voluntária caminhando por ruas da cidade

Cada momento é único e se conseguir analisar, com cuidado, verá as lições valiosas que a vida lhe entrega.

Quando comecei a viajar não imaginava as diversas transformações que poderiam ocorrer dentro de mim.

No início eu era uma típica turista, ou seja, o ato de viajar era apenas um momento de descanso ou de trabalho.

Deixo claro que não há problema algum em ser turista. Contudo, há diversos estilos de viagem e cada uma pode oferecer algo.

Quatro dias no Rio de Janeiro, por exemplo, podem ser ótimos para descansar, mas será quase impossível sair dessa viagem com todo o aprendizado que o Rio pode oferecer. Isso requer tempo e entrega.

Por isso, acredito que ser viajante é um privilégio, pois permite estar muito mais entregue aos momentos, se aprofundar mais sobre cada cultura e ficar o tempo que for necessário no destino. 

amigos apreciando a vista ao por do sol

Neste momento, abro uma explicação muito pertinente sobre privilégio: é extremamente importante que os viajantes saibam que são pessoas privilegiadas. Elas possuem dois recursos que poucas pessoas têm: tempo e dinheiro.

“Ah, mas eu sou nômade digital”. Ótimo que sua profissão te permite isso. Você é privilegiado.

“Ah, mas é que viajo com muito pouco”. Que bom você pode destinar sua pouca grana para isso. Muitas pessoas usariam essa mesma grana para alimentar suas famílias, por exemplo.

Sendo assim, você é privilegiado.

“Ah, mas eu não estou o tempo todo na estrada”. Que sorte sua ter pequenas doses de liberdade. Você tem aí um privilégio.

Entender seus privilégios, quem você é e de onde veio, é o primeiro passo para conseguir realmente se entregar à estrada e absorver todas as lições necessárias.

Digo isso pois na estrada você precisará, constantemente, aplicar alteridade, ou seja, a capacidade de se colocar no lugar do outro sem preconceitos formados com base na sua própria vivência.

Somente com uma alta dose de alteridade as pessoas, costumes e culturas, poderão se apresentar a você como o que são. Entender isso te permitirá não julgar tanto, observar mais e tirar grandes ensinamentos de tudo.

Com o outro será possível também aprender mais sobre você mesmo. É exatamente aí que o poder transformador da estrada acontece.

O outro, seja uma pessoa, uma cultura ou uma paisagem, entra no seu caminho justamente para que a magia aconteça. Essa magia que me refiro aqui nada mais é do que a troca e se você estiver aberto a ela certamente não voltará o mesmo. 


92db2fb0956ca6b5ea6ef682fdd96662

Nathalia

Sou jornalista de formação e conto com passagens por diversos veículos de imprensa. No entanto, f...

+ Ver mais

Ago 20, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Nathalia saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor