Dicas do que fazer no Vietnã

Vietnã! Você provavelmente já assistiu a diversos filmes de guerra com acontecimentos lá, histórias envolvendo colonialismo, pobreza, comunismo e guerra.  Infelizmente poucos retratam as belezas, a riquíssima cultura e nada te prepara para aprender tanto em um único país. 

O Vietnã é um daqueles lugares que você ama ou odeia, e eu amei! Talvez por ter pouquíssimas ou nenhuma expectativa quanto ao país, fiquei 100% cativada e o Vietnã com certeza conquistou uma parte enorme do meu coração. 

Confira algumas dicas do que fazer durante sua viagem para o Vietnã:

1. Custos básicos

Ok, vamos começar abordando um tema que aterroriza a maior parte dos viajantes econômicos como eu. A boa notícia é que o Vietnã pode ser muito econômico se você souber calcular bem os seus gastos, mas, como muitos países asiáticos, tudo parece ser tão barato que sem perceber vamos gastando e no fim do dia bate aquele arrependimento por ter gastado com o que não precisávamos. Aqui vão algumas dicas para economizar:

  • Moeda: a moeda oficial é o Dong Vietnamita e eu recomendo fazer as suas compras com dinheiro em espécie. Os caixas eletrônicos cobram uma porcentagem sobre o valor do saque, além dos custos do seu banco, então  recomendo sacar a metade do valor estipulado para a viagem e a outra metade depois. Ao menos isso me ajudou a controlar os gastos.
  • Hospedagem: é possível encontrar hostels e resorts por valores baixíssimos, variando de um a cinco dólares, dependendo muito da cidade e região onde você está. Fique atento à localização do teu hostel, as vezes se hospedar em um estabelecimento mais barato, porém totalmente fora de mão, acaba sendo mais caro se contar com o custo da locomoção. O que nos leva à próxima dica.
  • Grab: serviço equivalente ao Uber, porém tem a opção de solicitar grab bike. Andar de scooter pelo Vietnã é uma experiência maravilhosa, mas se você não tem muita experiência, ainda mais em locais com o tráfico mais caótico, vá de grab bike que é muito mais em conta do que o convencional carro.
  • Locomoção: a forma mais econômica, prática e comum de viajar dentro do Vietnã é de ônibus. Os famosos ônibus leito noturno com pequenos beliches permitem que você viaje a noite, economizando tempo e dinheiro. E se você, assim como eu, tem facilidade pra dormir em qualquer lugar, opte por esta opção. Muitos viajantes questionam a questão da segurança e da ocorrência de diversos acidentes na estrada, mas, pela minha experiência, eu me senti extremamente segura em todas as minhas viagens. Se ainda assim você estiver receoso, vá de trem. Muitos viajam de scooter, o que é ainda mais perigoso, mas a paisagem pela costa é deslumbrante! Pessoalmente, como sou amante do ciclismo, se tivesse mais tempo, com toda certeza faria a viagem de bicicleta. Para o ônibus não é necessário comprar a passagem antecipadamente, isso vai te permitir uma flexibilidade incrível para explorar o país. Recomendo comprar a passagem assim que você souber o seu próximo destino, vá diretamente à estação de ônibus ou compre com o hostel, porém pesquise o valor primeiro, muitas vezes existe uma pequena diferença de preço e sem sombra de dúvida fuja das agências de turismo.
  • Língua: a língua oficial é o vietnamita e raras vezes o mandarim, mas não se preocupe! Assim como a maioria dos lugares, eles estão acostumados com turistas e mesmo não falando o inglês fluentemente, um pouco de mímica e aplicativos de tradução são o suficiente. Me hospedei em um B&B em Halong Bay e a dona do estabelecimento não falava uma palavra em inglês e pouquíssimo mandarim, mas passamos alguns dias conversando através da ajuda de aplicativos de tradução em meio aos jantares maravilhosos que ela servia.
  • SIM Card: a não ser que você não consiga viver um segundo sequer sem estar conectado, não recomendo comprar um chip local. Sim, é super barato, mas se o GPS do seu celular funciona super bem, tente ficar esse mês dependendo somente de Wi-Fi. "Ah, e se eu me perder e o meu GPS não estiver funcionado?". Entre num café ou hostel e peça para usar o Wi-Fi. Te garanto que não será um grande problema e você vai perceber o quão amigável os vietnamitas são.
  • Saiba barganhar: ahhhh, mas é tudo tão barato! Turistas costumam pagar o dobro do valor normal, mas mesmo assim continua sendo barato. Fique esperto porque se eles perceberem que você vai pagar de qualquer forma, vai ser cobrado. Não leve a mal, não é por maldade, mas eles sabem que a diferença de valor muitas vezes não significa muito para nós. Os vietnamitas são ótimos negociadores, não se acanhe, não se ofenda e ponha em prática o teu charme e de quebra aprenda a negociar como ninguém.
  • Alimentação: a comida em Vietnã é extremamente acessível e deliciosa. Se você tiver a oportunidade de viajar de norte ao sul, você vai perceber a diferença entre os sabores e ainda mais se fizer amizade e puder se deliciar com a comida caseira. Fuja dos restaurantes e experimente os mais diversos pratos típicos sentando nas cadeirinhas que parecem de criança na rua.

2. O que comer?

A gastronomia vietnamita tem ganhado grande destaque e popularidade nos últimos anos mundo afora, sendo mais conhecida por seus ensopados, macarrão, vegetais, temperos e por ser predominantemente saudável. 

A seguir estão os 5 pratos mais populares do Vietnã:

  • Banh Mi: sanduíche composto por baguete recheado de alguma opção de proteína, pode ser de frango, carne bovina ou suína, com vegetais em conserva, molhos agridoces com a opção de ser apimentado ou não, coentro e outras ervas frescas. O recheio e o sabor varia de região a região, mas os melhores que experimentei foram ao norte de Vietnã.
  • Pho: um dos pratos mais famosos sem dúvida, Pho é um prato de macarrão de arroz com sopa de carne bovina ou de frango. A sopa tem sabores profundos, complexos e é leve ao mesmo tempo, ótimo tanto no frio quanto sob o úmido escaldante verão. Servido acompanhado de folhas de hortelã, limão e broto de feijão.
  • Goi Cuon: rolinho de porco ou camarão com ervas e vegetais embrulhado em uma folha de arroz, acompanhado de um delicioso molho de amendoim. Perfeito para enfrentar o calor vietnamita.
  • Banh Cuon: panquecas feitas de farinha de arroz recheadas de carne moída de porco e cogumelos, acompanhadas de um molho de peixe.
  • Bun Cha: pho é definitivamente o prato mais conhecido em Vietnã, mas Bun Cha é a escolha preferida para o almoço. O prato é composto basicamente de carne de porco grelhado servido com um ensopado de peixe, ervas, vegetais frescos e macarrão de arroz.

3. Hanoi


O que fazer no Vietnã : Hanoi

Ao contrário do que muitos pensam, Hanoi é a capital de Vietnã, não Saigon. Fortemente influenciada pela cultura chinesa e francesa, visível pela arquitetura, Hanoi é famosa principalmente pela gastronomia.

Por ser considerada a segunda maior cidade vietnamita, recomendo passar mais tempo em Hanoi para se acostumar com o trânsito caótico, aprender a atravessar a rua sem esperar que os carros e motos parem, porque eles não param nunca e, acredite, se você andar com cautela, a chance de ocorrer um acidente é mínimo.

Os principais pontos turísticos incluem uma caminhada pelo West Lake, um dos pontos mais serenos da cidade, One Pillar Pagoda e o Mausoléu de Ho Chi Minh, Templo de Bach Ma, Catedral de Saint Joseph, Prisão de Hoa Lo (construída pelos franceses para aprisionar vietnamitas), se perca pelas ruas da Old Town, pare para saborear o famosíssimo café vietnamita (acredite, é tão delicioso quanto o brasileiro) e o Templo da Literatura.

Se atente às suas vestimentas: em diversos locais é proibido entrar com roupas acima do joelho e blusinhas sem manga. Por ser uma região predominantemente quente e úmida, se você, como eu, é extremamente calorento, a dica é carregar um lenço e uma calça de tecido bem leve para vestir por cima e cobrir as pernas e os ombros.

O meio de transporte principal é o scooter, mas é possível visitar a cidade inteira a pé. Isso vai te possibilitar se ambientar à cultura local mais rapidamente e descobrir pontos fora do tipicamente turístico.

4. Halong Bay

Quem me conhece sabe o que eu penso sobre os lugares tipicamente turísticos. Halong Bay é linda sim, mas eu esperava muito mais dela de tanto que falam sobre o local, sem contar o custo mais elevado pelos pacotes turísticos. Além do porto e do passeio típico de barco, não tem muito mais a ser explorado pela cidade. Se você quiser ficar mais tempo para experimentar a gastronomia e a vida noturna, uma noite é o suficiente.

Muitos fazem um passeio de bate e volta de Hanoi, mas recomendo partir para Cat Ba de Halong.

5. Cat Ba

Se você é amante da natureza e achar que Hanoi é um pouco caótica demais, Cat Ba vai permitir que você respire aliviado novamente.

A ilha tem de tudo para oferecer, desde praias, cavernas e florestas a serem exploradas. O Vietnã tem crescido muito nos últimos anos turisticamente e diversos locais ainda estão intocadas, o que é o caso dessa ilha. Bem menos bombardeada por turistas, aqui você vai poder entrar em contato com a natureza, praticar esportes aquáticos, trilhas e relaxar.

6. Ninh Binh


O que fazer no Vietnã - Ninh Binh

Ainda longe do caos e em contato com a natureza, Ninh Binh é parada obrigatória se você busca paisagens de tirar o fôlego. 

O passeio de barco para ver a paisagem das montanhas em Tam Coc é definitivamente o ponto turístico principal, mas experimente se hospedar em Trang An, especialmente se você busca preços mais acessíveis e longe de áreas turísticas.

Trang An se encontra a poucos minutos de Tam Coc e a cidade é uma opção para deixar a scooter de lado e explorar a região de bicicleta. A paisagem é de tirar o fôlego! Nenhum filme ou histórias sobre o país vai te preparar para ver tanta beleza natural. 

Recomendo o passeio por Hoa Lu e o mesmo passeio de barco pelo rio, os vietnamitas preferem muito mais Trang An a Tam Coc. Ambas as regiões ficam a poucos minutos do centro, mas se hospedar em meio a natureza sem o buzinar das motos vai fazer você esquecer completamente e nem querer visitar o centro caótico.

7. Phong Nha

Visite as cavernas em Phong Nha, mesmo que você não seja fã da natureza. O “centro” da cidade é composto de basicamente apenas de uma rua principal com todas as principais hospedagens, ponto de ônibus, restaurantes, mercados e caixa eletrônico. 

O programa principal é visitar as cavernas e grutas e, para visitar todos, é necessário ao menos quatro dias. Se você não possui tanto tempo, recomendo o Paradise Cave. Evite os pacotes turísticos, alugue uma scooter e vá cedinho de manhã, evitando os grupos de turistas. Na volta, vale uma parada pelo Phong Nha Cave, acessível somente a barco. 

Outra caverna bastante popular é o Dark Cave, famoso por ser a mais aventureira de todas, começando o passeio de tirolesa, banho de lama e finalizando com o caiaque. Por ser um destino basicamente repleto de tours turísticos, o preço em geral é um pouco mais salgado e todos os pontos turísticos são pagos, então se você está com o dinheiro contado, estude as suas opções e veja o que você considera indispensável.

8. Hue

A maior parte dos viajantes pulam essa pequena cidade por não ser tão famosa, mas Hue foi uma agradável surpresa. A cidade é pequena, com todos os pontos turísticos possíveis de ser feito a pé, ou melhor ainda, de bicicleta. Visite a cidade imperial de dia e se deslumbre com a sua história, refaça a visita a noite e contemple-a iluminada em tons de verde, azul, rosa, roxo, amarelo e laranja. 

Deixe se levar e se transportar com as construções, tão bem conservadas que parecem que pararam no tempo, mas vá de bicicleta, ou a pé. Durante o fim de semana o centro da cidade fecha para a circulação somente de pedestres, cheio de artistas de rua, música e comida.

Ainda em Hue, vá ao lago Thuy Tien, parque de diversões abandonado e famoso por ser supostamente mal assombrado. Logo na entrada você vai dar de cara com um guarda e uma placa dizendo que é proibido visitar o local, mas não se acanhe, pergunte se você pode visitar mesmo assim. Alguns dizem que o guarda pede que pague uma quantia, outros dizem que a entrada foi recusada, eu consegui visitar sem muitos transtornos, mas o casal que veio depois de mim se viu obrigado a dar meia volta. Vá de bike, pedale pelas suas ruas abandonadas até o lago onde se encontra uma enorme estátua de dragão. Entre e suba os degraus do dragão até a sua boca. Mesmo durante o dia, por ser vazio e talvez pela pichação e abandono, o lugar me deu calafrios.

9. Hai Van Pass


O que fazer no Vietnã - Hai Van Pass

Famosíssima estrada que interliga a cidade de Hue a Da Nang, o local é famoso pelo túnel Hai Van e por oferecer uma vista majestosa das montanhas verdejantes, um céu azul e da baía de Da Nang. O passeio leva em torno de três a cinco horas de scooter, dependendo de você parar para desfrutar dos restaurantes de frutos do mar e o típico café vietnamita ao longo da costa. Apesar da vista ser deslumbrante, muitos viajantes optam por não fazer o trecho por ter alto índice de acidentes, mas vá com cuidado que você não se arrependerá da experiência.

10. Da Nang

Essa cidade promete te oferecer um pouco de tudo. Menos turística, com grande potencial de crescimento, Da Nang está entre uma das muitas cidades com forte investimento em expansão. Tem grande diversidade e autenticidade gastronômica pelas suas ruas no centro, a famosa Golden Bridge e uma praia, tudo a menos de 30 minutos de distância de scooter.

A praia é repleta de restaurantes, barracas de comida tipicamente vietnamita que ganham vida a noite, hospedagem super em conta e, o melhor de tudo, é pouco frequentada durante o dia, ótima para mergulho, um belíssimo pôr do sol e perfeito para uma noite de luar. 

Explore os bares ao redor da praia My Khe, visite The Marble Mountains e o templo budista Chùa Linh Ung para uma vista panorâmica magnífica da cidade e contemple a gigantesca estátua de mármore branco da Lady Buddha, com 67 metros e que olha serenamente para o mar, abençoando e protegendo os pescadores da região.

11. Hoi An

Há apenas 30 minutos de scooter de Da Nang está a icônica cidade de Hoi An, altamente turística e famosa pelo seu canal que se ilumina a noite sob a luz do luar e com velas flutuando no rio sob os diversos barquinhos de papel.

A cidade também é famosa pela alfaiataria. É possível encomendar vestimentas típicas e calçados feitos sob medida em diversas lojas pelo centro. Existem algumas lojas mais populares, como a Kimmy Tailor, a A Dong Silk, a Yaly Couture e a Be Be Tailor. Você pode encomendar a peça que você imaginar com a garantia de que você será bem atendido e terá a peça que tanto deseja feito especialmente e unicamente para você. Sim, o preço pode ser um pouco salgado, mas a experiência é única e eu definitivamente recomendo a aquisição. Caso tenha curiosidade em conhecer o processo de confecção das peças exclusivas, não hesite em solicitar um passeio guiado por algumas lojas, como a Be Be.

Outra parada obrigatória é a praia de An Bang. Mais turística que em Da Nang, porém igualmente adequada para banho com águas cristalinas repletas de peixinhos e conchas. A bicicleta é definitivamente o meio de transporte a ser escolhido para explorar Hoi An.

12. Quy Nhon e Song Cau


Me deparei com essa cidade por acidente, confesso. Estava a caminho de Nha Trang, outra cidade altamente turística, mas por algumas recomendações decidi trocar Nha Trang por Quy Nhon por um pouco mais de praia e paz. Quy Nhon em si não tem muito a oferecer além da praia, a não ser que você disponha de um scooter e explore os arredores, onde eu encontrei uma das praias mais paradisíacas em Vietnã.

A apenas 30 minutos de Quy Nhon encontra-se Song Cau, pequeníssima cidade a 15 minutos da praia de Vinh Hoa. A praia é frequentada basicamente por vietnamitas, ficando vazia a maior parte do tempo e as hospedagens ao redor situam-se exatamente na areia, a poucos metros das águas cristalinas, areia branca e fofíssima. Apenas tome cuidado com a presença de água viva no local. O lugar é simplesmente de tirar o fôlego.

13. Dalat

Dalat é uma cidade repleta de lagos, cachoeiras, templos e construções com forte influência francesa, com um quarteirão repleto de vilas e chalés franceses. Os principais pontos turísticos no centro da cidade inclui a Crazy House, uma casa bizarra em formato de árvore com dezenas de outros cômodos, cada um com um tema específico. O local é repleto de túneis, escadas e se você tiver curiosidade, vale um bate papo com a fundadora que arquitetou o local, Dang Viet Nga, que frequentemente está presente na sua obra. 

Visite as famosas cachoeiras Dalanta e Elephant Falls, os templos Linh Phuoc e Linh Son, o mercado no coração de Dalat e explore a gastronomia local e a vida noturna pelos diversos bares no quarteirão central da cidade, sem deixar de conhecer o Maze Bar. O bar está localizado em um prédio que é composto inteiramente de um enorme labirinto e decorações bizarras ao longo do caminho, perfeito para ir com os amigos, aproveitar uma cerveja e brincar de esconde esconde.

Ao explorar os arredores da cidade não perca a oportunidade de visitar os Minority Villas, que são basicamente pequenos vilarejos onde os seus habitantes mantêm aspectos culturais e tradições antigas vivas até o dias atuais.

14. Ho Chi Minh

Também conhecida como Saigon, a cidade é o centro financeiro do Vietnã. Mil vezes mais caótica que Hanoi, mais cosmopolita, repleta de rooftop, vida noturna agitada, riquíssima culturalmente.

Confesso que por não ser grande entusiasta de cidades caóticas demais (acredito que ter passado a maior parte da minha vida em São Paulo já seja o suficiente), Saigon foi parada obrigatória apenas para embarcar no meu voo rumo à Tailândia, mas alguns pontos turísticos são indispensáveis. 

Comece o dia explorando os mercados locais, como o Bem Thanh e Binh Tay, preferencialmente de estômago vazio, e se delicie com a comida local. Siga o dia perambulando pelas ruas e construções históricas ao redor do Distrito 1, onde está localizado o famoso War Remants Museum. Explore a rua Pham Ngu Lau a noite e um dos diversos rooftops com happy hour oferecendo 50% de descontos em bebidas das 17h às 20h e aproveite para apreciar o pôr do sol.

Se ainda dispor de um tempo, indico visitar o famoso Chu Chi Tunnels. O passeio requer metade de um dia e permite que você experimente na íntegra como era para os soldados que utilizavam dos túneis como esconderijo e locomoção sem serem detectados pela tropa inimiga. Recomendável agendamento prévio por ser um passeio altamente popular.

Obviamente existe muito mais opções de o que fazer no Vietnã, mas espero que a minha experiência por um mês te instigue a querer descobrir mais sobre esse país incrível, rico culturalmente e com um dos povos mais amigáveis que já conheci. Desejo que o país possa te conquistar da mesma forma que me cativou! Qualquer dúvida, não hesite em me enviar uma mensagem. Boa viagem!


C26fec2dc4057e094af1a0a287e940aa

Torisa

Nascida em Taiwan, criada no Brasil, morando atualmente em Taipei. Estou viajando e me mudando po...

+ Ver mais

Nov 01, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Torisa saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor