Quer uma passagem de até US$500 grátis?
Envie sua resposta até 31/07 e tenha a chance de ser premiado.

Quanto custa ir para os Estados Unidos legalmente e dicas de economia

Confira quanto custa para tirar o visto americano e quais são os tipos de vistos mais comuns. Saiba também como morar um tempo no país com visto de turista e gastando pouco.

Bárbara Nicoli

Abr 26, 2023

8min

Quanto custa ir para os Estados Unidos legalmente

Morar nos Estados Unidos é um sonho para muitos brasileiros. O país é conhecido por oferecer muitas oportunidades de trabalho e uma boa qualidade de vida. Porém, o processo para conseguir o tão sonhado Green Card (visto de permanência) é burocrático e bastante caro.

O que muitas pessoas não sabem, é que há outras formas de ir para os EUA sem precisar do Green Card. Nesse texto, vou explicar quais são e quanto custa para ir para os Estados Unidos legalmente. Confira!

Veja também:

Quanto custa ir para os Estados Unidos legalmente?

Qualquer pessoa que decide ir para os Estados Unidos precisa de um visto. Independentemente se você está indo a trabalho, estudos ou a passeio. Até para fazer escala no país é necessário ter um visto americano. O custo do visto varia entre 160 a 240 dólares.

Mas antes de saber exatamente quanto custa para tirar o visto americano, saiba quais são as principais categorias de vistos, que são solicitadas por brasileiros e por estrangeiros de diversas nacionalidades.


Prédios e bandeira dos EUA

Vistos para morar nos EUA

Existem mais de 50 tipos de vistos americanos, cada um com seus próprios requisitos e processos de solicitação. Citarei aqui embaixo os vistos mais comuns utilizados por brasileiros:

B1 e B2

Os vistos B1 e B2 permitem que cidadãos estrangeiros entrem no país temporariamente por motivos de negócios, turismo, visitas pessoais ou tratamentos médicos.

O visto B1 é destinado a pessoas que vão aos Estados Unidos para participar de negociações comerciais, feiras, convenções, conferências ou outras atividades semelhantes relacionadas a negócios.

Já o visto B2 é destinado para pessoas que vão aos Estados Unidos para turismo, férias, visitar familiares, amigos ou outros propósitos pessoais, tais como tratamentos médicos ou participação em eventos culturais e sociais. É considerado o visto mais comum.

Esses dois vistos dão o direito de estudar, mas apenas em cursos com carga horária reduzida. A duração de ambos os vistos geralmente é de 10 anos.

J1

O visto J1 é um tipo de visto para quem deseja realizar programas de intercâmbio educacional, cultural e científico no país. O visto é geralmente válido por até 12 ou 18 meses, dependendo do programa.

O visto J1 é destinado a estudantes, professores, pesquisadores, especialistas, trainees e outros participantes de programas de intercâmbio patrocinados por organizações governamentais, educacionais ou sem fins lucrativos. Esses programas podem incluir cursos de língua inglesa, programas de estágio em empresas, pesquisas acadêmicas, programas culturais ou esportivos, entre outros.

Além do programa de intercâmbio em si, o visto J1 também permite que os participantes possam trabalhar no país em algumas situações específicas, como para financiar sua própria estadia ou em situações onde o trabalho é uma parte integral do programa de intercâmbio.

F1

Diferente do visto J1, o visto F1 é destinado a estudantes que foram aceitos em alguma instituição americana. Incluem cursos acadêmicos em faculdades, escolas técnicas ou outras instituições de ensino nos EUA. O visto permite que o estudante permaneçam no país pelo tempo necessário para concluir seus estudos, geralmente por até 4 anos, podendo ser estendido em alguns casos.

Para obter o visto F1, os candidatos precisam ser aceitos em uma instituição de ensino americana aprovada pelo governo dos Estados Unidos. É necessário fornecer documentos que comprovem que o candidato é elegível para o programa, possui recursos financeiros suficientes para cobrir a estadia e  vínculos sociais e econômicos fortes em seu país de origem.

C1

O visto C1 é destinado a pessoas que estão viajando para um país estrangeiro, mas precisam fazer uma conexão nos Estados Unidos para chegar ao seu destino final. O visto permite que o titular permaneça nos EUA pelo tempo necessário para realizar sua conexão.

K1

O visto K1 é para pessoas que pretendem se casar com um cidadão americano e residir nos Estados Unidos. A obtenção do visto K1 pode ser complexa e demorada, e os candidatos precisam estar preparados para lidar com a burocracia e seguir todas as regras e regulamentações das autoridades de imigração americana durante todo o processo.

H1

Esse visto é usado por empresas americanas para contratar profissionais estrangeiros para um trabalho temporário no país, geralmente envolve as áreas de tecnologia da informação, engenharia, medicina e outras áreas especializadas.

Os titulares do visto têm permissão para trabalhar apenas para o empregador que patrocinou a solicitação de visto. Eles podem trazer suas famílias para os Estados Unidos, mas seus cônjuges e filhos não têm permissão para trabalhar no país, a menos que obtenham seu próprio visto de trabalho ou estudante.

L1

Esse visto é usado por empresas multinacionais para transferir funcionários para suas filiais nos Estados Unidos.

Existem dois tipos de visto L1: o L1A, que é para executivos e gerentes, e o L1B, que é para funcionários especializados. Os titulares de visto L1A podem trabalhar no país por até sete anos e os titulares de visto L1B podem trabalhar por até cinco anos.

Os titulares do visto L1 podem solicitar o visto de residência permanente (green card) se desejarem permanecer nos Estados Unidos após o término do visto L1.

EB5

O EB5 é um tipo de visto que permite que investidores estrangeiros e suas famílias se estabeleçam permanentemente nos EUA. Esse visto é uma opção popular para pessoas com recursos financeiros que desejam morar nos Estados Unidos.


Times Square, NY

Quanto custa morar nos EUA

Os custos de moradia, como aluguel, transporte, alimentação e outras despesas, variam de acordo com a cidade. Los Angeles, Chicago, Boston e Nova Iorque, por exemplo, são cidades com custo de vida altíssimo. 

A seguir, confira quais são os principais gastos que você deve levar em consideração ao morar nos Estados Unidos. É importante ressaltar que o salário mínimo no país, para quem trabalha 40 horas semanais, é de 1.276 dólares por mês. Contudo, a maioria das empresas costuma pagar mais do que o mínimo. Um garçom, por exemplo, recebe entre 12 a 22 dólares por hora trabalhada, enquanto o mínimo seria 7,25 por hora.

Aluguel

O custo do aluguel depende da região/cidade que você escolher morar. No coração de Nova Iorque, o aluguel pode chegar a custar 3 mil dólares por mês, mas nos bairros distantes, como Brooklyn ou Queens, você consegue encontrar aluguel pela metade desse valor. Isso vale para todos os grandes centros, o aluguel nos bairros mais afastados varia entre 1 a 2 mil dólares por mês.

Transporte

Em Nova York, o metrô é a forma mais popular de transporte público e o preço de uma passagem é de cerca de 2,75 dólares. Em outras cidades, como Los Angeles, o transporte público é menos utilizado e, por isso, um pouco mais caro, variando entre 1,75 e 3,25 dólares. A maioria das cidades oferece passes de transporte público semanais ou mensais, sendo uma opção mais econômica.

Alimentação

O gasto médio com alimentação varia entre 300 e 700 dólares por mês, depende muito do estilo de vida de cada um. Se você gosta de comer fora com frequência, especialmente em restaurantes mais caros, pode gastar mais dinheiro do que se preparar a maioria das suas refeições em casa.

Saúde

Nos Estados Unidos não existe um sistema de saúde gratuito como no Brasil. Portanto, é interessante contratar um seguro saúde. Os valores do seguro dependem da cobertura do plano, da idade do contratante e da localização geográfica, podendo variar de 100 a 500 dólares por mês. O seguro saúde não é obrigatório para entrar e/ou permanecer no país.

Outras despesas

Contas com luz, água e gás custam em média 140 dólares, enquanto internet e telefone podem custar até 60 dólares.

Agora que você já tem uma noção de quanto custa morar nos Estados Unidos legalmente, vou dar algumas dicas de como passar um tempo no país como morador gastando pouco. Confere aqui embaixo:

Como ir para os EUA legalmente pagando pouco

Você já deve ter feito as contas e observado que o custo com moradia nos Estados Unidos é alto. Uma maneira de economizar, e também de experimentar o dia a dia no país, é fazendo um trabalho voluntário nos EUA

Como voluntário, você não paga nada pela hospedagem e ainda ganha outros benefícios, como refeições e até passeios de graça, a depender de cada anfitrião. E a boa notícia é que você pode viajar com o visto de turista (B2) que é o mais fácil de conseguir e tem validade de 10 anos.

Nos Estados Unidos há mais de 100 anfitriões espalhados pelo país, desde projetos sociais, comunidades sustentáveis, hostels e até vinícolas. Confira aqui todas as oportunidades de trabalho colaborativo nos Estados Unidos.

O primeiro passo para ter essa experiência é se tornar membro da comunidade Worldpackers, que é a plataforma mais segura para viajar e fazer voluntariado. Depois, basta escolher uma das oportunidades disponíveis e entrar em contato com o anfitrião.

Em Big Bear Lake (CA), por exemplo, que é um dos destinos montanhosos mais famosos dos Estados Unidos, há diversos anfitriões que recebem voluntários. Como é o caso do ITH Hostel, que além da hospedagem, o anfitrião ainda oferece café da manhã e jantar. Em contrapartida, o voluntário contribui com 25 horas de trabalho por semana.


Voluntariado nos EUA

Gostou da oportunidade de ser um voluntário na Califórnia? Confere mais detalhes aqui.

Outra opção bem legal para fazer um trabalho voluntário nos Estados Unidos, é se hospedar na casa de um cidadão americano e ter uma imersão real no dia a dia de um nativo. Para quem quer morar no país, é uma chance de experimentar a rotina antes de se mudar definitivamente.

Em Miami, na Flórida, você pode ter essa experiência se hospedando na 'homestay' oferecida por Teddy. Ele oferece hospedagem gratuita em sua casa em troca de ajuda na cozinha e nas tarefas domésticas, como manter a casa limpa e organizada.


Voluntariado nos EUA

Aqui tem mais detalhes sobre o voluntariado na homestay em Miami

E para quem quer conhecer o Havaí, saiba que lá também existem vários anfitriões. Em Hilo, um dos destinos mais procurados da ‘big island’, você pode ajudar num pequeno hotel com as tarefas diárias, que variam de apoio na recepção, serviço de limpeza, lavanderia e ajuda no café da manhã.

Além de ganhar a acomodação no Havaí, o anfitrião ainda disponibiliza todas as refeições, e um ambiente privado para todos os voluntários. Bicicletas e pranchas de surf também ficam disponíveis para você utilizar a qualquer hora.


Havaí

Veja aqui mais informações sobre o trabalho voluntário em Hilo, no Havaí

Agora que você já sabe quanto custa morar nos Estados Unidos legalmente e como viver um tempo no país gastando pouco, que tal ler mais sobre planejamento na sua viagem? Assinando o plano pack na WP você tem acesso ilimitado a +120 cursos na Worldpackers Academy, a maior escola de viajantes para viajantes!



Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor

Mais sobre esse tema