4. Tipos de trabalho: escritor de viagens

Aprenda tudo sobre a rotina de um escritor de viagens nômade digital: o que faz, quanto ganha, quantas horas trabalhas e mais!

E56e2ad24ca6a189efd54a2cfcd71838

Raquel

Mai 01, 2020

6min

tipos-de-trabalho-escritor-de-viagens

O que um escritor de viagens faz?

Um escritor de viagens - ou travel writer - é aquela pessoa que, enquanto viaja, dedica-se a escrever, seja para seus próprios blogs, como para outras plataformas, organizações, jornais ou similares que buscam esses serviços. 

Nós também escrevemos para nós mesmos. É muito importante saber como estamos, o que passa pela nossa cabeça, o que sentimos em determinado momento de nossas vidas. Todas essas revelações geralmente aparecem quando pegamos a caneta e começamos a escrever.

Podemos também ter um blog e transmitir nossas experiências de viagem através dele. Não acredite em tudo que te contam por aí. Manter um blog (e mantê-lo atualizado) exige muito tempo e esforço e, acima de tudo, gerar dinheiro através dele não acontece da noite para o dia. 

É importante entender essas coisas para não ficar frustrado com o tempo. Paciência e perseverança. Um conselho? Sempre escreva para você. Sempre escreva como um hobby e como um mecanismo para dizer ao mundo o que passa pela sua mente.

O tempo coloca as coisas em seu lugar e, se o que você escreve é genuíno, não demora muito para que uma marca valorize seu conteúdo.

Como se tornar um escritor de viagens?

Eu acho que não existe um processo específico para se tornar um escritor de viagens. Não há um tutorial ou etapas a seguir. Desculpe por isso!

É muito importante ter um diferencial, algo que nos torne únicos para contar as coisas de uma perspectiva diferente, mas sem forçar as coisas. Vamos decidir primeiro escrever, primeiro transferir para o papel (ou para o computador) o que sentimos, e não o contrário. 

Não escolha ser um escritor de viagens sem nunca ter escrito nada antes. As coisas não vão fluir tão bem assim. Como eu disse antes, encontrar o diferencial que vive dentro de nós é a coisa mais importante.

A dica mais importante? Pratique muito, muito mesmo. Quanto mais você escrever, mais vai conhecer sua técnica, o que te diferencia e, principalmente, vai aperfeiçoar sua escrita.

Como melhorar sua escrita?

Não é necessário ter estudado uma carreira universitária adequada para ser um escritor de viagens. A paixão por escrever vive dentro de nós e, com o tempo, dá para continuar se aperfeiçoando e aprendendo muito. Inclusive, eu me formei em Ciência da Computação. Amante dos números, hoje me vejo escrevendo todos os dias, e o mais importante: todo dia eu escrevo com mais paixão do que o anterior. 

1. Leia muito

É muito importante ler e muito. Para se contagiar. Aprender técnicas de escrita. Para promover nossa criatividade. Quando lemos muito é quando vamos acender essa chama e descobrir novas formas de transmitir nossas histórias.

Não são necessariamente sempre livros. Também podem ser histórias de viagens, contos online ou até mesmo artigos de jornal. Tudo funciona, mas é importante fazê-lo com consciência e aproveitar o aprendizado como um todo.

2. Estude sobre produção de conteúdo

Também é possível fazer cursos de redação online ou pessoalmente, mas, como na maioria dos casos, se você é um escritor de viagens, você estará viajando e muitas vezes o modo online será escolhido. 

Eu recomendo muito o curso de produção de conteúdo da Worldpackers, dado pelo Allan Formigoni, diretor de conteúdo da própria Worldpackers. É um curso bem completo para quem quer começar a produzir conteúdo, como também para quem já está neste caminho e quer se especializar ainda mais.

3. Peça ajuda

Sentar-se para conversar com alguém que nos encoraja a escrever também é bom. Alguém que nos corrige, mas não nos limita. Alguém que, com suas correções ou anotações, nos motiva a continuar escrevendo de uma maneira melhor. 

Um professor também pode nos mostrar textos ou livros que, de outra forma, não teríamos descoberto. É sempre bom ter outros pontos de vista e perspectivas diferentes ao escrever.

Embora o que escrevemos tenha que ser pessoal e não tenhamos de nos deixar influenciar pelo que as outras pessoas dizem ou sentem, é um bom exercício, muitas vezes, dar nossos textos ou livros a outra pessoa para que possam ler. De modo que alguém de fora possa nos dar seu ponto de vista.

É sempre bom ouvir alguém, ver o que pensam sobre o que escrevemos. Às vezes, estamos tão focados em uma certa maneira de transmitir coisas que não enxergamos outros caminhos. Alguém de fora pode nos dar uma perspectiva diferente e, muitas vezes, iluminar nosso caminho.

Quanto um escritor ganha?

A resposta para essa pergunta varia muito dependendo do mês, da época do ano, do seu estágio de maturidade dos seus canais e dos portais para quem você produz conteúdo, como todo e qualquer trabalho que se faz como um nômade digital. 

O conteúdo que criamos é de qualidade e tem que ser pago em conformidade. Não é aconselhável ficar com um único cliente. Nem sempre (ou nunca) escreveremos 20 artigos para a mesma empresa e os 20 serão publicados no mês (muitas vezes uma exigência para os artigos serem pagos). É por isso que é bom ter vários clientes e escrever para várias plataformas. Desta forma vamos gerar mais renda e não vamos colocar “todos os ovos na mesma cesta”.

Com esforço e dedicação, pode-se ganhar com escrita uma média de 400/500 USD. Às vezes é mais, às vezes é menos. Também depende das empresas nos pagarem um valor adequado. Muitas vezes eles oferecem um número menor, por diferentes razões, e isso se ajusta ao nosso tempo ou necessidades. Se assim for, o valor ganho será menor. 

O importante, como escritor de viagens, não é apenas escrever artigos para pessoas diferentes. Você pode gerar seu próprio conteúdo, contatar marcas para trabalhos diferentes, usar seu próprio conteúdo como um portfólio ou até mesmo escrever um livro e vendê-lo. Dessa forma, nossa renda média crescerá significativamente.

Quantas horas um escritor trabalha por semana?

Sendo um nômade digital (não importa se você é um escritor de viagens ou não), você trabalha muitas, muitas horas. 

Às vezes você passa o dia inteiro escrevendo. A realidade é que você fatura o que você gera. Então, se alguém quiser gerar mais dinheiro, tem que trabalhar mais. 

Se quiser tirar férias ou não tiver tanta pressa para gerar renda, as horas de trabalho serão menores. É bom entender que ser nômade digital não é uma fórmula mágica onde se gera renda porque sim, requer muito esforço e dedicação

Há semanas em que as horas de trabalho excedem 60. Para ser honesto, isso acontece a maior parte das semanas. É que, embora a inspiração e a criatividade possam ser trabalhadas, muitas vezes aparecem em horas não tão “normais”. E bem, quando aparece, você tem que dar ouvidos.

Como organizar sua rotina de escritor?

É muito importante gerar uma rotina dentro da nossa rotina constante. É importante se forçar a ter horários e dedicar tempo para escrever. 

Muitas vezes,  nossos amigos vão a uma cidade, ou à praia, ou para comer fora e nós não poderemos ir. Para que isso não aconteça com tanta frequência, é bom maximizar a eficácia nas horas que trabalhamos, não desconcentrar e definir metas para nós todos os dias. 

Algo que funciona para mim é trabalhar de manhã e à noite, em intervalos curtos de não mais que três horas. É que percebo que, depois disso, minha concentração diminui e, portanto, minha produtividade.

No início da manhã, quando não há barulho e quase ninguém está acordado, é quando eu rendo mais. Eu faço um café, toco música e começo a escrever, mesmo que sejam 7 horas da manhã. Meu corpo tem melhor desempenho nesse horário. Inclusive melhor do que à noite, quando não há barulho na casa ou onde estiver.

É importante nos conhecermos e sermos honestos. Se nossa mente e nosso corpo tiverem um bom desempenho pela manhã, precisamos ouvi-los, mesmo que isso exija ir cedo para a cama e não sair para beber aquelas cervejas com os amigos. 

Esforço e dedicação. Sempre. 

Entenda que nem tudo na vida é trabalho. Da mesma forma que digo que é bom gerar uma rotina de trabalho, também é bom gerar uma rotina de dispersão e diversão, onde aproveitamos para limpar a mente e compartilhar o tempo com nossos amigos. Equilíbrio. Como tudo na vida.