Categorias

Meu dia a dia no St Christophers at the Bauhaus

Minha primeira experiência como Worldpacker foi de muito trabalho, mas ainda mais de diversão e aprendizado. Para quem ainda não conhece o St Christopher’s @ the Bauhaus, hostel em Bruges, aí​ vão algumas dicas de quem viveu três semanas de voluntariado no lugar que se tornou minha segunda casa.


5c3ac302eb4c22f28c43744a1174b392

Estela

Half Brazilian, half Spanish, completely into discovering the world. I left my Public Relations c...

Jun 21, 2018

Frente do hostel

1. Sobre o hostel

O St Christopher’s @ the Bauhaus (ou Bauhaus, como é carinhosamente conhecido), faz parte da rede European Famous Hostels. Isso significa que ele tem um alto padrão de qualidade e oferece uma estrutura bastante completa, com bar, quartos para casais, limpeza impecável, lavanderia, café da manhã e até uma discoteca. 

Ao todo são 150 camas divididas em três prédios, com uma equipe de funcionários e voluntários de aproximadamente 30 pessoas.

Os funcionários e voluntários são os únicos com livre acesso a todos os lugares, como cozinha e lavanderia, e podem beneficiar-se de tudo gratuitamente (incluindo algumas pizzas e bebidas do bar que não estão descritas no perfil oficial do anfitrião). O quarto dos voluntários é bem grande, com capacidade para seis pessoas, um banheiro exclusivo e uma pequena cozinha com pia, geladeira e microondas. 

2. Ser voluntário

O trabalho começa todos os dias às 9h, depois de os voluntários forrarem o estômago com o café da manhã gratuito. A primeira tarefa é uma checagem rápida dos banheiros compartilhados para garantir que tudo esteja em ordem pros hóspedes que estão fazendo check-out ou apenas saindo para aventurar-se pela cidade. Se tudo correr bem, há um pequeno descanso até as 10h, que é quando o trabalho começa de verdade.

O grupo de voluntários é liderado por uma equipe profissional de limpeza de três pessoas, que serão os responsáveis pelo trabalho mais pesado. Isso quer dizer que, se houver uma privada entupida ou um fardo de lençóis pesado demais para ser carregado, eles é quem vão resolver esses problemas.

Os voluntários trabalham até às 14h, então quanto mais tarefas puderem ser realizadas nesse período, melhor. Há uma ordem de prioridade, claro: trocar roupas de cama e limpar quartos, limpar banheiros coletivos, limpar áreas comuns, lavar lençóis. Se há algo depois disso, nunca conheci um voluntário que tenha chegado ali. Depois do fim do seu turno, você tem o resto do dia para fazer o que quiser! 

3. Benefícios

Não é só de hospedagem gratuita que vive o viajante! No Bauhaus você também recebe um café da manhã incrível (com direito a três tipos diferentes de pão, quatro variações de fruta, frios, ovos, três tipos de cereais, dois sucos e até salada), dois dias de folga seguidos por semana, aluguel de bike na faixa, desconto de 50% na pizza e uma bebida por dia de trabalho no bar do Hostel. Pode ir que é sucesso! 

4. Relacionamentos

A equipe é formada por mais ou menos 30 pessoas, entre empregados, estagiários e voluntários de recepção, administração, limpeza e bar. Essa trupe é comandada pelo gerente Miki, um irlandês com cara de marrento mas que é extremamente aberto a conversas, sugestões, pedidos e, inclusive, dá desconto em hospedagem de outros hostels da rede Famous.

Quanto à relação entre equipes, eu não poderia pedir que fosse melhor. É totalmente formada por gente bastante jovem e divertida, que tem muito prazer de estar ali. O trabalho é feito com responsabilidade, mas nunca de mal-humor, a coisa mais comum é ver todos ali no bar à noite jogando Jenga, bebendo e conversando sobre tudo. Aliás, o clima é tão bacana, que existem até moradores da cidade que estão no bar constantemente só pra se entrosarem no grupo. 

ambiente do bar no St Christopher’s @ the Bauhaus

5. Preciso saber falar inglês?

Sim, mas não precisa ser fluente! Se você é capaz de entender instruções e se expressar o bastante para fazer amizades, comprar comida, etc, já será maravilhoso! Confia em mim, em poucas semanas você já vai ter melhorado tanto que vai se sentir praticamente um nativo britânico. 

6. O que fazer em Bruges

Se apaixonar! Pela cidade maravilhosa, pelos canais que cortam a paisagem, pelas cervejas artesanais e únicas, pelo povo receptivo, pelo chocolate eleito o melhor do mundo… Bruges tem incontáveis atrações, apesar de ser uma cidade pequenina. A melhor parte é que você pode fazer tudo a pé, já que o centro está a menos de dez minutos caminhando do hostel e há milhares de opções de restaurantes, bares, lojas, farmácias e mercados. 

7. Saldo final da viagem

Pra mim, 10/10. Aprendi muito com o trabalho, fiz amigos pra vida toda, provei sabores incríveis, melhorei meu inglês, tirei fotos maravilhosas e curti cada segundo.

E você, tá esperando o que pra viajar? 



5c3ac302eb4c22f28c43744a1174b392

Estela

Half Brazilian, half Spanish, completely into discovering the world. I left my Public Relations c...

Jun 21, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Estelabts saber :-)


Comentários