Categorias

Dá para viajar como Worldpacker e trabalhar ao mesmo tempo?

Ser Worldpacker é mais do que trocar seus talentos por hospedagem. Porque antes disso, todos temos uma história, que nos fez chegar até aqui. A história da sua vida, seus dons e talentos são únicos e nunca vão ser iguais aos de outra pessoa. E se você ainda não sabe, eles têm muito valor!


0c4c398d92ba1655f9b9c001f6a81eda

Claudia

Viajera e designer! Um dia decidi que a vida tinha que ser vivida e fui lá ver e fazer! Viajei 10...

Ago 07, 2018

worldpacker

Fiz uma viagem como Worldpacker durante 10 meses pelo Nordeste e quando tive um tempinho fiz alguns trabalhos como designer freelancer.

Sempre que contava isso a alguém, escutava frases como:

“Mas eu não tenho um talento como o seu, então não conseguiria ser Worldpacker!”

“Não tenho um computador, então não consigo fazer esse trabalho!”

“Preciso de muito dinheiro para viajar, então vou trabalhar mais um pouco nessa empresa. Um dia, se der, eu viajo!”

Essas são algumas das "desculpinhas" que arranjamos para não ir.

E talvez fazemos isso porque o desconhecido nos dá um pouco de medo mesmo.

Mas depois de estar no mundo, você vê que não tem nada de muito misterioso.

Além de ganhar bastante coisa estando fora da zona de conforto, também se conhece muito mais!

Todos temos uma história. Mostre-a para o mundo!

Eu sempre gostei muito de desenhar.

Cresci vendo meus pais desenharem e trabalharem em casa fazendo livros, revistas e móveis!

Aquilo fazia parte da minha infância e também todas as brincadeiras que eu fazia atendendo amigas na “minha lojinha” e dando aulas para minhas bonecas! Eu amava fazer aquilo!

Adulta, trabalhei atendendo clientes em lojas de verdade e mais tarde escolhi ser designer gráfica e de produto.

Era como se eu tivesse feito aquilo a vida toda. Não tinha como eu ter escolhido outra profissão!

Também amava viajar. Sempre viajei muito com a minha família e lembrava da ótima sensação de colocar as malas no carro e partir!

Existem momentos na sua história que fizeram você ser quem é hoje.

Resgatar isso vai te ajudar a se conhecer melhor e pensar no que você pode fazer com suas habilidades.

Dica: Você pode contar sua história em blogs, vlogs e usar as redes sociais para ajudar muitas pessoas que estão passando pelo que você já passou e além disso, ganhar uma graninha extra enquanto viaja.

Seus dons, talentos e habilidades são únicos e valem muito!

Um belo dia, eu cansei de estar todos os dias, durante 8 horas dentro de um escritório.

Saí da empresa em que trabalhava e estava há quase 1 ano como designer freelancer em casa.

Fiquei sem a estabilidade do salário fixo, mas descobri que tinha menos gastos como freela e mais tempo  para fazer o que gostava.

Mas eu queria viajar!

Comecei a pensar sobre o que eu fazia muito bem e fui no site da Worldpackers escolher uma função que eu tivesse conhecimento e que não fosse um desafio tão grande.

Meus amigos e clientes diziam que eu era uma boa designer porque conseguia transformar as ideias deles em realidade!

Aquilo foi um grande incentivo para eu seguir viajando e trabalhando como designer.

E escolhi uma vaga nesta área em um hostel em Recife. Isso eu sabia fazer de olhos fechados e ainda de frente para o mar, maravilha!

Dica: Seus dons e talentos são coisas que você faz muito bem e que todo mundo te diz que você faz muito bem. Pergunte aos seus amigos e familiares e você se surpreenderá!

Trabalhei quase 2 meses como designer para o hostel Piratas da Praia, em Recife, fazendo cartões, posters para os eventos do hostel, folhetos, fotos, vídeos e etc.

Nas horas vagas fazia meus freelas de design e também organizava eventos no hostel. Afinal, tinha esquecido que eu também amava festas e aquilo era muito fácil de fazer.

worldpacker-recife

Misture tudo o que você faz de melhor e coloque em prática!

Quando decidi sair de Recife, havia uma vaga na recepção do Maraga Beach Hostel em Maragogi.

Eu já tinha observado os outros Worldpackers trabalhando na recepção do hostel de Recife e não parecia difícil.

Eles me aceitaram em Maragogi e logo aprendi tudo.

Lembrei um pouco de quando eu era atendente de loja no shopping. Com um pouco de simpatia, paciência e organização, tudo saiu perfeito!

Eu trabalhava apenas 5 horas na recepção e me sobrava tempo para os freelas.

Eu gostava muito do trabalho no hostel. Consegui juntar uma graninha, além de descansar bastante.

Dica: Muitos worldpackers que conheci, nas suas horas livres, trabalhavam em bares e restaurantes, como garçom ou barman, como guias de turismo, vendedores de passeio, fotógrafos de passeios e no hostel e assim conseguiam juntar uma graninha.

Existem diversas profissões cuja função também pode ser feita online e assim você consegue viajar e trabalhar ao mesmo tempo.

Claro, que quando vivemos essa vida, temos que ser muito organizados e responsáveis pelo serviço prestado, mas posso dizer que dá certo.

Deixo aqui umas dicas do que você pode ser/fazer online:

  • designers, publicitários, ilustradores, editores de livros ou e-books, fotógrafos e editores de vídeos e animações;
  • advogados, contadores, secretárias, administradores, TI, podem dar consultoria e prestar serviços via internet;
  • ser professor de idiomas ou de uma área que tenha muito conhecimento;
  • jornalista, escritor ou se você gosta de produzir conteúdos, pode trabalhar em parceria com jornais, revistas e sites;
  • dar dicas de saúde se você é nutricionista, médico, dentista ou até personal trainer;
  • se gosta ou é cozinheiro, pode fazer receitas online.

Nem tudo que é trabalho, é aquilo que você faz 8 horas por dia dentro de uma sala.

Então seja criativo, misture seus talentos, tente aprender algo diferente e teste tudo para ver se você realmente se sente bem realizando esse trabalho!

Nada melhor do que fazer algo com prazer. Afinal, você não decidiu viajar para ficar estressado e sem qualidade de vida em qualquer outro lugar do mundo!

Crie a profissão dos seus sonhos e edite aquele seu currículo padrão

Depois de ser designer, recepcionista, professora de espanhol e trocar tudo isso por hospedagem, criei uma nova profissão para mim.

Em Salvador comecei a trabalhar como recepcionista no The Hostel Salvador, uma rede de hostels brasileiros.

E no meu primeiro dia, conheci o organizador de eventos do hostel.

Ele soube que eu era designer e pediu para eu auxiliar ele em todo o visual dos eventos.

O nosso projeto era abrir o hostel para pessoas da cidade realizarem eventos, incluindo os hóspedes.

Deu super certo!

Então surgiu a oportunidade de trabalhar na recepção do The Hostel Morro de São Paulo.

Praia, sol, calmaria, voltei até a fazer meus freelas!

Um dia, o decorador do hostel me viu trabalhando no computador e me perguntou se eu não queria ajudar na decoração.

Topei e dias depois criaram um novo departamento onde pude ganhar uma graninha: um departamento de criação para toda a rede de hostels.

Realizei todos os materiais impressos, os conteúdos para as redes sociais e a decoração interna de cada unidade.

Foi ótimo, pois eu fui recepcionista, designer, hóspede e conhecia 2 unidades deles pessoalmente. Sendo assim, podia ajudar dando palpites de onde melhorar.

Aprendi muita coisa, trabalhei bastante e não pegava trânsito para ir e voltar do trabalho. Era maravilhoso!

Dica: não tenha medo ou vergonha de encher o seu currículo de trabalhos que fez como Worldpacker. Você será visto como uma pessoa corajosa, que toma decisões rápidas, que fala diversas línguas, que sabe lidar com o público e também mostra que possui mil e uma qualidades, além da sua formação acadêmica.

experiencias-worldpacker

Nem tudo na vida é pago em dinheiro!

Durante minha viagem uma coisa foi levando a outra.

As pessoas que eu encontrei me deram muitas dicas e ensinamentos, compartilharam suas vidas, suas casas, suas histórias e isso não há dinheiro que pague!

Também ganhava comidas, bebidas, roupas, passeios turísticos, descontos e por aí vai!

Fiz um trabalho de design para uma pessoa que conheci em Jericoacoara e não cobrei pelo serviço, mas ganhei um amigo, um cliente, um sofazinho para dormir e uma companhia de viagem.

Outro exemplo, foi com um amigo que trabalhava comigo na recepção de um hostel e escolheu trabalhar apenas 4 horas por dia, ganhando menos dinheiro, pois queria ter mais tempo para conhecer a cidade, aproveitar a vida e pensar em futuros projetos que ele gostaria de fazer.

Eu aprendi muito com isso, pois deixei de me importar com o dinheiro, já que muitas vezes não precisava tanto dele.

Dica: Nem tudo é pago com dinheiro e repito!

Como Worldpacker pude dar outro valor ao trabalho e entender que podemos trocar, compartilhar e colaborar, ganhando conhecimentos, experiências, amigos, tempo e até coisas materiais necessárias para aquele momento!

Resumindo...

Dá sim para trabalhar e viajar como Worldpacker!

É só prestar atenção nessas coisas:

  1. Todos temos uma história, mostre-a para o mundo;
  2. Seus dons, talentos e habilidades são únicos e valem muito!;
  3. Misture tudo o que faz de melhor e coloque em prática;
  4. Crie a profissão dos seus sonhos e edite aquele seu currículo padrão;
  5. Nem tudo na vida é pago em dinheiro!

Faça e depois conta aí se deu certo sua experiência de viajar e trabalhar como Worldpacker

Boa viagem e bom trabalho!


0c4c398d92ba1655f9b9c001f6a81eda

Claudia

Viajera e designer! Um dia decidi que a vida tinha que ser vivida e fui lá ver e fazer! Viajei 10...

Ago 07, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar clausuares saber :-)


Comentários