Tentando ser Zen: 6 dicas de autoconhecimento para te ajudar na quarentena

O avanço do Coronavírus no Brasil fez a quarentena essencial, mas mudar a rotina de repente não é fácil. Saiba como desenvolver o autoconhecimento vai te ajudar a superar essa crise com a cabeça no lugar.


Dc1f26688e20dee86ea50588d7fc2eb8

Mila

Mar 25, 2020

Relações Públicas & Instrutora de Hatha Yoga. ♥ Larguei o mundo corporativo para viver meu projeto de vida, o Tentando Ser Zen. Minha paixão é most...

yoga quarentena

A situação da pandemia do Coronavírus não está fácil pra ninguém. Quem tem o privilégio faz home office, e quem não pode, vai trabalhar com medo de contrair o vírus. Os autônomos não sabem como manterão os seus negócios, e para os desempregados, fica complicado conquistar uma oportunidade.

A preocupação com a saúde física é necessária e incontestável, mas hoje vou abordar uma questão que não pode ser negligenciada: a saúde mental. 

Nesse contexto delicado, saber como desenvolver o autoconhecimento é uma ferramenta poderosíssima para manter a sua saúde mental em dia. As informações que eu escrevo, são de acordo com as minhas experiências teóricas e práticas como instrutora de Hatha Yoga e praticante há 6 anos.

Olhar pra dentro: a importância dos seus pensamentos

Quase que de um dia para o outro, foi necessário mudar a sua rotina e sair da zona de conforto. A liberdade de interagir em qualquer lugar e com qualquer pessoa, foi reduzida a contatos feitos com cuidado e regados a álcool em gel. 

O beijinho no rosto de costume, hoje é negligência. Um espirro é suficiente para atrair olhares amedrontados e cada vez é mais fácil encontrar gente mascarada pelas ruas. O transporte público que é indispensável para muitos, está cada vez mais vazio.

Diante dessas mudanças, entre tantas outras que poderiam ser citadas, a mente entra em estado de alerta já que o corpo é alvo delicado. Diversos pensamentos surgem enquanto a água se mistura ao sabonete que higieniza as mãos.

Trabalho, família, comida. Os planos precisam ser repensados diante da incerteza do futuro. Receio pela sua saúde, dos seus filhos, pais e avós.

Tudo está mudando e é normal ter medo, sentir frustração, impaciência e até mesmo o sentimento de impotência pode surgir. E é assim que você começa a desenvolver o poder do autoconhecimento: identificando e aceitando os sentimentos, porque eles são normais. Basta aprender a lidar com eles.

Você não é os seus sentimentos

Durante as aulas de Yoga eu costumo relembrar aos meus alunos de que eles não são os sentimentos que têm. Mestres de Yoga e de meditação já escreveram sobre, e eu comprovei durante meus anos de prática e ensino.

Em questão de minutos, dependendo do que está acontecendo no ambiente externo, diversos sentimentos bons ou ruins surgem: medo, raiva, angústia, impaciência, felicidade, satisfação, orgulho, entre outros. No momento da quarentena, a tendência é surgir sentimentos mais negativos, por isso, um exercício importante é identificá-los. 

Você está tentando fazer home office e alguém começa a falar alto no celular no cômodo ao lado. Você vai sentir alguma coisa quase instantaneamente. 

Nesse momento, o seu papel vai ser identificar o que te tirou do seu estado tranquilo:

‘’Estou sentindo frustração por não conseguir me concentrar’’ 

 "Estou com raiva porque a pessoa ao lado não respeita o meu espaço’’

Identificar os sentimentos é essencial em como desenvolver o autoconhecimento porque você sente, identifica e reflete se segue a vida ou se alguma atitude deve ser tomada, como conversar com a pessoa...Sem a identificação, você embala no sentimento que, além de te consumir, vai gerar sentimentos piores, te deixando de mal humor e estragando o seu dia. 

A medida em que você pratica a identificação, você faz com que o sentimento fique menos tempo em você. Vai ser necessário ter paciência durante o processo, mas te ajudo nesse sentido também.



Como ter mais paciência: o maior desafio durante a quarentena 

Ter paciência no dia a dia já é difícil. Manter a calma num ambiente fechado, sem poder sair de casa e, na maioria das vezes, compartilhando o espaço com outras pessoas, vai ser um grande desafio e você vai precisar usar a empatia na prática. 

A boa notícia é que se você mantiver o exercício de observar os seus sentimentos e pensamentos, você vai lidar muito melhor com essa situação. 

Todo mundo precisa de espaço

O fato de ter que conviver o tempo todo com as mesmas pessoas vai diminuir a privacidade de todos, e é importante ter essa consciência. Ainda mais se a sua casa não for tão espaçosa. Confira algumas dicas para melhorar o convívio:

  • Respeite o espaço de cada um

Espaço não é apenas um lugar físico como um cômodo da casa, mas também um momento. Por exemplo, sua irmã está lendo um livro e você começa a conversar com ela de repente. Para você, isso pode não parecer nada, mas para ela pode ser uma invasão daquele momento que ela reservou. 

Pergunte se a pessoa tem alguns minutos para você, bata na porta antes de entrar. Você também pode e estabelecer limites, por exemplo, pedir que não te incomodem quando você estiver usando fones de ouvido. Uma atitude simples para delimitar o espaço faz toda a diferença.

  • Utilize os espaços em comum com respeito

Cozinha, sala e banheiro são os cômodos mais compartilhados na casa, mas pode ser que você divida o quarto também. Seja qual for o cômodo, respeite os moradores da casa: lave a louça depois de usar, pode ser que outra pessoa queira usar aquela panela antiaderente maravilhosa que você deixou suja. 

Não alugue o sofá e a TV da sala só para você, veja se os outros têm algo que gostam de assistir. Mantenha o quarto organizado, não deixe roupas largadas pelo banheiro. São pequenas atitudes que evitam o desgaste emocional dos moradores da casa. Todos estão vivendo em comunidade, então é necessário pensar no coletivo.

  • Faça a sua parte

Ajude como puder, se você não gosta de limpar, ajude a organizar, faça um jantar, organize uma noite de filmes. Esse é um momento onde todos estão cansados mentalmente. Cada pessoa dentro de casa precisa ser um alicerce, e não um motivo de briga ou de problemas.

Observar e respeitar o espaço de cada um é importante, e é uma experiência de autoconhecimento, e desenvolve a sua paciência, porque ao mesmo tempo que você precisa que os outros entendam e respeitem o seu espaço, você vai precisar abrir os olhos para eles também. Além do espaço, entender sobre o tempo de cada um é essencial.

  • Cada um tem o seu tempo

Todo mundo está tentando se adaptar. Pode ser que os seus horários de acordar e dormir mudaram, ou pode ser que seu home office te obrigue a cumprir a jornada que já era de costume. Entender que você tem o seu tempo e que o outro também, vai ser muito importante para manter a cabeça no lugar. 



3 dicas básicas de convivência que farão toda a diferença

1. Silêncio

Se você já acorda animado, pronto pra colocar aquela música, maravilhoso. Mas pode ter alguém na sua casa que prefere começar o dia mais tranquilo. É muito importante respeitar quando as pessoas estiverem dormindo. Ninguém merece ser acordado com barulho ou então começar a conversar de política na hora do café da manhã.

2. Horário de refeições

é super legal poder comer em família, mas às vezes alguém ou você pode não estar tão a fim. Por isso, é legal valorizar os momentos em conjunto, mas não forçar a barra e não tentar estabelecer horários muito fixos. A quarentena já é difícil e tentar controlar tudo e todos vai ser muito estressante.

3. Horário de trabalho

Se você tiver um horário fixo para trabalhar, avise as pessoas da sua casa e saiba o horário delas também. Se você perceber que alguém está trabalhando, tente fazer mais silêncio, não bater portas, esse tipo de coisa que tira a atenção. Da mesma forma, converse se algo estiver te incomodando.

Empatia na prática

Você percebeu que essas dicas focam basta na forma de tratar as pessoas que moram com você? 

É entender o outro e mostrar que você também tem as suas características a serem respeitadas. Além de dicas de convivência, durante a quarentena é importantíssimo que você relaxe a sua mente.



6 dicas de autoconhecimento para te ajudar na quarentena

Separei dicas simples e que funcionam comigo e acredito que podem funcionar com você também. 

Elas se baseiam em trabalhar o corpo, a mente e o espírito. Teste cada uma delas, pode ser que você não se adapte a todas. O mais importante é experimentar!

1. Tenha um caderno de anotações

Diário, ou como você preferir chamar. Escolha um momento para escrever sobre o que te tirou do sério. O que aconteceu, o que você sentiu, como você reagiu e como evitar que isso aconteça novamente. Escrever vai te ajudar a enxergar o que acontece com a sua mente e acalma o coração. Pode parecer bobo, mas ajuda muito!

2. Pratique Yoga

O Yoga é uma filosofia de vida que muda a forma de encarar os desafios internos e externos. Movimenta a o corpo, a mente e a alma. Na minha página eu dou dicas gratuitas.

3. Tente meditar

Comece com 5 minutinhos por dia. No começo não vai ser fácil, mas você não vai se arrepender quando encontrar a paz mental.

4. Desenvolva seus hobbies

Fazer o que você ama é imprescindível para manter a sua saúde mental. Se você gosta de praticar algum esporte e não pode por causa da quarentena, leia algum livro sobre, uma biografia, filmes ou séries que te deixem em contato com esse seu hobby. Faça todos os dias algo que você ama. Nem que por 10 minutinhos.

5. Controle o seu tempo online

Não fique o dia inteiro lendo notícias sobre o coronavírus porque vai te deixar em uma sintonia de medo. Olhe as notícias duas vezes ao dia, aproveite o seu tempo em casa. Não gaste a sua energia e tempo com coisas que desgastam o seu espírito.

6. Faça terapia

Nem todas as dificuldades emocionais podem ser trabalhadas com essas 5 dicas, então se você sentir que precisa de ajuda externa, procure um profissional. Há psicólogos oferecendo atendimento online com preços econômicos. A saúde mental não é brincadeira, cuide-se.

Quarentena: tempo de reavaliar a vida

O Coronavírus fez o mundo inteiro ir pra casa. Ninguém sabe o que vai ser do trabalho, da economia, da educação. Eu não tenho controle de quase nada e você também não. 

Por isso, encare essa quarentena como uma oportunidade de reavaliar sua vida, seus hábitos e relacionamentos. É tempo de repensar.

Você já sabe como desenvolver o autoconhecimento, mas mais importante do que isso, você sabe a importância de olhar pra dentro. A forma com a qual você lida com o que passa dentro de você, reflete no mundo. 

A jornada do desenvolvimento interno é uma das formas de amor mais bonitas porque é difícil, mas os resultados enriquecem a alma. E uma alma feliz e que brilha é capaz de mudar o mundo!


Dc1f26688e20dee86ea50588d7fc2eb8

Mila

Mar 25, 2020

Relações Públicas & Instrutora de Hatha Yoga. ♥ Larguei o mundo corporativo para viver meu projeto de vida, o Tentando Ser Zen. Minha paixão é most...


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor