Categorias

Minha primeira experiência como Worldpacker

Apesar de ser apaixonado por viagens, nunca havia me voluntariado antes. Foi quando descobri a Worldpackers e resolvi tentar.


Ea3dc39ca0b2f6b5f17abddec1f0e9a4

Lucas

Brazilian traveling around Europe. I Have been to 16 countries and counting, however if I had a p...

Mai 03, 2018

hostel em ponto turístico de Budapeste

Precisei apenas de alguns dias para ser selecionado e o destino não poderia ser melhor: Budapeste. Era simplesmente um sonho.

Como seria a minha primeira experiência, dúvidas e medos faziam parte, mas bastou alguns dias trabalhando no hostel e eu estava certo de que aquela havia sido a melhor decisão da minha vida.

Minhas tarefas eram simples, eu somente precisava acompanhar os clientes até os seus respectivos quartos, dar rápidas informações sobre a cidade e responder pequenas dúvidas.

Outro fator a ser destacado é o fato de que era nos dado a liberdade de escolher o nosso horário e nossa escala era totalmente respeitada, qualquer hora extra era paga adicionalmente.

O hostel esbanjava uma estrutura diferente dos demais.

Eram vários apartamentos ao redor da famosa ST. Stephen's Basilica, o que exigia caminhar bastante durante os meus turnos.

A estrutura do hostel era perfeita e contávamos com um sistema muito organizado e com pouquíssimas falhas.

Além da limpeza dos apartamentos ser tratada como prioridade, todos os apartamentos eram equipados com cozinha, banheiro, sala, guarda roupas e muito mais.

Minha relação com o staff era perfeita, bebíamos juntos, conversávamos e ríamos. Eles realmente eram pessoas maravilhosas.

Hostel em Budapeste

Adicionalmente ressalto que estranhei no começo a cultura húngara, mas nada que fosse um grande problema. Tratávamos os clientes como amigos e algumas vezes até saiamos com eles pra baladas.

Era difícil de acreditar a liberdade que nos era dada.

Trabalhava 20 horas por semana e em troca recebia 20 euros pagos semanalmente. Também tinha acesso à internet e computadores, acomodação com cozinha e eles mesmo lavam e secam a nossa roupa.

Além disso tem descontos em bebidas e podíamos até mesmo fazer um esquenta na recepção, era sem dúvidas muito legal.

A localização era excepcional, a 30 segundos da basílica, a região mais central da cidade. Os principais e mais baratos supermercados ficavam a apenas 10 minutos caminhando e as melhores baladas e bares eram de super fácil acesso a pé.

No tempo livre eu costumava visitar os pontos turísticos, beber nos parques e conhecer novas pessoas.

Interessante destacar que também tive a oportunidade de conhecer voluntários de outro hostel e nos tornamos amigos, alguns que inclusive ainda mantenho contato.

Apesar de outros voluntários não dominarem o inglês perfeitamente, todos podiam pelo menos se comunicar de forma decente e entendiam a maioria das coisas que eram ditas.

Os voluntários com maior domínio da língua acabavam fazendo mais amizades, especialmente com os clientes, e a comunicação com o staff era melhor, o que fatalmente acabava ajudando.

Acredito que a chave do sucesso de um voluntário, primeiramente, é honestidade ao preencher a aplicação da vaga.

Sendo necessário ressaltar a importância de entender que apesar de ser apenas um voluntariado, o seu host espera que faça o trabalho da melhor forma possível e mostre interesse em aprender e aplicar o que lhe foi ensinado.

Por último e não menos importante, qualidades como entusiasmo, fácil sorriso e carisma caem muito bem, especialmente quando trabalhando em recepção e entretenimento de clientes.



Ea3dc39ca0b2f6b5f17abddec1f0e9a4

Lucas

Brazilian traveling around Europe. I Have been to 16 countries and counting, however if I had a p...

Mai 03, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar LucasHinselmann saber :-)


Comentários