TOP 10 roteiros de mochilão na América do Sul

Na dúvida de qual roteiro de mochilão fazer na América do Sul? Conheça todas as opções de roteiros (incluindo as rotas clássicas!) e comece a planejar sua viagem!


E56e2ad24ca6a189efd54a2cfcd71838

Raquel

Uma jornalista brasileira que escreve sobre pessoas. Eu viajo para conhecer histórias de vida e...

+ Ver mais

Set 10, 2018

10 roteiros classicos de mochilão na América do Sul

A América do Sul tem doze países. Países que apesar de compartilharem palavras, comidas e costumes têm suas características bem marcadas e um povo que lida com dificuldades diárias, mas nunca deixa de caminhar.

Você faz parte disso e conhecer melhor a América do Sul pode mudar sua vida. Se você, como eu, é apaixonado pelo nosso continente, vai encontrar aqui 10 roteiros (que podem ser feitos em 20 dias ou mais, dependendo do seu tempo), para escolher aquele que faz seu coração bater mais forte.

Somos parte do segundo maior continente do mundo, falamos português, castelhano, francês e até inglês, nas Malvinas, que por sinal, já deveriam ser da Argentina.

Aqui dançamos tango, samba, salsa, reggaeton e funk. Comemos feijoada, guacamole, tamales, carne e doce de leite. Pra onde mais você quer ir?

Plantamos de tudo e tínhamos tudo, até que fomos todos, colonizados. Antes que isso tudo pareça ainda mais um hino da URSAL, se liga nesses planos para sua próxima trip!

Os 10 Roteiros na América do sul para todos os tipos de mochileiro:

1. Roteiro Clássico

2. Roteiro das Emoções

3. Roteiro Tropical

4. Roteiro Gelado

5. Roteiro Cultural

6. Roteiro Balada

7. Roteiro Romântico

8. Roteiro Aventura

9. Roteiro Selvagem

10. Roteiro Gaúcho


mapa da América do Sul

Roteiro América do Sul #1: Mochileiro Clássico

  • Onde: Chile, Bolívia e Peru
  • Rota: San Pedro de Atacama, Uyuni, La Paz, Cusco, Ollantaytambo e Machu Picchu Pueblo
  • Tempo mínimo: 20 dias
  • Atrações: Deserto do Atacama, Salar de Uyuni e Ruínas Incas

Roteiro de mochilão por Chile, Bolívia e Peru

Ter uma foto em frente às Ruínas Incas de Machu Picchu, saltando no deserto do Atacama e segurando alguém na mão, em Uyuni, é praticamente um atestado de que você é mochileiro mesmo.

Tem gente que faz esta viagem reservando hotéis e alugando um carro. Nada contra, de verdade, mas assim você vai perder a experiência de dividir um quarto de hostel com gente do mundo inteiro, além da liberdade de ir adaptando um pouco seu roteiro conforme a onda do caminho.

Eu digo um pouco pela questão do tempo. Se você tem, por exemplo, 20 dias de viagem e quer conhecer todas estas atrações, vai precisar de um pouco de planejamento.

Começar pelo Chile e terminar no Peru é opcional, mas faz sentido para mim considerando que o Chile é o país mais caro e o Peru, é o que tem mais variedade de produtos e preços para fazer comprar.

Você não vai se arrepender de trazer alguns agasalhos e meias quentinhas de lhama para casa. Sendo assim, o deserto do Atacama é seu primeiro destino. Simplesmente a região mais árida do mundo.

As estações mais recomendadas são a Primavera e Outono, quando a amplitude térmica não é tão gritante. Embarque em um dos passeios para os Valles de La Luna e de La Muerte, para as Lagunas Altiplânicas, Piedras Rojas ou para o Salar de Atacama.

Já no Salar de Uyuni, você vai encontrar uma planície de sal impressionante. Entre dezembro e abril, as chuvas formam espelhos que refletem tudo que anda sobre o deserto.

Cusco, no Peru, merece alguns dias. De lá você vai visitar pequenas cidade com o contraste das ruínas incas e catedrais da colonização espanhola. Entre elas, as ruínas de Machu Picchu. “A cidade perdida dos Incas” é famosa no mundo todo e o ponto de encontro, de mochileiros, esotéricos, ufólogos e arqueólogos. Finalize sua viagem inesquecível entre ruas, escadarias e mistérios em mais de dois mil metros de altura.

Roteiro América do Sul #2: Mochileiro da Praia

  • Onde: Brasil
  • Rota: São Luís, Santo Amaro, Barreirinhas, Parnaíba, Barra Grande, Jericoacoara, Fortaleza e Canoa Quebrada
  • Tempo mínimo: 10 dias
  • Atrações: Lençóis Maranhenses, Delta do Parnaíba, Parque Nacional de Jericoacoara

Roteiro de viagem por Lencois Maranhenses, Jeri e Canoa Quebrada

Este roteiro é super conhecido por “Rota das Emoções” e é aquela viagem pra quem ama sol e sal. Você vai passar por três estados brasileiros: Maranhão, Piauí e Ceará. Começando por São Luís você vai:

  1. Se impressionar com as piscinas naturais em meio às dunas dos Lençóis Maranhenses
  2. Relaxar na rede, com a bunda no mar azul de Jericoacoara
  3. Terminar a viagem nas falésias multicoloridas de Canoa Quebrada

Evite a época entre Novembro e Janeiro. A ideia é chegar lá logo após as chuvas para nadar nas lagoas do Maranhão.

Essa rota foi criada em 2005, e pode ser considerada um bom resumo do Nordeste brasileiro. O kitesurf está muito presente nesta região, assim como passeios de barco e o mergulho. No Delta do Parnaíba, você pode ver mais de 70 ilhas, uma, inclusive, com restaurantes e pousadas.

Roteiro América do Sul #3: Mochileiro tropical

  • Onde: Equador e Colômbia
  • Rota: Quito, Quilotoa, Narino, Salento, Guatapé e Cartagena
  • Tempo mínimo: 15 dias
  • Atrações: Laguna Quilotoa, Santuário de Las Lajas, Mar do Caribe, Ilha Barú

Roteiro de viagem para Equador e Colômbia

Equador e Colômbia são países pouco divulgados pelas agências de viagem. Depois de digitar “Isla Barú” no Google, você, como eu, não vai entender o motivo disso.

Mas como usamos outros meios para fechar nossas trips, aqui vai uma ideia para sua viagem:

  1. Começando pelo Equador, conheça a Laguna Quilotoa, um incrível lago azul formado na cratera de um vulcão gigante. Construíram um mirante e a partir de lá é possível encontrar trilhas e passeios de barco em outras lagoas.
  2. O Santuário de Las Lajas, subindo, já no sul da Colômbia, se trata de uma linda basílica de pedra entre 12 mil hectares de mata preservada. Dentro, você vai encontrar uma imagem de Nossa Senhora do Rosário, e independente de religião, vai querer agradecer de estar ali.
  3. Chegue em Cartagena, uma atração à parte. Por mais que o mar, da cidade, não seja tão lindo quanto o que você vai conhecer na Ilha Barú, as casas coloridas de arquitetura colonial são muito fotogênicas. De dia, não faltarão passeios e a noite, conte com cervejas inesquecíveis, no centro histórico. Na Colômbia, você vai comer bem, com um preço bom e provavelmente fazer amigos mochileiros para algum tipo de viagem.

Roteiro América do Sul #4: Mochileiro do gelo

  • Onde: Chile e Argentina
  • Rota: Ushuaia, El Calafate, El Chaltén, Puerto Río Tranquilo e Bariloche
  • Tempo mínimo: 20 dias
  • Atrações: Tierra del Fuego, Torres del Paine, Parque Nacional Los Glaciares, Marble Caves e Bariloche

Itinerário pela Patagônia argentina e chilena

Totalmente diferente de qualquer paisagem do Brasil, a Patagônia, tanto do lado chileno, quanto do argentino, abriga montanhas, geleiras lagos e campos nevados. A ideia desta rota é:

  1. Começar por Ushuaia, a cidade mais austral do mundo.
  2. Conhecer Torres del Paine. O parque nacional chileno é normalmente explorado por um dia, a partir de Puerto Natales. Porém, existe um circuito de 4 dias, chamado “W” para encará-lo, você vai abrir mão de outras cidades do roteiro e se preparar muito para acampar no parque. A recompensa? Provavelmente as paisagens mais lindas da sua vida. A região é formada por uma combinação de montanhas nevadas, com lagoas gigantes refletindo o céu azul.
  3. Saindo do vilarejo de El Calafate, você vai conhecer o Parque nacional Los Glaciares com a maior geleira em extensão horizontal do mundo e Patrimônio Natural da Humanidade, Perito Moreno. Antes de finalizar seu mochilão comendo chocolate em Bariloche, a única coisa barata nesta cidade, que é cheia de oportunidades Worldpackers!
  4. Visite as alucinantes Capelas de Mármore, em Puerto Río Tranquilo. A estrada até lá faz parte da carretera austral, uma paisagem de outro mundo e para chegar as chamadas cavernas de mármore, é necessário navegar em um barquinho pelo lago General Carrera.

Roteiro América do Sul #5: Mochileiro cultural

  • Onde: Argentina, Bolívia e Perú
  • Rota: San Salvador de Jujuy, Tilcara, Humahuaca, Uyuni, Copacabana, Ilha do Sol, Puno, Ilhas Uros e La Paz
  • Tempo mínimo: 20 dias
  • Atrações: Purmamarca, Hornocal, Ilhas do Lago Titicaca

Roteiro para mochilão cultural

Nesta região, se celebra o Inti Raymi, festa do deus Sol e a festa da Mãe terra, Pachamama. Se você se interessa pela cultura tradicional dos povos originários como eu, esse roteiro é para você

San Salvador de Jujuy não é uma cidade muito bonita, mas é a partir dela que você vai descer do avião para conhecer o norte da Argentina!

  1. Tilcara é uma boa cidade para passar sua primeira noite, o Hostel Tierra Andina, que fica ao lado do terminal, é super buena onda. Eu que cuido do Insta deles! Conto como consegui este trabalho em outro post!
  2. No dia seguinte, quando acordar, a ideia é, visitar a montanha de 7 cores,e as salinas grandes, um mini Salar de Uyuni, no caminho para Purmamarca.
  3. Neste pueblito, “Purma” o passeio de Los Colorados, entre as montanhas coloridas, é imperdível.
  4. Um ônibus de menos de 25 reais te leva a próxima cidade subindo, Humahuaca. O Hostel Giramundo é minha sugestão. Se você puder, faça trabalho voluntário lá. Você vai conhecer o Hornocal, uma Serrania de 14 cores reconhecida recentemente como patrimônio paisagístico mundial pela UNESCO.
  5. No seu caminho para Copacabana, o imenso deserto de sal de Uyuni está no seu caminho, assim que te convêm, e muito, conhecer essa maravilha.
  6. Chegando mais próximo do Lago Titicaca, você terá a oportunidade de conhecer as ilhas flutuantes tanto do lado boliviano quanto peruano. A Ilha do Sol, especificamente, é conhecida como berço da civilização Inca e é onde você vai ouvir e conhecer as mais lindas lendas e histórias sobre esse povo. O norte da ilha, que dizem ser o mais lindo, está bloqueado para turistas. O Fechamento aconteceu depois de anos em conflito com a parte sul e uma tragédia em 2017, onde uma turista sul coreana foi assassinada na ilha. Se você tiver a oportunidade de conhecer a Bolívia e, especialmente, a Ilha do Sol, pode entender e escutar a população local. Será uma experiência além de cultural, humana e inesquecível.
  7. A partir de Puno, no Peru, você pode conhecer as ilhas artificiais flutuantes de Uros. São quase 90 ilhas e mais de 300 famílias que passaram da pesca e da caça para o turismo, como principal atividade econômica.

Roteiro América do Sul #6: Mochileiro da balada

  • Onde: Uruguai, Argentina e Chile
  • Rota: Punta del Este, Buenos Aires e Santiago
  • Tempo mínimo: 15 dias
  • Atrações: Arreche,Tequila, Hotel Conrad, Kika Club, Bairro Vitacura

Roteiro de mochilão para quem curte festa e balada

Se você é de sair para uma cerveja e só voltar no outro dia, Punta del Este é seu lugar. E seus pontos turísticos:

  1. Pub Moby Dick, La Punta, com vista para a baía
  2. Balada Tequila, La Barra
  3. Balada Arreche, La Barra

No Uruguai, você pode ir a cassinos, como o do Hotel Conrad e se gostar do agito de lá, estique sua viagem fazendo trabalho voluntário em Punta del Este.

Balada na Argentina se chama “Boliche” e não tem um que comece antes da meia noite por lá. Na verdade, meia noite é a hora que as “prévias”, que seriam nosso “esquenta” estão começando. Se entra na festa mesmo lá pras 3 da manhã e as 7 começa o after da balada. Acredite se quiser, as 3 da tarde, rola o after do after.

A Kika é um boliche na rua Honduras, 5339 em Palermo para dançar muito cachengue e Reggaeton. Depois, é só procurar o tipo de festa que você mais curte, eletrônica, cumbia, pop… Você vai encontrar na Av. Costanera.

Em Santiago do Chile, está a balada gay mais antiga da América Latina, se chama Fausto e fica na Av Santa María, Providencia. Os bairros mais boêmios são Nunoa e Brasil, lá você poderá desfrutar de uma noite com música ao vivo, com artistas e mochileiros de todo o mundo entre bons vinhos. Para uma noite de mais festa, vá para o bairro Vitacura, perto da avenida Tabancura.

Roteiro América do Sul #7: Mochileiro romântico

  • Onde: Chile e Argentina
  • Rota: Mendoza, Santiago, Pucón e Bariloche
  • Tempo mínimo: 10 dias
  • Atrações: Rota do Vinho em Maipu, Valle Nevado, Circuito Chico

Roteiro América do Sul para casais

Qualquer paisagem da viagem vai se tornar uma parada romântica com um piquenique regado aos vinhos locais. Mendoza é uma das maiores produtoras de vinho do mundo.

As bodegas Mendocinas são para comer bem e fazer degustações. Elas ficam espalhadas, a uns 30 minutos da cidade. As regiões de Lujan de Cuyo, Maipú e Uco Valley são as principais da Rota do Vinho. é possível fazer de bicicleta, alugar um carro ou em excursões.

Santiago também pode ser um destino romântico. Entre os passeios a dois estão:

  1. Pistas de esqui como a do Valle Nevado
  2. Vinícolas Concha e Toro de Santiago
  3. Uma das casas de Pablo Neruda, a casa museu “La Chascona”
  4. Vistas panorâmicas dos Cerros San Cristóbal e Santa Lucía
  5. Viagem até as cidades de Viña del Mar e Valparaíso

Já em Pucón, você vai conhecer o vulcão Villarrica, que teve sua última erupção na década de 80. Um dos mais lindos pontos turísticos do Chile que pode ser avistado de todas as partes da cidade.

De volta a Argentina, conheça Bariloche, uma cidade que recebe milhares de casais de lua de mel e tem muitas opções de passeios românticos.

Uma delas é o Circuito Chico, que sai do centro de San Carlos pelo lago Nahuel Huapi passando pelo Cerro Campanário, pela Capela San Eduardo entre outros atrativos.

Roteiro América do Sul #8: Mochileiro da aventura

  • Onde: Brasil e Paraguai
  • Rota: Corumbá, Bonito, Foz do iguaçu e Encarnación
  • Tempo mínimo: 15 dias
  • Atrações: Pantanal, Gruta do Lago Azul, Aquário Natural, Cataratas do Iguaçú e Ruínas da Santíssima Trindade do Paraná

Roteiro aventura para Foz do Iguaçú e Pantanal
  1. Corumbá é sua primeira cidade, se você for um mochileiro que topa aventuras. De lá, você terá a oportunidade de conhecer o Pantanal. Na Estrada Parque você vai encontrar jacarés, pacas, capivaras, macacos e quem sabe, uma onça pintada. Da cidade saem tours noturnos, chamados “Focagem”, para seguir encontrando animais. De dia, passeios de barco e cavalgadas te esperam. A região do Pantanal conta com 150 mil quilômetros alagados na época de chuvas no Rio Paraguai.
  2. Bonito, uma cidade rodeada de grutas, rios, serras e parques. Lá você poderá fazer uma flutuação, enquanto é acompanhado por muitos peixes, em uma água transparente. Além das trilhas do Parque Nacional, conheça a Gruta Azul. Uma caverna cheia de estalactites com uma lagoa de cor azul intensa dentro.
  3. As Cataratas do Iguaçu estão na fronteira entre o Brasil, Paraguai e a Argentina. A principal atração é a Garganta do Diabo, uma queda com tanta força que surpreende todos os seus visitantes, independente de sua nacionalidade.
  4. Encarnación, a terceira cidade mais importante do Paraguai, junta praia e carnaval. Lá você vai visitar as ruínas das missões jesuíticas da Santíssima Trindade do Paraná, de Jesus de Tavarangué, o único Patrimônio da Humanidade pela UNESCO do Paraguai.

Roteiro América do Sul #9: Mochileiro selvagem

  • Onde: Peru e Equador
  • Rota: Lima, Banos e Quito
  • Tempo mínimo: 20 dias
  • Atrações: Parque Nacional Cotopaxi, Balanço do fim do mundo, Galápagos


  1. O vulcão mais alto entre os ativos do mundo se chama Cotopaxi e fica no Equador, em um Parque Nacional que leva seu nome e tem, cerca de outros 80 vulcões. A vista é impressionante, e a chamada “Avenida dos Vulcões”, do parque, é a razão de muita gente escolher visitar o Equador. É possível acampar no parque, além de fazer uma banda de trilhas e inclusive de mountain bike. Tudo isso a só 60 km da capital.
  2. Baños, fica entre os Andes e a Amazônia e é onde você vai conhecer o “balanço do fim do mundo” preso em uma casa de árvore e projetado sobre um abismo a 2.660 metros de altura. O balanço é aberto ao público, que pode ter uma visão privilegiada do vulcão Tungurahua, em troca um pouquinho de coragem.
  3. Já imaginou ir pra Galápagos? Isso mesmo, o arquipélago da teoria da evolução de Darwin. É mais caro que o resto do equador, é uma viagem diferente, mas é possível.

Você pode chegar ao arquipélago por dois aeroportos, Baltra e San Cristóbal, partindo de Quito. A passagem custa, em média, 1.800 reais, mas vira e mexe tem promoção. Lá, se usa o dólar e eles cobram algumas taxas. Brasileiros pagam mais ou menos 300 reais chegando no aeroporto de taxa local + taxa de controle de trânsito. Quem não vem do Mercosul paga mais. Cardumes de peixes coloridos, tubarões e tartarugas te esperam!

Li relatos de hospedagem por menos de 60 reais e o almoço, menos de 20. A maioria dos visitantes, Americanos e Europeus, opta por fazer um cruzeiro por lá, mas eu não faria.

Além de muitas coisas de graça para fazer, como mergulhar de snorkel, caminhar e ver animais diferentes de todo os outros, dá pra contratar passeios específicos e gastar menos. Das dezenas de ilhas vulcânicas que formam o arquipélago, apenas quatro são habitadas, Santa Cruz, San Cristóbal, Isabela e Fernandina.

Roteiro América do Sul #10: Mochileiro Gaúcho

  • Onde: Brasil
  • Rota: Florianópolis, Serra do Rio do Rastro, Aparados da Serra e Gramado
  • Tempo mínimo: 20 dias
  • Atrações: Praia Mole, Ilha do Campeche, Cânion do Laranjeiras, Cânion do Itaimbezinho, Gramado.


  1. Floripa, para os íntimos, é uma incrível combinação de cidade, praia e montanha. Tem muita rolê para fazer de bicicleta, trilha pra subir e um centro histórico. As praias são lindas, de norte a sul e de leste a oeste, mas entre as mais faladas estão a Praia Mole, a da Galheta, Joaquina e o passeio a Ilha do Campeche, sul da ilha. Vai ser muito difícil se despedir de Florianópolis, e se por acaso, você decidir ficar mais um tempinho por lá, tem muita oportunidade de voluntariado!
  2. Passando pela Serra do Rio do Rastro, você vai querer tirar uma foto das serranias com muito verde e cachoeiras desde a estrada. Você vai encontrar mirantes, vinícolas e cânions, como o do Laranjeiras. Mas falando em cânions, você está viajando para o Parque Nacional de Aparados da Serra, na divisa natural entre Santa Catarina e Rio Grande de Sul. Referência nacional, em termos de cânions.
  3. A atração principal é o Cânion do Itaimbezinho, com largura máxima de 600 metros e altura, de 720. Além de três trilhas abertas ao público, entre a mata atlântica, florestas de araucária e pampas gaúchos.
  4. Gramado é a cidade para encerrar seu mochilão. Seja qual for a data que você chegar por lá, vai estar rolando algum evento como o Natal Luz, a Chocofest, a Páscoa, e o Festival de Cinema. 

Já pensou em ser worldpacker na América do Sul?

Todos esses roteiros podem ser feitos conciliando o trabalho voluntário em hostels, projetos sociais ou projetos ecológicos. A diferença é o tempo, já que, dependendo da oportunidade, você precisar ficar um pouco mais de tempo no lugar.

Se a grana estiver curta ou ainda, você estiver sem tanta pressa, voluntariar pelos lugares que você passa é com certeza A melhor opção.

Independente da sua viagem, minha sugestão é começar igual, ou seja, escolher entre estes dez roteiros aquele que mais reflete a sua personalidade.

Caso decida ir como worldpacker, a diferença está que, depois de escolher o roteiro, você vai procurar a oportunidade perfeita de voluntariado na cidade principal.

A maioria das propostas que você vai encontrar na Worldpackers são para colaborar por 15 dias, mas você também encontra oportunidades para ficar menos tempo e outras para ficar bem mais. No perfil de cada vaga, você sempre consegue encontrar o tempo mínimo e máximo que você pode ajudar.

Assim, além de fazer um montão de amigos, desenvolver uma habilidade e ter uma experiência local, você ainda tem dias sem tarefas nenhumas que pode usar para visitar uma ou mais das atrações do seu roteiro pela América do Sul!

Espero de verdade que estas ideias de roteiro tenham sido úteis para o planejamento do seu Mochilão pela América do Sul. Qualquer dúvida ou sugestão, vou adorar receber aqui nos comentários do artigo. Ou me envie uma mensagem aqui pela Worldpackers mesmo que respondo o quanto antes!

Também te espero nas redes sociais do meu projeto de jornalismo de viagem chamado Sola no Mundo! Lá você vai encontrar muito conteúdo da minha última viagem, até o norte da Argentina! 


E56e2ad24ca6a189efd54a2cfcd71838

Raquel

Uma jornalista brasileira que escreve sobre pessoas. Eu viajo para conhecer histórias de vida e...

+ Ver mais

Set 10, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Raquel saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor