Seja voluntário, economize e relaxe em Marrakech

O hostel em que voluntariei é um dos mais procurados por voluntários da Worldpackers e ajuda viajantes com acomodação e três refeições por dia, então a viagem sai quase de graça!


9dab9cd78fcfca1d3fa0756014a19ab9

Lisiane

Historiadora e jornalista, resolvi dois meses antes de completar meus 30 anos, partir para uma av...

+ Ver mais

Nov 07, 2018

Monumento histórico e turístico de Marrakech

Marrocos estava na minha lista  de países a visitar por dois motivos: o destino não é tão caro e tem vagas interessantes.

Fiz dois trabalhos voluntários no país, um deles no Equity Point Hostel, em Marrakech, que, além de ter muitos reviews que ajudam aos interessados a ter noção da experiência de outros voluntários, tem ainda a oferta de três refeições e acomodação, o que significa uma considerável economia.

Ao procurar por essa vaga, o hostel vai estar na categoria de Top Host não por acaso! 

O gerente decidiu receber worldpackers há cerca de quatro anos, foi um dos primeiros a disponibilizar vagas na plataforma, por isso já recebeu muitos viajantes focados em explorar novos destinos, economizar durante as viagens e poder desenvolver novas habilidades.

1. O trabalho

Fiquei seis semanas voluntariando no hostel. Esse é o tempo mínimo exigido, ideal para que o voluntário possa aprender e desempenhar com desenvoltura a função que lhe é dada.

Trabalhei cinco horas por dia, durante seis dias da semana, com um day off. A folga pode ser acumulada, principalmente por aqueles que pretendem viajar para outras cidades, eu fiz isso para ter mais tempo de visitar e aproveitar outros destinos no Marrocos.

A maioria dos voluntários ajudam na cozinha do restaurante do hostel durante o café da manhã, essa também foi a minha função. Eu ficava durante a manhã ajudando no café da manhã, repondo itens do buffet e lavando pratos. Tinha um intervalo de duas horas e concluía as minhas horas de trabalho durante o almoço, ajudando a organizar mesas e servindo drinks e refeições aos hóspedes.

O trabalho é simples, na maior parte do tempo também é tranquilo, mas claro  que tinha dias mais intensos, quando, por exemplo, havia grupos para café ou almoço, porém nada que fugisse da rotina de atividades.

2. Comunicação

Com exceção do gerente que é espanhol, todo o staff é marroquino e naturalmente fala árabe e francês, que é a segunda língua do país. Alguns falam inglês e uma das gerentes também fala espanhol, então não tive problemas por falta de comunicação.

A experiência é uma oportunidade de aprender um pouco do  árabe marroquino que é um pouco diferente do árabe clássico.

3. Estrutura


Estrutura do hostel 

O quarto para os voluntários têm camas confortáveis e banheiro. Além do café da manhã, almoço e jantar que são servidos gratuitamente e fazem parte do menu do restaurante. Uma garrafa grande de água é disponibilizada diariamente, mas bebidas alcoólicas e refrigerantes são pagos.

Com uma estrutura grande e charmosa, típica de um riad, o hostel tem vários ambientes comuns que podem ser usadas por hóspedes e voluntários, como sala de descanso, ver o pôr do sol no rooftop e a piscina.

4. Localização

A medina de Marrakech por si só é uma atração, se combinada com as diferentes lojas e restaurantes, fica ainda mais interessante para os visitantes. O hostel está dentro da medina e facilita bastante o acesso para outras áreas turísticas como a praça Jemaa el Fna, que reúne um pouco da cultura marroquina em diferentes apresentações.



9dab9cd78fcfca1d3fa0756014a19ab9

Lisiane

Historiadora e jornalista, resolvi dois meses antes de completar meus 30 anos, partir para uma av...

+ Ver mais

Nov 07, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Lisiane saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor