2 semanas como voluntária em um paraíso em Santa Catarina

Vou contar nesse artigo um pouco de como era meu dia dia na Pousada Cabanas da Ribanceira em Imbituba, Santa Catarina


Ba881ce5b8932da23ce24e0b27bd6518

Aline Fernanda

Travel blogger - www.clicknaviagem.com.br | Writer | Explorer | Photographer | Nature Lover

Ago 22, 2018

voluntária em Santa Catarina

Gosta de belas paisagens, praia tranquila, trilhas, dunas e muito mais? Então você precisa conhecer a Praia da Ribanceira, que fica no sul de Santa Catarina, cerca de 90km da capital Florianópolis, pertinho das conhecidas Praia da Vila, Rosa e Ibiraquera.

Durante duas semanas fui Worldpacker em Imbituba, na Pousada Cabanas da Ribanceira, que oferece um ambiente familiar e muito agradável a todos os visitantes que buscam momentos de paz e tranquilidade com a família e amigos, seja nas férias ou aos finais de semana.

1. Estrutura

Em meio a uma área verde, a três quadras da praia e ao lado das belas dunas, a pousada conta com seis cabanas rústicas, bem conservadas e mobiliadas, sendo que três delas acomodam até três pessoas, e são compostas por quarto, banheiro e varanda.

As outras três cabanas têm dois quartos, banheiro, cozinha, varanda, área externa com churrasqueira, são equipadas com eletrodomésticos e utensílios e acomodam de quatro a seis pessoas.

Todas as cabanas contam com espaço para estacionamento, caso o visitante tenha veículo próprio ou alugado.

Para uso comum, a pousada oferece uma sétima casa onde fica a sala de TV, cozinha equipada com eletrodomésticos e utensílios, mesas, lavabo, churrasqueiras e um deck com espaço para colocar redes. Anexo a esta casa, o anfitrião construiu recentemente uma suíte para acomodar os voluntários.

No local, o visitante também encontrará uma horta e árvores frutíferas cultivadas através da compostagem dos resíduos orgânicos separados pelos próprios hóspedes.

Estrutura da pousada em Santa Catarina

2. Tarefas e horários

A oportunidade de voluntariado na pousada estava relacionada a tarefas de jardinagem, fotografia, limpeza e recepção. Ao aplicar para a vaga informei que buscava uma chance para atuar em fotografia, mas estaria disposta a realizar outras atividades.

Chegando à pousada o anfitrião expôs o que estava precisando fazer, já que seria baixa temporada e não haveria grande taxa de ocupação na pousada.

A cozinha compartilhada da pousada estava carecendo de alguns armários para guarda de utensílios domésticos, onde o anfitrião queria utilizar pallets para manter o padrão rústico da pousada. 

Como eu já havia feito alguns trabalhos manuais e também sou personal organizer, me coloquei à disposição para ajudar, desde a limpeza e pintura dos pallets, até a realocação dos utensílios, que deu uma cara nova a cozinha.

Quanto às fotos, fiz algumas das cabanas, das belezas naturais da região, do nascer do sol visto da pousada e entreguei ao anfitrião para que ele pudesse utilizar em suas redes sociais ou para outros fins.

Também atuei no atendimento aos hóspedes e manutenção da limpeza, especialmente nas áreas comuns.

A carga horária diária era de 4h30 e como eu era a única voluntária, e o anfitrião não tinha funcionários, costumávamos combinar um dia antes que atividades realizaríamos, de acordo com a demanda.

Os horários também foram bem flexíveis e as folgas de dois dias por semana ocorreram aos sábados e domingos.

3. Relação com o anfitrião

Desde o primeiro dia, o anfitrião Guilherme e eu nos entendemos muito bem e acabamos nos tornando grandes amigos, especialmente pelas afinidades que temos. 

Guilherme preocupa-se com o bem estar dos voluntários e ofereceu toda a atenção nos dias em que estive lá.

No primeiro final de semana ele apresentou um pouco das belezas naturais do local enquanto fizemos uma trilha. 

O anfitrião também me ofereceu a oportunidade de frequentar aulas de Yôga com o grupo que ele participa. Não só aceitei como adorei a energia do grupo e do mestre.

Também tive a oportunidade de conhecer a mãe de Guilherme, com a qual tive boas conversas.

Ao final das duas semanas sentia como se tivesse encontrado parte da minha família em Imbituba, e isso foi muito gratificante.

4. Benefícios recebidos como Worldpacker

Os benefícios nesta experiência foram:

  • Acomodação em uma suíte confortável.
  • Carona na chegada e ao ir embora, já que a pousada fica aproximadamente 5 km da rodoviária.
  • Cozinha equipada para preparar as minhas refeições, o que contribuiu para redução de minhas despesas.
  • Dois dias livres por semana (sábado e domingo).
  • Aulas de Yôga.
  • Bike à disposição.
  • Trilhas guiadas.
amanhecer na pousada

5. Localização

Na região da praia da Ribanceira, em que a pousada está localizada, há mercados, restaurantes, peixarias, bares e pontos de ônibus.

Para encontrar bancos, farmácias, feiras, supermercados, lojas e outras opções de alimentação, é necessário se deslocar até o centro de Imbituba, porém isso é feito facilmente através do transporte público, que também pode ser utilizado para visitar outras praias.

Até a praia de Ibiraquera, que é uma das mais bonitas da região, dá pra ir caminhando pela orla ou estrada, e ainda de bike. São quase 5 km da Ribanceira até lá.

6. Tempo livre

No meu tempo livre eu costumava andar de bike, caminhar pelas dunas, fazer trilhas, ir até praias vizinhas ou ficar na praia da Ribanceira, aproveitando a tranquilidade ou as belas dunas, onde eu gostava de passar momentos apreciando a natureza.

Atividades que realizei durante meu tempo livre na pousada:

  • Trilha saindo da praia da Ribanceira, passando pela praia dos Amores, praia D’Água até o Farol da Divinéia.
  • Um dia na praia dos Amores.
  • Dois dias na praia de Ibiraquera.
  • Standup paddle na Lagoa de Ibiraquera.
  • Caminhadas nas dunas.
  • Caminhada pela estrada e orla entre a Ribanceira e Ibiraquera.
  • Bike na Ribanceira.
  • Mirante da praia da Ribanceira.

Quando o clima não estava muito propício para um passeio, eu gostava de ficar na pousada lendo ou escrevendo, pois a energia do lugar me fazia muito bem e era inspirador.

Trilha Praia dos Amores

7. Dicas para se dar bem no hostel

Como em qualquer outro lugar em que fui voluntária, busquei cumprir todas as regras, conversar abertamente com o anfitrião e lembrar que não estou lá somente a turismo, mas também para colaborar, compartilhar, ensinar e aprender.

A comunicação é fundamental, por isso em caso de dúvida é essencial perguntar antes de fazer algo de forma incorreta, que pode gerar algum prejuízo ao anfitrião.

Respeito e cortesia com os hóspedes, que geralmente são famílias ou casais, é outro quesito muito importante.

Quer saber mais sobre esta experiência? Confira o artigo Conhecendo a Praia da Ribanceira em Imbituba/SC no meu blog e as fotos e dicas no Instagram.



Ba881ce5b8932da23ce24e0b27bd6518

Aline Fernanda

Travel blogger - www.clicknaviagem.com.br | Writer | Explorer | Photographer | Nature Lover

Ago 22, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Aline Fernanda saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor