Afinal, é seguro viajar pela América Central nas férias?

Eu e meu namorado descemos desde o México até o Panamá passando por Nicarágua, Guatemala e Costa Rica para compartilhar tudo o que você precisa saber para perder o medo e incluir a América Central no seu roteiro de férias.


F54a21dd5bb747cf12eb04dfdf72cbf5

Luiza

Jan 06, 2020

Me chamo Luiza, sou de Santos/SP, mas já vivi em muitos lugares como Rio de Janeiro, Porto Alegre, Naples e Nova Iorque. Atualmente minha casa é mi...

america central é seguro

Eu nunca tinha pensado em viajar por essa parte da América até começar a planejar essa viagem. Antes só vinha na minha cabeça os lugares clássicos da América do Sul, como Chile, Bolívia e Peru. E assim que tornei público meu projeto de viagem, o que eu mais escutei foi que deveria pular a América Central porque era um lugar muito perigoso de viajar.

Detalhe, eu escutava isso de pessoas que sequer tinham ido a um dos países da América Central para confirmar essas afirmações.

Falaram para a pessoa errada. Estou viajando com o plano de casal da Worldpackers e meu namorado e eu começamos a pesquisar pessoas que estavam fazendo ou que já haviam feito a rota que iríamos fazer durante nossa trip. Adivinha qual foi a nossa surpresa?

Nenhuma das pessoas que realmente estiveram lá relataram insegurança, violência ou perigo iminente sobre a América Central.



Nosso roteiro de férias pela América Central

Com base em quem já havia vivido essa experiência, nos sentimos mais confortáveis e começamos a traçar nosso roteiro mesclando voluntariados em ONGs, hostels e projetos ecológicos com outras formas de estadia. Descemos desde o México, nosso ponto de partida. E até agora passamos pelos seguintes países: 

No caminho pulamos Belize e Honduras. Mas o motivo não foi insegurança, pelo contrário, foi orçamento mesmo.  Os deslocamentos para Belize e Honduras sairiam mais caro que o planejado. Em todos esses países que eu passei haviam oportunidades de trabalho voluntário pela Worldpackers. Combinar essa troca antes de embarcar para a América Central é uma das principais atitudes para sentir-se seguro em relação a viagem. 

Com o voluntariado você vai poder tirar suas dúvidas com o anfitrião, ver fotos e vídeos do local e o mais importante: ter um endereço certo para chegar e uma equipe de voluntários de todos os cantos do mundo te esperando. 

Transporte pela América Central nas férias

Nesses 5 meses sempre viajamos de transporte público dentro dos países e também, entre países, já que estamos mochilando somente por terra

Da Guatemala até a Costa Rica utilizamos os famosos chicken bus, que nada mais são que ônibus escolares americanos reformados e pintados de forma mais alegre, eu diria. Nunca nos sentimos inseguros.

Fomos aos principais pontos turísticos em cada país que passamos e fomos também em lugares mais locais. Ao todo estivemos em 6 países da América Central contando com Cuba e foram mais de 21 cidades entre metrópoles, vilarejos e ilhas além de: 

  • Vulcões ativos e inativos
  • Parques nacionais
  • Praias do Pacífico
  • Praias caribenhas de mar azul

Em cada lugar conhecemos alguém especial e ouvimos muitas histórias



5 Dicas de segurança para suas férias na América Central 

Assim como no Brasil, a maioria dos países na América Central sofre dos mesmos problemas sociais que a gente como desemprego, assaltos e corrupção. Então, como já sabíamos disso, viajamos com a mesma atenção que prestamos no Brasil.

Não andamos com muito dinheiro, nem coisas de valor a mostra. E sempre nos mantivemos atentos em um lugar novo, mas sem julgar. Reuní aqui 5 dicas práticas para quem ainda tem inseguranças. Espero que elas possam te encorajar a viajar pela América Central:

  1. Use uma doleira para carregar com você seu dinheiro e cartão
  2. Ao se hospedar, peça para usar os lockers, que são armários que você coloca seu cadeado e pode deixar seus pertences de maior valor dentro, como passaporte
  3. Ande com cópia dos seus documentos no lugar dos originais
  4. Ao invés de viajar de ônibus público ou chicken bus como eu fiz, para mais segurança, contrate os serviços privados de shuttle. São mais caros, mas podem te trazer mais confiança.
  5. Sempre tenha alguém junto de você quando estiver tirando fotos em lugares públicos

Por que é seguro viajar de férias pela América Central 

Para a nossa surpresa, além de nos sentirmos seguros em todos esses países que citamos acima, tivemos sempre ajuda das pessoas locais, todos sempre solícitos. E em muitos lugares, até fizeram questão de dizer que estavam felizes por nos receber em seu país. 

Eu acredito que insegurança existe em qualquer país do mundo. Conheço gente que foi assaltada em Paris, e outras que tiveram a mochila roubada em Amsterdam. Nem por isso deixamos de visitar esses lugares.

Que tal então quebrar um pouco do medo e fazer um voluntariado na América Central para, assim como a gente, descobrir a si mesmo através da experiência de conhecer pessoas locais e viver o que de melhor esses países tem para oferecer?

Ao trocar algumas horas de trabalho por dia em países como México, Guatemala e Costa Rica, você vai ser muito mais que um turista comum. Vai ser tratado como um viajante em busca de ensinar e aprender além de ter a oportunidade única de conhecer a vida na América Central como ela é e não como as propagandas de resorts mostram. 

Não deixe de viver pela insegurança de outras pessoas

Viajar é desconstruir preconceitos e ver com os próprios olhos o que o julgamento alheio não lhe permite ver. A cultura do medo existe muito forte entre as pessoas, e entre viajantes também. Por isso acredito que dividir nossa experiência seja fundamental para desmistificar rumores e encorajar mais pessoas.

Obviamente que devemos sempre nos atentar aos acontecimentos em cada país e saber sua situação real antes de viajar, mas não podemos deixar que um medo generalizado nos impeça de conhecer qualquer lugar que seja.



Viva uma experiência inesquecível na América Central como voluntário

A cultura da região vai te pegar em cheio, seja pela gastronomia única, beleza no colorido das roupas, artesanatos ou por seus habitantes, que carregam os ensinamentos da cultura indígena preservada e viva em suas veias.

Eles são nossos vizinhos, foram colonizados e contam histórias tão semelhantes as nossas que, por vezes, eu tinha a sensação de olhar um espelho ao conversar com as pessoas. Como voluntário, você terá a oportunidade de aproveitar de coração aberto sua viagem de férias e transformar-se no caminho.  

Eu estou viajando há 5 meses pela América Central e o que posso dizer é que você não vai se arrepender. Gostou desse artigo? Deixe seu thanks lá em cima e tire suas dúvidas/compartilhe suas inseguranças aqui embaixo, nos comentários.


F54a21dd5bb747cf12eb04dfdf72cbf5

Luiza

Jan 06, 2020

Me chamo Luiza, sou de Santos/SP, mas já vivi em muitos lugares como Rio de Janeiro, Porto Alegre, Naples e Nova Iorque. Atualmente minha casa é mi...


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor