Aprendendo muito mais do que só o Espanhol

Caro leitor, antes de você começar a ler, eu gostaria que você fizesse uma auto análise sobre a pessoa que você é hoje, seus conceitos, suas habilidades, seus pontos de vistas sobre determinados assuntos, seja ele qual for.


Cc180e2c12cc5ad9a26df5835f312f52

Kayo

Pegue sua casa, transforme ela em uma mochila, coloque a coragem e alguma roupa de frio tambem, d...

+ Ver mais

Ago 23, 2018

jovens reunidos na area comum de um hostel

Pronto? Já teve sua reflexão? Agora esqueça tudo o que aprendeu até hoje e imagine ser criança por um momento, disposto a aprender todo o momento com o que há em sua volta, ser curioso, questionador e ter esse brilhão no olho que todos se sentem bem de estar perto.

Entenda que durante sua viagem você deverá estar aberto para novas possibilidades todo o tempo, estar preparado para as mais variadas situações e independente de quem cruze seu caminho, você pode aprender com ela.

Ouvi uma vez de um mochileiro a seguinte frase: “Se for pra não respeitar as culturas locais, se for pra não comer da comida local, ou não aprender o idioma local, não viaje”.

Essa, a simples vista, é uma frase forte, mas começa a ganhar sentido durante uma viagem. 

Durante um voluntariado, começamos a aprender muitas coisas novas e a nos permitir mais, obtendo outros pontos de vistas que há tempos atrás nunca imaginaríamos ter.

O amadurecimento a certos aspectos de nossa vida começam a ganhar mais sentido.

Se fosse para definir uma viagem, seja ela qual for, um mochilão por vários meses, uma viagem de férias de trabalho ou faculdade, ou um final de semana, eu definiria em três palavras: coragem, aprendizado e intensidade.

A experiência

Vou citar uma experiência em um hostel na província de Córdoba, na Argentina.

O ambiente era mais calmo do que outros que tinha ido e ficava no centro da cidade, mas talvez a época do ano colaborasse para ser vazio.

Porém, foi nele onde senti uma conexão maior tanto com a equipe do local, quanto com os hóspedes.

Durante todo o tempo, quando estamos abertos para novas experiências e oportunidades, sem esperar ou criar expectativas, é onde mais aprendemos e vivenciamos experiências extraordinárias.

Eu senti esse tipo de experiência durante meu tempo no Ananta Hostel & Bar.

sala de estar do Ananta Hostel e Bar

Conheci pessoas que, mesmo não acreditando em destino, senti que foram necessárias ter conhecido e junto com elas tive um ganho de bagagem enorme, grandes conselhos e diferentes pontos de vista.

Fora os almoços e jantares compartilhados quando a grana estava curta para todos e as festas onde todos iam a pé e procuravam lugares grátis, como hostels por perto, onde juntávamos hóspedes e voluntários de toda a cidade!

Esses são os melhores momentos, como aqueles que você se dá conta de que está em uma roda com franceses, dinamarquesas, israelenses e toda a América do Sul tentando se entender, arriscando em um espanhol enrolado ou uma boa mimica.

Essa intensidade de conhecer pessoas de todos os lados do mundo é onde mora uma das magias de ser um Worldpacker.

Quem já sentiu isso alguma vez em uma viagem que, por favor, me conte via chat depois.

O interessante de viajar fora dos pais também é aprender um novo idioma, e por mais que não haja certificados para isso, aprender praticando com nativos é o que mais te habilita dominar a língua.

Eu consegui um avanço grande no espanhol, primeiro escutando uma conversa e tentando falar o mais básico que existe em uma língua, a educação: Buenos dias, buenas tardes, con permisso y gracias.

Logo me vi entre rodinhas de nativos tomando goladas de mate e rindo das mesmas piadas.

hóspedes e voluntários do Ananta Hostel em um roda de conversa

Ananta Hostel com certeza foi uma grande experiência, pois pude crescer em vários aspectos da minha vida, como por exemplo aprimorar algumas habilidades, construir outras novas, começar a enxergar possibilidades para cada situação, como ganhar dinheiro para seguir com a viagem quando a grana ficar curta e também trocar conhecimento com pessoas que começaram como Worldpacker agora e com os mais velhos de estrada.

Talvez alguma possa ser útil para você também, será um prazer compartilhar ideais.

As vezes temos oportunidades na frente de nossos olhos, mas o que aprendemos viajando é como lidamos com elas, qual agarramos e qual deixamos passar e também aprendemos que somos muito mais capazes do que imaginamos, independente dos costumes locais, da língua local e apesar de todas as diferenças.

Ser Worldpacker é isso, é melhorar onde já é bom, aprender com o novo, renovar o que é velho e encontrar o que existe de mais precioso até mesmo onde parece existir nada, pelo menos enquanto não experimentarmos se voluntariar para a vida.



Cc180e2c12cc5ad9a26df5835f312f52

Kayo

Pegue sua casa, transforme ela em uma mochila, coloque a coragem e alguma roupa de frio tambem, d...

+ Ver mais

Ago 23, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Kayo saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor