Londres é a capital da Inglaterra e do Reino Unido. Cortada pelo rio Tâmisa, a cidade é uma das capitais mais procuradas do continente Europeu e recebe pessoas de inúmeras nacionalidades. 

Sede da monarquia britânica, a cidade leva lado a lado história e modernidade, caminhando juntas numa narrativa antiga e vibrante. É uma cidade de onde é possível ver o mundo.

A cidade é dividida em 33 distritos e são várias as opções de locomoção para conhecer boa parte deles, entre elas há ônibus, metrôs, bondes (trams) e barcos. Usufruir desses serviços é simples tendo um cartão de débito ou crédito contactless (não esquece que a moeda local é a libra esterlina), ou o famoso Oyster, cartão de transporte de Londres. Ele custa £5 e você consegue comprá-lo em qualquer estação do metrô.

A cidade é dividida em zonas de transporte e os preços das passagens são calculados com base nelas. Entre as zonas 1 e 2 (onde estão localizadas a maior parte das atrações), é possível obter uma vantagem quando o total de viagens chegarem a £6,80, porque após esse limite não é cobrado nenhum outro valor pelos próximos ônibus ou metrôs. 

Dentro de uma hora também é permitido pegar mais de um ônibus, devido a integração. No final da sua estadia, se sobrar algum dinheiro no cartão, dá para pedir o reembolso do valor restante e os £5 do cartão. Com esse sistema e os trajetos do aplicativo CityMapper, você chega em qualquer canto de Londres.


O que fazer em Londres: andar no famoso ônibus de dois andares

Além de andar nos tradicionais ônibus de dois andares e ter uma visão diferente da cidade, assistir a troca de guarda no Palácio de Buckingham, tirar  fotos nas famosas cabines de telefone e no Big Ben (atualmente em processo de restauração) e ver a famosa London Eye, você precisa mergulhar no encanto dessa metrópole cosmopolita e explorar a energia e elegância de cada cantinho desse lugar.

Super movimentada e rica em cultura e entretenimento, Londres possui atrações para todos os gostos e gastos. Esse guia está dividido com base nos distritos de Londres e/ou levando em consideração a proximidade das atrações. 

O que fazer de graça em Londres:

Kensington and Chelsea

O Natural History Museum (01) é simplesmente espetacular. Logo na entrada você se depara com o esqueleto imenso de uma baleia azul. As galerias são formadas por um acervo surpreendente de milhões de organismos, esqueletos, objetos, réplicas, imagens, vídeos e exposições interativas. São diversas zonas, desde a evolução da Terra, os planetas e suas mudanças, até o meio ambiente, evolução e a diversidade da vida. 

O simulador de terremotos, o T-Rex e a réplica da baleia azul são as atrações mais famosas. É uma experiência mágica de imersão nas coleções e no conhecimento da história natural do mundo. O museu é aberto todos os dias.


O que fazer em Londres: Natural History Museum

Ao lado do Museu de História Natural, há o Victoria and Albert Museum (02), principal museu de arte e design do mundo. Ele abriga uma coleção de mais de 2,3 milhões de objetos, que abrangem mais de cinco mil anos de criatividade. Absolutamente grandioso e com uma arquitetura sensacional, o museu abre todos os dias.

Uma esticada ao Science Museum (03) é uma excelente opção. Aberto diariamente, ele oferece exposições, galerias, objetos únicos, imagens, exibições interativas e histórias de realizações científicas geniais.

Lambeth e Southwark

Ali pertinho da London Eye estão a House of Vans e The Graffiti Tunnel, ambos ao lado da estação Waterloo, e o Southbank Undercroft, seguindo a margem do rio Tâmisa. 

A House of Vans (04) é um espaço com vários túneis e atividades como shows, exposições, restaurante, bar, pistas de skate, entre outros. Ele é aberto de quinta à domingo e tem vários eventos legais de esporte e cultura, como competições e oficinas. Às vezes até rola eventos com cerveja e comida de graça, é só ficar ligada na programação. 

O The Graffiti Tunnel (05), como o nome já diz, é um túnel incrível cheio de grafites de todos os estilos. Vale dar uma passada antes ou depois de subir para House of Vans, já que o final do túnel tem uma escada bem próxima a entrada da casa.

A partir daqui você pode seguir pela orla do rio Tâmisa às próximas atrações até o anfiteatro em frente a Tower Bridge.


O que fazer em Londres:  House of Vans

O Southbank Undercroft (06) é uma enorme pista de skate toda colorida com paredes e escadas grafitadas e está localizada em frente ao Queen Elizabeth Hall. O espaço recebeu o nome de “the spiritual home of British skating”, em tradução literal, casa espiritual da patinação britânica. O parque é aberto 24 horas e recebe todos os dias centenas de skatistas, BMXers, artistas de rua, fotógrafos e turistas curiosos de todo o mundo.

O Tate Modern (07) é uma galeria nacional de arte moderna e contemporânea com quatro galerias presenciais e uma online. Além dos eventos, coleções e exposições, o museu conta com um terraço aberto com uma vista sensacional do rio Tâmisa e a Millennium Bridge.

Durante a caminhada às margens do rio Tâmisa você vai passar por diversos edifícios, túneis maneiros, ruas estreitas, artistas de rua, festivais de comida, e até uma réplica do navio Golden Hind.

Antes de seguir à visita a catedral de Southwark, a dica é passar pelo Borough Market (08), um dos maiores e mais antigos mercados de alimentos de Londres. Comidas frescas de várias nacionalidades, queijos, geleias, salsichas e outras delícias farão parte do seu giro pelo mercado. O passeio é muito legal mesmo que não compre nenhuma comidinha especial. Inclusive, dá para provar vários tipos de comidas porque eles sempre dão uma pontinha para experimentar.


O que fazer em Londres: comer comida de rua

A Southwark Cathedral (09) é o ponto de passagem mais antigo do rio Tâmisa. Por séculos foi a única entrada para Londres. A igreja é aberta todos os dias, mas no site oficial existem algumas dicas com os melhores horário de visitação. 

O The Scoop at More London (10) é um anfiteatro com 800 lugares que oferece ao ar livre apresentações musicais, peças de teatro e exibições de filmes. Ao lado da Prefeitura de Londres e às margens do rio Tâmisa, dali é possível observar a belíssima Tower Bridge.

O Imperial War Museum (11) é um museu em memória as guerras em que o Império Britânico esteve envolvido. Aberto diariamente, o museu guarda aviões de combate, veículos militares, armas, roupas, livros, fotografias e outros artefatos os quais têm a intenção de te ajudarem a enxergar esse período através da visão de quem o viveu. É intenso e extraordinário.

City of London

Sky Garden (12) – É no jardim do trigésimo-quinto andar do prédio Walkie Talkie onde você terá uma vista privilegiada de Londres de graça. Basta reservar a visita no site oficial do jardim.

A Millennium Bridge (13) é uma passarela suspensa feita de aço apenas para uso exclusivo de pedestres. A ponte traz um design futurista e elegante ligando o Tate Modern a St Paul’s Cathedral. Para quem é fã de Harry Potter, vale atravessar a famosa ponte, já que ela foi destruída pelos Comensais da Morte no filme Harry Potter e o Enigma do Príncipe.


O que fazer em Londres: Millennium Bridge

Embora a visita à Saint Paul’s Cathedral não seja gratuita, no terraço do shopping One New Change (14), ao lado, é possível observar a catedral e toda sua imponência. O espaço é aberto e há vários lugares para sentar, ideal para relaxar enquanto assiste ao pôr do sol.

Ainda no distrito da Cidade de Londres, você pode fazer uma caminhada pela rua London Wall (15) enquanto admira diversas áreas com as ruínas das muralhas romanas construídas para defender um porto importante de Londres. 

Próximo dali está o Museum of London (16), que documenta a história da capital britânica desde tempos pré-históricos até ao presente. Abre todos os dias das 10h às 18h.

A St Dunstan-in-the-East (17) era uma igreja paroquial que foi em grande parte destruída por bombas durante a Segunda Guerra Mundial. As ruínas da igreja, dentre elas a torre e paredes externas, foram transformadas em um calmo e reservado jardim público aberto todos os dias.

Leadenhall Market (18) é um mercado do século 14 com uma espetacular arquitetura vitoriana situada no antigo centro da cidade romana de Londres. Originalmente um mercado de carne, aves e caça, hoje em seu cenário totalmente preservado é um lugar de comércio e lazer.


O que fazer em Londres: Leadenhall Market

Hackney

Shoreditch (19) é o lar de uma vibrante arte de rua situado no distrito de Hackney. Apesar da expansão comercial, é possível encontrar no bairro a antiga cultura com muitas paredes e portas de lojas cheias de grafite. Outra dica é durante o passeio em Shoreditch, passar pelo mercado de flores na Columbia Road Flower Market (20), aberto todos os domingos.

Westminster

O Hyde Park (21) é uma das maiores áreas verdes de Londres. Bem no centro da cidade, o parque é atravessado por um lago e ao lado estão os jardins Kensington (22)

Além da fonte do Memorial da Princesa Diana, tem espalhados no parque outros memoriais, estátuas e lugares de lazer, descanso, eventos e esporte. No inverno há o Winter Wonderland (23), um festival com entrada gratuita e algumas atrações pagas, como por exemplo patinação no gelo, espetáculos de circo, montanhas-russas, roda gigante e o mercado de Natal.

A Trafalgar Square (23) é uma famosa praça no centro da capital londrina em frente a The National Gallery e próxima a igreja St. Martin-in-the-Fields. A praça é fantástica e além dos leões de bronze, há a coluna de Nelson e duas fontes.


O que fazer em Londres: Trafalgar Square

O The National Gallery (24) é um museu de arte que abriga uma coleção de mais de 2.300 pinturas datadas de vários séculos passados. São exposições, eventos, oficinas e coleções disponíveis setes dias por semana de graça.

A igreja St. Martin-in-the-Fields (25) é aberta todos os dias para visitação e apresenta às segundas, terças, quintas e sextas uma série de concertos gratuitos às 13h em seu café.

É impossível deixar de citar os bairros Soho (26), onde você encontra uma vida noturna animada; a China Town (27), com seus portões lindíssimos e toda a cultura chinesa; o beco Goodwin's Court (28), uma ruazinha estreita e reservada para se sentir naqueles filmes de detetive ou em nada mais nada menos do que no beco diagonal de Harry Potter; a Piccadilly Circus (29) e seus telões lembrando os da Time Square em Nova York; a Covent Garden (30), lugar marcado por apresentações lindas de artistas de rua e um pulo na Somerset House (31), com sua arquitetura imponente e um pátio admirável datado do século 18.


O que fazer em Londres: The National Gallery

A clássica faixa de pedestres da Abbey Road (32), usada pelos Beatles para a foto de capa do 12° álbum da banda é como outra qualquer, mas ninguém tira o gostinho de estar lá e tirar sua própria foto. 

Algumas pessoas não sabem, mas há em diversas faixas de pedestres no Reino Unido postes com uma bola de luz amarela no topo e os motoristas são obrigados a parar no momento em que veem sua intenção de atravessar. Na faixa de pedestre da Abbey Road isso não seria diferente, mas tome cuidado ao atravessar pois muitos motoristas não têm mais tanta paciência com os turistas que ficam muito tempo tentando capturar a foto perfeita e por vezes passam direto.

A Little Venice (33) é uma área de canais ideal para uma caminhada à beira de suas tranquilas águas. Um passeio sereno para observar os lindos barcos-casa ancorados que te levam à Primrose Hill e Regent’s Park.

Camden

Primrose Hill (34) é um morro localizado na parte norte do Regent's Park. De lá, um panorama de diversos cartões-postais da cidade é apreciado por turistas e moradores numa calmaria que só a natureza pode proporcionar. Vale a pena levar uns snacks para beliscar enquanto relaxa assistindo esse espetáculo natural.


O que fazer em Londres: Primrose Hill

Parliament Hill Viewpoint (35) é uma área de 98 metros de altura que possibilita uma visão panorâmica da capital. Ele fica localizado dentro do parque Hampstead Heath. Aproveitando o passeio, sugiro estender a caminhada à Kenwood House (36), uma mansão do século 18, e ao The Hill Garden and Pergola (37), uma passagem coberta por trepadeiras e flores usado em grandes festas e reuniões familiares há mais de um século. O pérgula está envolto de jardins belíssimos.

Camden Town (38) é um bairro sensacional. Lá você encontra lojas, artesanato, comidas, artistas de rua, grafites e mais um monte de coisas massas para fazer de dia ou a noite. Pra quem é paulistano ou já esteve em São Paulo, com certeza vai entender a definição que minha namorada deu ao bairro: uma mistura de Rua Augusta, Galeria do Rock e Brás. Será que deu pra sentir a excentricidade de Camden? 

Em alguma de suas andanças provavelmente vai se deparar com a estátua da cantora Amy Winehouse, isso porque Camden foi muito frequentado por ela. Além disso, o canal de Regent’s atravessa o bairro e deixa um caminho às suas margens simplesmente delicioso de passar o tempo.


O que fazer em Londres: Camden Town

O Grant Museum of Zoology (39) é um museu universitário de história natural criado em 1828. Tem uma das mais antigas coleções de história natural do Reino Unido e é lar de 68 mil arquétipos de zoológicos e material dissecado. É aberto de segunda à domingo.

O museu e biblioteca Wellcome Collection (40) exibe artefatos médicos e obras de arte conectando a ciência, medicina, vida e arte. A galeria está aberta de terça à domingo e a biblioteca de segunda à sábado.

Definitivamente não pode deixar de ir ao British Museum (41), um museu cuja arquitetura é magnífica e tem guardado em seu acervo livros, manuscritos e amostras naturais como moedas e medalhas de séculos passados. Entre as antiguidades mais importantes estão a Pedra de Rosetta, a coleção de Townley de escultura clássica e as esculturas de Partenon. Aberto todos os dias, o museu conta com outras diversas galerias permanentes.


O que fazer em Londres: British Museum

Perto de Covent Garden sugiro uma paradinha em Neal’s Yard (42), uma rua bem estreitinha com três entradas que resultam em uma praça super fofinha e aconchegante. A pracinha tem algumas mesas e uma decoração encantadora.

Greenwich e Richmond

Greenwich é outro parque para caminhar extasiado com tamanha beleza. De cima do observatório de Greenwich tem uma vista deslumbrante do centro de Londres. Em frente ao parque está o Museu Nacional Marítimo (43), aberto todos os dias, sendo outra ótima opção de museu gratuito.

Um pouco fora da área turística de Londres está o parque Richmond (44). Lá vivem centenas de veados que percorrem livremente o maior espaço verde da cidade. Com jeitinho você consegue uma experiência incrível chegando mais pertinho dos animais. De lá também tem vistas incríveis da capital londrina, uma das mais marcantes é a da St Paul’s Cathedral.

Minha última dica é: não se esqueça de levar um adaptador universal, porque as tomadas em Londres possuem três pinos.

Nesse link estão todos os lugares citados marcados diretamente no Google Maps. 

E aí, com essas dicas do que fazer em Londres ficou com vontade de conhecer a cidade mais movimentada do Reino Unido? 


653ae9355fce48b1d8817154b387dcdb

Fernanda

I'm a journalist, a photographer and traveler. I left Brazil to live everything the world has to ...

+ Ver mais

Dez 05, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Fernanda saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor