12 lugares marcantes para 12 mulheres que fizeram história

Quando viajo, uma das coisas que mais gosto de fazer é visitar locais importantes para pessoas que foram importantes na história. Melhor se forem personalidades que admiro. Ainda mais interessante se forem mulheres. Aqui vai uma seleção de 12 mulheres que fizeram história e seus lugares importantes que ajudaram a transformá-las no que elas se tornaram.


5877ccaf6703ee62237807df98d7474c

Luiza

Jornalista e passarinho! Viajar, conhecer novas culturas e me conectar com novas pessoas e experi...

+ Ver mais

Ago 21, 2018

mulheres-que-fizeram-historia

1 - Rainha Vitória - Inglaterra

mulheres-que-fizeram-historia-rainha-vitoria

A monarca que havia ocupado o trono por mais tempo até a atual rainha Elizabeth II foi uma figura de maior importância em seu tempo, tanto é que os 63 anos de seu reinado ficaram conhecidos como Era Vitoriana.

A Rainha Vitória já foi diferente só ao assumir o trono aos 18 anos, por ser a primeira mulher após uma longa linhagem só de homens.

Lançou moda por ter sido a primeira monarca conhecida a se casar por amor, a receber um anel de noivado e a se casar de branco.

As nossas tradicionais trocas de presentes vieram do casal que trocava presentes nos natais, aniversários e datas comemorativas, além de serem os que introduziram a tradição da árvore de natal na Inglaterra.

Era grande entusiasta das artes, principalmente de artistas britânicos e, em uma época extremamente pudica, ela mandava fazer quadros dela em poses e vestimentas nada ortodoxas.

Além disso, a Era Vitoriana foi o início da valorização do teatro, da música e da popularização da fotografia, sendo Vitória a primeira rainha a ter o reinado quase todo registrado em fotografias.

Ela viveu a vida inteira no Kensington Palace, em Londres.

Um lindo palácio, cheio de objetos pessoais da rainha, como brinquedos e roupas, decorado com trechos de cartas dela e de Albert, seu marido.

Está sempre disponível para a visitação, valendo também um passeio pelo Hyde Park, um dos parques mais famosos de Londres.

Em Londres, também é possível visitar o V&A Museum (Victoria&Albert, em homenagem aos monarcas).

2 - Frida Kahlo - México

mulheres-que-fizeram-historia-frida-kahlo

Uma das maiores artistas latinas da história, não teve uma vida fácil.

Quando criança sofreu poliomielite, o que deixou uma lesão em um de seus pés, e, posteriormente, levou a amputação da perna.

Além disso, sofreu um acidente tendo sofrido múltiplas faturas, precisou de 35 cirurgias. 

Viveu em um relacionamento controverso com o também pintor Diego Rivera.

Dos maiores escândalos e curiosidades sobre ela, são o fato de ter sido assumidamente bissexual e ter tido um caso que durou aproximadamente um ano com Leon Trotsky.

Em meio a sua vida conturbada, conseguiu ver a beleza no caos e desenvolveu muito a sua carreira artística, se tornando um dos maiores nomes do surrealismo.

Frida Kahlo também é considerada um grande símbolo político, mas principalmente um grande símbolo feminista, por ter ajudado a quebrar padrões de beleza e comportamento.

Na Cidade do México, é possível visitar o Museu de Frida Kahlo. Foi nessa construção de Coyacán, um dos bairros mais tradicionais da cidade, que Frida nasceu, cresceu e morou a vida toda.

3 - Marie Curie - França

mulheres-que-fizeram-historia-marie-curie

Nascida na Polônia, mas naturalizada na França, Marie Curie foi um grande nome nas descobertas sobre a radioatividade.

Foi a primeira mulher a receber o Prêmio Nobel e a única a recebê-lo duas vezes.

Foi a pesquisadora a descobrir o elemento químico polônio, nomeado assim em homenagem ao seu país de origem.

Além disso, Marie Curie foi a primeira professora a ser contratada na Universidade de Paris e, em 1995, a primeira mulher a entrar por seus méritos no Pantão de Paris.

Fundou dois Institutos Curie, um em Paris e outro em Varsóvia.

O Panteão, em Paris, está sempre disponível para visitação e, em Varsóvia, há o Museu Marie Curie, que é a casa onde a cientista nasceu.

4 - Beatrice Ayettey - Gana

Estudou na Ghana Nautical College para se tornar cadete da marinha de Gana.

Lá encontrou um ambiente dominado por homens que não acreditavam na sua capacidade profissional e duvidavam que fosse se formar.

Provou que todos estavam errados quando além de se formar e se tornar cadete, Beatrice Ayettey foi a primeira capitã da marinha de Gana.

Depois de vinte anos no mar, Beatrice assumiu novas responsabilidades.

Foi trabalhar na International Maritime Organization, que supervisiona navegações e ajuda a prevenir a poluição dos oceanos, onde está até hoje!

5 - Jane Austen - Inglaterra

mulheres-que-fizeram-historia-jane-austen

A grande escritora inglesa também ajudou a quebrar padrões na época em que viveu.

Ela deu aos romances o caráter distintamente moderno através do tratamento das pessoas comuns na vida cotidiana.

Escreveu apenas seis livros em sua curta vida, mas um deles, Orgulho e Preconceito, é considerado um dos livros mais lidos da literatura inglesa.

Jane Austen nasceu em Steventon, mas foi em Bath, cidade a mais ou menos uma hora de Londres, que Jane produziu a maior parte de suas obras.

A Inglaterra toda está impregnada com a história de Jane Austen, mas as cidades mais importantes para a famosa romancista foram Londres, Bath e Brighton, todas muito presentes em seus romances.

6 - Maria Quitéria - Brasil

mulheres-que-fizeram-historia-maria-quiteria

Uma das figuras mais importantes da luta pela independência do Brasil, Maria Quitéria aprendeu o que sabia sobre armas e a andar a cavalo na rua, por causa do péssimo relacionamento que tinha com sua madrasta.

Sendo assim, ela não ficava muito tempo em casa, logo não teve a criação feminina esperada para a época, como aulas de costura ou etiqueta.

Quando os mensageiros pró-independência chegaram a propriedade da família a procura de patrocínio, Maria gostou da ideia, mas seu pai não colaborou.

Mesmo assim, fugiu de casa e se alistou.

Cortou os cabelos e pediu um uniforme emprestado, desta forma se apresentou ao Corpo de Caçadores sob o nome de Medeiros.

Após duas semanas, seu pai acabou descobrindo onde estava e a denunciou ao comandante da divisão em que Maria estava.

O Major se recusou a aceitar a baixa da soldada, pois ela já tinha feito fama entre os militares.

Maria liderou um pelotão só de mulheres, impedindo o desembarque das tropas portuguesas.

Em Salvador, cidade onde viveu seus últimos dias, no bairro Liberdade, há um monumento em homenagem a esta grande heroína da Guerra de Independência.

7 - Valentina Tereshkova - União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (atual Rússia)

mulheres-que-fizeram-historia-valentina

Valentina Tereshkova é uma cosmonauta (sinônimo de astronauta, mas utilizado para russos ou soviéticos), líder política e engenheira russa.

Ela foi a primeira mulher e civil a ir para o espaço, e até hoje permanece sendo a única mulher tendo ido em uma missão solo.

Depois do fim do grupo de cosmonautas, ela se engajou no Partido Comunista e exerceu carreira política até a dissolução da União Soviética.

Na Rússia, há um monumento em sua homenagem em uma cidade próxima as fronteiras com o Cazaquistão e a Mongolia.

8 - Malala Yousafzai - Paquistão

mulheres-que-fizeram-historia-malala

A jovem ativista pela educação e direitos de mulheres e meninas no vale do Swat, onde morava, mesmo tendo só 20 anos, já passou por muito em sua vida.

Quando tinha apenas 12 anos, escrevia para um blog da BBC sobre o cotidiano sob a ocupação talibã e as medidas para com a educação de jovens.

Com a publicação de um documentário do The New York Times sobre o cotidiano de Malala, sua popularidade aumentou muito e começou a dar diversas entrevistas, até sendo nomeada ao Premio Internacional da Criança.

Em 2012, ao entrar em um ônibus escolar, um homem armado atirou três vezes em Malala.

Um dos tiros passou pelo seu rosto até seu ombro, fazendo com que ficasse entre a vida e a morte.

Quando seu estado de saúde melhorou, foi transferida para um hospital em Birmingham, onde mora até hoje.

Depois disso, Malala fez um famoso discurso sobre a educação de meninas na ONU, e foi vencedora do prêmio Nobel da Paz em 2014.

Malala também foi homenageada com o premio Sakharov de 2013 e em 2014 nomeada para o World Children's Prize.

9 - Annie Lumpkins - Estados Unidos

mulheres-que-fizeram-historia-annie

Annie Lumpkings foi uma grande ativista pelo direito de voto das mulheres nos Estados Unidos, por isso é considerada uma das mulheres mais importantes na história do sufrágio feminino.

Além da luta pelo direito das mulheres, também lutou pelo direito da população negra, sendo membro do grupo de ativistas negros Freedom Riders.

Aos 18 anos andou de ônibus no sul dos Estados Unidos (região mais conservadora do país), colocando sua vida em perigo por igualdade racial, foi detida, mas depois liberada.

Seu túmulo, no Tennessee nos Estados Unidos, é muito visitado, principalmente por ativistas do movimento negro.

10 - Eva Perón - Argentina

mulheres-que-fizeram-historia-eva-peron

Conhecida por Evita, Eva Perón, foi esposa de Juan Perón, ex-presidente da Argentina.

Ganhou muita visibilidade e acabou se tornando uma líder política.

Mesmo nunca tendo assumido nenhum cargo público, agia como se ocupasse, tendo concedido vários aumentos de orçamento para sindicatos.

Os recursos levantados com a Fundação Eva Perón foram usados para ajudar vários hospitais, escolas, orfanatos, casas de repouso e entidades de caridade.

Além disso, foi largamente responsável pela passagem da Lei do Sufrágio Feminino.

Ao lado do Museo Nacional de Bellas Artes de Buenos Aires, está um monumento em homenagem a ela.

11 - Nakano Takeko - Japão

mulheres-que-fizeram-historia-nakano

O Japão até hoje tem a herança de uma cultura patriarcal, mas mesmo assim existiram mulheres Samurai, as chamadas Onna Bugeishas.

Entre elas, Nanako Takeko.

No século XVIII, lutou em uma guerra do clã Tokugawa contra o Clã Imperial e lá morreu em batalha com um tiro no coração.

Sua irmã decapitou-lhe a cabeça, para que o inimigo não a levasse como um troféu, que está enterrada no templo Aizu Bangemachi, no Japão, e um monumento foi construído em sua homenagem.

 

12 - Chiquinha Gonzaga - Brasil

mulheres-que-fizeram-historia-chiquinha-gonzaga

Francisca Edwiges Neves Gonzaga foi uma famosa pianista, compositora e maestrina brasileira.

Foi a primeira mulher a reger uma orquestra, a compor uma marchinha de carnaval com letra (a famosa Ó Abre Alas) e a ser pianista de choro.

Em 2012 foi sancionada uma lei que instituiu o dia 17 de outubro como o dia da Música Popular Brasileira, o dia de seu aniversário.

Na cidade do Rio de Janeiro, no Passeio Público, há uma herma em homenagem a Chiquinha Gonzaga, uma obra do famoso escultor Honório Peçanha."

Essa foi uma lista nas mulheres que nos inspiram, mas daria para adicionar muitas outras, inclusive todas as worldpackers que estão viajando nesse momento.

E para você? Quais mulheres te inspiram a viajar e conhecer o mundo?


5877ccaf6703ee62237807df98d7474c

Luiza

Jornalista e passarinho! Viajar, conhecer novas culturas e me conectar com novas pessoas e experi...

+ Ver mais

Ago 21, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Luiza saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor