Viagem para Argentina: top 20 experiências boas e baratas

Planejando uma viagem de mochilão para a Argentina? Conheça os lugares mais incríveis (e baratos) para você curtir na sua viagem por lá!


E56e2ad24ca6a189efd54a2cfcd71838

Raquel

Uma jornalista brasileira que escreve sobre pessoas. Eu viajo para conhecer histórias de vida e...

+ Ver mais

Ago 20, 2018

El Calafate é apenas um dos lugares para conhecer durante sua viagem para Argentina

A Argentina é um prato cheio para qualquer mochileiro. O país é gigante e proporciona experiências para todos os gostos e em todos os preços. Em uma só viagem, você pode caminhar sobre o gelo e agradecer ao sol, pegar um trem e viajar por cima das nuvens, ou entre a neblina, chegar ao fim do mundo.

Os argentinos aproveitam os prazeres da vida, comem bem, bebem muito e a noite começa tarde e só termina no outro dia. As tradições estão bem guardadas e a sabedoria dos povos originários vive nos costumes, festas e folclóricos atuais. Pelo menos uma vez na vida, vá para Argentina.

Os 20 lugares mais incríveis para passar no seu mochilão pela Argentina:

1. Baile tango em Buenos Aires

Buenos Aires está preparada para receber viajantes com os mais incríveis espetáculos de Tango, mas como a ideia é viver a cidade, que tal fazer parte disso? Experimente esse novo ritmo com seus próprios passos nas agitadas milongas portenhas.

Normalmente nas milongas acontece um aulão de tango, seguido de um jantar informal para depois, com algum conjunto famoso, começar a festa.

Além de sair mais barato que os espetáculos, nas milongas você participa e ainda come e bebe bem.

Uma das milongas mais tradicionais é a El Beso, na Rua Riobamba, 416, Centro. Tem aula e festa todos os dias, com destaque para o domingo em que a tarifa é única, 100 pesos, menos de 20 reais.

Quer sair para uma milonga mais alternativa? Vá para San Telmo, um bairro histórico e ocupado por uma juventude mais hype. A Maldita Milonga, na Rua Perú, 571, também tem aulas, mas mistura tudo em um tango mais moderno. A entrada vai sair menos de 30 reais.


Tango na capital Buenos Aires, Argentina.

2. Curta a neve em Bariloche

No inverno Bariloche é apelidada, carinhosamente, de Brasiloche. A cidade atrai brasileiros em busca das paisagens estonteantes, dos chocolates maravilhosos e, claro, da neve.

A cidade é cara, mas pode ser seu ponto de partida para os muitos pueblitos que também oferecem atividades na neve.

Você não pode perder:

  • Esqui no Cerro Catedral
  • Esquibunda na estação Piedras Blancas
  • Café giratório no Cerro Otto
  • Selfie no circuito Chico
  • Museu Patagônia
  • Trilha dos 7 lagos até San Martin de los Andes
  • Viajar 80 km até a Vila Angostura

3. Visite uma montanha de 14 cores em Humahuaca

Humahuaca é a principal cidade da quebrada, que leva o seu nome, no norte da Argentina. É o único lugar do mundo que você vai encontrar uma montanha gigante e colorida chamada Hornocal.

Os tons de terra parecem uma pintura. A quebrada tem uma sequência de cerros em forma de “v” verdes, amarelos, lilases, rosas, vermelhos, laranjas e em tons de marrom.

Lá você vai encontrar as sagradas folhas de coca para comprar, nas ruas e mercados. Elas te ajudarão com o mal estar que os 4.000 metros acima do nível do mar podem causar e também proporcionar uma conexão forte com a mãe terra, pachamama e com você mesmo.

Bem pertinho de Humahuaca está um pueblito chamado Iruya. Seu encanto não é fácil de explicar, por isso Iruya colore canções e poemas de todos os estilos. Uma experiência inspiradora.



4. Tome Fernet com Coca em Córdoba

A bebida tradicional de Córdoba é o amargo Fernet, feito a partir de ervas como camomila, mirra, açafrão e cardamomo. É envelhecida em barris de carvalho por seis a doze meses. Em Córdoba o Fernet é misturado com coca cola e duas pedras de gelo, sem freio, pelas agitadas noites da cidade.

O Fernet, que antes era usado como uma bebida digestiva, sai mais ou menos 20 reais. Além da bebida, Córdoba vai te surpreender com suas belezas naturais. Entre elas, as montanhas Sierras Grandes, o Parque Quebrada del Condorito e o Cerro Colorado, com pinturas rupestres.

5. Vá de trem ao fim do mundo

Entre as margens do Canal de Beagle e a Cordilheira Martial está a cidade mais austral do mundo, Ushuaia. A temperatura média é de 5,7 graus. Onde o verão deles é mais frio que o inverno da maioria dos estados brasileiros, a umidade e o clima nublado proporciona paisagens de filme, como a que você vai assistir da janela de um trem até o fim do mundo.

Desde o século passado, quando Ushuaia foi a sede de uma das penitenciárias mais temidas da Argentina, saem destas ferrovias, todos os dias, um trem que passa por dentro do Parque Nacional da Terra do Fogo. O passeio no grande trem aquecido, com guia trilíngue, sai por 135 reais, ida e volta. Crianças de 0 a 5 anos não pagam.

A experiência encanta viajantes que curtem juntar um pouco de história, cultura e paisagens dignas de capa da lonely planet. De maio a agosto o trem sai às 10h, 12h30 e às 15h. De Setembro a Abril, que é temporada alta, as saídas são às 9h30, 12h00 e às 15h.


Trem que passa por dentro do Parque Nacional da Terra do Fogo, Ushuaia, Argentina.

6. Se emocione com as Cataratas do Iguaçú

Entre Argentina, Paraguai e Brasil está uma das sete maravilhas do mundo. As Cataratas do Iguaçu pelo lado argentino estão na cidade de Puerto Iguazú, em Missiones. Lá não se toma o mate, se toma o tereré, que leva outras ervas, sucos ou refrigerantes pela influência paraguaia.

Nas trilhas do lado argentino você vai encontrar mais de 200 espécies de borboletas, além de pássaros, tartarugas e lagartos. Vai ter acesso ao circuito baixo, ao circuito alto, a Garganta del Diablo e a ilha San Martin.

A primeira visita ao parque sai em média 70 reais e depois seu ingresso apresentado no segundo dia te dá um desconto de 50%. Crianças menores de 6 anos não pagam. De outubro a março, o parque abre das 07h30 às 18h30 e de abril a setembro das 08h às 18h.

7. Pule um carnaval do diabo em Tilcara

Tilcara é uma cidade pequenina na província de Jujuy. Isso até o mês do carnaval, onde ela fica gigante. Entre janeiro e fevereiro um boneco em forma de diabo, que representa o sol, é desenterrado, a partir desse momento a festa é liberada e os moradores aproveitam para celebrar a mãe terra, pachamama, e assim, no carnaval, a fé e a tradição se unem nas ruas.

Comparsas mascarados jogam farinha nos foliões e dançam o dia inteiro. A comitiva diabólica é convidada por diferentes casas para entrar, comer o quanto quiserem e beber até cair. Os dias quentes e loucos acabam com o enterro do coisa ruim, em um funeral que mais parece um até logo, quando a espera para o próximo ano começa.


Carnaval em Tilcara, Jujuy, Argentina.

8. Volte no tempo dos dinossauros em San Juan

Com formações geológicas de, no mínimo 200 milhões de anos, o Parque Provincial Ischigualasto, ou Valle de la Luna, é um sítio arqueológico, paleontológico e ecológico da Província de San Juan, Argentina. Os fósseis de vertebrados encontrados no parque levantaram mais perguntas que respostas sobre a origem dos dinossauros e mamíferos modernos.

Toda essa aura misteriosa atrai cientistas e doutores do mundo todo. Se você for um viajante apaixonado por paisagens extraordinárias, o parque também é seu lugar. Ele conta com um museu de Ciências Naturais com guias para te ajudar a aproveitar e entender melhor a importância do parque. É possível fazer um circuito em bicicleta, um chamado Luna Llena e outro, Cerro Morado. Os horários de acesso vão das 08h às 17h e a entrada sai, em média, 40 reais.

9. Voluntarie na cordilheira dos Andes

Las Cuevas, em Mendoza, é um dos pueblos mais próximos à fronteira com o Chile. O Portezuelo de Viento Hostel e Adventures procura voluntários para o período noturno, com dois dias livres. Você vai viver uma experiência nas montanhas e ainda poder conhecer o Monte Aconcágua.

A partir de Las Cuevas se viaja ao Glaciar del Hombre Cojo, ao cristo redentor dos Andes, a montanha Tolosa e a Quebrada del Matienzo. No inverno, aproveite todos os esportes de neve. A atração mais exótica da região é a Puente del Inca, uma passarela natural sobre o rio Las Cuevas, declarada Monumento Natural


Monumento natural, Mendoza, Argentina.

10. Aprenda a fazer um asado em Santa Fé

Que o argentino ama carne a gente sabe e que a carne é excelente também. Entre todos as províncias do país, existe uma em que o asado é mais que uma refeição, é um ritual.

Em Santa Fé se pode ver a fumaça saindo das casas onde os moradores serão felizes. No ano de 2017, a província foi campeã federal ganhando o prêmio de melhor Asado do país. O concurso aconteceu em Buenos Aires.

Um típico asado argentino é feito lentamente na brasa. Entre as carnes de um asado não podem faltar as tiras, com pequenos ossos, o suculento vacío, cordeiro, chorizos, morcillas e mollejas. Acompanhado de salada russa ou batata frita, saladas verdes e vinho tinto.

11. Observe a vida marinha da Península de Valdés

Um dos poucos lugares do mundo onde se pode ver, de pertinho, elefantes e lobos marinhos, pinguins, orcas e golfinhos no mar da patagônia é a Península de Valdés.

A época que as baleias do sul chegam a península é entre junho e dezembro, para terem seus filhotes. Para entrar na reserva os visitantes devem pagar uma taxa média de 60 reais. Eles só aceitam dinheiro vivo.


Baleias na Península de Valdés, Patagônia, Argentina.

12. Prove os vinhos de Mendoza pedalando

A conhecida Rota do Vinho de Mendoza é um recorrido pela região do Vale Central. Entre os Andes e as cordilheiras costeiras foram cultivadas diferentes tipos de uvas que virarão os vinhos mais conhecidos do país.

Saindo de Maipu, uma ideia para economizar é alugar uma bicicleta no verão. Entre as parreiras carregadas de abril esticar sua toalha xadrez com queijos, azeitonas, vinhos e a vista das montanhas não pode ter um preço.

13. Celebre a independência argentina em Tucumán

Em 9 de julho de 1816,  Tucumán, a província de menor área da Argentina, declarou a independência. A capital já foi a sede do congresso e palco de lutas, guerras e acontecimentos sociais importantes.

Entre as ruas de San Miguel de Tucumán está o Museu Casa Histórica de la Independencia, que merece uma visita. Ele está aberto das 10h às 18h e conta com visitas guiadas pela contribuição simbólica de mais ou menos 5 reais. Tucumán também conta com o museu da Pachamama!

14. Caminhe sobre gelo em El Calafate

El Calafate é uma das cidades mais visitadas da região da patagônia, na província de Santa Cruz. É lá que você vai colocar seus sapatos com espetos e caminhar sobre o glacial perito moreno, no Parque Nacional Los Glaciares, além de conhecer o Monte Fitz Roy.

Essa geleira é patrimônio da humanidade declarado pela UNESCO, e é idealmente visitada entre setembro e abril. Desde Buenos Aires é possível pegar um vôo até El Calafate.


El Calafate, Santa Cruz, Argentina.

15. Coma as verdadeiras empanadas salteñas

Por toda a Argentina se comem empanadas, mas já existe um consenso nacional que elege as de Salta como as melhores.

A diferença é que as empanadas salteñas tradicionais são fritas e feitas com carne picada e batata. Existem também as de presunto e queijo e de frango.

Entre restaurantes e barraquinhas de Salta existem uma série de segredinhos. Você pode provar alguns deles nestes endereços:

  • Roque García, na Av. Entre Ríos, 1990
  • El Buen Gusto, na rua O'Higgins, 575
  • O Criollita, na rua Zuviría, 306.
  • Dona Salta, na rua Cordoba, 46
  • El Pátio das Empanadas, na Avenida San Martín

16. Festeje o folclore em Santiago del Estero

A chacarera é uma dança tradicional de Santiago del Estero, que vai muito além do movimento. É uma dança sobre sua terra e seu povo. Seja simples, dupla, trinca ou del monte, junto com a chacarera, vem toda a cultura do folclore da região.

Em Santiago del Estero tudo vira festa. Tem o festival da canção, do artesão, do bombo e até em homenagem ao queijo copeño. O Festival Nacional da Chacarera acontece todo começo de janeiro, na capital da região que leva o mesmo nome. É possível comprar os ingressos no facebook do festival, e as três noites saem mais ou menos por 70 reais.

17. Voluntarie no sul da Argentina

Na Worldpackers você vai encontrar diversas vagas para passar uma temporada em Bariloche, entre elas, a que mais me chamou atenção: o Hostel TangoInn. Sempre com dois dias livres por semana e o mais importante: passeios na faixa!

Diferente de outros turistas, que vão gastar montanhas de dinheiro com guias conhecendo uma atração por dia, você vai fazer uma viagem mais lenta, esperar que seus amigos voluntários tenham um tempo livre que combine com o seu e assim vai, aos poucos, conhecendo as belezas de lá.

No inverno, conte com muita neve, e no verão, só frio mesmo.

Existem muitas oportunidades de trabalho por lá. Se você souber falar inglês tem praticamente sua vaga garantida. Pode ser guia de montanha, preparar o café da manhã de uma cabana, trabalhar em uma estação de esqui ou aprender a fabricar laticínios e cerveja.

18. Viaje por cima das nuvens em Salta

Salta é conhecida como “La linda” e a partir de lá você pode conhecer a Quebrada de las Conchas em Cafayate, cactos maiores que você no Parque Nacional de Los Cardones e também comprar uma passagem para o céu, no Tren de las Nubes. Ele foi projetado para o transporte de minérios entre Salta e Chile.

O trem atravessa túneis e curvas a mais de 4.200 metros de altitude, sobre a cordilheira dos Andes. Você pode pegar um ônibus desde salta e passar por:

  • Campo Quijano
  • Governador Solá
  • Almoçar em Alfarcito
  • La Quebrada de las Cuevas e
  • Planície de Munano

Ou ir diretamente a estação de trem San Antonio de los Cobres. A viagem com ônibus, de dia inteiro, sai entre 300 e 400 reais. Crianças abaixo dos 2 anos não pagam.



19. Conheça os personagens dos quadrinhos argentinos

O “Paseo de la historieta” é um circuito de rua pelos bairros de San Telmo, Montserrat e Puerto Madero em homenagem aos principais quadrinhos argentinos. Mafalda é a personagem mais conhecida pelos brasileiros e suas histórias foram traduzidas para mais de 30 idiomas.

Em uma tarde de caminhada você vai cruzar com esculturas e murais de:

  • Mafalda e seus amigos, Manolito e Susanita de Quino, na esquina da rua Chile com Defensa.
  • Isidoro Cañones, de Dante Quinterno, na esquina com a rua Balcarce
  • Matías, de Fernando Sendra, entre México e Venezuela.
  • Clemente, de Caloi, entre Venezuela e Belgrano.
  • Patoruzito, também de Dante, está entre Belgrano e Paseo Colón.
  • Gaturro, de Nik entrando por Azorpado.
  • La jirada, de Mordillo, na porta do Museu do Humor, que é onde o passeio termina.

20. Agradeça ao sol em Huacalera

Inti Raymi em Quechua significa festa do sol. É uma cerimônia incaica e andina realizada em honra ao deus sol a cada solstício de inverno, em junho. O nascer do sol no solstício, em Jujuy, representa uma renovação espiritual e a província é um ótimo local para conhecer esta tradição.

Huacalera é um pueblito no norte da Argentina onde, exatamente em sua entrada, passa o trópico de Capricórnio. Durante a festa se pede por um bom plantio, uma boa colheita e o nascimento saudável dos animais. É também uma oportunidade de renovar o vínculo com a Pachamama, com muito canto e instrumentos. Comunidades originárias e turistas se juntam com a mesma intenção, abaixo do sol.

Quer conhecer as histórias de vida que escutei na minha viagem a Argentina? Me acompanhe aqui na Worldpackers e siga o @solanomundo no Instagram e no Facebook!

Teve alguma experiência inesquecível na Argentina que ficou faltando nesse artigo? Conta mais como foi nos comentários, queremos saber! 


E56e2ad24ca6a189efd54a2cfcd71838

Raquel

Uma jornalista brasileira que escreve sobre pessoas. Eu viajo para conhecer histórias de vida e...

+ Ver mais

Ago 20, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Raquel saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor