Mochilão Bolívia: o país mais barato da América do Sul

Procurando o que fazer em um mochilão na Bolívia? Depois de ter sido voluntário no país, listei as 16 melhores experiências e locais para se conhecer por lá!


2509c3e92fb8ad1a7cc6c8c159e3d7e2

Glauber Vinícius

Worldpacker a quase dois anos, sempre fazendo de tudo um pouco e ajudando a quem precisa

Out 19, 2018

Salar de Uyuni é umas das principais atrações do que fazer na Bolivia

Se você está considerando fazer uma viagem para fora do Brasil usando a Worldpackers, um bom país pode ser a Bolívia.

Com sua riquíssima tradição andina, o país conta com diversos lugares para conhecer que agradam todo tipo de viajante, especialmente quem quer fazer um mochilão por lá.

Trekking, vinícolas, florestas, montanhas, lagos, dinossauros e um incrível deserto de sal. Tudo isso e muito mais em um país de gente muito simples e acolhedora. Se tudo isso não te convencer a ir para lá, outro motivo bom é saber que esse é um dos países mais baratos da América do Sul.

Depois de ter viajado por cerca de dois meses e meio pelo país e ter sido voluntário em um hostel animal em La Paz, separei neste artigo as 16 melhores experiências que a Bolívia oferece:

  1. Trem da Morte
  2. Santa Cruz de la Sierra
  3. Cochabamba
  4. La Paz
  5. Huayna Potosi
  6. El Choro Trekking
  7. Tiwanaku
  8. Chacaltaya, Vale da Lua e Vale de las Animas
  9. Culinária
  10. Death Road
  11. Lago Titicaca em Copacabana
  12. Carnaval de Oruro
  13. Salar de Uyuni
  14. Minas de Potosí
  15. Pegadas de dinossauros em Sucre
  16. Vinícolas em Tarija

Conheça as 16 coisas que você tem que fazer na Bolívia:

1. Trem da Morte


Trem da morte, de Puerro Quijarro a Santa Cruz de la Sierra

Uma boa opção para se chegar na Bolívia é pegar o famoso Trem da Morte em uma cidade chamada Puerto Quijarro, fronteira do Mato Grosso do Sul, vizinha da cidade brasileira Corumbá.

Não se assuste com o nome. O trem ganhou esse nome no passado por carregar leprosos, doentes e corpos de vítimas de uma epidemia de febre amarela que ocorreu na região de Santa Cruz. Hoje é uma opção muito segura e econômica para se chegar ao país.

As passagens de Puerto Quijarro a Santa Cruz custam 100 pesos bolivianos na classe mais econômica. Não espere muito conforto ou qualquer tipo de luxo. O trem conta com ar condicionado e para durante todo o percurso para outros passageiros entrarem. A viagem inteira dura cerca de 19 horas até a maior cidade do país, Santa Cruz de la Sierra.

2. Santa Cruz de la Sierra


Praça central de Santa Cruz de la Sierra

Santa Cruz de la Sierra é muito conhecida por ser a cidade menos boliviana da Bolívia, isso por conta do seu clima tropical e de uma colonização um pouco diferente que do resto do país.

Uma boa opção é conhecer o centro histórico e fazer um tour pela cidade. Não deixe de conhecer a Plaza 24 de Septiembre, principal ponto local. Com mais um dia, pode-se visitar o sítio arqueológico da pequena Samaipata que está a 120 quilômetros de distância. Por lá fica o Forte de Samaipata, a maior pedra talhada do mundo e que antigamente era usado para rituais indígenas no século XIV.

3. Cochabamba


Cochabamba, cidade co Cristo de la Concordia, Bolívia. 

A cidade da eterna primavera que está a aproximadamente 2000 metros acima do mar é a terceira maior cidade do país. Uma cidade moderna, com muitos parques para se visitar e que possui a maior estátua do cristo do mundo, o Cristo de la Concordia.

Tome cuidado com o soroche a partir daqui, praticamente todas as cidades bolivianas estão acima do nível do mar e podem causar algum tipo de mal estar. Aproveite os primeiros dias para se acostumar com a altitude e nunca recuse chá de coca.

4. La Paz


Cidade mais turística da Bolívia, La Paz

Chegamos a cidade mais turística do país: La Paz. Apesar de a capital do país ainda ser Sucre, em La Paz está a sede política. Além disso é ponto de partida para muitos outros destinos.

Aqui se pode vivenciar ao máximo da cultura boliviana. Não serão poucas as cholitas que você verá nas ruas, muitas delas estarão vendendo seus artesanatos no Mercado de las Brujas, o mais importante centro de consumo turístico.

Caso precise de alguma coisa que não seja turística ou mesmo queira conhecer uma feira mais local, recomendo a Feira de El Alto, cidade vizinha a La Paz e que se pode chegar facilmente tanto nas minivans quanto nos teleféricos (recomendo muito ir por teleférico, além de conhecer um sistema de transportes público diferente, tem-se uma visão muito boa da cidade).

Outras atrações na cidade são a Plaza Murillo (sede do governo), o centro histórico da cidade e o Mirador Kili Kili. A noite da cidade também é um ótimo atrativo e sempre acontece nos bairros de Sopocachi, San Miguel e Miraflores.

Por receber turistas do mundo inteiro, La Paz é uma cidade muito cosmopolita e além de encontrar muitos locais, você vai encontrar pessoas de diversos outros lugares do mundo na noite paceña, sempre ao som de reggaeton, cumbia, salsa e outros ritmos latinos.

Por último, pode-se observar de quase todos os pontos da cidade o Illimani, a segunda montanha mais alta do país e um dos cartões postais de La Paz.

5. Huayna Potosí


Montanha Huayna Potosí, Potosí, Bolívia. 

Para as pessoas que gostam de trekking, na Bolívia existem ótimas opções. Uma delas é a montanha Huayna Potosí, que está a cerca de 45 quilômetros de La Paz e não exige grandes esforços para ser feita, basta somente um bom condicionamento físico e já estar habituado à altitude.

O pico da montanha nevada tem cerca de 6088 metros e faz parte da Cordilheira dos Andes. Aproveite, essa é uma das poucas montanhas onde qualquer pessoa pode ir e que várias agências oferecem. O trekking pode ser feito em dois dias e uma noite ou em três dias e duas noites e o preço varia entre 180 a 300 dólares.

6. El Choro Trekking

Outra opção de trekking próximo a La Paz é El Choro. A trilha faz parte de um conjunto de antigos caminhos Incas, onde pode-se ver algumas ruínas em meio às florestas bolivianas, além de ver parte das montanhas da Cordilheira dos Andes.

O acesso é muito fácil a partir de La Paz, o ponto inicial fica a apenas uma hora de distância. É fácil encontrar agências que oferecem esse trekking, sendo que eles cobram entre 180 a 250 dólares por pessoa. A trilha completa tem duração de três dias e duas noites, terminando na cidade de Coroico.

7. Tiwanaku


Artefatos pré-colombianos de Tiwanaku, Bolívia.

O mais importante sítio arqueológico do país se encontra a 71 quilômetros de distância de La Paz e pode-se chegar tanto com agência como de maneira independente.

Os artefatos pré-colombianos que estão em Tiwanaku tiveram seu início por volta de 1500 A.C e são cheios de mistérios e significados. Não é necessário mais que um dia para conhecer.

Os pacotes pelas agências custam cerca de 35 a 50 dólares e já está incluso guia, entrada e transporte. Outra opção é pegar um ônibus no centro de La Paz (32 pesos), pagar a entrada (80 pesos) e um guia por lá (40 pesos).

8. Chacaltaya, Vale da Lua e Vale de las Animas


Montanha Chacaltaya, Bolívia.

Desde La Paz ainda é possível conhecer a montanha nevada de Chacaltaya e as formações rochosas do Vale da Lua e do Vale de las Animas.

Em Chacaltaya se encontra a mais alta estação de esqui do mundo com 5421 metros de altura e fica a cerca de 30 quilômetros de La Paz. Do pico da montanha tem uma linda vista para Huayna Potosí, Illimani e uma parte do Lago Titicaca.

As agências costumam vender o tour para conhecer a montanha junto com o Vale da Lua, um lugar de impressionantes formações rochosas esculpidas pela erosão natural do solo. Muito parecido com o Vale da Lua tem o Vale da las Animas, porém esse é muito menos turístico.

O pacote Chacaltaya e Vale da Lua, que dura um dia inteiro, costuma ser vendido por 25 a 35 dólares. O Vale de las Animas é um pouco mais difícil chegar, já que são poucas as agências que fazem esse trajeto. Pode-se chegar de maneira independente através das vans da cidade.

9. Culinária


Comida de rua boliviana

Todo mundo que viaja sempre gosta de experimentar o que se come no lugar de destino. A culinária boliviana é muito baseada em batatas (papas) e frango (pollo). Há vários pratos que levam frango, como as empanadas bolivianas.

Um dos pratos mais típicos do país que é a base de batatas e salsichas, o famoso Salchipapas, que pode ser encontrado em qualquer esquina (tome cuidado com as comidas das ruas, aconselho a comer somente o que for frito). Outro prato típico são os Anticuchos, praticamente idêntico ao espetinho brasileiro.

Meus pratos favoritos eram os Chicharrones (uma carne de porco frita e temperada) e principalmente o Pique a Lo Macho, uma prato servido com ovos,carne de vaca, cebola, batatas e pimenta boliviana.

Por último, não deixe de experimentar o chá de Coca, pois, além de ser muito bom, ajuda a evitar os males da altitude.

10. Caminho da morte


Caminho da morte, famosa estrada na Bolívia.

Um das principais atrações que La Paz pode oferecer é a Death Road, um downhill por uma serra próxima a cidade.

Várias agências oferecem essa experiência e o preço varia de 450 a 800 pesos bolivianos, dependendo da qualidade e tipo de bike. As agências oferecem o translados até La Cumbre (4700m), onde se inicia o trajeto de aproximadamente 75 quilômetros até Coroico. No ponto inicial são distribuídos os equipamentos de proteção (jaqueta, calça, capacete, luvas) e o primeiro trecho é uma descida asfaltada onde chegam a passar alguns carros e sua bicicleta atinge quase 60 km/h.

Quando se chega a placa “Bienvenido al Camino de la Muerte”, começa o trecho de descer o penhasco. É a parte mais perigosa por conta da trilha com pedras soltas e a vista para um grande desfiladeiro. Siga sempre as instruções dos guias para não correr nenhum risco e, no mais, aproveite a adrenalina de um dos downhills mais perigosos do mundo!

11. Lago Titicaca em Copacabana


Lago Titicaca, Copacabana, Bolivia

Saindo de La Paz, a cerca de 156 quilômetros de distância está Copacabana, porta de entrada para o Lago Titicaca, o lago navegável mais alto do mundo (3810m). Um lugar sagrado para a cultura Inca, onde se pode achar vários vestígios do vasto império e algumas ruínas.

Ao chegar na cidade procure pelo porto e consiga um traslado compartilhado até Isla del Sol e fique por lá ao menos uma noite. Recomendo ficar no lado norte da ilha e pela manhã, bem cedo, sair para atravessar a pé para o lado sul. É uma linda caminhada cercada pelas águas do lago que dura cerca de três a quatro horas. Outra dica é assistir ao pôr do sol por lá e ver o céu estrelado durante a noite.

12. Carnaval de Oruro


Carnaval de Oruro

Se está na Bolívia na época do carnaval, você deveria considerar ir a Oruro, por lá acontecem as melhores festas do país. Oruro é considerada a capital folclórica e seu carnaval foi declarado pela UNESCO como Patrimônio Imaterial da Humanidade.

São vários blocos tradicionais que desfilam pelas ruas com sua música e roupas típicas. A cidade recebe muitas pessoas durante essa temporada e fica bastante animada. Muitos dizem que chega a ser melhor que os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro. Só indo para saber.

13. Salar de Uyuni


Salar de Uyuni, deserto de sal, Bolívia.

Chegamos agora ao principal destino da Bolívia, o grande deserto de sal chamado de Salar de Uyuni.

Para se conhecer o Salar há algumas maneiras. A primeira delas e começar na cidade boliviana de Uyuni e terminar no Chile, em San Pedro do Atacama. A outra maneira é fazer o caminho inverso, começar pelo lado chileno, em San Pedro do Atacama e fazer a travessia até Uyuni.

A travessia dura três dias e duas noites e pode ser contratado nas duas cidades citadas ou até mesmo em alguma agência de turismo de La Paz. Aconselho a realizar a travessia começando pelo lado boliviano onde os tours são bem mais baratos do que o Chile. O percurso da travessia é feito em um carro 4x4 que comporta até seis pessoas e o preço varia entre 550 a 700 bolivianos por pessoa nas agências em Uyuni.

Para aqueles que estão com pouco tempo é possível conhecer o Salar de Uyuni sem precisar fazer a travessia, basta contratar o tour de um dia apenas. Não se preocupe, no tour de um dia você conhecerá todo o Salar. Na travessia, os outros dias se conhece as lagoas coloridas, os geysers e se chega ao Atacama, mas é somente no primeiro dia que se conhece o deserto de sal. Leve alguns objetos para fazer fotos em perspectiva e se encante por um dos lugares mais bonitos do mundo!

14. Minas de Potosí


Cidade histórica de Potosí, Bolívia

Viajando pela Bolívia é possível conhecer a cidade que no passado foi uma das maiores cidades do mundo e a mais rica durante o período de exploração de prata pela monarquia espanhola, Potosí.

A cidade está a 311 quilômetros de distância de Oruro e pode ser uma boa opção de parada antes de chegar a Uyuni. Além disso, é possível visitar algumas minas históricas e conhecer o centro histórico desta que é considerada Patrimônio Mundial da UNESCO.

15. Pegadas de dinossauros em Sucre


Parque Cretáceo Cal Orcko, Sucre, Bolívia.

Por ser sede do governo da Bolívia, muitas pessoas pensam que La Paz é a capital do país, mas na verdade este título pertence a Sucre. A cidade branca da América, como ela é popularmente conhecida, conta com uma linda arquitetura e vários lugares históricos como o La Casa de La Libertad, a Plaza 23 de Mayo e a Catedral Metropolitana.

O principal destino da capital boliviana é o Parque Cretáceo Cal Orcko, onde encontram-se réplicas perfeitas de dinossauros e um paredão com mais de cinco mil pegadas de diversas espécies, fazendo desse lugar o maior rastro de pegadas de dinossauros do mundo e um centro de paleontologia.

O parque fica a seis quilômetros do centro da cidade e para chegar basta pegar um ônibus que te leva até o local. A entrada para esse Jurassic Park custa cerca de 30 pesos bolivianos.

16. Vinícolas em Tarija


Tarija, Bolívia.

Ao sul do país está Tarija, a cidade boliviana produtora de vinho. Aqui é possível visitar várias vinícolas e experimentar dos melhores vinhos da Bolívia. Outro atrativo é a sua localização geográfica, Tarija está próxima do norte chileno e do norte argentino.

Bônus: voluntariado na Bolívia!

Curtiu tudo que você pode fazer na Bolívia? Ficou com vontade de pegar a mochila e sair conhecendo o país? A Worldpackers tem algumas boas opções para ser voluntário no país. Você pode ajudar nas redes sociais ou no bar de um hostel em La Paz. Também pode ajudar criando arte em um novo hostel em Samaipata, dar uma mão na recepção de um hostel em Sucre ou colaborar em Tarija.

Se ficou com alguma dúvida pode me escrever ou deixar algum comentário que vou tô aqui pra ajudar sempre. 

Até a próxima e boa viagem!


2509c3e92fb8ad1a7cc6c8c159e3d7e2

Glauber Vinícius

Worldpacker a quase dois anos, sempre fazendo de tudo um pouco e ajudando a quem precisa

Out 19, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Glauber Vinícius saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor