Categorias

24 horas no paraíso

Sim, existem alguns paraísos na terra. Um deles é Nusa Penida, uma ilha bem próxima da ilha de Bali, na Indonésia. Melhor que encontrar esse paraíso, é passar 24 horas numa incrível aventura nele. Gostaria de compartilhar essa história com vocês nesse artigo.


18d8803b9635dfa1522b170527742ad5

Gustavo

A regular Brazilian, following the dream of travelling the world! :) Just experienced my 4th '...

Ago 20, 2018

pessoas nadando na praia de angels billabong

Após minha viagem Worldpacker na Austrália (Camberra e arredores: inesperadamente incrível!), resolvi dar uma de turista por um tempo: Nova Zelândia e depois Indonésia.

Na Indonésia, muitas pessoas planejam suas viagens somente para Bali e as vezes nem ficam sabendo que logo ali, “virando a esquina”, tem um paraíso incrível e acabam não indo à Nusa Penida.

Felizmente não foi o meu caso e vou descrever meu dia para vocês tirarem suas próprias conclusões.

Meu dia começou na região de Kuta, na ilha de Bali. O hostel era R$15 a diária, com piscina e free panquecas. Me hospedei às 9h30 e solicitei um transporte online (Go-car, Grab e Uber funcionam em Bali) para Sanur Beach. O carro custou R$15 até Sanur, mas se você alugar uma moto no lugar sairá ainda mais barato.

O passeio por Bali já é bem interessante, com monumentos e templos.

Chegando em Sanur Beach, mais ou menos 40 minutos de Kuta, procurei a lancha mais barata e rápida para Nusa Penida: escolhi a empresa El Rey/Angel Billabong, onde se você reservar online pode achar ida/volta por 300 mil Rupias (aproximadamente R$70). O horário de saída da lancha foi as 11h.

ATENÇÃO: em Sanur Beach só terá lanchas e barcos para Nusa Penida em que você não poderá levar sua própria moto ou carro! Se esse for seu caso, você deve se dirigir para Padang Bay, um bucado ao norte de Sanur Beach em Bali.

Viajar de lancha é sempre bacana para mim (felizmente eu não passo mal): ver a ilha de Bali indo embora e outras ilhas passando pelo caminho para então se aproximar de Nusa Penida é incrível. Aproximadamente uma hora (super relaxante) até atracarmos em Nusa Penida.

Chegando na ilha gastei alguns minutos para escolher o top 3 lugares que queria ir. Escolhi Angel’s Billabong, Broken Beach e Kelingking Beach. Aluguei uma moto (R$20 pelo dia) e pronto! A aventura estava prestes a começar.

Pé na estrada!

A ilha é relativamente pequena, porém as estradas têm a pior condição que já vi na vida. Tô falando off road mesmo, com buracos enormes na pista inteira e caminhos incrivelmente íngremes para cima e para baixo, o que piora 300% o trajeto. Isso tudo faz o deslocamento ser muito mais demorado e perigoso, assim como muito mais incrível e inesquecível obviamente.

Uma hora e meia de off road depois, cheguei no primeiro destino: Angel’s Billabong. Nunca vi nada igual em toda vida.

As montanhas rochosas sofreram com erupções vulcânicas e a lava criou uma piscina natural, com corais, peixes, caranguejos e a água mais pura e transparente que existe. Quando a luz bate na água nas áreas com algas, é possível ver um azul turquesa lindo... estonteante! Fiquei lá nadando naquela maravilha por aproximadamente duas horas.

Caminhando por uns cinco minutos, já é possível chegar no meu próximo destino: Broken Beach. Uma parede circular rochosa, criava uma área limitada no seu interior, porém ao longo dos anos a ação das águas criou um buraco, permitindo a existência de uma praia ali. Completamente intocada e espetacular. É possível circular em volta e tirar (muitas) fotos: lindo demais!

Mal sabia eu que o melhor ainda estava por vir... e muito melhor!!

De volta à aventura de moto, mais uma hora até o penhasco de Kelingking.

Não sei muito bem como descrever, muitas emoções e sentimentos em ver aquelas paisagens.

Descobri então que diferentemente de Broken Beach, havia uma trilha no meio da parede do penhasco que permitiria chegar até aquela praia incrível: uma trilha extremamente perigosa, feita com bambu, corda e pequenos degraus feitos à mão nas rochas. Era muito alto!

Sem titubear, lógico que já fui eu me aventurando na trilha e, com muito cuidado, cheguei na praia uns 40 minutos depois. O pôr do sol já estava começando a acontecer o que deixou a chegada na praia ainda mais especial!

QUE PARAÍSO!!!

Areia bem clarinha, lindas e enormes ondas azul turquesa, cheiro de natureza, água morna, a vista incrível, poucos animaizinhos (sem mosquitos nem animais perigosos), o céu maravilhoso... que lugar, que sensação de estar no paraíso!

Claro que fiquei por lá até o fim do pôr do sol. Começou a escurecer e a trilha fica 10 vezes mais perigosa a noite... mas tudo bem pois já havia resolvido dormir por lá mesmo. 

Com o anoitecer o céu se transformou num lindo azul escuro sem nuvens, cheio de estrelas e uma lua crescente sorrindo para mim (exatamente o gato de Alice no País das Maravilhas).

Fiz uma fogueira, descansei na areia, nadei pelado, meditei... que noite simples e perfeita.

paisagem ao acordar

A única reclamação que tenho é que tive que ir embora. Peguei minhas coisas, juntei meu lixo e bora trilha acima para ir embora.

Ver a praia ficando pequena enquanto sobe a trilha te faz sentir como se estivesse voltando ao planeta terra que conhecemos... e isso me faz lembrar que não é possível viver um estado paradisíaco para sempre, essa é a beleza da vida: se vivêssemos num estado paradisíaco sempre não daríamos valor.

Parada rápida no Angel’s Billabong de novo para um ‘banho’ e para relaxar. Peguei a moto, a lancha, o carro e voltei para o hostel. Feliz, realizado, inspirado a continuar.

Se tiver a oportunidade, não deixe de fazer algo assim em alguma praia (fiquei com areia no cabelo por dias rs). 

Coragem, viajantes! 😊

Gustavo Goulart, Coach de Estilo de Vida de "Viagens de longa duração".


18d8803b9635dfa1522b170527742ad5

Gustavo

A regular Brazilian, following the dream of travelling the world! :) Just experienced my 4th '...

Ago 20, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Gavosantos saber :-)


Comentários