Voluntariado em zonas de conflito do continente asiático

Conhecer mais de perto toda a cultura presente em diferentes partes do continente asiático é uma experiência inesquecível. Apesar dos conflitos, a região tem diferentes riquezas culturais e naturais que atraem viajantes em busca de destinos pouco convencionais.


E56e2ad24ca6a189efd54a2cfcd71838

Raquel

Uma jornalista brasileira que escreve sobre pessoas. Eu viajo para conhecer histórias de vida e...

Set 12, 2018

Muro da cidade de Jerusalém, ponto importante para a cultura do continente asiático

A Ásia foi o berço da humanidade e hoje é o maior e mais diverso dos continentes.

Um lugar de possibilidades infinitas que vão desde a altura do Everest até a profundidade do Mar Morto. Lá existem reis e sultões como nos livros. Macacos, leões, temperos e frutas.

Além das belezas naturais que os viajantes tanto sonham, a Ásia tem muitos conflitos e guerras. Os 55 países que existem atualmente não satisfazem todos os povos e religiões que habitam o continente.

Além da falta de território, a pressão política que países estrangeiros aplicam nos assuntos das regiões asiáticas contribui para todas as tensões que acontecem por lá.

Se prepare para embarcar e aprender mais sobre as características do continente asiático! 

A Ásia tem um mistério que faz com que, a cada ano, mais e mais brasileiros embarquem em busca das diferenças que nos tornam humanos. Atos simples como tomar uma sopa ou beijar o rosto de alguém podem ter outro significado.

A Worldpackers tem muitas oportunidades de trabalho voluntário no continente que podem mudar sua vida.

Confira os 6 melhores destinos e as 6 principais zonas de tensão no continente asiático:

1. Ásia Central
2. Extremo Oriente
3. Oriente Médio
4. Ásia setentrional
5. Ásia Meridional
6. Sudeste Asiático

1. Seja voluntário na Ásia Central

Para não esquecer, os países que fazem parte desta região da Ásia, lembre-se que são aqueles terminados em “istão”, que seria “a terra dos”, em persa. São eles: Cazaquistão, Quirguistão, Tajiquistão, Turcomenistão, Uzbequistão, Azerbaijão e parte do território do Afeganistão.

Um dos lugares mais incríveis da Ásia Central é uma imensa cratera em chamas, conhecida como “Porta para o Inferno”. Ela fica em Darvaz, no meio do deserto turcomano.

Em 1971, engenheiros da então União Soviética perfuraram o local atrás de gás e petróleo, uma prática comum. A diferença foi a caverna subterrânea com gases tóxicos que existe ali. A queima desses gases, que deveria durar alguns dias, durou décadas e segue sem previsão até hoje.

Zonas tensas para voluntariar

Os conflitos da Ásia Central são pautados por sua posição geográfica. A região é zona de trânsito comercial entre a China e a Europa. O petróleo, gás e a pouca água da região eram administrados pela colapsada União Soviética e distribuídos de alguma forma. Hoje, a falta de organização destes recursos alimenta conflitos infinitos, como a cratera de Darvaz.

Além da economia, outro impasse é a religião. Enquanto os grupos mais fundamentalistas do Islã lutam para que a população viva como Maomé e como manda a tradição, donos de grandes empresas e políticos abrem mercados enquanto se abrem para os costumes do ocidente.

Oportunidade na Ásia Central

Entre os países da Ásia Central, o Cazaquistão é o melhor destino para seu voluntariado. O país se orgulha por promover uma convivência pacífica entre as religiões. Sua constituição assegura a liberdade de culto e o respeito. É o maior país da região e sua capital, Astana, recebe turistas o ano inteiro.

Na antiga capital do Cazaquistão, Almaty, fica a “Just Speak It”, uma escola de inglês para todas as idades. Bek será seu anfitrião e espera sua ajuda com práticas focadas em conversação na língua. A escola sempre organiza passeios em montanhas, parques aquáticos, patinação no gelo e tours de bike onde você será bem vindo.


Voluntário no Cazaquistão, no continente asiático

República do Cazaquistão

  • Idioma: Cazaque e Russo.
  • Moeda: Tenge.
  • Clima: Neva por mais de 100 dias durante o inverno, que é longo e pode chegar a (-40 graus). A recomendação é marcar sua viagem entre Maio e Setembro.
  • Visto: Turista por até 30 dias não precisa.
  • Religião: Islamismo, Cristianismo.
  • Representação no Brasil: Brasília.
  • Grau de Cautela: Moderado, segundo o Ministério das Relações Exteriores.

2. Seja voluntário no Extremo Oriente

Os países que formam esta região chamada de Extremo Oriente são: China, Japão, Coréia do Norte, Coréia do Sul, Mongólia e Taiwan. Neles você encontrará muitas oportunidades de trabalho voluntário pela Worldpackers!

Wulingyuan está entre as paisagens mais pitorescas do mundo. O distrito da província de Hunan está ao centro-sul da China e é Patrimônio Mundial da UNESCO. São basicamente 3.000 picos de quartzito com mais de 200 metros de altura entre riachos e desfiladeiros. A área toda é composta por quatro parques nacionais que protegem a fauna, a flora e os famosos fósseis de corais.


Parque no continente asiático considerada Patrimônio Mundial da UNESCO

Zonas tensas para voluntariar

O Extremo Oriente também é uma região de conflitos, como aquele entre a Coréia do Norte, socialista, e a Coréia do Sul, capitalista. Entre 1950 e 1953 eles viveram uma guerra, mas infelizmente, até hoje, não assinaram um acordo de paz. O maior problema dessa história são as bombas atômicas que a Coréia do Norte possui.

Além das Coréias, é importante entender as tensões na China. O Tibete, zona mais alta do mundo, ao norte da cordilheira do Himalaia, segue o lamaísmo e já proclamou sua autonomia. A China não a reconhece. Outro povo que pede sem sucesso por um território na China são os Uigures, muçulmanos.

Oportunidade na Ásia Central

A China é um país incrível para quem quer aprender muito sobre uma cultura da Ásia totalmente diferente e consegue o tal do visto.

Na Worldpackers você vai encontrar uma oportunidade muito bacana para quem sabe fazer pão. Isso mesmo, pão! Um padeiro chinês está doido para aprender a fazer pães gostosos com voluntários do mundo todo. Ele vive em Skywells, espécie de mansão chinesa de 300 anos de idade. É sua chance de conhecer a aldeia de Yan enquanto põe a mão na massa. rsrs


Hunan, cidade no continente asiático 

República popular da China

  • Idioma: Mandarim, Min, Vu, Cantonês.
  • Moeda: Yuan.
  • Clima: Montanhoso, Árido frio e de Monção.
  • Visto: Necessário.
  • Religião: Crenças originárias, Budismo, Cristianismo, Islamismo.
  • Representação no Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro e Recife.
  • Grau de Cautela: Moderado, segundo o Ministério de Relações Exteriores.

3. Seja voluntário no Oriente Médio

Afeganistão, Arábia Saudita, Bahrain, Catar, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Irã, Iraque, Israel, Jordânia, Kuwait, Líbano, Omã, Síria e Turquia são os principais países que compõe o Oriente Médio. A notícia ruim é que poucos deles têm oportunidades para voluntários.

Pamukkale em turco significa “castelo de algodão”. São piscinas termais azuis turquesas gigantes. Esse mármore travertino das bacias foi formado a partir do derrame de carbonato de cálcio, mas as fotos dizem muito mais.


Piscinas termais na Turquia, uma das principais atrações no continente asiático

Zonas tensas para voluntariar

O conflito entre Israel e Palestina é um dos mais falados do mundo e, infelizmente, sem solução aparente. A capital de Israel, Jerusalém, é considerada sagrada para a religião judaica, islã e católica. A guerra dos seis dias e a guerra do Yom Kippour estão na história da formação do território de Israel, a única terra judia do mundo.

O Ministério das Relações Exteriores recomenda um alto grau de cautela para visitar todos os países do Oriente Médio. Inclusive para o Líbano, país que selecionei para seu voluntariado. As regiões mais tensas do país estão ao norte e nordeste, na fronteira com a Síria.

Oportunidade na Ásia Central

Tyre, é uma a cidade ao sul do Líbano, na fronteira com Israel e portanto, uma opção relativamente tranquila para conhecer o Oriente Médio. Ela fica há apenas duas horas de Beirut e guarda uma oportunidade incrível para você que quer voluntariar no continente asiático e tem vontade de trabalhar como bartender. 

O anfitrião garante todas as suas refeições e sua tarefa será comandar um bar dentro de uma mansão. Eles têm recebido mais casais e famílias que jovens à procura de festa atualmente. Quem sabe você muda isso com sua caipirinha brasileira?


Anfitrião no Líbano

República Libanesa

  • Idioma: Árabe, Francês, Curdo e Armênio.
  • Moeda: Libra libanesa.
  • Clima: Mediterrânico.
  • Visto: Necessário.
  • Religião: Islamismo, Cristianismo.
  • Governo: República Parlamentarista.
  • Representação no Brasil: Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, Pará, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.
  • Grau de Cautela: Alto, segundo o Ministério de Relações Exteriores.

4. Seja voluntário na Ásia Setentrional

A Ásia Setentrional é a parte leste do território Russo, na Sibéria. Grande parte desse território é formado por desertos, terras geladas e montanhas. Quase ninguém mora lá com um clima desse, mas a região tem recursos minerais, como o petróleo e o gás natural em abundância.

A Transiberiana é uma das maiores ferrovias do mundo. Ela atravessa a Rússia, de Moscou à Vladivostok, cidade portuária já no oceano Pacífico. São mais de 9 mil quilômetros abrangendo simplesmente oito fusos horários. É possível descer em qualquer uma das centenas de cidades russas da rota, ou fazer do trem sua casa e encarar a viagem toda, de muitos dias. A cada descarga nos banheiros do trem uma portinha se abre e é possível ver os trilhos. Uma experiência louca.


Rota transiberiana, com mais de seis mil quilômetros que atravessam o continente asiatico

Zonas tensas para voluntariar

A região fronteiriça entre a antiga URSS e o Japão já foi palco de uma série de guerras entre 1932 e 1939. A Batalha de Khalkhin marcou a vitória soviética. A partir dela, nem o apoio alemão durante a segunda guerra convenceu os japoneses a enfrentarem a União Soviética mais uma vez. Os territórios dessa fronteira como conhecemos hoje são a Mongólia e Manchukuo.

Oportunidade na Ásia Setentrional

Nessa oportunidade da Worldpackers você vai conhecer a parte européia da Rússia, mas quem sabe de lá você não viaja pela transiberiana e conhece as paisagens malucas da parte asiática?

O Safari Hostel é um espaço criado por viajantes para viajantes, no meio de Moscou. Daria, a anfitriã, busca voluntários para sintetizar a essência do hostel através de fotos e vídeos. São três dias livres por semana, com café da manhã e mais de 20 viajantes para tirar suas dúvidas sobre esta viagem. Não esqueça o casaquinho.


Moscou, cidade russa fora da área do continente asiático

Rússia

  • Idioma: Russo.
  • Moeda: Rublo.
  • Clima: Ártico, subártico, temperado e subtropical.
  • Visto: Necessário.
  • Religião: Islamismo, Cristianismo.
  • Governo: República Parlamentarista.
  • Representação no Brasil: Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte.
  • Grau de Cautela: Moderado.

5. Seja voluntário na Ásia Meridional

A Ásia Meridional é a parte sul da Ásia. Bangladesh, Butão, Índia, Maldivas, Nepal, Paquistão e Sri Lanka formam a área mais populosa do mundo. Os níveis de pobreza e desnutrição são altos nessa parte da Ásia, com alguns dos piores indicadores sociais do mundo. O Sri Lanka é o único país que possui um IDH relativamente melhor.

A cidade antiga de Polonnaruwa, Sri Lanka, conta com palácios, banhos, mosteiros e templos ao redor de um lago artificial, além de diversas estátuas de Buda. Se você tiver o privilégio de visitar estas ruínas, deve respeitar tais imagens e tomar cuidado com selfies e fotos. Vale ressaltar que muita gente já foi deportada do Sri Lanka por possuir tatuagens de Buda visíveis.


Ruínas da cidade Polonnaruwa

Zonas tensas para voluntariar

A Índia, tão procurada pelos os amantes da Yoga é, infelizmente, uma região de conflitos. A Caxemira faz parte do território indiano, mas a maioria das pessoas que vive lá é muçulmana, assim como os paquistaneses do país vizinho.

O hinduísmo segue um sistema de castas, onde a família que você nasce determina sua posição social por toda a vida. Em busca de ascensão, muitos hindus se convertem ao islã, onde todos são iguais. Um agravante a esta situação são as bombas atômicas tanto na Índia quanto no Paquistão.

Oportunidade na Ásia Meridional

Manju, anfitrião no Sri Lanka, está expandindo sua rede de hostels e busca artistas. Por seus vídeos, parece ser um dos hostels mais divertidos que eu já vi! Entre seus três hostels, um deles fica bem perto do aeroporto. Se você chegar por lá de noite, já tem onde dormir. A oportunidade aqui é para ministrar workshops de arte e pintar algumas paredes do hostel de Mirissa, uma das praias mais badaladas da ilha.


Voluntário no continente asiático

República Democrática Socialista do Sri Lanka

  • Idioma: Sinhala, Tamil e Inglês.
  • Moeda: Rúpia cingalesa.
  • Clima: Tropical ao norte e equatorial ao Sul.
  • Visto: Necessário.
  • Religião: Budismo, Hinduísmo, Cristianismo, Islamismo.
  • Governo: República com forma mista de governo.
  • Grau de Cautela: Alto, segundo o Ministério de Relações Exteriores.
  • Representação no Brasil: Brasília, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo.

6. Seja voluntário no Sudeste Asiático

Viajar para o Sudeste Asiático está super na moda, a região é, em sua maioria, formada por ilhas. Indonésia, Singapura, Tailândia, Vietnã, Laos, Camboja e Filipinas são algumas delas.

Chiang Mai é uma cidade ao norte da Tailândia conhecida por ser a “capital espiritual do país”. Novembro é a época em que milhares de lanternas são lançadas ao céu em um evento espiritual homenageando Buda. Além do céu iluminado, os rios recebem barquinhos com flores, velas e incensos.


Evento que acontece no continente asiático, na Tailândia

Zonas tensas para voluntariar

Um dos conflitos mais atuais da região está em Mianmar. O país é em sua maioria budista e não reconhece os muçulmanos. Os Rohingya são uma minoria étnica que sofrem discriminação e violência. Em Mianmar eles não podem estudar o Corão.

Todos os anos, milhares de Rohingya fogem do país rumo à Malásia ou Indonésia. Myanmar também rechaça o termo “Rohingya”, alegando que ele aumenta as dificuldades de diálogo.

O governo estaria disposto a conceder cidadania à minoria muçulmana com a condição de que esta se identificasse como “Bengali”. Os Rohingya não consideram tal opção.

Use trajes conservadores por lá, particularmente quando em visita a templos ou outros locais religiosos. Os monges não podem tocar em mulheres, por isso não se sente ao lado deles em transportes públicos moça.

Oportunidade no Sudeste Asiático

O hostel White Rabbit é sua família fora de casa. Todo o staff se ajuda para uma melhor experiência e prometem te mostrar os segredos de Siem Reap, no Camboja. A vaga é sua se você for do tipo animado, pois suas tarefas serão enturmar a galera, inventar pub crawls (tours de bar em bar), jantares no hostel e outros eventos. O trabalho divertido é por cinco horas por dia com um livre na semana. Todas as refeições inclusas te ajudarão a provar a culinária típica do Camboja!


Hostel para voluntariar no Camboja

Reino do Camboja

  • Idioma: Khmer, Francês, Vietnamita e Chinês.
  • Moeda: Riel.
  • Clima: Tropical com risco de alagamento entre maio e outubro, as chamadas monções.
  • Visto: Necessário.
  • Religião oficial: Budismo.
  • Governo: Monarquia Parlamentarista.
  • Embaixada no Brasil: Não há representação diplomática cambojana residente no Brasil. O Embaixador não-residente de Camboja junto ao Brasil ainda será designado.

As passagens de avião do Brasil até o maior continente do mundo são muito caras, mas o dia a dia na maioria das cidades citadas não.

Uma viagem sonho dessas só vira realidade com planejamento e a opção de trabalhar como voluntário. Espero que este panorama sobre os conflitos asiáticos te ajude a perder o medo e escolher o melhor destino para você.

Acompanhe o meu trabalho nas redes sociais do projeto Sola no Mundo. Estamos no Insta, no Face, no Site e logo menos no Youtube, com muita novidade, cultura e entrevistas! Deixe aqui seus comentários, suas dúvidas e bota a #Solanomundo!


E56e2ad24ca6a189efd54a2cfcd71838

Raquel

Uma jornalista brasileira que escreve sobre pessoas. Eu viajo para conhecer histórias de vida e...

Set 12, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar RaquelPryzant saber :-)


Comentários