Viagem para a Europa: lista definitiva de 60 dicas para mochileiros

Um Guia Colaborativo feito por viajantes experientes com 60 dicas essenciais de como economizar, o que fazer, onde ir e choques culturais para sua próxima viagem para a Europa.


Ea3dc39ca0b2f6b5f17abddec1f0e9a4

Allan

I'm on a lifetime mission to forge a future of sustainability, equality, altruism & fulfillment. ...

+ Ver mais

Set 27, 2018

PARK GÜELL Barcelona Spain

A Worldpackers é uma comunidade que valoriza acima de qualquer coisa a colaboração.

É através da colaboração (e da troca de habilidades por hospedagem), que os viajantes da comunidade conseguem ficar mais tempo pelos lugares que passam, ter uma troca cultural com moradores locais e, portanto, uma imersão autêntica por onde passam.

Por ficarem mais tempo viajando e conhecerem a fundo a essência de cada destino, os e as viajantes worldpackers costumam saber tudo de melhor (mais autêntico, preço justo, lugares que você tem que conhecer!) sobre cada região. 

Pensando nisso, nós viajantes juntamos todas as dicas de viagem para a Europa indispensáveis para quem busca fazer uma trip inesquecível, autêntica e sem gastar dinheiro à toa.

Dicas para economizar na viagem a Europa


Mercado de rua em Paris, França

1. Use a Ryanair

Deixe a Ryanair decidir pra onde e quando você vai. Se você tem uma agenda e mente abertas, talvez valha a pena pagar 35 euros pra visitar um lugar que você nunca tinha imaginado antes, só lembre-se de checar os outros aspectos da viagem pra decidir se vale ou não a pena financeiramente falando. Nesse mapa de rotas você coloca o ponto de partida e conseguirá ver quais são as passagens mais baratas e pra quando.  - Dica da Yara Alves

2. Passes de trem

Na Suíça, por exemplo, o trem é extremamente caro. Tem um passe, chamado Tageskarte, que os suíços usam e dá direito de andar por várias estações específicas de graç. Você paga um valor pelo passe e pode andar quantas vezes quiser em várias estações. - Dica do Wallace Fonseca

Na região da Bavária, no sul da Alemanha, se você comprar um bilhete de trem para algum lugar dentro da Bavária, esse bilhete te dá direito a pegar ônibus de rraça até as 3 da manhã do dia seguinte. - Dica da Morgana Ruppenthal

3. Viajar de trem pela Europa sai mais caro

Você até pode ir de trem entre as cidades/países para ter a experiência (já que são paisagens surreais), mas trem é a opção mais cara na maior parte das vezes, até mais que passagem de avião, já que aqui tem a Ryanair com promoções de passagem (que às vezes sai até por 10€!) e o site Azair.com, que informa diversas rotas com os melhores preços. - Dica da Luana Recchia

4. Cozinhe sua própria comida

Considerando que as despesas com alimentação estão entre os maiores gastos durante uma viagem, a dica para economizar é preparar suas próprias refeições no hostel, por exemplo, ou realizá-las longe de pontos turísticos. Preparando as próprias refeições o viajante consegue ainda pesquisar por mercados com melhor preço antes de fazer suas compras. Essa pesquisa inclui conversar com outros viajantes que já estão há mais tempo no lugar. - Dica da Aline Antunes

5. Vá à feira

Comprar frutas, legumes, verduras e carnes na feira costuma ser bem mais barato do que comprar no supermercado. Dessa forma além de economizar com restaurantes, você economiza no mercado. Feiras são muito comuns em praticamente todas as partes da Europa, você só tem que descobrir onde é a mais próxima da sua acomodação. Algumas cidades tem feiras fixas e quem está vendendo é o próprio agricultor. Essa ainda é uma boa forma de entrar em contato com a população local! - Dica da Camila Agostinho

6. Vá em mercados menos conhecidos

Uma dica para economizar com alimentação, por exemplo, é cozinhar no seu próprio hostel (ou airbnb, couchsurfing etc.). Por mais que você não saiba cozinhar muito bem, você sempre encontra comidas congeladas deliciosas, nutritivas e baratas em supermercados. É bom se ligar também no tipo de mercado e nas feiras livres! Na Holanda, por exemplo, optei pelos supermercados menos conhecidos (tipo o Aldi) do que os famosos da região (Albert Heijn). E não perdia as feiras livres de vegetais no Markhal (vários alimentos por 1 euro!). Outra coisa que funciona é você fazer as compras de comida com algum amigo durante a sua viagem. Vocês dividem os custos e comem juntos! - Dica da Mariana Paranhos

Na França, por exemplo, mesmo as comidas congeladas são uma delícia e tem preços muito acessíveis em supermercados. Eu amo água com gás e lá, por exemplo comprava uma das mais caras aqui no Brasil por bem menos de 2 euros. Já na Inglaterra, lanche natural no supermercado eu já cheguei encontrar por 0,75. É libra, mas eu nunca acharia no Brasil um lanche natural por 0,75. - Dica da Viviane Oliveira

Comendo em supermercados, as suas opções não ficam só nos snacks pois a maioria deles tem uma área em que são servidas comidas prontas, no estilo buffet, e ainda assim o preço é bem mais amigável que nos restaurantes. - Dica da Leticia Usanovish

7. Água na faixa!

Na Europa em geral, a água da torneira é potável. Ande sempre com uma garrafinha e encha no hostel antes de sair :) Outra dica também é no restaurante pedir “tap water”, que eles te trarão um copo de água sem custo. Se disse só “water”, trarão uma garrafinha que provavelmente custa uns 2/3 euros. - Dica da Marla Cruz

Em quase todos os lugares da Itália, especialmente Roma, há fontes de água potável espalhadas pela cidade onde você pode encher sua garrafinha de graça. - Dica da Morgana Ruppenthal

8. Cerveja boa e barata

Uma boa vantagem de viajar como worldpacker é conhecer locais ou pessoas que moram há um tempo nos lugares. Enfim, aquelas pessoas maravilhosas que sabem onde a cerveja é barata! haha Em Leeds, por exemplo, no lindo coffeshop Wapentake, todas as terças-feiras, o pint custa 2 libras o dia todo. Um bom dia para sentar no sofazinho do segundo andar ou, quando estiver sol, sentar na varanda, e curtir o final de tarde com amigos. Na Espanha, o 100 Montaditos já é uma lugar relativamente barato mas às quartas e domingos, todas porções do menu e os chopps custam 1 euro. - Dica da Marla Cruz

Em Barcelona, todos vão ao Park Guell para visitar a parte turística do Gaudí e às vezes nem sabe que tem um parque verde gigante e lindo atrás. - Dica da Amanda Bernardes

9. Vinho bom e barato

Vinhos na Itália são muito mais baratos no mercado. E não deixam nada a desejar na qualidade. Você encontra vinhos produzidos na região da Toscana nos supermercados de Milão facilmente por volta de 2 euros, por exemplo! - Dica da Leticia Usanovish

10. Almoço completo por 7 Euros

Em Lisboa, quase todos os restaurantes oferecem no almoço um menu completo por €7 com entrada, prato principal, sobremesa, vinho (ou outra bebida) e café. - Dica da Morgana Ruppenthal

11. Jantar na faixa!

Na região da Andaluzia e em algumas cidades como Madrid (em alguns lugares) e Leon, quando você pede uma bebida nas casas de tapas, as tapas são por conta da casa. Geralmente a cerveja, sangria ou tinto de verano custam €2. Umas três bebidas podem garantir seu jantar na faixa! - Dica da Morgana Ruppenthal

12. Snacks por 0,30 Euros

Ficou com fome em Malta mas não para uma refeição completa? Em quase toda esquina tem umas mini padarias que vendem fatias de pizza, empadas e algo que eles chamam de cheesecake que eh um pãozinho salgado com queijo cremoso dentro e custa apenas €0,30. - Dica da Morgana Ruppenthal

13. Aproveitar combos em lojas de 1 euro/pound

Em lojas como como Dealz e Poundland, é muito comum encontrar packs de bons produtos com desconto, que vão desde itens para higiene até biscoitos e doces. Além disso, essas lojas oferecem os Meal Deals - combos com bebida, snack e lanche/salada por preços bem acessíveis. Economizei bastante fazendo compras do dia a dia nessas lojas. - Dica da Carol Persan

Tem lojas como as de R$1,99 aqui do Brasil em Berlim. Comprei shampoo de boa qualidade por 1 euro, há também próximo a Alexanderplatz brechó (enorme) com roupas de qualidade e preço em conta. - Dica da Marina Alves

14. Museus gratuitos

Como eu sou a louca dos museus, eu sempre tento pesquisar o dia em que o museu é gratuito ou tem um valor promocional, e assim tento conciliar minha ida com isso. Muitos atrações famosas pela Europa são gratuitas no primeiro domingo de mês em certas épocas do ano. O Museu do Louvre em Paris, por exemplo (cuja a entrada custa 18 euros), é gratuito de outubro a março. Programe-se para chegar cedo e evitar aquela filinha básica. O Museu do Prado, em Madrid, é gratuito de segunda a sábado das 18h às 20h e domingo das 17h às 19h. Assim como o Reina Sofia (um dos que mais gostei, com o maravilhoso Guernica do Picasso) gratuito às segundas, quintas, sextas e sábados das 19h às 21h, e aos domingos das 13h30 às 19h. Outro bom exemplo é na Bélgica, onde as primeiras quartas-feira do mês, todos os museus são gratuitos. - Dica da Marla Cruz

15. Chip com número local

Em Malta, por exemplo, se comprar um chip com número local (Maltise number), é possível usar wifi de graça em todo o país. O melitawifi é gratuito e ajuda a economizar e não gastar com créditos para telefone. - Dica da Lisi Martins

16. Descontos para menores de 30 anos

Se você tem menos de 30 anos, sempre pergunte por reduções de preço na hora de comprar entradas de atrações turísticas e bilhetes de transporte. Menores de 25 anos têm ainda mais chances de se beneficiar dos desses descontos, que costumam ser em torno de 20%. - Dica da Estela Badajoz

17. Planeje-se com antecedência

Muita gente gosta de ter uma viagem mais livre e ir escolhendo na hora, mas tem que ter a consciência de que pode-se gastar mais. Na Espanha, por exemplo, viajei por 1 mês nesse esquema de decidir na hora e comparei com uma amiga que coincidentemente fez o mesmo caminho que eu. Enquanto eu pagava 30€ em cada passagem, ela tinha pago 10€ planejando alguns meses antes. - Dica da Amanda Bernardes

18. Use os melhores apps europeus

São 34 apps de viagem que vão te ajudar ter uma viagem ainda melhor, além de te fazer economizar dinheiro e tempo. - Dica da Fernanda Aidar

19. Faça work exchange ou voluntariado

Você pode economizar na hospedagem e alimentação voluntariando em hostes, ONGs ou projetos ecológicos na Europa. E ainda ajudar outras pessoas na sua viagem.

Quer mais conselhos para gastar pouco na sua viagem para a Europa? Veja a lista completa de 58 dicas e hacks para viajar quase de graça feita por outros worldpackers da comunidade.

Coisas que você tem que fazer


trem na estação de Frankfurt na Alemanha

20. Viaje de trem pela Europa

  • Se você pretende ficar 1 ou 2 meses viajando, e nesse tempo pensa em passar por cidades grandes, talvez você possa viajar utilizando trens de longa distância. Se você planejar fazer isso cerca de 5 ou 10 vezes nesse período, compre um Eurail pass. Ele te dá a possibilidade de pegar trens como esse escolhendo quantos dias e em qual período de tempo por um preço que vale muito a pena- Dica da Yara Alves

21. Voluntarie em grandes eventos e festivais

Quer ir ao Tomorrowland ou aos Jogos Europeus de Inverno? E se eu te dissesse que, caso decida voluntariar por alguns dias (numa função que você provavelmente vai poder escolher), há grandes chances de você conseguir ingressos pra curtir o evento em dias livres? A maioria desses eventos na Europa prevê um time de voluntários e eles normalmente são recompensados com alimentos, bebidas, transporte, uniforme ou ingressos (ou às vezes um combo com tudo isso, depende bastante). Pra isso, visite a página do evento que você quer ir e procure pela parte de voluntários. Se não houver, mande um e-mail espontâneo dizendo sobre a sua vontade em ajudar. Assim, além de não pagar pelos ingressos, você vai estar ajudando a fazer acontecer o evento que você gosta. - Dica da Yara Alves

22. Vá a um clube naturista

O norte da Europa é conhecido pelas temperaturas baixas e muitas roupas, mas isso não quer dizer que todo mundo gosta de ter o corpo coberto o tempo todo. A onda de liberação dos corpos das décadas de 70 e 80 abriu portas pra um gigante grupo de pessoas que quer normalizar a relação com o corpo, principalmente em países do norte da Europa Ocidental, então é bem comum você encontrar clubes naturistas em países como Alemanha, Suécia, Noruega, Bélgica e Holanda. São clubes com piscinas, saunas, áreas de convivência e restaurantes. Lá, você vai encontrar grupos de amigos, casais e famílias (crianças também). As regras são claras: todos nus e sem interação física. O objetivo é curtir um dia de piscina sem o pudor da roupa. Atitudes que incomodem as outras pessoas (principalmente de cunho sexual) não são toleradas e quem o faz é convidado a se retirar, então o ambiente é descontraído e tranquilo. - Dica da Yara Alves

23. Vá na virada cultural europeia

Existem muitas viradas culturais na Europa, e é muito provável que você acabe esbarrando em alguma durante a viagem. Eu tive a oportunidade de conhecer a Culture Night, em Dublin, e um festival local de música em Roterdã. Esses festivais são gratuitos e rola muita coisa legal: de dança contemporânea na fachada de um prédio até shows particulares de bandas indie em um hostel. A parte mais legal dessa experiência é conhecer artistas locais. - Dica da Carol Persan

24. Vá a um jogo de futebol

Na Inglaterra, o país onde nasceu o futebol, gosto muito da experiência de ir ao estádio e torcer para um time. Os ingleses são muito fervorosos no que diz respeito ao seu time. Em Liverpool, além das atrações relacionada aos Beatles super famosas, aconselho ir ao jogo do Liverpool Fc e ter a experiência de cantar (ou só ouvir rs) “You’ll never walk alone” junto com as 50 mil pessoas apaixonadas pelo time que estarão por lá. É de arrepiar! Dica: Ir a um jogo na Inglaterra, apesar de um pouco caro, sempre lota por conta da carteirinha de fã dos torcedores do time (como o sócio torcedor aqui do Brasil). Aconselho entrar nos grupos de Facebook e tentar o ingressos de torcedores membros que compram (muitos para manter os pontos acumulados e gerar benefícios), mas não podem ir e vendem pelo preço real pago ou até mais barato para não morrerem com o ingresso na mão. Diga não aos “scummers”, como eles chamam, os famosos “cambistas” que vendem por um preço altíssimo. Dica da Marla Cruz

25. Pule de Bungee Jump

Na Croácia, na cidade de Zadar, pule de Bungee Jump com a Izivov Tours com direito a certificado haha E, na Suíça, fazer um Paragliding em Interlaken. Fiz no inverno e a vista é demais, mas no verão deve ser indescritível! - Dica do Wallace Fonseca

Lugares que você tem que conhecer


Prédio na cidade de Rotterdam, na Holanda

26. Alemanha

Se for ao sul da Alemanha no verão não pode deixar de ir em um lago chamado Chiemsee. Saindo de Munique de carro você chega em 1h20, tem um pôr do sol incrível e a água estupidamente gelada. É uma delícia para levar snacks e passar o dia tomando sol e curtindo o verão europeu. Eu sugiro que você leve uma sapatilha aquática, se tiver, porque todo o solo tem mini pedrinhas que podem doer o pé. Mas se não tiver tudo bem, porque é uma dorzinha bem suportável, nada que vá te desmotivar a curtir o lago. - Dica da Fernanda Aidar

27. Austria

Em Kitzbühel e St Johann im Tyrol, tem sempre feira nas terças e sábados. Com comidas típicas, roupas, enfeites, são um ótimo lugar pra conhecer e viver a verdadeira cultural local. - Dica da Marina Alves

28. Bélgica

Ghent e Antuérpia são cidades relativamente grandes e lindas e não tão turísticas, como Bruxelas e Bruges. Na Antuérpia, o Museum Aan de Stroom é pago (a primeira quarta-feira do mês é gratuito) mas você pode subir até o terraço onde tem uma vista 360 graus da cidade.

Outros points na cidade: A ponte Parkbrug que conecta Eilandje ao parque Spoor Noord e ver o pôr do sol do rio Escalda, que nasce no norte da França, passa pela cidade e vai até os Países Baixos. Super romântico! - Dica da Marla Cruz

Quem vai a Brugge geralmente faz um bate e volta de Bruxelas ou fica apenas um dia, mas se você cair de amores pelo lugar, pela comida, pela cerveja e ficar por lá 3 dias como eu, vale alugar uma bicicleta e pedalar até Damme, uma cidadezinha próxima, o caminho é lindo, com pôneis e moinhos de vento. - Dica da Morgana Ruppenthal

Em Leuven, você tem que passar uma noite nos bares da Oude Markt. O clima é vivo, cheio de gente feliz e sempre tem oportunidade de conhecer gente nova. - Dica da Sabrina Kamenetz

29. Bósnia e Herzegovina

Para quem quer ver algo bem diferente, que com toda a certeza nunca vai encontrar no Brasil, Sarajevo é um ótimo destino. A cidade foi a anfitriã dos Jogos Olímpicos de Inverno de 1984, então é possível visitar algumas das estruturas construídas para o evento. Vale lembrar que a Bósnia Herzegovina viveu a guerra mais sangrenta da Europa após a 2ª Guerra Mundial, há pouco mais de duas décadas. Ou seja, as pistas de bobsleigh, ski e outros esportes foram totalmente abandonadas e não estão em operação hoje em dia. Isso deu espaço para muitos grafiteiros deixaram sua arte por ali, o que deixa o passeio ainda mais interessante. - Dica da Camila Agostinho

30. Croácia

Em Zagreb, existe um museu diferente e muito interessante, chamado The Museum of Broken Relationships, onde estão expostos objetos que simbolizam esses relacionamentos desfeitos e cartas contando sua história. O acervo é enorme e atualizado de tempos em tempos. Na parte mais turística da cidade, existem inúmeros restaurantes onde você pode comer (às vezes 4 ou 5 tipos diferentes de carne no mesmo prato) por € 5-7. - Dica da Morgana Ruppenthal

31. Dinamarca

Vale dar uma esticada de Copenhague até Helsingor (menos de 1 hora de carro ou trem) para visitar Kronborg, o castelo que inspirou Hamlet. Fica à beira do Mar Báltico e de lá é possível ver a Suécia. No porão, onde você precisa de lanterninhas (que podem ser compradas em máquinas como de refrigerante), você encontra Holger Danske, um símbolo mitológico do país, um viking dormindo que, segundo a lenda local, irá acordar quando o país estiver em perigo. - Dica da Morgana Ruppenthal

32. Espanha

Se for para Córdoba na primavera, não deixe de ir nos Pátios e nem na "Feria" (que também rola em várias outras cidades) - e claro, beba um Mojito por lá. - Dica da Luana Recchia

33. França

No Vale do Loire francês dá para visitar os castelos mais pertos de Mer de bicicleta. É uma aventura, pois a rota cruza um parque nacional, onde você pode ver alces no caminho, grupos de turistas fazendo caminhadas no meio da floresta, e às vezes, nem vê ninguém. Parece que está dentro de um filme de aventura. Super recomendo. Leva mais ou menos uma hora se você não é acostumado a pedalar como eu. - Dica da Viviane Oliveira

Acho que na correria de aproveitar todos os pontos turísticos de Paris, quase ninguém anda pelas margens do Rio Sena ou pára lá para fazer um lanche e admirar. - Dica da Amanda Bernardes

34. Holanda

Rotterdam, que fica a 1h de Amsterdam, é a segunda maior cidade do país. Mas, por viver à sombra de sua irmã famosa, poucas pessoas a inclui na lista. Durante a segunda guerra mundial, a cidade foi arrasada por um bombardeio, o que a levou passar por uma reconstrução gigante. Hoje, é conhecida de por sua arquitetura moderna e psicodélica (como excêntrico Markthal), atrações, festivais e museus. Vale muito a pena passar por lá! - Dica da Marla Cruz

Se estiver em Rotterdam, vale um bate e volta à cidadezinha de Delft. É charmosa, tem boa cerveja e é de lá que vem a porcelana azul e branca que se vê em todo canto na Holanda. - Dica da Morgana Ruppenthal

Se você está planejando uma viagem pela Holanda e é apaixonada/o por queijos, você precisa conhecer a feira de queijos de Gouda! Além de ser uma cidade pequenininha, linda e medieval com vários passeios turísticos pra fazer, Gouda é a maior produtora de queijos da região. A feira é enorme e tem queijos que talvez você não imagina que existem: coloridos, de lavanda e de cerveja! Ela acontece aos sábado pela manhã e fica mais ou menos a uma hora de Amsterdam. Além dos queijos imperdíveis para você degustar, não deixe de provar os stroopwafels artesanais da própria feira. É uma espécie de waffle com recheio de caramelo quente! Você não vai querer comer só um... - Dica da Mariana Paranhos

35. Irlanda

Se puder alugar um carro, explore o "Wild Atlantic Way". São 2500 km na costa oeste do país passando por paisagens incríveis, e se não for no inverno, dá tranquilo para acampar. A rota começa em West Cork no ponto mais ao sul da ilha e vai até o ponto mais ao norte em Donegal. Para os mais em forma e com mais tempo, dá para fazer de bicicleta. Nesses lugares, você vai ver a "verdadeira" Irlanda e não os bares feitos para turistas em Dublin. Uma vez em Dublin, vale a pena conferir uma partida de rugby no Aviva Stadium ou futebol gaélico no Crokepark. São os esportes mais apreciados pelos irlandeses (assim como corridas de cavalo). Galway Race é um evento anual e atrai muita gente jovem como se fosse um festival. - Dica da Morgana Ruppenthal

Na Irlanda, você dificilmente vai encontrar irlandeses em bares de Dublin (ou até mesmo em Dublin hahaha), se você quiser conhecer mais a cultura Irlandesa, precisa ir para cidades próximas e procurar pelos pubs menos famosos. Naas é uma boa opção e fácil de ir. - Dica da Amanda Bernardes

36. Itália

A Sardenha como um todo é uma ilha que merece ser explorada. Cercada pelo mar mediterrâneo, as praias de lá são de tirar o fôlego, dignas de Caribe! Duas praias específicas que merecem ser visitadas são Villasimius (mar mais azul que já vi na vida) e Is Arutas (a areia dessa praia é de Quartzo!). Em Milão, tem uma região sensacional para fazer um tour de bares a noite: o Navigli. É uma região de canais onde a galera pode escolher desde os lugares mais caros até os mais baratos onde você pode pegar a sua cerveja e beber na rua. Nesta segunda categoria, tem um bar chamado "P.S." muito legal onde você pode escrever mensagens em bilhetes e colá-los nas paredes. Pra fechar, o pôr do sol no Parco Sempione, em Milão, vale muito um pic nic! :) Dica da Leticia Usanovich

37. Malta

Na Ilha de Malta, há muitas trilhas que levam o viajante até belas paisagens naturais. Uma delas começa em Armier Bay e vai até Coral Lagoon, uma bela caverna inundada que também pode ser acessada por água de caiaque ou stand-up paddle. Durante o trajeto pela costa há várias piscinas naturais ideal para prática de mergulho livre (snorkel). - Dica da Aline Antunes

Muita gente que visita Golden Bay em Malta não espera para ver o pôr do sol maravilhoso no fim do dia. Com uma faixa extensa de areia, o local lembra um pouco as praias que os brasileiros estão acostumados. Popular, o local é ponto certo para os turistas, tem cafés e restaurantes e, no verão, dá pra fazer até churrasco na areia. Ótima para natação e mergulho. Do ladinho por uma trilha você encontra penhascos incríveis, e segue por trilhas até as praias de Ghajn Tuffieha. - Dica da Lisi Martins

38. Portugal

O Guia completo (e colaborativo) para sua viagem a Portugal.

39. Reino Unido

Leeds é a terceira maior cidade do Reino Unido mas ainda não muito conhecida. Uma cidade super fofa e bastante animada pela noite. Por ser uma cidade universitária, possui muitas atrações culturais gratuitas. Pontos altos são o Reading Festival, um festival de música com camping que acontece no final de semana no final de agosto e Festival das luzes (gratuito) que acontece em setembro. Além disso, ela fica a 1h de Manchester e você consegue encontrar passagem de ônibus por até por 6 libras (ida e volta). Há 20min do centro, você pode visitar gratuitamente as ruínas de Kirkstall Abbey, um mosteiro cisterciense medieval que hoje é um patrimônio inglês. Lugar lindo e histórico. - Dica da Marla Cruz

40. Suiça

No verão em Interlaken, os suíços se reúnem com os amigos, compram bebidas e entram todos em uma bóia enorme no rio. A ideia é ir descendo a correnteza enquanto fazem a própria festa na boia e se refrescam com a água. - Dica da Estela Badajoz

41. Rússia

O país mais incrível em que já estive. - Dica da Josane Beckman

Diferenças culturais


viajantes preparando o jantar em hostel na Irlanda

42. Costumes na hora de comer

Na maioria dos países europeus, há dois costumes à mesa que fogem um pouco do jeito brasileiro e que são importantes:

  • Você precisa esperar todo mundo ter comida no prato antes de começar a comer, a não ser que as pessoas digam abertamente que você não precisa esperar e pode começar a comer. Ninguém falou nada? Espere.
  • Cada um tem seu passador/faca de manteiga e geléia. O passador não é pra manteiga (como seria no Brasil), mas é pra você, então certifique-se de que ele está sempre ao lado do seu prato e não o deixe largado pela mesa. Isso quer dizer que você vai usar o mesmo passador pra manteiga, pasta de amendoim, geléia e o que mais for comer. E isso também quer dizer que às vezes vai ter manteiga na geléia, pasta de amendoim no patê e por aí vai. Supere. - Dica da Yara Alves

43. Papel higiênico é direto no vaso!

Aqui no Brasil estamos acostumados a sempre jogar o papel higiênico no cestinho, enquanto que na Europa isso é considerado extremamente nojento. Lá eles jogam o papel no vaso sanitário e dão descarga. Como lá os tubos são maiores, o papel não entope o vaso. Você vai reparar que quase todos os banheiros vão ter um cestinho de lixo, mas ele só deve ser usado para coisas que não podem ser jogadas na privada, como absorventes femininos, fraldas, barbeadores, e por aí vai. - Dica da Camila Agostinho

44. Comunicação clara e objetiva

Esqueça o costume de contar a historinha triste da sobrinha doente ou da consulta de última hora que foi marcada pra conseguir algo na Europa. Quando quiser algo de alguém (um favor, 10 minutos de espera, um objeto, sair mais cedo do trabalho, etc...), dê bom dia e diga o que você quer. A comunicação aqui é clara e objetiva. Se te perguntarem o porquê ou você sentir a necessidade de explicar, explique, mas primeiro diga o que você quer, assim a pessoa consegue trabalhar dentro das possibilidades do que ela pode fazer por você, não através do seu drama pessoal. - Dica da Yara Alves

45. Nem toda praia é para todos

Infelizmente nem toda praia na Europa é tão democrática como no Brasil. Em algumas praias, a faixa de areia pertence a um bar, restaurante ou hotel, e se quiser estender sua canga ali, vai aparecer alguém falando que não pode. Alguns lugares exigem consumação mínima e outros ainda cobram um extra, algo em torno de 15 a 25 euros por dia. É comum que nessas praias tenha pelo menos uma faixa de areia livre, onde qualquer pessoa pode ficar sem ter que pagar nada por isso. No entanto, se a praia for pequena, você vai precisar de muita sorte para achar um espacinho por ali na alta temporada. Esteja preparado para esse choque! Dica da Camila Agostinho

46. Guardanapos no chão são um elogio

Na Espanha, um bom bar de tapas (ou aperitivos) sempre está com o chão cheio de guardanapos sujos. Isso acontece porque os espanhóis seguem uma antiga tradição de jogar o papel no chão como forma de elogio ao bar. Para ver isso de perto, recomendo o bar El Tigre, em Madrid. - Dica da Carol Persan

47. Bicicleta em primeiro lugar

Na Holanda, todas as pessoas são muito receptivas e se gostarem de você, vão te incluir pra tudo. O principal meio de transporte lá, como você já deve saber, é a bicicleta e todo mundo precisa respeitá-la! Ela tem preferência mais que qualquer automóvel e até mesmo pessoas. Portanto, não ande pelas ciclovias em hipótese alguma e sempre olhe para os lados ao atravessar: a prioridade não é do pedestre. - Dica da Mariana Paranhos

Na Bélgica, o meio de transporte mais comum é a bicicleta. Não importa a ocasião, se é dia, noite, faça chuva ou faça sol. Eles sempre andam muito de bike. - Dica da Sabrina Kamenetz

48. Metrôs sem catraca

Em Praga, não existe catraca no metrô, apenas máquinas para comprar o bilhete. Cuidado na hora de bancar o malandro porque alguém do metrô pede para ver seu bilhete. PS: não seja o brasileiro que burla as leis locais. - Dica do Gustavo Paiva

49. Hora da siesta

A hora da siesta na Espanha parece surreal! De 14 as 16 os comércios fecham, inclusive alguns supermercados. No verão, eles tomam sopa fria, o almoço é às 14h o jantar às 22h. - Dica da Nathalia Mayume

50. Aperto de mão sempre!

Eles não dão dois beijinhos no rosto como fazemos no Brasil. - Dica da Luana Recchia

51. Máquina de lavar no banheiro

Em alguns países (como a Croácia, por exemplo) é normal a máquina de lavar ficar dentro do banheiro (não estranhe se for na casa de alguém e se deparar com isso). - Dica da Luana Recchia

52. Ônibus de dois andares

Todo mundo sabe que em Londres existem os famosos ônibus vermelhos de dois andares. Eles são um dos principais meios de transporte da cidade e você pode percorrer diversos bairros com eles. No andar de cima, não é permitido viajar em pé então se alguém não estiver sentado, um aviso visual e sonoro são exibidos e ouvidos. Caso a pessoa continue em pé, o motorista pára o ônibus até que a pessoa esteja sentada. Outra curiosidade é que se o horário de trabalho do motorista terminar antes do ponto final, ele avisa que na próxima parada o ônibus não prestará mais serviço e você deve descer e esperar pelo próximo. - Dica da Fernanda Aidar

53. Educação no metrô

Em Londres, todo mundo é extremamente educado no metrô. Se você está chegando com malas e encontra escadas pela frente, tenha certeza absoluta que muita gente vai parar para te ajudar. Eles também levam muito à sério o lance de ficar parado somente do lado direito nas escadas rolantes. Isso é muito útil caso você estiver atrasado e precisar correr pela esqueda para pegar o seu "tube" a tempo. - Dica da Leticia Usanovich

54. Atravessar no sinal fechado

Na Alemanha, em Mônaco e Lituânia, mesmo que não haja nenhum carro vindo, você não pode atravessar a rua se o sinal estiver vermelho para pedestres. Em Mônaco, levei um apito no ouvido do guarda de trânsito, mas na Alemanha e Lituânia você pode levar uma multa. - Dica da Morgana Ruppenthal

55. Caixas de mercado self service

Na maioria dos grandes supermercados na Europa existem caixas self service. Você passa suas compras, por na sacola e paga com dinheiro ou cartão. - Dica da Morgana Ruppenthal

56. Receba dinheiro por reciclar

Na Escandinávia, as garrafas plásticas de água e refrigerante são feitas de um material mais duro e retornáveis. Nos supermercados (e até na rua) existem postos de coleta, onde você deposita as garrafas e recebe dinheiro por elas. - Dica da Morgana Ruppenthal

57. Sacolinha plástica já era

Sacolinha plástica como no Brasil pra colocar (nem que seja uma pacote de Halls) é algo que foi banido há tempos na maioria dos supermercados europeus. Ou você leva sua sacola de casa ou paga cerca de €0,60 por um sacolão resistente. - Dica da Morgana Ruppenthal

58. Moedas são sua responsabilidade

Na Dinamarca, os operadores de caixa no supermercado não tocam nas moedas, apenas nas notas de dinheiro. Para pagar com moedas, você as deposita em uma caixinha que conta o dinheiro e quando recebe o troco em moedas essa caixinha dispensa as mesmas e você pega. Sem saber disso deixei a metade do troco duas vezes no supermercado... - Dica da Morgana Ruppenthal

59. Sapatos do lado de fora

Na Alemanha e Áustria, as pessoas sempre tiram os sapatos antes de entrar em casa e deixam do lado de fora. - Dica da Marina Alves

60. Pão francês nu e cru

Vocês já devem ter ouvido falar como eles manuseiam o pão francês na França. Creia, pois é verdade. Nas padarias, eles carregam o pão francês nu e cru. Sem papel, sem sacolinha plástica. Vai da mão do atendente para sua mão sem a maior cerimônia. - Dica da Viviane Oliveira


Buchareste na Romenia

Esse é o guia de colaborativo de dicas para sua viagem pela Europa, feito pela comunidade worldpackers, ou seja, viajantes que estão lá ou que passaram por lá recentemente. 

Pra fechar, compartilho também outras dicas essenciais para quem pretende viajar para a Europa com a Worldpackers:  

Tem alguma dica para compartilhar? Deixe aqui nos comentários e faça parte também desse guia colaborativo!


Ea3dc39ca0b2f6b5f17abddec1f0e9a4

Allan

I'm on a lifetime mission to forge a future of sustainability, equality, altruism & fulfillment. ...

+ Ver mais

Set 27, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Allan saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor