Meu primeiro dia trabalhando no hostel

Medo, angústia, desespero... Esses foram meus primeiros sentimentos ao chegar no Hostel que será minha casa nas próximas semanas. Me senti completamente perdida, sozinha. Minha vontade foi correr de volta e ligar pra minha mãe dizendo "eu quero voltar"! Bom, acho que essa é a nossa primeira reação pra tudo aquilo que nos assusta, ou seja, nos tira da tal zona de conforto.


A36964ffddebcfd8d727bcd080724ba1

Ana

Ana, 23 anos, vivendo e compartilhando o sonho de viajar sozinha pela primeira vez! 📍San Diego- CA

Ago 26, 2018

Enquanto o anfitrião me mostrava tudo, um frio forte me soprava a barriga e eu só conseguia pensar o que aquele povo todo estava achando de mim, como ia decorar onde ficava a cozinha, o banheiro, o quarto e ainda entender tudo aquilo que seria meu trabalho e responsabilidade!

Finalizado o tour, logo me ofereci para o trabalho que ninguém queria fazer: cortar cebolas. Sentei na cozinha, voluntários foram surgindo e rapidamente tínhamos vários ajudantes para preparar o jantar da noite! Com os olhos ardendo um absurdo, comecei a conversar com as pessoas que chegavam ao redor da mesa. Fui aos poucos entendendo seus nomes e suas histórias que posteriormente tinham sido me apresentados, mas diante do meu nervosismo e da quantidade enorme de informações, eu já nem me lembrava mais!

Aos poucos, fui entendendo que eu não era a única recém-chegada, nem a única perdida, muito menos a única confusa. Meu maior suspiro de alívio veio quando um brasileiro se apresentou e prontamente se ofereceu para me ajudar! Tirei algumas dúvidas com ele (que tinha chegado 5 dias antes, mas já sabia tudo) e respirei aliviada.

Descobri que havia outros brasileiros. Descobri que os não brasileiros também me abririam os braços. Sorri quando me ofereceram um lugar na mesa no jantar (eu estava me sentindo muito perdida, tipo uma criança que chega no meio do semestre numa escola nova). Me ofereci de boa vontade para lavar a louça de uma pessoa que estava esperando na fila, recebi um sorriso surpreso de agradecimento! Fui apresentada a um inglês muito simpático que, muito empolgado, me mostrou como fazia seu trabalho como ajudante de limpeza. Observei, perguntei, entendi!

Meu amigo brasileiro me chamou pra comprar cerveja e eu nem pensei duas vezes. Precisava de uma cerveja depois de tantas emoções! Nos sentamos com o amigo inglês e logo a mesa ficou cheia. O medo foi sendo substituído por uma alegria indescritível! Logo no primeiro sorriso amigável, a angústia desapareceu. O desespero foi destruído por um sentimento absurdo de confiança de que esse seria o começo de uma aventura incrível!

Bebemos a cerveja, jogamos sinuca (fingi que joguei, mas eles foram muito gentis comigo), jogamos aquele joguinho da vareta que ninguém sabia as regras (inventamos e elas mudavam a cada segundo, deixando nosso amigo inglês muito confuso), me diverti, conheci pessoas incríveis, respirei aliviada, tomei um (diga-se de passagem, muito bom) banho, e agora eu vou dormir... Porque esse foi apenas o pequeno início de uma enorme aventura que está por vir! Vem comigo?!



A36964ffddebcfd8d727bcd080724ba1

Ana

Ana, 23 anos, vivendo e compartilhando o sonho de viajar sozinha pela primeira vez! 📍San Diego- CA

Ago 26, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Ana saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor