O meu relaxante voluntariado em meio a natureza e aos animais

Depois da experiência em um hostel, decidimos explorar mais um pouco e acabamos indo para Pernambuco, em um sítio relaxante com muito contato com a natureza.


6d80f9e90a93c526dcac0f3a467578ff

Jessica

Fev 15, 2019

Oi gente! Pra contar um pouco da minha história preciso dizer que depois de 20 anos vivendo na capital do Rio Grande do Sul, tendo um trabalho fo...

Foto de trabalho voluntário no Sítio Pituá

1. Chegada

Conversamos (para esclarecer, viajo acompanhada do meu esposo) pelo aplicativo com nosso anfitrião, responsável pelo Sítio Piutá, que combinou de nos encontrar em um ponto específico próximo de onde nossa carona iria passar. 

Aliás, conseguimos essa carona pelo Blablacar, o que nos ajudou a economizar muito durante a viagem.

Chegando no ponto de encontro, esperamos durante um tempo e depois seguimos com nosso anfitrião à alguns lugares para que as “compras semanais” fossem feitas. 

Depois de conversarmos e chegarmos até o sítio é que percebemos como essas compras eram importantes, pois a distância entre a vendinha mais próxima era de no mínimo 30 minutos de bicicleta.

O Sítio Piutá é o lugar perfeito para quem está cansado do estresse da cidade e precisa se reencontrar, tirar um tempo e regular novamente seus níveis de amor ao próximo e paz interior.

2. Nossas tarefas diárias

Lá começávamos o dia com um café da manhã incrível feito com muito carinho pelo voluntário que já está lá a algum tempo. Sempre tinha pão árabe (feito na hora), cuscuz, ovos mexidos, café, leite, banana frita, queijo coalho frito e muitas frutas colhidas do próprio sítio.

Logo depois íamos pôr nossos “trajes de permacultor”, que nada mais era do que uma calça jeans e camiseta para que pudéssemos lidar com a terra e as plantas de uma forma mais segura, já que boa parte de lá é uma reserva de Mata Atlântica e obviamente conta com seus bichinhos naturais.

Depois de vestidos adequadamente, íamos para a parte de mata fechada levando algumas mudinhas de mamão para serem plantadas pelo terreno - onde encontrávamos os outros moradores do sítio: um cavalo resgatado, uma família de cabras, ovelhas e jumentos - ou para observar o crescimento de algumas plantinhas que já haviam sido plantadas a algum tempo. No fim disso sempre acabávamos colhendo e se deliciando com a água de cocô direto do pé.

Quando não íamos para esta parte do sítio, ficávamos próximos da casa, onde tínhamos as mudinhas sendo cuidadas para depois irem para a terra, os animais resgatados (bodes, coelhos e cachorros) e a parte de plantação de macaxeira, feijão de corda, frutas e muitas outras coisas.


Alguns dos animais resgatados no Sítio Piutá

3. Sobre o lugar

Enquanto estávamos lá ficamos em um quarto compartilhado com beliche, mas que na verdade estávamos só nós. A cozinha fica à disposição, assim como o armário onde ficam os alimentos e tudo o que for necessário, já que lá são fornecidas todas as refeições (sendo elas vegetarianas). 

Inclusive os jantares normalmente são ao som de algum ícone da MPB tocado no Toca Discos, simplesmente maravilhoso!

4. Mas e o tempo livre?

No nosso tempo livre costumávamos descobrir caminhos novos pelo terreno, ou aproveitar para ficar um tempo com os animais que são extremamente carinhosos, já que no cotidiano urbano isso é praticamente impossível.

Além disso, todo mundo costumava sentar na varanda para fazermos uma rodinha de violão ou então para tocar teclado, tudo envolvendo muita música e novas descobertas.


A vista do Sítio Piutá

5. Preciso falar outras línguas?

Nosso anfitrião falava também inglês, já que o voluntário “veterano” que está lá fala apenas em inglês (pois é do Marrocos), o que acabou sendo uma ótima oportunidade para praticarmos nosso inglês e aprendermos muito sobre a cultura dele depois de longas e interessantes conversas.

Para quem se interessou pelo maravilhoso Sítio Piutá, saiba que lá rolam várias oportunidades de vivencias incríveis, como oficinas de Heiki, meditação, culinária vegetariana, mandala, yoga, enfim, uma infinidade de oportunidades que variam conforme o evento.

Dica de Ouro

Finalizo com uma dica de ouro: talvez você não tenha parado para pensar nisso, mas é bastante importante levar um repelente para mosquitos, pois como há um rio bem próximo à casa, eles entendem que você será um novo membro da família e resolvem visitar bastante (hehehe), no mais... entregue-se aos detalhes que não mencionei ao chegar lá, será renovador!! 



6d80f9e90a93c526dcac0f3a467578ff

Jessica

Fev 15, 2019

Oi gente! Pra contar um pouco da minha história preciso dizer que depois de 20 anos vivendo na capital do Rio Grande do Sul, tendo um trabalho fo...


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor