Viajar muito e gastar pouco: mito ou verdade?

Sempre afirmei que ter o nordeste como destino era dar um tiro no bolso. “Sai muito mais barato fazer uma viagem internacional” eu dizia. Acreditem, meus amores: eu viajava errado.


96c5a2674810e1a97b9800dc6d64035e

Ariana

Viajante, mochileira, apaixonada pela vida e pela arte. Acredito que uma viagem pode mudar o r...

+ Ver mais

Out 16, 2018

Primeiro que, por conta do trabalho e faculdade, eu só conseguia viajar no período de alta temporada. O que, automaticamente, já traduz o aumento do custo.

Além disso, eu fechava pacote com as melhores agências de viagem do mercado e, não contente, montava os passeios também com a agência. Achava que era mais seguro. Não havia pesquisa de mercado, muito menos aquele chorinho pedindo desconto.

Leigo engano, jovens mancebos mochileiros. Dá pra viajar gastando pouco SIM.

E provo a vocês:

1. Transporte

  • Aéreo: Rio de Janeiro X João Pessoa - Ida e volta: R$ 351 – só aí eu já tirei a sorte grande, né?
  • Translado Aeroporto João Pessoa X Manaíra Hostel: Fiz pelo Uber, deu R$35, uma distância de 23km, à 1h da manhã. Achei justo.
  • Locomoção pela cidade: Uber ou 99taxi são excelentes. Varia de R$6,41 a R$6,90 num raio de 3km, aproximadamente. Numa distância de 5km, dá uns R$8 ou R$9. Tudo é muito perto, então optei por fazer a pé a maioria dos trajetos. Além disso, dá pra andar de ônibus coletivo por menos de R$4.


2. Hospedagem

Não tive gastos com hospedagem né, galera!? Worldpackers na veia! 

A economia foi de R$1100, equivalente aos 20 dias de minha estadia. Alternei o voluntariado entre os dois albergues da mesma anfitriã (Manaíra Hostel e Tambaú Hostel). Vale salientar que ambos são sensacionais no que tange a limpeza, localização, receptividade e cordialidade.

3. Alimentação

Total gasto: R$ 400.

  • Café da Manhã: O hostel disponibiliza o café da manhã, e não era qualquer café da manhã não, minha gente! Pão, queijo, tapioca, ovos mexidos, bolos, quatro tipos de fruta, dois tipos de suco, margarina, geléia, café e leite. Tudo feito com muito carinho e dedicação pelos colaboradores.
  • Almoço e jantar de mochileiro/viajante: Então... sabemos que o Brasil que o mochileiro quer é o que tem um mercado com ovos e macarrão bem baratinhos, não é mesmo? Sorte a minha que tem isso em João Pessoa. Normalmente eu fazia comida, então, pelo menos duas das refeições do dia eram no hostel. A noite eu fazia uma vitamina ou um lanchinho leve com biscoito. Com R$ 40 fiz uma comprinha (carne moída, bacon, macarrão integral, pimenta, orégano, cebola, alho, coentro e cebolinha, cenoura, ovos, bananas e leite sem lactose) que me rendeu comida pra uma semana.

A água de coco – que variava de R$ 1,50 a R$ 3 – era tomada diariamente, como se fosse um elixir da vida. Nordeste é sinônimo de água de coco.

O açaí era tomado a cada três dias. Gastava uns R$10 tomando um açaí com tudo dentro num lugarzinho super aconchegante chamado Empório Acaí. Tudo MESMO: Calda de leite em pó, creme de avelã, kiwi, morango, pitaya (a fruta mesmo, de verdade!), entre outros. Muitos outros. Além de ter açaí com limão, morango, brownie, whey protein, banana... Ah, gente! Era muita coisa!

Fui a um rodízio de pizza com refrigerante e paguei menos de R$25. M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!!! Com batata frita e massas. Ao final, se coubesse, você poderia sair tomando um milk-shake. Ao lado tem um outro rodízio que, de segunda a quinta, é R$19,90. Tão bom ou melhor que o primeiro citado.

A média de gasto por dia foi de 25 reais. Juro! Tiveram dias em que não comi nada na rua, mesmo porque já tinha aquele rango preparado na cozinha do hostel.

  • Bônus:

À você, meu worldpacker cachaceiro, não pense que ficará de bico seco. Poderá se deliciar com uma cervejinha de 600ml super gelada na beira da praia por apenas R$5,49!



4. Diversão

Total gasto: R$50.

No primeiro dia de minha estadia já era minha folga e fui conhecer a Praia de Coqueirinho na faixa! De grátis. Free.

Meu expediente era das 07h às 12h, então conseguia aproveitar bem o meu dia. As praias Do Bessa, Manaíra, Tambaú e Cabo Branco são de fácil acesso mesmo para quem não tem tanta disposição.

Fiz amizade com algumas hóspedes e fomos de Uber assistir o pôr do sol na Praia do Jacaré. Além do espetáculo natural do astro-rei, pude deleitar-me com música ao vivo em dois pontos da orla. Pasmem, ganhei dicas de fotografia de um baterista e até um CD de um dos músicos de lá.

Também na faixa, andei de catamarã e, assim, conheci as piscinas naturais do Seixas.

Como amo conhecer a cultura local, sugiro que conheçam o Centro Histórico. É espetacular. Pude fazer por conta própria pegando um ônibus (R$3,55) até o Centro, o qual já te deixa de frente ao Parque Sólon de Lucena, mais conhecido como Lagoa.

Fui à Igreja de São Francisco e também a Igreja Nossa Senhora do Rosário. Tentei voltar de trem até Cabedelo mas os horários eram muito espaçados, não valeria a pena aguardar. Sim! Há trem em João Pessoa.

city tour e custa R$ 25. Particularmente não curto tanto o city tour por causa do tempo que é muito limitado.

Ah... Cinema! O Peixe Urbano oferece uma promoção nas sessões do Cinépolis, no Manaíra Shopping: R$7,90!

Há bares na cidade, inclusive fala-se muito bem do Empório Café, mas não sou da noite.



Por fim, pude aproveitar a cidade da minha forma, no meu ritmo e sempre adaptando ao meu orçamento! O total gasto na minha viagem, que durou 20 dias, foi R$800, incluindo as passagens, além de todo prazer, alegria e cultura, coisas que o dinheiro não compra. 



96c5a2674810e1a97b9800dc6d64035e

Ariana

Viajante, mochileira, apaixonada pela vida e pela arte. Acredito que uma viagem pode mudar o r...

+ Ver mais

Out 16, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Ariana saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor