de endereço. 

Lá pode-se encontrar viajantes de todos os lugares do mundo, com roteiros e meios de viagem dos mais distintos. Em uma conversa rápida você sai com informações para curtir vários lugares de graça, sejam eles dentro ou fora da cidade, e ainda recarregar seu celular! 

Além disso, você pode deixar sua mochila lá tranquilamente enquanto vai conhecer a cidades e as cachoeiras (fica aberto das 8h às 12h e das 14h às 21h). 

Aqui estão algumas opções de atrações gratuitas:

Fazenda Bona Spera

Corredeira com pequenas quedas e bons lugares para salto, bem movimentada e de fácil acesso. Entre Alto Paraíso de Goiás e São Jorge, cerca de 10 quilômetros de Alto, em uma entrada indicada à direita. Como o acesso é fácil, na época de alta temporada ela fica realmente cheia de gente, recomendo a visitação na baixa temporada.

Cachoeira da Usina

Fica dentro de Alto Paraíso de Goiás, cerca de 15 minutos a pé do centro da cidade, com quatro quedas sucessivas separadas por poços médios. A primeira e a última queda são as maiores e consequentemente mais perigosas, principalmente por serem escorregadias.

Cachoeira do Krant

Uma caminhada de uma hora em estradas de terra pela trilha que começa no "caminho de santiago", saindo ao lado da entrada para a Cachoeira da Usina, e leva a um rio de pedras grandes, perfeitas para se sentar ao sol ou pular n'água límpida e cristalina dessa cachoeira, que atrai muita gente devido ao fato de se poder chegar de carro a centenas de metros das quedas.

Cachoeiras do Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

As cachoeiras dos Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, cuja entrada fica em São Jorge, cerca de 35 quilômetros de Alto Paraíso de Goiás, têm acesso fácil por ônibus. Pegar carona então até a região parece ser uma tradição local, de tão rápido que se consegue! 

A entrada do Parque fica a menos de 2 quilômetros da cidade e, variando de acordo com seu condicionamento físico, pode-se conhecer as cachoeiras do Salto 1 e Salto 2, Carioquinhas e Corredeiras em um tempo de um a três dias, num total de quase 40 quilômetros de trilhas suaves, onde se pode ver plantas com identificação, animais silvestres e mirantes incríveis!


Chapada dos Veadeiros: Salto 1

 O mais comum é fazer Salto 1 (foto acima) e 2 junto com Corredeiras em um dia e deixar Carioquinhas para o outro, fazendo uma média de 20 quilômetros por dia. 

É bom lembrar que na região a época de chuva é durante o verão, começando até um mês antes, o que pode dificultar as trilhas e aumentar o risco de trombas d'água. Também é importante dizer que o perigo de incêndios no parque aumenta no fim da seca (setembro e outubro).

4. Jardim Pé da Fruta

A experiência de voluntariado no Jardim Pé da Fruta é algo que deixo para outro texto, com mais detalhes. Tratarei aqui das belezas naturais que se pode desfrutar dali, onde nenhum turista tem acesso, nos dias e horários de descanso. 

As cachoeiras e rios que estão dentro do terreno são de fácil acesso, sendo a mais perto a dez minutos de caminhada e a mais longe a cerca de uma hora caminhando.

Cachoeira das Crianças


Cachoeira das crianças, na Chapada dos Veadeiros

Com apenas dez minutos de caminhada já se pode chegar a primeira cachoeira, com três quedas, cada uma mais alta que a outra (a da foto é a primeira). O nome do local é devido a facilidade que é andar até lá, além do primeiro poço ser raso. Bom mesmo é ir quando o sol atinge o lugar, do contrário a água estará gelada!

Rio Ganesh

Pequeno rio com uma pequena queda em meio várias pedras, com um ótimo poço, com pontos bem fundos, cerca de dez minutos de caminhada, sempre em terreno suave.

Cachoeira do Rio Grande (acampamento)



Essa é a maior caminhada, variando de 40 minutos a uma hora, que leva a um local com água correndo em cima de pedras lisas, formando várias quedas intercaladas por poços, até desembocar em um curso d'água mais largo.

Nesse ponto é possível acampar, pois ele é bastante amplo e conta com muitos locais para escolher. Vale a pena fazer a trilha de calça e blusa compridas devido ao risco de pegar carrapato, ou usar sabonete de enxofre alguns dias depois da trilha. 

5. Quanto tempo?

As atrações gratuitas na região da Chapada, exceto as que ficam dentro do Jardim Pé da Fruta, são possíveis de conhecer em cinco ou seis dias, sem pressa! Já as que ficam lá dentro, devido a conciliar as horas de descanso com trabalho, pode levar uma ou duas semanas, dependendo principalmente de seu vigor físico.

6. Desfrute a Chapada dos Veadeiros, consciente e preparado

É bom lembrar, a região em que se encontra o parque é de alto risco de queimadas durante a seca, o que já deve bastar para que tomemos precauções em dobro. 

Além disso, o descarte de qualquer tipo de lixo orgânico ou seco pode causar eutrofização (condição que extingui a vida que requer oxigênio, como peixes) de rios, bem como a utilização de protetor solar momentos antes de entrar na água! 

Leve sempre uma sacola reservada para lixo, lembre-se que o parque não possui banheiros no interior, somente na portaria e, se for caso de aliviar-se fisiologicamente no parque, a recomendação do ICMBio é sair alguns metros da trilha principal (cinco ou mais, sem se perder) e cavar um buraco na terra.

Um item que vale a pena levar é o sabão de enxofre, pode-se pegar carrapatos nas trilhas, e, com o uso anterior e posterior a atividade o risco é menor. Lembre-se sempre de usar protetor na cabeça, seja qual for o estilo e também levar bastante água pois algumas trilhas podem demorar.

Aproveite!


3ffa25ebdbbf8b6b2ef669f020af4270

Jan 17, 2019

I've been backpacking since 2011 in many diferent ways and time schedules, going to parts of Bolivia, Peru, Colombia, Argentina, Panamá, Spain and ...


Gostou? Não esqueça de deixar Felipe saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor