Expert Lisiane em sua viagem para Singapura

Moderna, cheia de prédios altíssimos e atrações que agradam os visitantes, Singapura, para muitos mochileiros, é uma ótima rota para começar a viajar pela Ásia. 

Não costuma ser o destino dos sonhos entre os viajantes, mas é uma rota fácil e muitas vezes destino barato para quem está na Austrália ou Europa, por exemplo. 

Quem visita acaba aproveitando ao máximo cada pedacinho interessante dessa cidade-estado futurística, que é um dos mais importantes destinos para negócios no mundo, além de ser muito segura.

O que interessa para os mochileiros de plantão é o que fazer durante os dias de voluntariado em Singapura e tentar não ficar entediado. 

Preparei uma lista de atrações que estão espalhadas por várias partes de Singapura e que podem ser exploradas gratuitamente e com fácil acesso se utilizar o transporte público que tem um sistema inteligente e interliga facilmente diversos pontos da cidade.

Confira as dicas que podem te ajudar a aproveitar uma viagem para Singapura em apenas cinco dias:

Dia 1

O primeiro dia é sempre de euforia e excitação para conhecer o que o local tem para oferecer. Quando se fala de Singapura, quem já visitou o país logo recomenda uma visita a Marina Bay e ao Garden by the Bay. São as atrações mais famosas e vale a pena conhecer durante todo o dia, mas é a noite que esses pontos guardam surpresas especiais para os visitantes.

A primeira vale a pena visitar a qualquer hora do dia, mas como disse antes, é no fim de tarde e durante a noite que o local costuma ficar lotado de pessoas fazendo atividades físicas ou aproveitando o cenário.

O visual fica lindo a noite com as luzes dos prédios enormes no Marina Centre, assim dá para sentir um pouco da real atmosfera da região, que é considerada o centro financeiro de Singapura. Todos os dias ao longo do calçadão, às 20h e 21h, e nas sextas e sábados também às 22h, tem show de luzes e fontes de água dançantes no Event Plaza, são cerca de 15 minutos de apresentação que deixam os visitantes de olhos vidrados. Desse ponto é possível ver também o Parque Olímpico, centro ecológico e um dos shoppings mais famosos da cidade, que tem um rio e cascata na parte interna.

Há três minutos dali está o Garden by the Bay, um imenso jardim localizado no centro da cidade aberto o dia todo. Além de uma diversidade de espécies de plantas, o bosque com 16 supertrees fazem parte das principais atrações do local. Elas formam um jardim vertical e tem também várias espécies de orquídeas, samambaias, bromélias e trepadeiras. Onze das super árvores têm estrutura sustentável e conseguem absorver energia solar e coletar água da chuva.

Todas as noites, por dez minutos, entre 19h50 e 20h, as supertrees ganham vida e é possível ver um show de luzes e música, é um espetáculo que vale muito a pena assistir. Ambas as atrações são gratuitas.


Marina Bay, principal ponto turístico para conhecer em uma viagem para Singapura

Dia 2

Pessoas de várias partes do mundo moram e trabalham em Singapura. Os chineses, malaios e indianos representam a maioria dos habitantes, o restante se divide entre pessoas vindas de vários países para morar e trabalhar.

Por esse motivo, você pode reservar o segundo dia para conhecer um pouco de três países em um só, como a Arab Quarter pela manhã, Little India a tarde e, a noite, Chinatown. Não pense que é um passeio cansativo, pois cada lugar demanda no máximo uma hora.

O bairro árabe em Singapura pode ser chamado de Arab Quarter ou Kampong Glam, ocupado principalmente por malaios. Na Arab Street, a rua principal do pequeno espaço árabe, estão lojas de tecidos marroquinos, tapetes, perfumes egípcios e pequenos e charmosos restaurantes. Ao redor do quarteirão estão outras lojas de roupas e produtos comuns em países árabes. 

Uma das atrações do local é a Sultan Mosque ou Mesquita do Sultão. Rica em detalhes, é umas das mais bonitas de Singapura, a cúpula dourada chama atenção de longe, não muçulmanos também podem visitar a parte interna.

Saindo da Arab Street, com uns 15 minutos de caminhada é possível chegar na Little India. Se você nunca esteve na Índia, ao visitar este bairro vai poder ter um pouco de noção da atmosfera do país, afinal não é por acaso que o local tem o nome de Pequena índia.

Na extensa Serangoon Road estão centenas de pequenas lojas com tudo o que imaginar, mas principalmente roupas coloridas, jóias, acessórios e biscoitos indianos. O bairro reúne milhares de pessoas e de cara dá para perceber pelo fluxo como é estar na Índia. O ambiente por si só carrega características marcantes que se diferenciam de outros pontos de Singapura.

Nessa mesma avenida está o templo hindu Sri Veeramakaliamman, com detalhes e imagens de deuses que chamam a atenção de longe. É permitido que turistas visitem o interior do templo. Ali há também uma praça de alimentação, a maioria dos quiosques vendem comida indiana com preços absurdamente baratos se comparados aos diversos espaços como este que existem pela cidade.

Na Little India tem um enorme shopping onde se pode comprar de tudo, o Mustafá Center. O local tem uma lista enorme de produtos e ocupa cerca de dois quarteirões, se você gosta de compras e não quer gastar muito, este é o lugar perfeito.

O dia pode terminar com uma visita a Chinatown, que a noite é puro charme com os balões chineses iluminados que decoram as ruas. O comércio também é um dos pontos fortes de Chinatown. São várias as lojas com artigos chineses e principalmente pequenas opções para presentes, como chaveiros, mini budas e outros itens característicos, o lugar ideal para comprar lembrancinhas para família e amigos. Restaurantes estão espalhados pelas ruelas e avenidas, assim como pequenas barracas típica com comida de rua.

Depois de caminhar pelas ruas, a próxima dica em Chinatown é visitar o Buddha Tooth Relic Temple, a entrada é gratuita e é necessário cobrir pernas e ombros. Logo no primeiro salão se pode ver várias imagens de Buda, se você tiver sorte pode até acompanhar a oração de monges. Nos andares superiores está o museu e rooftop com um pequeno jardim e um espaço gigante para oração. No bairro também tem um outro templo hindu.

Os três pontos também são muito interessantes durante a noite por causa da iluminação especial nas ruas.


O que conhecer em uma viagem para Singapura: os bairros temáticos

Dia 3

Para sair um pouco do contexto de cidade grande, a Ilha de Sentosa é um destino interessante. Ao visitar o local eu não precisei pagar taxa. O local abriga um complexo de hotéis, cassino e um parque da Universal Studios. Bom, mas o que interessa para mochileiros dispostos a desbravar o mundo são as praias, que tem fácil acesso de ônibus, carro, trem e até mesmo a pé.

A Praia de Palawan é a mais frequentada pelas famílias locais e os turistas. Com palmeiras espalhadas pelo local e uma ilhota com acesso por uma ponte suspensa, esse é um dos pontos turísticos que vale a pena conhecer e relaxar na areia ou mergulhado.

Já a Praia de Siloso é considerada uma das melhores que tem na ilha por muitos visitantes, ideal para conhecer durante o dia ou à noite. Nessa praia é possível fazer diversas atividades como surf em ondas artificiais, caiaque, ciclismo entre outros esportes de aventura. Restaurantes e bares com diferentes menus estão espalhados pela orla que também é endereço de muitas festas e atrações especiais durante o ano.

Se você gosta de um lugar mais tranquilo para realmente relaxar a Praia de Tanjong é o endereço certo e sem agitações, mas igualmente interessante como os anteriores. A água do lago que existe nesse espaço é calma e ideal para remo ou sup.

Dois clubes instalados na Tanjong dão um ar de sofisticação para a praia, porém a maioria vai em busca de algumas horas de tranquilidade na areia ou mergulhando em águas calmas e sem muitos banhistas.

Sentosa é uma ótima sugestão para passar o dia explorando e aproveitando diferentes pedacinhos da ilha.


O que conhecer em uma viagem para Singapura: as praias artificiais 

Dia 4

Se você gosta de contato com a natureza e de quebra fazer uma caminhada entre árvores seculares, diferentes espécies de plantas, aves, outros pequenos animais e macacos, o Tree Top Walk é ideal. 

O passeio permite que os visitantes tenham uma experiência diferente em meio a uma floresta secundária. Com diferentes rotas, a caminhada pode levar entre duas a quatro horas, depende da sua disposição para encarar a experiência mata a dentro.

Uma das atrações é a ponte suspensa de 25 metros de altura, que liga os dois pontos mais altos da floresta em McRitchie e permite que o visitante fique no topo da copa de árvores gigantes, tenha uma visão panorâmica da floresta e possa ouvir o canto dos pássaros. Se você der sorte poderá ver macacos bem de perto, mas é preciso tomar alguma precaução com mochila e evitar sorrir na direção deles, pois acham que é uma ameaça.

Os portões do parque ficam abertos das 9h às 17h de terça-feira a domingo.

Para garantir um pôr do sol, a dica é ir até a Henderson Wave Bridge, a ponte mais alta de Singapura, com 36 metros de altura e mais de 250 de comprimento. A arquitetura incrível imita ondas e a forma de uma cobra. 

Apesar de estar na cidade, a ponte fica sobre rodovias e parques com árvores que tocam a ponte, é uma paisagem que mistura o verde das centenas de plantas com o cinza dos prédios em volta , mais um lugar interessante em Singapura e que vale muito a pena conhecer, seja em uma caminhada ou ciclismo, e ter perspectivas diferentes da cidade. 

É possível fazer paradas e descer em três diferentes parques que ficam pelo caminho, que são eles: Mount Faber, Telok Blangah Hill and Kent Ridge Park.


Passear pelas árvores também é uma opção para sua viagem para Singapura

Dia 5

Patrimônio Mundial da Unesco, o Parque Botânico de Singapura é um dos locais onde se encontra um número bem diversificado de espécies tropicais. Por causa da diversidade, é um dos mais importantes parques da Ásia, com três estrelas.

Um jardim de orquídeas está entre as principais atrações do local, com mais de mil espécies. Há coleções de bromélias, uma cachoeira em meio a plantação de gengibre, monumentos, córregos de água, áreas livres para piquenique, entre outras agradáveis surpresas. Esse é aquele tipo de passeio mais tranquilo e que não tem hora para ser concluído, podendo levar boa parte do dia se você tiver disposição.

Com uma vista ampla e bonita da cidade, Padang é um daqueles destinos que parece não ter muito para se ver, mas ao chegar ao famoso campo aberto no local você vai perceber que vale muito pena, tanto durante o dia como a noite. Famoso pelos clubes de cricket, o bairro tem prédios com estilo inglês e por isso também rende boas fotos.

Para fechar o dia, uma caminhada na beira do rio na região de Clarke Quay, que é cheia de restaurantes e bares caros, mas tem uma atmosfera leve e comida barata em alguns quiosques. O passeio fica mais agradável se você sentar na beira do rio e por alguns minutos apenas ficar observando o vai e vem dos barcos iluminados, sentindo a brisa leve e assim fechar a visita com chave de ouro e relaxado.


Em sua viagem pasa Singapura, conheça os bares sofisticados da região

Você pode adaptar esse roteiro de acordo com a sua disposição e tempo e conhecer os pontos mais interessantes do país e os mais buscados pelos visitantes em uma viagem para Singapura. 

Existem várias outras atrações que são pagas, como safári noturno, aquário, galeria nacional e o famoso Hotel Marina Bay Sands, com a piscina infinita. Porém fica a dica econômica para quem gosta de viagens com custo baixo.


9dab9cd78fcfca1d3fa0756014a19ab9

Lisiane

Historiadora e jornalista, resolvi dois meses antes de completar meus 30 anos, partir para uma av...

+ Ver mais

Nov 29, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Lisiane saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor