Categorias

TOP 40 lugares e experiências para conhecer no Brasil

Depois de dar uma boa viajada pelo Brasil, fiz uma lista com os lugares mais incríveis que todo mundo deve conhecer no nosso país! Quais desses lugares você já visitou? Quais gostaria de conhecer?


5ba4569023967183263586c34261c4f2

Camila

Já está com o pé na estrada para uma grande viagem ao redor do mundo em 2018. Já foi worldpacker ...

Ago 04, 2018

A cidade do Rio de Janeiro é uma das mais turísticas do país

Viajar pelo Brasil é sempre uma aventura.

São muitas regiões, sotaques, comidas, costumes e paisagens diferentes. Pode ser difícil definir um roteiro de viagem pelas terras brasileiras, afinal, como decidir onde ir e o que fazer quando se está no quinto maior país do mundo?

Por isso, decidi escrever esse artigo com 40 das experiências e lugares mais legais para conhecer no Brasil. Que fique claro que essa lista poderia ser MUITO maior e que foi difícil escolher só 40 tópicos.

Fui worldpacker no Brasil em três ocasiões diferentes, em Moreré (BA), Lençóis (BA) e Maragogi (AL) e ser voluntária nesses lugares me permitiu passar mais tempo na região, conhecer as tradições, a culinária e principalmente fazer amigos, que é sempre a parte mais legal de qualquer experiência.

Além disso, com o dinheiro que economizei com acomodação, pude viajar por mais tempo pelo Brasil e descobrir ainda mais coisas incríveis para se fazer!

Nesse artigo você vai saber mais sobre todos os itens dessa maravilhosa lista de top 40 coisas para se fazer no Brasil:

  1. Subir o Monte Roraima
  2. Viajar de barco pela Amazônia
  3. Conhecer uma cidade fantasma no meio da selva
  4. Nadar num igarapé e remar uma canoa na floresta alagada
  5. Torcer pelo Boi Garantido ou Caprichoso no Festival de Parintins
  6. Ver um pôr do sol nos Lençóis Maranhenses
  7. Viver o dia a dia de uma tribo indígena 
  8. Nadar em um fervedouro no Jalapão
  9. Deitar numa rede na Lagoa do Paraíso em Jeri
  10. Fazer amizade com gringos na Praia da Pipa
  11. Fazer um passeio pelos Cânions do Xingó
  12. Mergulhar com tartarugas em Fernando de Noronha
  13. Passar o São João em Caruaru e Campina Grande
  14. Pular carnaval nas ruas de Olinda 
  15. Fazer uma trilha na Chapada Diamantina
  16. Subir o Morro do Castelo no Vale do Pati
  17. Ficar de queixo caído com a beleza das praias do sul da Bahia
  18. Subir as ladeiras do Pelourinho 
  19. Andar pelo Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros
  20. Conhecer (e compreender) Brasília
  21. Flutuar pelos rios cristalinos de Bonito
  22. Observar a vida selvagem
  23. Escolher sua obra favorita no Inhotim
  24. Passear pelas cidades históricas de Minas Gerais
  25. Passar um dia na Praia do Forno em Arraial do Cabo
  26. Desfilar no carnaval da Sapucaí
  27. Ver a queima de fogos de Copacabana no ano novo
  28. Assistir um jogo de futebol no Maracanã 
  29. Ter um dia de princesa na Cidade Imperial
  30. Dar a volta em Ilha Grande
  31. Ver a maré alta no Centro Histórico de Paraty
  32. Dar um rolê pela Avenida Paulista de domingo 
  33. Comer sushi e pizza em São Paulo
  34. Passear de barco nas Cataratas do Iguaçu
  35. Explorar cavernas sinistras no PETAR 
  36. Beber cerveja na Oktoberfest em Blumenau
  37. Brincar na neve em São Joaquim 
  38. Passar o Natal em Gramado
  39. Ver o Cânion Itaimbezinho de cima
  40. Ser voluntário no Brasil

Espero que essas dicas ajudem você a preparar seu roteiro de viagem pelo Brasil!

Top 40 lugares para conhecer no Brasil:

1. Subir o Monte Roraima

Na fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana, você vai encontrar o Monte Roraima com seus 2.800 metros de altura e dois bilhões de anos. É possível fazer trekking para subi-lo e conhecer seus vales, rios, cachoeiras e formações rochosas específicas. Todas deslumbrantes, diga-se de passagem.

A melhor época para conhecer o Monte Roraima é de setembro à março e vale lembrar que no topo a temperatura chega facilmente à zero graus, então sua mochila tem que estar preparada para todos os climas que você encontrará pela frente.

2. Viajar de barco pela Amazônia

As estradas da Amazônia são seus rios. Dessa forma, para quem busca uma experiência bem autêntica e local, viajar pela região de barco é obrigatório. Um roteiro bem procurado é Manaus - Santarém e Santarém - Belém.

Fazer o caminho inverso leva mais tempo, já que a embarcação vai contra a corrente do rio. A acomodação nos barcos regionais são em redes ou em cabines privativas, os camarotes. Eles geralmente contam com um bar e um restaurante, mas muita gente acaba levando marmita para não ter que comprar a comida no barco. A viagem é longa e perfeita para fazer novos amigos, seja trocando ideia com quem está na rede ao seu lado, seja no deck enquanto toma um açaí e assiste um lindo pôr-do-sol.


Pôr do Sol visto no trajeto do barco de Santarém até Belém

3. Conhecer uma cidade fantasma no meio da selva

Perdida no meio da floresta Amazônica está a cidade fantasma de Fordlândia. A criação da cidade tem uma história interessante. No início do século XX, a indústria de carros americana Ford precisava de muita borracha para fabricar os pneus de seus carros que, naquela época, provinha principalmente das seringueiras do Sudeste Asiático. Henry Ford decidiu então criar sua própria produção de látex e de acordo com estudos feitos na Amazônia, aquele seria um bom lugar para uma grande plantação de seringueiras. Dessa forma, a empresa construiu uma típica cidade americana às margens do rio Tapajós, com direito a hospital, escola, eletricidade, saneamento e clube. No entanto, depois de alguns anos de baixa produtividade, insatisfação dos trabalhadores brasileiros e o surgimento da borracha sintética, Fordlândia não tinha mais por que existir e foi abandonada. Hoje é possível visitá-la e ver os resquícios de uma típica cidade americana em plena Amazônia.

Para quem quiser saber mais, está disponível no Youtube o documentário de Marinho Andrade e Daniel Augusto.

4. Nadar num igarapé e remar uma canoa na floresta alagada

Igarapés são pequenos cursos de água, geralmente rasos e que correm no interior da floresta Amazônica. Nadar em um igarapé é como nadar no coração da selva. Na época da cheia a floresta fica alagada, sendo possível passear de canoa por entre as árvores. Uma experiência única e mágica!


Igarapé, Amazônia, Brasil.

5. Torcer para o Boi Garantido ou Caprichoso no Festival de Parintins

O maior festival folclórico do mundo acontece em Parintins, Amazonas, no mês de junho. A cidade fica em festa e todo mundo tem seu boi favorito: Caprichoso (cor azul) e Garantido (cor vermelha). Eles são rivais e desfilam pelo Bumbódromo, parecido com um estádio. Aliás, a festa lembra bastante o carnaval pela animação, mas apresenta fortemente a cultura do norte do Brasil.

Os ingressos para assistir a apresentação são grátis e lembre-se: não existem lugares neutros nas arquibancadas, ou seja, é bem mais divertido escolher um boi e torcer por ele junto com a torcida local.

6. Ver um pôr do sol nos Lençóis Maranhenses

O Parque dos Lençóis Maranhenses é um destino dos sonhos para muitos aventureiros. Dunas gigantes de areia clara e lagoas de água doce com coloração azul e verde por todos os lados. É realmente um paraíso e algo único: esse cenário não existe em nenhum outro lugar do mundo.

A melhor época para visitar a região é entre os meses de abril e agosto. Na seca, a maioria das lagoas fica sem água e a região vira praticamente um deserto. Além das lagoas, os viajantes ainda podem passear nos rios Preguiça e Formiga, praticar kitesurf e voar pela região. Memórias incríveis pelo resto da vida, com certeza!


Lençóis Maranhenses, Maranhão, Brasil.

7. Viver o dia a dia de uma tribo indígena

Visitar uma tribo indígena é uma ótima maneira de aprender mais sobre a cultura do povo nativo do Brasil e compreender o difícil processo vivido por eles desde a chegada dos portugueses séculos atrás. Algumas tribos aceitam visitantes por alguns dias para que estes vivenciem danças, tradições, experimentem a culinária e escute as lendas e histórias da comunidade.

Algumas tribos são mais abertas ao mundo moderno, outras um tanto mais fechadas, mas todas tem que lutar diariamente para manterem sua cultura viva. Participar disso, conversar com os integrantes e ver o mundo pelos seus olhos é uma experiência inesquecível.

8. Nadar em um fervedouro no Jalapão

Fervedouros são bem loucos: são nascentes de rios subterrâneos que formam piscinas naturais belíssimas. A pressão da nascente impede que as pessoas afundem, por mais que se esforce para isso. Resultado? Você sente como se estivesse flutuando! O Jalapão tem vários deles abertos para visitação. Quando for, lembre-se de levar óculos de mergulho, para poder ver de perto a água brotando e os peixinhos que vivem por ali.



9. Deitar numa rede na Lagoa do Paraíso em Jeri

Quando a palavra "Jericoacoara" é dita, a mente de muita gente vai direto para a Lagoa do Paraíso, um de seus cartões postais, e se instala em uma das suas redes imersas na água cristalina. Daria para passar dias por ali, mas Jeri conta com praias lindas, dunas, a famosa Pedra Furada e muitas opções de passeio de buggy.

A vila é pacata e o lar de muitos estrangeiros que se apaixonaram pelo lugar e decidiram ficar, o que garante uma culinária internacional e deliciosa.

10. Fazer amizade com gringos na Praia da Pipa

A Praia da Pipa é um dos principais destinos turísticos do Brasil e um dos queridinhos dos nossos amigos gringos. É impossível fazer um passeio pelas praias sem escutar outro idioma. A vibe do lugar também favorece a conexão entre as pessoas e fazer amizades por ali não é tarefa difícil. Então, seja apreciando o nascer do sol na Praia do Amor, procurando por golfinhos na Baía dos Golfinhos ou nadando na Lagoa da Coca-Cola (com águas avermelhadas), basta abrir um sorriso para aquele estranho ao seu lado, lançar um "hello" ou "hola" e deixar o papo fluir.


Praia de Pipa, Rio Grande do Norte, Brasil.

11. Fazer um passeio pelos Cânions do Xingó

Depois da construção da Usina Hidrelétrica do Xingó, as águas do rio São Francisco subiram 100 metros, formando o que hoje se conhece como os Cânions do Xingó. A mais ou menos 200 km de Aracaju, é um dos passeios mais procurados da região.

Um catamarã leva os visitantes para um passeio de três horas, sendo que uma delas é para nadar no Velho Chico. É possível também pegar um barco menorzinho para passar bem perto dos paredões. Fotos magníficas garantidas!

12. Mergulhar com tartarugas em Fernando de Noronha

O arquipélago de Fernando de Noronha possui praias lindíssimas, mas grande parte de sua beleza fica debaixo d’água. Praticar mergulho por pelas águas mornas é uma experiência surreal, seja mergulho com cilindro ou somente com snorkel. A visibilidade pode chegar a 50 metros e o local de mergulho depende da experiência de cada um, mas a vida marinha da região garante memórias incríveis para toda a vida.


Mergulhar em Fernando de Noronha é uma das melhores sugestões do que conhecer no Brasil

13. Passar o São João em Campina Grande e Caruaru

Junho é o mês favorito de muitos brasileiros por um só motivo: festa junina. As festas de homenagem para os Santos do mês (São João, Santo Antônio e São Pedro) são populares por todo o país, mas ganham algo especial em Campina Grande (Paraíba) e em Caruaru (Pernambuco). Essas duas cidades disputam o título de maior festa de São João do mundo e realmente levam as comemorações a outro nível.

Os arraiais são animadíssimos, com muito forró, comidas típicas e uma sanfonas para todos os lados. Visitar uma dessas cidades durante junho é realmente viver a cultura tradicional e popular nordestina e, claro, se apaixonar por essa festa que atrai mais de quatro milhões de pessoas todos os anos.

14. Pular carnaval nas ruas de Olinda 

Carnaval em qualquer lugar do Brasil é animado, mas em Olinda ele é ainda mais especial. São dezenas de bloquinhos de rua desfilando pelas ruazinhas e ladeiras da cidade, alguns de frevo, o ritmo local sempre mega animado e que desafia as coxas de quem dança. Além disso, os famosos Bonecos de Olinda sempre aparecem no meio da multidão, gigantes, balançando os braços e não à toa viraram o símbolo do carnaval da cidade.


Carnaval em Olinda, Recife, Brasil.

15. Fazer uma trilha na Chapada Diamantina

A Chapada Diamantina ocupa uma área gigantesca na Bahia, cheia de rios de águas vermelhas, vales, montanhas e as cachoeiras mais impressionantes do Brasil. Tem atrativo para todos os gostos e para toda a família, incluindo poços com uma coloração azul inacreditável, lugares para praticar escalada e bouldering, retiros espirituais, trilhas de dez minutos, trilhas de dez horas e até mesmo de dias.

Quem for não pode deixar de conhecer a cachoeira da Fumaça, em um cânion maravilhoso; a cachoeira do Buracão com toda a sua força e o Poço Azul, cujo nome já diz tudo. Você pode passar um mês por ali e não vai conhecer nem a metade das belezas da região, então prepare-se para voltar muitas vezes à esse paraíso.

16. Subir o Morro do Castelo no Vale do Pati

O Vale do Pati fica na região da Chapada Diamantina na Bahia e está entre os destinos de trekking mais lindos do planeta. Contrate um guia, coloque a mochila nas costas e prepare-se para paisagens espetaculares. Uma trilha praticamente obrigatória é a do Morro do Castelo, onde o aventureiro é presenteado com uma vista de tirar o fôlego depois de algumas horas de subida íngreme. Vale cada gota de suor.

Além disso, os viajantes ficam hospedados nas casas dos moradores locais, o que é um prato cheio para aprender as histórias, lendas e conhecer o modo de vida daquela gente que vive quase em outra dimensão, sem televisão, telefone e muito menos internet.


Trilha na Chapada Diamantina, Bahia, Brasil.

17. Ficar de queixo caído com a beleza das praias do sul da Bahia

A costa brasileira é riquíssima em praias maravilhosas, de norte a sul, mas tem um lugarzinho especial, ali no sul da Bahia, que é de cair o queixo mesmo. Quem inclui Itacaré e a Península do Maraú no roteiro, nunca se decepciona. Se você tiver a sorte de viajar por ali, não deixe de praticar surf em Itacaré, relaxar no riozinho que corta a praia de Jeribucaçu, fazer a trilha para a Prainha e experimentar a famosa caipirinha de cacau, servida na própria fruta. A poucas horas de carro dali você chega à Barra Grande, onde pode aproveitar as praias calmas do lado de dentro da península, ou as ondas do mar aberto. O passeio de barco até a cachoeira do Tremembé e pelas ilhas é obrigatório.

A cidade não tem asfalto, semáforo e nada que te faça lembrar do estresse da vida na cidade grande. Já ouviu falar de uma coisa chamada "paraíso"? 

18. Subir as ladeiras do Pelourinho

O Pelourinho é um dos principais pontos turísticos de Salvador e vale a visita. As ladeiras estão repletas de história, de casarões do século XVII, igrejas barrocas, bares, restaurantes, museus e, claro, muitas lojinhas de souvenirs. Quando estiver na cidade, tente visitar o Pelô (apelido carinho para os íntimos) em algum dia que tenha apresentação do Olodum ou outras bandas de percussão. Pode ser "turístico demais" para algumas pessoas, mas ir para Salvador e não conhecer o Pelourinho é como ir à Paris e não conhecer a torre Eiffel. Parada obrigatória. :)


Pelourinho, Bahia, Brasil.

19. Andar pelo Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

A Chapada dos Veadeiros, em Goiás, guarda uma energia poderosíssima. Ela fica sobre uma placa geológica de cristal de quartzo, o que garante uma energia forte e mística à toda a região. Como se não bastasse, o paralelo 14, que corta a Chapada, é o mesmo que passa por Machu Picchu. Não é à toa que tem tantos tarólogos, astrólogos, terapeutas e esotéricos que escolheram aquele lugar para viver.

Além da energia, a região conta com infinitas cachoeiras, rios e, em particular, uma formação muito interessante chamada de Vale da Lua. As águas do rio São Miguel cavaram as pedras de uma forma que o lugar ficou realmente parecido com a lua, com diversas crateras arredondadas. A impressão é realmente estar em outro mundo, com a vantagem de poder tomar banho de rio no final. 

20. Conhecer (e entender) Brasília

Uma capital construída do zero no centro do país por um dos maiores arquitetos do mundo. Só isso deveria ser motivo suficiente para tornar Brasília um destino interessante para qualquer viajante. Muitas vezes ignorada pelos turistas, Brasília guarda boas surpresas aos interessados em descobri-la.

Seu tour pela cidade pode começar pela Esplanada dos Ministérios, um prato cheio para amantes de arquitetura, ou para qualquer pessoa interessada em entender como Brasília foi criada e construída em somente alguns anos para se tornar a capital de um dos maiores países do mundo. Depois de passar pela Biblioteca Nacional, o Museu Nacional, a Catedral Metropolitana e o Palácio do Planalto, tire um tempo para conhecer o Congresso Nacional por dentro.


Brasília, capital do Brasil.

21. Flutuar pelos rios cristalinos de Bonito

Os rios na região de Bonito, no Mato Grosso do Sul, tem a água extremamente cristalina, o que possibilita ver as diversas espécies de peixes e plantas subaquáticas. O principal passeio de lá é fazer a “flutuação”, ou seja, colocar uma roupa de neoprene, colete salva-vidas, snorkel e uma máscara de mergulho e ir descendo o rio sem fazer muitos movimentos, só apreciando a beleza daquelas águas.

22. Observar a vida selvagem no Pantanal

O ecossistema do Pantanal é riquíssimo, com centenas de espécies de animais e plantas e conhecer isso de perto, a olho nu, é uma experiência única. Prepare-se para ver jacarés, capivaras, tuiuiús, araras, cobras e com sorte a onça pintada. Os passeios para observação da vida selvagem podem ser feitos em barcos com guias locais, ou em veículos 4x4, seja de dia ou de noite.


Pantanal, Mato Grosso, Brasil. 

23.Escolher sua obra favorita no Instituto Inhotim

O Instituto Inhotim possui um dos maiores acervos de arte contemporânea do Brasil, em uma gigantesca área de Mata Atlântica no interior de Minas Gerais. Passeie por diversas galerias, aprecie obras de arte que tocam os olhos, os ouvidos e o coração e aproveite também a natureza do lugar. Vista um calçado confortável e prepare-se para andar muito: o Instituto Inhotim é enorme e o ideal é ter pelo menos 2 dias para explorá-lo.

24. Passear pelas cidades históricas de Minas Gerais

Andar pelas cidades históricas de Minas Gerais é provavelmente o mais próximo de uma viagem no tempo que você pode vivenciar no Brasil. Permita-se ser transportado para o século 18, no meio do Ciclo do Ouro Brasileiro, quando essa região era a mais importantes para a Coroa Portuguesa.

Os centros históricos de Ouro Preto, Tiradentes, Mariana, São João Del Rei, entre outras, possuem arquitetura típica portuguesa, lindas igrejas barrocas cobertas de ouro, museus e gastronomia mineira, que por si só já é um motivo para conhecer a região. 


Ouro Preto, cidade história em Minas Gerais, Brasil

25. Passar um dia na Praia do Forno em Arraial do Cabo

Arraial do Cabo tem a fama de ser o “Caribe Brasileiro” pelas suas águas extremamente azuis, transparentes e pela rica vida marinha. Destino muito procurado por quem quer mergulhar, a cidade possui praias para todo o tipo de turista, mas existe uma em especial que cativa a praticamente todos que passam por ali: a Praia do Forno. Ela só pode ser acessada por barco ou por uma curta trilha, que ainda oferece um mirante para lindas fotos. 

26. Desfilar no carnaval da Sapucaí

Assistir ao desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro no Sambódromo é incrível, já imaginou então DESFILAR? Escolha sua escola favorita, compre uma fantasia, ensaie sua dança, decore o samba-enredo e arrase na avenida!


Desfile na Sapucaí, carnaval no Rio de Janeiro, Brasil

27. Ver a queima de fogos de Copacabana no ano novo

Uma experiência inesquecível para se ter uma vez na vida é passar o ano novo no Rio de Janeiro e ver toda a beleza da queima de fogos na virada, que dura em média entre 15 e 20 minutos. Uma grande festa toma conta da praia, com todo mundo vestindo branco para trazer paz no ano que começa e muita gente oferecendo presentes à Rainha do Mar, Iemanjá. Para quem não gosta de muvuca, pode ver a queima de fogos de longe, seja em outro bairro da cidade ou em algum barco parado nos arredores.

28. Assistir a um jogo de futebol no Maracanã

O esporte favorito do brasileiro é o futebol, não tem como negar. Futebol pode ser visto e jogado em praticamente qualquer lugar, na praia, numa quadra, num gramado, num terreno baldio… Mas assistir um jogo de futebol no Maraca, apelido carinhoso do estádio que é símbolo da nossa paixão, é uma experiência inesquecível. Junte-se à torcida e deixe-se contagiar pela energia que emana daquele lugar.



29. Ter um dia de princesa na Cidade Imperial

Petrópolis, a somente 65 km do Rio de Janeiro, sempre serviu como refúgio aos que não suportam o calorão da capital do estado, isso desde os tempos em que o Brasil era um Império. Foi ali que D. Pedro II construiu um palácio para a família real, hoje o Museu Imperial.

Para conhecer o Mausoléu Imperial visite a Catedral de São Pedro de Alcântara, onde estão os restos mortais de D. Pedro II. Se o foco for ver palácios mesmo, siga para a Casa da Ipiranga, o Palácio Quitandinha e o Palácio Rio Negro. As paradas obrigatórias de Petrópolis são o Palácio de Cristal, um presente do Conde d'Eu para sua esposa Princesa Isabel, e a Casa de Santos Dumont, que conta com várias invenções curiosas.

30. Dar a volta em Ilha Grande

Extremamente popular entre brasileiros e estrangeiros, Ilha Grande é um paraíso com tudo a que se tem direito: mar de águas cristalinas, cachoeiras, montanhas, baías de águas calmas, praias para prática do surf e muito silêncio, já que carros não entram ali.

Diante de tantos atrativos maravilhosos, por que escolher somente alguns para ver, sendo que você pode ver todos? Um passeio fazendo a volta na Ilha Grande toda é uma ótima ideia para quem curte natureza. Existem duas maneiras de fazer isso: a "preguiçosa" e a "aventureira". Na preguiçosa, basta contratar um passeio com as diversas lanchas rápidas que ficam no cais na Vila de Abraão. O passeio dura geralmente o dia inteiro e tem várias paradas pelo caminho. Já a opção aventureira pode ser feita em um trekking de 6 a 9 dias, caminhando uma média de 15 km por dia, dormindo em campings e no quintal dos caiçaras. 


Ilha Grande, Rio de Janeiro, Brasil

31. Ver a maré alta no centro histórico de Paraty

Paraty é uma das cidades mais charmosas do Brasil por vários quesitos: tem um centro histórico dos séculos XVIII e XIX super bem conservado, muitos artistas de rua deixando cada esquina interessante, lindas praias, cachoeiras e cachaças da melhor qualidade. No entanto, Paraty tem algo especial: projetada quase ao mesmo nível do mar, quando a maré sobe, as águas inundam suas ruas, fazendo uma limpeza natural e deixando tudo ainda mais bonito. 

32. Dar um rolê pela Avenida Paulista de domingo

Alguma coisa acontece no meu coração quando a Avenida Paulista, o símbolo-mór de São Paulo, fecha para os carros e abre para as pessoas. Desde 2015, aos domingos, das 10 às 18h, os moradores e viajantes podem aproveitar as ruas e calçadas da Paulista para pedalar, cantar, dançar, comer, assistir apresentações artísticas, ou simplesmente caminhar por ali e sentir a cidade vibrando. Good vibes garantidas. 


Avenida Paulista, símbolo da cidade de São Paulo, Brasil.

33. Comer sushi e pizza em São Paulo

São Paulo pode ser caótica, gigante e parecer bem assustadora para quem visita a cidade pela primeira vez, mas tem uma coisa que ninguém pode negar: ela ganha admiradores pela barriga. Lar de colônias japonesas e italianas gigantescas, a cidade se orgulha da qualidade do seu sushi (sem esquecer do temaki, óbvio) e de sua pizza. Para os amantes da culinária oriental, o bairro da Liberdade, no centro, é parada obrigatória. Para quem é mais fã de pizza e pasta, o bairro do Bixiga tem as mais tradicionais cantinas da capital paulista.

34. Passear de lancha pelas Cataratas do Iguaçu

Ali, na fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai, está um dos lugares mais lindos do planeta: as Cataratas do Iguaçu. Ver essa maravilha da natureza de perto - bem de perto - a bordo de uma lancha, é um passeio obrigatório. Ela chega próximo de algumas quedas d’água e quem está a bordo fica totalmente encharcado. Lembre-se de comprar uma capa de chuva! 


Cataratas do Iguaçu, fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai

35. Explorar cavernas sinistras no PETAR

Patrimônio da Humanidade reconhecido pela UNESCO, o PETAR é uma importante unidade de conservação da Mata Atlântica. A região abriga rios, cachoeiras, natureza extremamente exuberante e mais de 300 cavernas, sendo que 12 delas estão abertas à visitação.

Segurança é assunto levado à sério por ali e existem diversas regras, incluindo a contratação obrigatória de um monitor para cada oito pessoas, o uso mandatório de capacete com lanterna de bateria elétrica e a necessidade de usar roupas adequadas, que protejam os ombros. A melhor época para conhecer o PETAR é entre abril e novembro, quando chove menos na região.

36. Beber cerveja na Oktoberfest de Blumenau

Blumenau é uma importante colônia alemã no sul do Brasil que, além da arquitetura, culinária e tradições, importou também uma das mais famosas festas do mundo: a Oktoberfest de Munique.

Hoje, a festa homônima de Blumenau atrai uma média de 500 mil pessoas por ano. A herança alemã ali é riquíssima e se escuta músicas em alemão, se canta em alemão e se veste com trajes típicos alemães. Aproveite os desfiles, as apresentações musicais, a culinária típica (e deliciosa!) e claro, muita cerveja! 


Festival Oktoberfest, Blumenau, Brasil.

37. Brincar na neve em São Joaquim

Quem disse que o Brasil não tem neve? Os moradores de um dos município mais frio do país não poderiam discordar mais. A cidade fica no alto da Serra Catarinense, o que garante as baixas temperaturas no inverno, quando os termômetros podem descer a até 15 graus celsius negativos.

Quando começa a nevar, geralmente na madrugada, os hotéis acordam seus hóspedes para que esses possam brincar na neve, tirar fotos e construir bonecos. É possível que a neve já tenha derretido com os primeiros raios de sol, então é bom se preparar para sair no meio da noite, só para garantir. ;)

38. Passar o natal em Gramado

Dificilmente você irá encontrar um natal tão mágico no Brasil como o de Gramado. De novembro a meados de janeiro a cidade abriga o evento Natal Luz, com diversas atrações para a família toda. A cidade inteira é iluminada e todas as noites acontece o Show do Acendimento, quando as luzes são acesas durante o pôr-do-sol.

As ruas são todas decoradas com motivos natalinos e os visitantes podem ver a Parada de Natal todos os dias às 16h. Além disso, rolam vários espetáculos pagos e gratuitos, culinária típica dessa época do ano, neve artificial e uma infinidade de Papais Noéis. 


Gramado em clima de natal, Brasil.

39. Ver o Cânion Itaimbezinho de cima

Entre a divisa de Santa Catarina e o Rio Grande do Sul, uma verdadeira maravilha da natureza está te esperando. O Cânion Itaimbezinho é o mais bonito da região, com seus 6km de extensão e paredões de 720 metros de altura. Um verdadeira jóia no sul do país. Para conhecê-lo, são somente 6km de caminhada fácil (ida e volta) e no caminho você vê cachoeiras, o rio e vida silvestre.

40. Ser voluntário no Brasil

Uma das melhores maneiras de desbravar o Brasil é sendo voluntário. Isso permite passar mais tempo em um determinado local, conhecer pessoas locais, aprender mais sobre a cultura e as tradições e o mais importante: fazer amigos.

A Worldpackers tem mais de 800 anfitriões cadastrados no Brasil, desde hostels e pousadas, passando por fazendas e sítios, até ONGs e escolas. Todas eles precisam de ajuda com algo e oferecem acomodação e um outros benefícios para quem topar ajudar. Os únicos requisitos são ter mais de 18 anos e disposição para fazer a diferença!

Aqui alguns dos meus anfitriões favoritos:

Se você também tem esse sonho de conhecer os lugares mais incríveis do Brasil, por que não aproveitar a chance de viajar e ainda colaborar ajudando outras pessoas como um worldpacker?


5ba4569023967183263586c34261c4f2

Camila

Já está com o pé na estrada para uma grande viagem ao redor do mundo em 2018. Já foi worldpacker ...

Ago 04, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar cami_agostinho saber :-)


Comentários