Todas as dicas para decidir qual mochilão de viagem comprar

Fazer a escolha certa na hora de comprar um mochilão de viagem é um investimento para o futuro da sua vida de viajante. Com essas dicas aqui, você vai poder fazer a escolha certa e aproveitar a viagem.


D1fcdefba4478fcb5cc229a516efccf8

Mar 06, 2019

Formada em Direito e estudante de Jornalismo. Viajar e escrever estão entre as coisas que mais gosto de fazer na vida.

Dicas para te ajudar a comprar o mochilão de viagem certo

Você já escolheu seu destino, as atrações que quer visitar e o que quer fazer na sua viagem. Agora só falta fazer as malas e partir! É aí que surge a dúvida: mala ou mochila?

Escolher levar uma mala ou uma mochila depende bastante do tipo de viagem que você vai fazer. Em uma viagem de negócios ou a trabalho, com poucos trechos de caminhada e maior tempo em táxis ou serviços de transporte, a mala pode ser a melhor opção. Caso você precise caminhar, subir escadas, pegar ônibus e principalmente se você não conhece direito o caminho que vai fazer, a mochila é a escolha certa.

Existem muitos tipos de mochila, diferentes configurações e algumas dicas básicas podem ajudar a escolher a mochila ideal para a sua viagem. Comprar um mochilão é realmente um investimento, principalmente considerando o preço de algumas delas.

Algumas mochilas podem ser usadas por vários anos, outras resistem a apenas uma viagem. É por isso é melhor conhecer as variações e as opções disponíveis e acertar de primeira.

O que você precisa saber na hora de comprar seu mochilão:

Tipo de mochila, litragem, tamanho, qualidade e preço, ajustes. Todas essas variações interferem na hora de comprar a mochila ideal para você. Pode parecer complicado, mas conhecendo cada um deles, fica muito mais fácil encontrar a que é ideal pra você.

1. Os tipos de mochila

Existem dois tipos principais de mochila que você precisa conhecer e eles variam de acordo com a litragem. As mochilas em geral são apresentadas de acordo com quantos litros elas comportam, ou seja, qual o volume de coisas que cabe dentro delas.

Vamos explicar melhor a litragem daqui a pouco, mas primeiro você precisa saber que:

  • De 10 a 40 litros: mochila de ataque;
  • A partir de 50 litros: mochila cargueira.

As mochilas de ataque, em geral, são usadas para viagens menores, passeios e trilhas curtas, em que não é preciso levar equipamentos de acampamento e é possível levar poucas peças de roupas.

As mochilas cargueiras são os mochilões maiores, fabricadas pensando em atividades de trekking. Elas distribuem melhor o peso nas costas, são cheios de compartimentos, divisões e ajustes para facilitar a vida do mochileiro. São recomendadas para viagens de vários dias, em que é preciso levar maior número de peças de roupas ou equipamentos como saco de dormir e barraca.

Alguns modelos de mochila cargueira vêm com a mochila de ataque, que pode ser acoplada à mochila maior. Ter as duas pode ser útil caso você precise despachar uma delas e a pequena pode servir para levar documentos, dinheiro e outras coisas que você queira ter à mão. Também são úteis para serem levadas em passeios enquanto a mochila cargueira fica guardada no hostel.

2. A medida em litragem

Como explicamos antes, a maioria das mochilas usa a medida de litragem, geralmente variando entre 35 e 80 litros. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, a litragem não tem nenhuma relação com quantos quilos a mochila é capaz de aguentar. Mesmo assim, algumas marcas recomendam considerar que 5L para 1kg de bagagem.

Acontece que a medida em litros representa o volume de coisas que é possível colocar dentro da mochila, então essa fórmula nem sempre está certa.

Relembrar um pouquinho das normas básicas da física pode ajudar a entender: você pode colocar 1kg de espuma e encher a sua mochila, mas ela ainda estará leve pois você tem apenas 1kg. Agora, 1kg de ferro não ocuparia toda sua mochila, mas se você a enchesse com o material, provavelmente ela não sairia do chão. Isso acontece porque são materiais de densidade diferente.

Portanto, além de se preocupar com a quantidade de coisas que você está colocando na mala, também precisa considerar sua densidade. Lembrando que mochilas pesadas demais podem se tornar um grande incômodo na viagem, então tente focar no essencial.

3. Como definir o tamanho ideal

O tamanho adequado para a mochila é aquele que comporta o que você vai precisar, não o maior da loja. Recomenda-se que a carga não passe de 1/3 do peso de quem vai carregar a mochila. Por isso, mochilas de 70 ou 80 litros, quando cheias, podem acabar ficando pesadas demais. Ainda é preciso considerar a estatura de quem leva a mochila e como ela será ajustada ao corpo.

Essa definição depende também do tipo de viagem que você vai fazer. No caso de trekking, em quem é preciso levar muito equipamento de acampamento, os tamanhos maiores de 70 a 80 litros são melhores. Caso você não vá acampar, mochilas de 35 a 60 litros vão te atender bem.

Existem ainda mochilas feitas especificamente para homens ou para mulheres que dizem levar em consideração questões corporais de estatura e estrutura. Vale a pena conferir esses modelos e ver se algum deles se adequa melhor para você.


Dicas para qual mochilão comprar

4. Pesquisar qualidade e preço na hora de comprar seu mochilão

A qualidade e o preço variam muito de acordo com a marca da mochila. As mochilas muito baratas não tem uma qualidade muito boa e costumam não aguentar muitas viagens. Existem mochilas de preço médio, que são mais acessíveis e variam entre 300 e 900 reais. As mochilas mais caras vão de 1000 a 2500 reais, mas a maioria delas não é vendida no Brasil.

As mochilas mais caras são um investimento e algumas chegam a durar 10, 20 anos. Inclusive, existem marcas que oferecem garantia vitalícia. As mochilas de preço médio costumam atender bem grande parte dos mochileiros e também tem uma boa qualidade. Então, vai depender da sua intenção na hora de comprar a mochila.

As mochilas de preços mais altos geralmente são usadas por pessoas que fazem trekking de longa duração e precisam levar muitos equipamentos nas viagens. Para viagens mais curtas, com períodos de acampamento mais curtos ou até sem acampar, os modelos de preço médio atendem muito bem.

Para entender quais as melhores marcas e mochilas, existem reviews de outros mochileiros em fóruns, blogs e no youtube. Além disso, uma dica de ouro para as mochilas de preço médio é ir até alguma loja especializada em produtos de viagem, trekking e acampamento e experimentar as mochilas, colocar nas costas e realmente sentir o material. Depois disso, você pode fazer o pedido pela internet se o preço estiver melhor.

Além da durabilidade, escolher um modelo de qualidade evita que aconteçam problemas no meio da sua viagem, como a mochila rasgar, desconforto nas costas e ombros e até algum problema mais sério.

5. Entendendo os ajustes

É importante conhecer também os ajustes da mochila, são eles que vão garantir o conforto, principalmente em caminhadas longas. Alças acolchoadas e ajustáveis nos quadris e ombros são essenciais. Esses ajustes é que vão transformar a mochila genérica em uma mochila específica para você, auxiliando na distribuição do peso.

6. O que observar na hora de comprar o seu mochilão

Esses são os itens mais importantes que você deve se atentar na hora de decidir comprar a sua mochila. Observe bem e leia a descrição do vendedor sobre os elementos que a mochila possui.

Barrigueira: é aquela parte que fica ao redor da cintura. Quando está bem ajustada, ela ajuda a repartir o peso da carga e evitar que todo o peso fique nos ombros. Algumas barrigueiras vem com bolsos que ajudam a guardar água ou outros itens que precisam estar à mão.

Regulagem de altura: é a regulagem que fica nas alças. Elas auxiliam no ajuste da mochila ao corpo.

Fita peitoral: a presilha que vai na altura do peito e auxilia no ajuste da mochila ao corpo.

DrySystem: as partes que ficam em contato com o corpo tendem a ficar bastante molhadas conforme você anda e vai suando. Algumas mochilas tem um tecido poroso que atua como um sistema de ventilação que diminuem esse problema.

Armação: a armação é a parte do esqueleto da mochila, responsável pela sustentação e a postura das costas. O encosto precisa ser respirável, para dar mais conforto.

Capa de chuva: algumas mochilas vem com capa de chuva embutida - geralmente ela fica guardada em algum bolso secreta e é costurada à mochila. Também é possível comprar a capa separadamente. Além disso, algumas mochilas são resistentes à água. 

Dica esperta: muitos mochileiros, quando vão despachar a mochila, preferem colocá-la dentro da capa de chuva, evitando que alguma alça ou prendedor fique preso na esteira ou que seja danificado pelo tratamento sempre cuidadoso dos aeroportos. Até mesmo em casa a capa pode ser usada para armazenamento, já que é mais fácil trocar a capa de chuva do que alguma parte importante da mochila.


Qual mochilão comprar

7. A organização da mochila

Ser organizado ajuda a viajar usando o mochilão, mas isso não quer dizer que quem não é organizado também não possa. Alguns detalhes podem ajudar a manter a organização e facilitar na hora de encontrar o que você precisa dentro da mala.

Você pode começar fazendo um checklist de coisas importantes e tentar enxugar a lista e deixar somente o que é realmente essencial.

A primeira dica de organização é na hora de guardar os objetos dentro da mochila. É importante tentar distribuir o peso igualmente. Por exemplo, não colocar todas as coisas pesadas na parte de baixo, como sapatos, toalha, materiais de higiene pessoal. Eles podem ser distribuídos entre a parte de cima, de baixo e no meio. Vale ressaltar que é sempre melhor que itens mais importantes e/ou mais usados fiquem por cima na mochila.

No momento de guardar as coisas dentro da mochila, fazer dobras que reduzam o espaço das roupas pode ser uma ótima estratégia, além de evitar que as roupas fiquem super amassadas. Você pode dobrá-las enrolando, fazendo rolinhos com cada peça e ir colocando uma por uma, ajustando bem cada peça ao espaço disponível.

A maioria dos modelos atuais de mochila vem com zíper frontal, que permitem que você abra toda a mochila, evitando ter que retirar tudo para pegar o que está no fundo, como nos modelos cilíndricos. Existem também os bolsos dentro da mochila que você pode usar para guardar coisas específicas como documentos, dinheiro, roupas íntimas.

Outra dica importante é saber organizar a quantidade de coisas que você vai levar para não colocar mais peso do que é preciso. Tente levar apenas o essencial. Além disso, você não precisa ocupar todo o espaço disponível na mochila, que pode ser usado para colocar o que você comprar na viagem.

Muitas mochilas possuem correias de compressão para diminuir o volume da mochila, você pode ajustar o tamanho e impedir que as coisas fiquem bagunçadas lá dentro.

Quanto à quantidade de roupas para os dias de viagem, tente fazer a combinação das peças antes e planejar os looks possíveis. Quanto mais possibilidades de combinação para cada peça, melhor. Outra ótima dica é planejar o suficiente para uma semana de viagem e ir lavando as roupas a cada semana. A maioria dos hostels oferece todo material que você precisa para lavar suas roupas por um preço bem em conta – alguns inclusive oferecem o serviço ainda mais barato ou gratuitamente para os voluntários.

Por fim, mais uma dica esperta: sempre feche todas as partes da sua mochila quando não estiver com ela nas costas, isso evita que você acidentalmente pise em alguma coisa e acabe quebrando algum fecho.

No vídeo abaixo a mochileira Kami também dá umas dicas do que saber antes de comprar um mochilão:

Com essas dicas, você já vai ter uma ótima noção na hora de comprar o seu mochilão. Você vai precisar pesquisar bastante, ver diferentes modelos e talvez até ir em uma loja física para experimentar as mochilas, mas logo na sua primeira viagem vai ver que tudo isso valeu a pena.  


D1fcdefba4478fcb5cc229a516efccf8

Mar 06, 2019

Formada em Direito e estudante de Jornalismo. Viajar e escrever estão entre as coisas que mais gosto de fazer na vida.


Gostou? Não esqueça de deixar Bruna saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor