Guia do Viajante para aproveitar sua experiência com a Worldpackers

Eba! Você agora é um membro verificado da Worldpackers e vai poder viajar o quanto quiser! Então não perca essas dicas para aproveitar ao máximo sua experiência.


63c50c821698e92b932aab17a59cfd7e

Mariana

Out 31, 2019

Apaixonada por tudo que é transformador, que chega pra acrescentar e colaborar. O mundo é de trocas e tô aqui para deixar e receber :)

Guia para Membros Verificados

Para que você tenha a melhor experiência como voluntárix, preparamos O Guia para Viajantes! Nele, você vai encontrar:

Aplicação

1.1 O que é uma relação colaborativa e no que ela difere de uma relação de trabalho?

1.2 Como aplicar para uma vaga de voluntariado e o que você precisa se comprometer

1.3 Tempo ideal para aplicar para uma vaga

1.4 Como aplicar com um companheirx de viagem para as vagas

1.5 Como aumentar as chances de ser aceitx por um anfitrião e criar um perfil de viajante

1.6 Que tipo de documentação é necessária para fazer um voluntariado

1.7 Como contatar nossa equipe de Suporte

1.8 Por que é importante confirmar a trip pela plataforma?

Preparação pré-viagem

2.1 O que é essencial levar na sua mala/mochila para uma viagem

2.2 O que não fazer em um voluntariado da Worldpackers

2.3 Como fazer um planejamento financeiro que caiba no seu bolso

2.4 Aplicativos essenciais para a sua viagem

2.5 Tive uma urgência e não poderei mais viver a experiência: o que fazer

2.6 O que é o seguro WP e como solicitar

Pós-viagem

3.1 A importância da review e porque você deve deixar uma depois do voluntariado

3.2 Conselhos para viver viajando (e ganhar dinheiro com isso!)

Confira nossas dicas para uma ótima viagem voluntária com a Worldpackers:



1. Aplicação

1.1 O que é uma relação colaborativa e no que ela difere de uma relação de trabalho?

O turismo colaborativo é a ideia de viajar trocando habilidades por acomodação e outras vantagens. O conceito é simples: você ajuda algum hostel, ONG ou projeto ecológico em diversas funções possíveis e, em troca, ganha a acomodação no lugar onde está voluntariando. Alguns anfitriões oferecem outros benefícios, como refeições, lavanderia, bicicletas, aulas de yoga e por aí vai!

Relações colaborativas são aquelas que, além de ajudar o próximo, buscam incentivar a troca sem necessariamente envolver dinheiro. Esse tipo de relação é baseada na empatia, no desenvolvimento do outro e na evolução do conjunto. Em resumo, as relações colaborativas são como um trabalho em equipe!

Na Worldpackers, a relação colaborativa funciona da seguinte forma: o anfitrião, seja um hostel, ONG, projeto ecológico ou outros projetos, precisa de alguém para ajudar em tarefas simples do projeto e o viajante precisa de um lugar para ficar por algum tempo sem gastar muito. Pronto! Encontro perfeito! O anfitrião encontrou alguém para ajudá-lo e o viajante um lugar para ficar sem pagar!

É importante lembrar que uma viagem de turismo colaborativo não tem nenhuma conexão com relações de trabalho ou remuneradas. Quando se trata de uma relação de trabalho é preciso existir contrato, remuneração, horas de trabalho de acordo e, dependendo do país, um visto específico para isso.

Em uma relação colaborativa não existe esse vínculo empregatício, as horas não passam de 30 por semana e a relação entre anfitrião e voluntário é de amizade, não a de chefe e empregado.

1.2 Como aplicar para uma vaga de voluntariado e o que você precisa se comprometer

A coisa mais importante que você deve saber para escrever uma aplicação incrível é a descrição do anfitrião e da vaga. Com isso, você saberá o perfil que o anfitrião está procurando e um pouco mais sobre as atividades para as quais você está aplicando. Além disso, isso mostrará para o anfitrião que você se preparou bem!

Fale um pouco sobre você, o porquê de estar viajando, porque escolheu aquela cidade e aquela vaga/anfitrião específicos, pra onde você já viajou... no mais, um resumão sobre quem é você e o que está buscando!

Depois disso, conte um pouco sobre suas experiências de vida, o que você estuda ou estudou, se tem alguma experiência com qualquer tipo de trabalho (mesmo que não seja em um hostel/ONG/fazenda). Sua jornada mostrará ao anfitrião várias outras coisas sobre você e quão animado você está para dar esse próximo passo.

Comente também sobre as atividades que você fará: tire suas dúvidas, deixe o anfitrião saber que você está ciente de tudo e compartilhe o que você pode fazer para agregar no time de viajantes e só vai. \o/

Lembre-se: há uma diferença entre tirar suas dúvidas e fazer um questionário. Tenha certeza de que as informações que você precisa não estão na descrição da vaga ou até mesmo no site do anfitrião antes de perguntar, tudo bem? A melhor coisa é fazer uma busca online rápida sobre o anfitrião antes de confirmar qualquer coisa.

Confirme durante a aplicação se existe alguma taxa extra a ser cobrada de voluntários, qual o endereço para chegar no estabelecimento do anfitrião, o transporte (caso a localização seja de difícil acesso) e o horário da sua chegada.

MUITO importante: só aplique para uma vaga de voluntariado se você realmente tiver a habilidade necessária que o anfitrião precisa. Se você não sabe editar vídeos, então não aplique para as vagas que pedem edição. :)

1.3 Tempo ideal para aplicar para uma vaga

A grande maioria dos anfitriões não consegue se planejar com muita antecedência. Procure aplicar entre 2 e 8 semanas antes da data de início da experiência. Se você quiser ter um planejamento com mais antecedência, você pode se aplicar até seis meses antes.

Se você estiver precisando de um anfitrião de última hora, é só ver no nosso site todos os voluntariados que estão precisando de alguém com urgência.

1.4 Como aplicar com um companheirx de viagem para as vagas


Casal de voluntários

Para obter o plano de casal e amigos, o primeiro passo é criar um perfil para cada um e deixá-lo brilhando! Ou seja, falar sobre si mesmo em cada campo do perfil, adicionar fotos de outras viagens e colocar suas habilidades.

Depois, para que vocês façam aplicações para qualquer anfitrião na nossa plataforma, é preciso se tornar um Membro Verificado, pagando a nossa taxa anual (uma só vez e válida por um ano!) de US$59. Para isso, um de vocês deve escolher a opção “Plano de Casal/Amigos” na página para se tornar Membro Verificado.

Supondo que você faça o pagamento pelo plano anual, você deve preencher um espaço com o e-mail de quem vai viajar junto. O convidado só se torna Membro Verificado quando aceita o convite e, então, o plano já é identificado como duplo.

Lembrem-se que só será possível aplicar para vagas de voluntariado se ambos os perfis tiverem sido completados e se ambos possuírem as características requisitadas na descrição da vaga.

Quando um anfitrião os pré-aprovar, ambos receberão a notificação, mas basta que um de vocês confirme com o anfitrião para que a viagem dos dois seja confirmada.

Caso você tenha um perfil solo e queira alterar para o de casal/amigos, leia as seguintes recomendações:

  • Se ambos adquiriram o plano solo há menos de 3 meses, podemos juntar os perfis e estabelecer a data de expiração mais distante (o último que comprou o plano), sem direito a reembolso por nenhuma das partes.
  • Se ao menos um dos Membros Verificados comprou há mais de 3 meses, podemos juntar os perfis e estabelecer a data de expiração mais próxima (o primeiro que comprou o plano), sem direito a reembolso por nenhuma das partes.
  • Se apenas um de vocês comprou e pede a troca do plano em até 7 dias sem ter utilizado nossos serviços (uma ou mais aplicações; uma ou mais pré-aprovações; uma ou mais confirmações de viagem), poderá receber o reembolso em forma de dinheiro ou de créditos na plataforma - com os créditos na carteira, só será preciso pagar a diferença de US$10.
  • Se apenas um de vocês comprou e pede a troca do plano em até 7 dias mas tem aplicações respondidas, poderá receber o reembolso na forma de créditos na plataforma.
  • Se apenas um de vocês comprou e pede a troca do plano em até 30 dias, poderá receber o reembolso na forma de créditos na plataforma.
  • Se apenas um de vocês comprou e pede a troca do plano 30 dias após a data da compra, não será possível receber o reembolso em forma de dinheiro nem de créditos.

Planos solo adquiridos a partir do dia 7 de outubro de 2019 e que estão sendo utilizados como perfil para uma dupla estarão sujeitos a sua remoção total da plataforma, mediante aviso prévio, sem reembolso.

1.5 Como aumentar as chances de ser aceitx por um anfitrião e criar um perfil de viajante

  • Não se prenda a uma só localidade

Mantenha suas opções abertas! Uma cidade pode ter poucos anfitriões e, dependendo da época do ano, é possível que eles nem precisem de voluntários. Por exemplo, a grande maioria dos anfitriões que ficam no litoral norte da Europa fecham durante metade do ano, abrindo somente durante a primavera e o verão. Dessa forma, para aumentar as chances de ser aceito, não fique obcecado com somente uma cidade.

  • Viaje sozinho

Viajar sozinho aumenta suas chances de ser aceito, já que muitos anfitriões aceitam somente um Worldpacker por vez. Isso tem a ver com a necessidade do lugar e a época do ano.

Caso você não abra mão de viajar com seu companheiro ou amigos, procure por fazendas, ecovilas e ONGs, pois estes costumam aceitar mais Worldpackers que viajam em dupla ou grupo.

  • Aplique-se no máximo com antecedência de duas a oito semanas

Isso porque grande parte dos anfitriões não conseguem se planejar com muito tempo de antecedência. Na Worldpackers, você consegue se aplicar seis meses antes da data de chegada, mas talvez o anfitrião não te aceite porque não sabe se realmente vai precisar de ajuda naquela data. Então, o melhor é segurar a ansiedade e fazer a aplicação entre duas e oito semanas antes da sua chegada.

  • Escreva aplicações personalizadas

Pense no quanto de confiança o anfitrião tem que ter para abrir sua casa e seu negócio para te receber. A confiança começa a se formar já na sua aplicação. Demonstre que realmente leu o perfil dele e que entendeu tudo o que ele está pedindo.

Nunca copie e cole a mesma aplicação para todos os anfitriões, pega bem mal! Então, tire um tempo para escrever uma aplicação legal e que deixe transparecer quem você é, seus gostos e como você pode ajudar seu anfitrião, eles gostam quando veem uma aplicação de alguém que realmente tomou o tempo de ler a descrição e escreveu uma mensagem mais personalizada, mas também tenha cuidado em ser objetivo com as informações mais importantes e evite textos muito longos.

Dica: escreva a aplicação sempre no idioma solicitado pelo anfitrião. Se você não souber se comunicar naquele idioma, para anfitriões estrangeiros, faça em inglês .

  • Deixe seu perfil completão

Na aplicação, o anfitrião tem acesso tanto a sua mensagem, quanto ao seu perfil completo. Lembra da história da confiança? Quanto mais informação seu anfitrião conseguir ver sobre você, mais fácil dele decidir se você é a pessoa certa para ajudá-lo! Eles adoram ver fotos que reflitam quem você é e o que você gosta de fazer, bem como o que te levou a procurar uma experiência pela Worldpackers. Então, capriche na descrição e coloque as habilidades que você realmente tem para não deixar o anfitrião na mão.

No vídeo abaixo, o Kayo deu ótimas dicas de como deixar seu perfil super atrativo, confira:

  • Aplique-se para pelo menos oito anfitriões

Anfitriões nem sempre precisam de voluntários. Pode ser por causa da baixa temporada (sem necessidade de ajuda), da alta temporada (sem cama para os voluntários dormirem), por uma reforma, por fechamento temporário, enfim, são muitos motivos para um anfitrião recusar ou não responder um voluntário, então, idealmente, um viajante deve aplicar para pelo menos oito lugares.

O perfil dos anfitriões na Worldpackers têm a informação da “Taxa de resposta”, ou seja, se essa taxa estiver muito baixa, as chances de ser respondido são menores. Não aposte todas as suas fichas em um anfitrião só.

  • Respeite o tempo mínimo de estadia e seja honesto em relação às suas habilidades

Se o anfitrião colocou no perfil que a estadia é de quatro semanas, respeite isso. Ele sabe quanto tempo leva para treinar o Worldpacker e não é à toa que ele escolheu esse período. Ou seja, mandar uma mensagem falando que só pode ficar uma semana é furada. Uma estadia mais curta pode significar ainda mais trabalho para ele, então, só se aplique se realmente puder se comprometer a ajudar por todo o período.

Outro coisa muito importante para que a experiência seja a melhor possível é ser sincero em relação às habilidades que já tem, que está desenvolvendo e às quais quer aprender. É fundamental que o voluntário atenda aos requisitos que o anfitrião solicitou, para que nenhum dos dois lados se prejudique, por isso essa transparência é fundamental.

1.6 Que tipo de documentação é necessária para fazer um voluntariado

Você é responsável pela obtenção de todos os documentos necessários para entrar no seu país de destino, inclusive o Visto. Lembre-se que cada país tem uma política diferente de visto dependendo da sua nacionalidade. É bom conferir no site da embaixada do seu país as informações detalhadas.

Quando você chegar ao aeroporto ou à imigração, talvez solicitem o seu Comprovante de Confirmação de Viagem (que você recebe por e-mail quando confirma uma viagem pela plataforma) e/ou algum outro documento administrativo ou de viagem. É sua responsabilidade ter em mãos todos os documentos necessários para viajar. Para mais informações, acesse este site.

1.7 Como contatar nossa equipe de Suporte

O nosso time de Suporte está pronto pra te ajudar antes, durante e depois da sua viagem. O contato deve ser feito pelo e-mail [email protected] e o prazo de resposta é de 24 horas.

1.8 Por que é importante confirmar a trip pela plataforma?

É super importante que você realmente confirme a viagem pela plataforma da Worldpackers porque só assim você vai estar garantidx de receber os nossos benefícios, como, por exemplo, o Seguro WP. Caso a trip não seja confirmada e ainda sim você viajar com o anfitrião escolhido, nós não poderemos dar nenhum tipo de suporte na sua viagem.

2. Preparação pré-viagem

2.1 O que é essencial levar na sua mala/mochila para uma viagem



  • Vestuário

Antes de ir enfiando tudo na mochila, monte todas as combinações de roupa possíveis com as peças que você pretende levar. Organize-as por categorias — calças, blusas, casacos. Essa é uma forma de analisar o que é dispensável. Foque em peças que você possa combinar entre elas, assim você evita roupas que serão usadas poucas vezes.

  1. Camisetas;
  2. Shorts/saias/vestidos;
  3. Short para esportes;
  4. Calças esportivas;
  5. Calça jeans (você pode cortar depois e transformar em bermuda);
  6. Moletom/casaco;
  7. Casaco leve;
  8. Tênis/sapato casual;
  9. Chinelo para banho;
  10. Roupas íntimas/meias;
  11. Maiô/biquíni/roupa de banho;
  12. Pijama;
  13. Óculos de sol;
  14. Boné/chapéu;
  15. Canga;
  16. Sacos para roupas.
  • Higiene Pessoal

Muitas vezes você vai carregar suas coisas para banheiros que podem ou não ter ganchos e cabides. Se você tiver uma ‘necessaire’ de plástico ou de um tecido que seca rápido, por exemplo, pode facilitar o transporte e manter os seus itens de higiene pessoal sempre secos e limpos. Outra dica é o uso de shampoo em barra, para evitar vazamentos durante viagens.

  1. Toalha de corpo (daquelas que secam rápido);
  2. Tubos pequenos para shampoo e cremes;
  3. Pasta e escova de dente;
  4. Pente/escova;
  5. Repelente;
  6. Protetor solar;
  7. Desodorante;
  8. Pacotinhos lenço descartável (sempre útil);
  9. Mini kit primeiros socorros (band aid, remédios, curativos);
  10. Sacos plásticos para roupas sujas.
  • Gadgets

Esse item, assim como câmeras e lentes, entram na categoria dos gadgets que devem ser carregados na sua mochila de ataque, para que fiquem sempre perto de você e para garantir que eles não vão sofrer danos. Cabos e demais acessórios podem ser colocados no mochilão.

  1. Notebook (caso deseje trabalhar enquanto viaja);
  2. Carregadores/fios diversos;
  3. Power bank;
  4. Kindle ou algum livro que queira levar;
  5. Cardeninho para fazer anotações;
  6. Adaptador de tomadas universal;
  7. Fones de ouvido;
  8. Lanterna;
  9. Guarda chuva ou capa de chuva;
  10. Cadeado (para utilizar nos armários de hostels, para guardar objetos de valor).
  • Uso pessoal

Aqui entram aqueles itens para carregar na sua mochila de ataque e também algumas coisas específicas que você não vive sem.

  1. Tampões de ouvido;
  2. Tapa olho para dormir;
  3. Garrafinha para água e outras bebidas;
  4. Moneybelt (doleira);
  5. Lápis/caneta.

  • Documentos

Digitalize tudo o que puder. Até mesmo os documentos que você precisa carregar sempre com você (como o passaporte), é sempre legal manter uma cópia na nuvem ou no seu e-mail, por segurança.

  1. Passaporte;
  2. Seguro de viagem (saúde);
  3. Passagens;
  4. Cartão de crédito/cartão pré-pago;
  5. Dinheiro (sempre bom ter uns trocos);
  6. Carteira vacinação internacional ANVISA (diversos países solicitam, não esqueça de verificar quais vacinas você precisa ter antes de chegar em um determinado lugar);
  7. Pastinha/envelope para proteger e organizar todos itens acima.

2.2 O que fazer e não fazer como um viajante da Worldpackers

Pra começar, vamos falar primeiros sobre o que fazer em um voluntariado? Preparamos os 10 mandamentos do viajante aqui:

  1. Deixarei meu espaço organizado;
  2. Lavarei sempre minha louça;
  3. Não acenderei de noite a luz do quarto compartilhado;
  4. Não deixarei meu despertador tocando várias vezes;
  5. Estarei pronto para colaborar com o meu anfitrião no horário combinado;
  6. Serei proativo;
  7. Não comerei os alimentos sem meu nome na cozinha;
  8. Irei manter minhas coisas limpas;
  9. Não irei demorar no banheiro;
  10. Respeitarei a individualidade de cada um.


E o que NÃO fazer ao ser um viajante worldpacker:

  1. Deixar seu perfil incompleto e desatualizado;
  2. Não se atentar às atividades a serem realizadas no voluntariado;
  3. Não cumprir com as datas e horários acordados com o anfitrião;
  4. Ir embora quando aparecer alguma dificuldade que dá pra resolver;
  5. Deixar de avisar ao anfitrião quando for viajar nos seus dias livres;
  6. Fazer barulho e bagunça no lugar do seu anfitrião;
  7. Ofender ou desrespeitar as pessoas do seu convívio.

2.3 Como fazer um planejamento financeiro que caiba no seu bolso

O custo principal é a passagem aérea e o melhor site de compra é a Skyscanner. A dica para aproveitar o melhor do site é ter flexibilidade quanto à data e local de destino.

Pratique e simule diferentes compras de passagens que você começará a observar padrões de mudança de preços. Para alguns destinos, compensa mais comprar ida e volta, enquanto que em outros só a ida. A data para comprar também varia: algumas são melhores 6 meses antes, outras 3 meses ou até 1 semana antes da viagem, dependendo do teu destino e de onde você vai sair.

No geral, as dicas principais para comprar passagens aéreas baratas são:

  • Para viagens internacionais de longa distância, recomenda-se a compra com 6 meses de antecedência. Além disso, evite fazer suas buscas (e também a compra) nos horários de pico, como fim de semana, feriados e datas festivas, para não viciar os buscadores a te mostrarem só preços caros.
  • Fique de olho em códigos promocionais que algumas companhias aéreas liberam ocasionalmente. Esses códigos são raros, aparecem no site da própria companhia e se esgotam rapidamente.
  • Cadastre-se em programas de fidelidade para acumular milhas viajando em companhias aéreas associadas, lembrando de cadastrar as suas milhas dentro do período de validade.
  • Trocar pontos do cartão de crédito por milhas, benefício oferecido por alguns bancos a cada valor gasto no cartão de crédito. Você deve estar se perguntando se vai precisar fazer compras e gastar mais dinheiro só para conseguir alguns míseros pontos e a resposta é não! Faça o pagamento de tudo o que você já pagaria mensalmente, como os boletos bancários, por cartão de crédito e em troca receberá pontos a serem acumulados que podem ser trocados por milhas.
  • Fique de olho em bugs que ocorrem raramente, mas acontecem. Alguns websites das companhias aéreas podem sofrer uma pane momentânea e ter passagens acidentalmente abaixo do valor. Se você tiver sorte de visualizar esse momento precioso, compre sem pensar duas vezes.

E quanto aos custos diários de uma viagem, como calculá-los? Isso sempre vai depender muito das suas prioridades como viajante.

Procure ter uma idéia dos gastos diários da cidade de destino, principalmente em relação ao valor dos alimentos no mercado, a entrada dos pontos turísticos de seu interesse e o valor do transporte público e do transporte para cidades e países vizinhos. Lembrando de ter cautela e, se possível, ter uma margem financeira para mais do que o mínimo planejado.

Sites que vão te ajudar a planejar suas viagens: Skyscanner, Rome2rio, Go Euro e Expatistan. Caso queira estabelecer um planejamento na ponta do lápis, faça o download gratuito do nosso eBook aqui.

2.4 Aplicativos essenciais para a sua viagem



Confira a sugestão de aplicativos de viajantes que estão na estrada:

  1. Azair;
  2. FlixBus;
  3. BlaBlaCar;
  4. CityMapper;
  5. 9292;
  6. Google Maps;
  7. Maps.me;
  8. Bike Share Buddy;
  9. Uber;
  10. Cabify;
  11. My Taxi;
  12. Just Eat;
  13. TransferWise;
  14. PayPal;
  15. Money Manager;
  16. Worldpackers;
  17. Couchsurfing;
  18. Booking;
  19. Airbnb;
  20. Hostelworld;
  21. Meetup;
  22. Pack Point;
  23. Google Fotos;
  24. Everyplace;
  25. Tripline;
  26. Google Tradutor;
  27. Google Trips;
  28. TimeOut;
  29. TripAdvisor;
  30. FreeTour e Sandeman’s New Europe;
  31. TRVL.

2.5 Tive uma urgência e não poderei mais viver a experiência: o que fazer

Caso o viajante cancele a viagem:

Tenha em mente que os anfitriões depositam muita confiança nos viajantes com viagens confirmadas para ajudá-los com o combinado (em alguns casos, até mesmo administrar seu negócio) e cancelamentos em cima da hora podem ser muito prejudiciais a eles.

Entendemos que situações inesperadas podem levar ao cancelamento de viagens. Recomendamos que você se comunique com o seu anfitrião o mais rápido possível e veja se é possível mudar as datas originais em vez de cancelar a viagem toda. Se isso não for possível, você deve informar o seu anfitrião que você não poderá mais viajar. É bom enviar uma mensagem para o anfitrião com uma breve explicação do motivo do cancelamento. É sempre bom deixar as portas abertas caso você queira aplicar de novo no futuro.

Nas páginas de aplicação a vagas, onde viajantes e anfitriões conversam, você encontrará o botão “Cancelar a Estadia”. Caso o viajante cancele a viagem com 7 dias ou menos de antecedência, receberá automaticamente uma avaliação de 1 estrela com os dizeres “viajante cancelou de última hora”.

Caso o anfitrião cancele a estadia do viajante:

Na falta de disponibilidade de outros anfitriões na cidade previamente escolhida como destino, o time de suporte da Worldpackers te ajuda a encontrar anfitriões em cidades alternativas e/ou em outras vagas de voluntariado.

A Worldpackers não se responsabiliza e/ou cobre os custos de alteração de passagem e/ou similares caso haja a necessidade de alterar a cidade destino durante o processo de realocação.

Caso o cancelamento seja de 30 dias ou menos de antecedência, o time de suporte da Worldpackers o ajudará a encontrar um novo anfitrião dentro do período da viagem exposto na confirmação da viagem dentro da plataforma.

Muito importante: não é possível realizar reembolsos. Após a utilização dos serviços providos pelo Plano Anual, o reembolso da taxa pode ser feito apenas por meio de créditos na carteira virtual.

2.6 O que é o seguro WP e como solicitar

Para solicitar o Seguro Worldpackers você precisa preencher esse formulário: Formulário para solicitação do Seguro WP e nós entraremos em contato o mais rápido possível.

Se, por qualquer razão, o anfitrião não respeitar o que foi combinado previamente (a contar da data de chegada), a Worldpackers vai ajudá-lo a encontrar outro anfitrião nas proximidades para que você possa trocar suas habilidades por hospedagem. Caso não consigamos realocá-lo, a Worldpackers pagará por até 3 noites de hospedagem em outro hostel, em um quarto compartilhado, previamente selecionado na mesma cidade. Pedimos que o viajante contate o time de Suporte da Worldpackers antes de sair do anfitrião para conseguirmos atendê-lo da melhor maneira.

Abaixo, seguem as regras de aplicabilidade do Seguro WP:

  1. O Seguro WP é apenas aplicável em casos onde a responsabilidade recai inteiramente sobre o anfitrião;
  2. O seguro WP é apenas válido durante o período da experiência;
  3. São consideradas as datas de início e término da experiência que constam na confirmação de viagem;
  4. Caso as datas sejam recombinadas entre anfitrião e viajante, porém não haja alteração destas dentro da plataforma, o Seguro WP não é válido;
  5. Apenas Membros Verificados têm direito ao Seguro WP;
  6. O Seguro WP é válido a cada viagem confirmada. Se você possui duas ou mais viagens confirmadas, terá o mesmo número de Seguros WP para utilizar;
  7. O Seguro WP será fornecido ao viajante após o contato e relato da situação ao time de Suporte da Worldpackers;
  8. Caso o viajante pague a reserva, deverá enviar cópias legíveis dos recibos oficiais das diárias para [email protected];
  9. Caso a própria Worldpackers faça a reserva, não há necessidade de envio dos recibos;
  10. A Worldpackers não se responsabiliza por taxas cobradas ao fazer depósitos de reembolso após o acionamento do Seguro. Viajantes brasileiros receberão o reembolso via depósito bancário. Os das demais partes do mundo somente poderão receber o reembolso via PayPal;
  • É importante possuir uma conta ativa no site PayPal para podermos realizar o reembolso;
  • Para retirada do dinheiro da conta do PayPal, se aplicam as regras daquele site;
  • O próprio PayPal cobra uma taxa pela retirada do dinheiro. Essa taxa corresponde a 5,99% do valor depositado + uma tarifa fixa dependendo da moeda local (ex: 0,30 dólares, 0,35 euros).

3. Pós-viagem

3.1 A importância da review e porque você deve deixar uma depois do voluntariado



O objetivo das avaliações é mostrar como foi a experiência de cada um durante a viagem, como um Feedback para os membros da nossa comunidade. A intenção é realmente falar como cada um vivenciou a viagem (host ou viajante), inclusive, todas as avaliações possuem o direito de resposta, para que todos possam contar as suas versões dos fatos e explicar o outro lado da história.

Nós acreditamos que as reviews proporcionam uma comunidade Worldpackers mais transparente e segura, além disso, elas são uma forma dos nossos membros contribuírem e regularem a comunidade, por isso, só apagamos reviews em casos que vão de encontro com nossas políticas ou em casos extremos.

As avaliações são super importantes para compartilhar sua opinião e impressões sobre o local que você foi, mas é essencial seguir a nossa Política de Avaliações para evitar qualquer problema:

  • Seja educado(a) e mantenha um vocabulário livre de ofensas. Nós não toleramos nenhum tipo de comentário agressivo ou ofensas diretas a alguém.
  • Não faça nenhuma acusação na sua avaliação. Você não quer expor alguém se você não tem provas concretas contra essa pessoa.

Se sua avaliação não seguir essas recomendações, nós podemos deletá-la e pedir que você escreva novamente. As avaliações são importantes para garantir que hosts e viajantes sejam informados por opiniões reais antes de confirmar a viagem: assim, essas reviews são fundamentais para ajudar os novos viajantes a decidir seus programas e hostels de preferência. Por isso, não deletaremos esses comentários, exceto aqueles que desrespeitarem as condições da Política de Avaliações.

Caso você tenha alguma experiência ruim, você sempre pode enviar uma mensagem privada para a nossa equipe ou informar a situação por meio do e-mail [email protected] Assim, podemos tomar as medidas necessárias para lidar com a experiência. Mesmo que as avaliações sejam super importantes, você precisa comunicar nossa equipe de suporte para se certificar de que estamos cientes da situação.

3.2 Conselhos para viver viajando (e ganhar dinheiro com isso!)

Confira as 7 dicas de como ganhar dinheiro viajando:

1. Aluguel de apartamento

Se você tem uma casa própria (ou, como é mais provável nos dias de hoje, um apê próprio), por que não usá-lo para gerar renda enquanto está fora?

Além de alugar o espaço por todo o período em que vai estar ausente, você também pode usar plataformas como o AirBnb para aluguéis mais curtos (e potencialmente mais lucrativos). Nesse caso, como você não vai estar presente, é importante deixar alguém responsável para gerenciar a entrada e saída de hóspedes, limpeza do local e outras manutenções.

2. Freelas online

Hoje em dia, muitos trabalhos não precisam ser exercidos presencialmente. É daí que vem o conceito de “nômade digital” ou “location independent”, profissional que só precisa de um laptop e uma boa conexão de internet (além das suas habilidades) para trabalhar de qualquer lugar do mundo.

Esse estilo de trabalho combina muito com algumas profissões, como designer, escritor, programador, tradutor e especialista em marketing digital.

As várias outras áreas podem adaptar seu trabalho para torná-lo online: por exemplo, um advogado ou contador pode oferecer serviços de consultoria sem precisar de endereço fixo. Se você tem didática e bons conhecimentos de português e/ou de outros idiomas, pode dar aulas pela internet através de plataformas como o Verbling e o Italki.

Pra quem está começando nessa vida de nômade digital e não tem segurança de que vai conseguir manter uma renda suficiente para pagar hospedagem nos primeiros meses, conciliar o trabalho online com um work exchange é uma ótima opção.

3. Negócios virtuais

Se sua praia é o empreendedorismo, por que não pensar em criar um negócio online e trabalhar para si mesmo, em vez de prestar serviços para outras pessoas? Pode ser desde um curso virtual ou aplicativo a algo mais tradicional, como uma loja virtual.

Em um cenário ideal, você consegue automatizar esse negócio online a tal ponto que só precise ficar fazendo uma manutenção, enquanto a renda entra de forma quase passiva. Só vale lembrar que isso normalmente só é possível depois de um grande investimento inicial de tempo e trabalho (e às vezes algum dinheiro).

4. Fotografia

Fotografa bem? Parabéns! Afinal, é possível ganhar dinheiro com isso de diversas formas. Uma ideia, por exemplo, é comercializar fotos que você fizer durante as viagens, vendendo-as para bancos de imagens online ou diretamente para livros, revistas e sites.

Outra opção é usar essa habilidade no destino onde você estiver. Promover workshops ou tours fotográficos, realizar ensaios de turistas ou moradores e fotografar eventos ou estabelecimentos comerciais são algumas das muitas maneiras de rentabilizar essa habilidade enquanto você tá na estrada.

5. Blogs e redes sociais



Outra forma de usar a fotografia pra ganhar dinheiro viajando é investir nas redes sociais. Uma conta de Instagram com muitos seguidores engajados pode render anúncios e parcerias, por exemplo. Se sua praia for o audiovisual, vale investir num canal do Youtube, que também pode abrir portas e gerar retorno financeiro.

Outra sugestão é criar um blog de viagens ou sobre outro assunto que você domina. Você pode monetizá-lo de diversas formas, mas as mais comuns são programas de afiliados, posts patrocinados e o lançamento de produtos próprios como e-books e cursos online. Só não vá pensando que é fácil: é preciso bastante trabalho pra construir uma boa audiência.

6. Trabalhos sazonais

Em muitas partes do mundo é relativamente fácil encontrar trabalhos sazonais, muitas vezes ligados ao turismo e serviços. Na alta temporada, costuma existir uma grande demanda por garçons em destinos de praia ou funcionários em resorts de esqui, por exemplo.

Vale usar a criatividade e suas habilidades. Se estudou educação física, que tal procurar oportunidades para dar aulas de yoga numa pousada ecológica ou ser recreador físico num resort nos meses de maior movimento?

Muita gente passa alguns meses trabalhando intensamente em funções temporárias em outras cidades ou países e depois fica o resto do ano viajando com a grana que juntou.

7. Arte de rua

A internet tá dominando nossas vidas, mas isso não significa que os modelos mais tradicionais de trabalho na estrada devam ser esquecidos. Já conheci muita gente que conseguia ganhar dinheiro viajando através da sua arte, procurando lugares de alto fluxo de turistas.

É uma boa opção se você leva jeito para trabalhos manuais e produz artesanato, ou se tem talento pra música, acrobacia, dança, arte com henna... Só é bom se informar pra saber se no destino aonde você pretende ir esse tipo de atividade é permitida (ou pelo menos tolerada) e se existe público suficiente.

Ah, e uma última dica: muitos anfitriões da Worldpackers permitem que os voluntários comercializem produtos, desde artesanato a comidinhas, no lugar onde estão trabalhando, e ganhem dinheiro enquanto estão voluntariando. Maravilhoso, né?


63c50c821698e92b932aab17a59cfd7e

Mariana

Out 31, 2019

Apaixonada por tudo que é transformador, que chega pra acrescentar e colaborar. O mundo é de trocas e tô aqui para deixar e receber :)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor