O que fazer em Marraquexe: a cidade mais visitada do Marrocos

Marraquexe é boa para os mochileiros pois tem preços acessíveis, é fácil de percorrer à pé e se tornou ponto de partida para passeios no deserto. Confira minhas dicas!


83c7d46f2267b3467948759dc509165d

Juliana @virandogringa

Jun 14, 2019

Translator and travel writer from Brazil :) I have lived in 5 countries besides Brazil so far and visited over 20. My favourites are Netherlands, P...

Dicas do que fazer em Marraquexe

Marraquexe é uma cidade de contradições. Na Medina, a cidade murada fundada em 1076 - hoje Patrimônio Mundial da UNESCO - você encontrará lojas, bares e Riads encantadores, jardins secretos por trás de portas tão grandes e pesadas que parecem tiradas de um cenário de Game of Thrones, paredes pintadas com arabescos em um nível de detalhe que prende o olhar de qualquer um.

Mas explorar Marraquexe também não é fácil. O trânsito é caótico, tem motos correndo para todo lado, tem vendedores tentando chamar sua atenção o tempo inteiro - em todos os idiomas que você imaginar - e, sendo mulher, é melhor observar como as locais se vestem e tentar se adequar, se não quiser receber cantadas e olhares constantemente. 

Bom, no fim das contas, viajamos para sair da nossa zona de conforto e conhecer novos lugares e suas realidades, não é mesmo? Então, mesmo que tenha um defeito aqui ou ali, vale a pena mergulhar nesse novo universo e conhecer a vida dos marroquinos, suas dificuldades e suas alegrias. Viajamos para aprender e crescer e, com certeza, Marraquexe proporciona elementos para isso.

No Marrocos existiu um período de colonização francesa, então o idioma francês é muito presente nas maiores cidades e é ensinado nas escolas. É uma experiência nova para os mochileiros mais experientes, pois o inglês costuma bastar em diversos destinos mundo afora. Em Marraquexe, tente arriscar algumas palavras em francês e com certeza vai arrancar um sorriso de um local, ou quem sabe um desconto num lenço.

Falando em desconto: é um hábito dos marroquinos negociar bastante. Não tenha vergonha de pechinchar, pois eles fazem isso com muita frequência e naturalidade. Quando estive por lá, comprei lenços para trazer de presente para a família no Brasil, e os preços começavam lá no alto - com os valores em Euros. Depois de muita conversa, brincadeiras falando que era do Brasil, piadinhas com Ronaldinho e caipirinha, o preço caía lá para baixo - com os valores em moeda local, o Dirham.

1. Quanto tempo preciso para conhecer Marraquexe?

A região turística de Marraquexe não é grande, então você consegue visitar as principais atrações da cidade com três ou quatro dias, dependendo do seu ritmo. Porém, já vou avisando: os mercados e toda a parte da Medina são universos à parte. 

Você poderá passar horas percorrendo as ruelas da Medina se for prestar atenção em cada detalhe, cada lojinha, cada tempero, peças de couro, tapetes incríveis, luminárias e doces típicos. Recomendo essa imersão cultural, afinal não tem nada mais marroquino que um passeio pela Medina ou pelos mercados (Souks).

Tem também muitas coisas para fazer nos arredores de Marraquexe, então, para bater o martelo, digo que compensa você pegar uma semana no Marrocos, se tiver condição e tempo para isso

Com mais tempo você pode pegar um trem e ir ver a capital Rabate, ou a maior cidade do país, Casablanca. Outras cidades turísticas são Essaouira, Chefchaouen - famosa pelas casas azuis - e Fez, que muita gente visita para ver os curtumes de couro.

Como o Real é mais valorizado que a moeda local, é possível encontrar muitos passeios baratos em Marraquexe e região. A moeda do Marrocos se chama Dirham (pronúncia Dirrã) e cada R$1 vale DH 2,40 (cotação de maio de 2019).


Foto: Juliana Arthuso

2. Principais atrações: o que fazer em Marraquexe

Vários monumentos de Marraquexe ficam dentro da Medina, então comece suas visitas por ali. Os hostels em Marraquexe geralmente ficam na região da Praça Jemaa El Fna, o coração da cidade. É nessa praça que você vai encontrar comida caseira boa e barata, além do famoso suco de laranja.

Dentro da Medina você vai ver monumentos como o Madraçal de Ben Youssef, a Mesquita Kasbah, o Palácio da Bahia e parte da muralha, famosa pela sua cor avermelhada. Também dentro da Medina ficam os mercados (Souks), onde você pode ver os produtos locais e explorar mais comidas típicas.

Jardins são muito comuns nas grandes cidades do Marrocos, pois o clima é quente e seco, então era costume antigamente a construção desses espaços com plantas e fontes para as pessoas se refrescarem. Em Marraquexe você pode visitar alguns, como o pequeno Le Jardin Secret, além do Jardim Majorelle e Jardins Menara.

Outras atrações que ficam fora da Medina, mas também valem a pena, são o Palácio El Badi, o Cyber Park, a Mesquita de Koutoubia. Nos arredores da cidade, vale a pena fazer passeios para o deserto (mas só com agência, pois sozinho é perigoso). 

Também é legal fazer os passeios de um dia para as cachoeiras da região, afinal, nada melhor para se refrescar do sol escaldante do que um banho de cachu. Vamos falar mais a frente sobre três cachoeiras perto de Marraquexe. 

Confira maiores informações das atrações de Marraquexe:

Praça Jemaa El Fna

Essa praça parece cenário de um filme, tem tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo que a gente fica até confuso. Nessa praça, você vai ver encantadores de serpentes, adestradores de macacos, músicos com instrumentos típicos, comerciantes em trajes típicos, mulheres oferecendo tatuagens de henna, vendedores de espetinho, cérebro de cordeiro, salsichas e cuscuz. 

A partir dessa praça você vai achar a entrada de vários mercados tradicionais, onde você encontra luminárias, sapatos marroquinos, roupas, tecidos tingidos na técnica de lá, temperos, perfumes e uma infinidade de outras coisas.

Durante minhas viagens para o Marrocos, sempre reservei a hora do jantar para ir nessa praça, pois tem barracas que servem comida parecida com a brasileira (arroz, legumes cozidos, carnes) por um preço bem justo.

Madraçal de Ben Youssef

Não se assuste, antes de ir para o Marrocos eu também não sabia o que era um Madraçal! 

Madraçal ou madraça é uma escola muçulmana, ou uma casa de estudos islâmicos, onde os estudantes vivem em dormitórios e estudam em tempo integral, como muitos campus de universidade hoje em dia.

Nesses locais era estudado religião, e tinha espaços para as atividades de todo mundo que morava e trabalhava por ali. Então de certa forma, é parecido com um mosteiro.


Preço Madraçal de Ben Youssef

As pinturas e os detalhes de arquitetura são muito bonitos, mas você vai ter que esperar para visitar, pois está fechado para reformas até 2020!

Preço Madraçal de Ben Youssef: 6 euros (R$ 27).

Mesquita Kasbah, onde ficam as Tumbas Saadianas

É um cartão postal de Marraquexe, também conhecida como el-Mansouria, essa mesquita foi construída no ano de 1190. É interessante observar os grandes fluxos dos moradores locais indo para as rezas ao longo do dia. 

Depois da Mesquita, ficam as Tumbas Saadianas, ou Saadian Tombs, que têm esse nome por causa da dinastia saadiana. As pessoas dessa dinastia fizeram de Marraquexe a capital do Marrocos durante seu reinado. Hoje em dia a capital é Rabate.

Elas foram descobertas em 1917, e são mais de 100 tumbas decoradas com mosaicos. 

Preço Tumbas Saadianas: 7 euros (R$ 31).

Palácio da Bahia

Não, eu não errei e colei uma atração de Salvador sem querer! 

O Bahia Palace é uma obra arquitetônica muito importante de Marraquexe. Nos oito hectares do espaço você encontra vários pátios e jardins, além da parte interna que é toda decorada.

É um pouco esquisito de visitar os quartos, porque quando o vizir que construiu esse palácio morreu, as suas esposas e os funcionários saquearam tudo! Mesmo assim, o prédio é bastante fotogênico.

Preço Bahia Palace: 10 euros (R$ 45).

Le Jardin Secret, Jardim Majorelle e Jardins Menara

  • Le Jardin Secret

É um oásis no meio da Medina! Esse jardim é mais novo, então não tem a mesma vibe do Jardim Majorelle, porém, vale muito a pena para quem quer relaxar depois de circular pela movimentada e enérgica atmosfera da Medina. 

Preço Jardin Secret: 50 DHS (R$20).

  • Jardim Majorelle

É uma das atrações principais de Marraquexe. E tem uma identidade visual muito forte: é todo azul! Se você tá sem grana para continuar para Chefchaouen, o Majorelle vai te dar pelo menos a sensação de visitar a famosa cidade azul.

Vale a pena caminhar e ver os detalhes, visitar o Museu Berbere, a Galeria Love, a piscina de vitórias-régias e, quem sabe, beber um cafézinho no Café Majorelle. 

Lá tem várias espécies de plantas endêmicas do Marrocos, além de ser um lugar legal para se refrescar, relaxar e sair da loucura da Medina. Também rende boas fotos.

Preços Jardim Majorelle: 70 DHS (R$ 29, entrada só para o jardim) + 30 DHS (R$ 12,50 para o Museu). Estudantes têm desconto e pagam meia-entrada para o jardim e 25 DHS (R$ 10) para o Museu.

Jardins Menara

Um dos lugares mais bonitos de Marraquexe, esse jardim extenso tem um corredor de Oliveiras (árvore da azeitona) que leva a um lindo lago. Nos dias que o tempo está bom, dá para ver as montanhas da Cadeia do Atlas no horizonte. A vista e o ambiente dos jardins vale a pena.

Preço Menara Gardens: gratuito.


Preço Menara Gardens

Palácio El Badi

Se você já foi para Europa e curtiu ver as ruínas do Fórum Romano, ou a acrópoles em Atenas, você vai curtir o Palácio El-Badi. São ruínas de um palácio construído em 1578, não tão antigo quanto Roma como mencionei aqui, porém com um valor histórico muito alto para o Marrocos.

Fica a dica: aproveite a vista de Marraquexe do topo da muralha do Palácio!

Preço Palácio El Badi: 70 DHS (R$ 29).

Mesquita de Koutoubia

Não é difícil identificar a torre da Mesquita de Koutoubia, a mais famosa da cidade. 

Infelizmente, para nós turistas, quem não é muçulmano não pode entrar. Porém, o lugar é bonito para tirar fotos do lado de fora, também é um cartão postal de Marraquexe. 

O nome vem da palavra árabe koutoubiyyin, que significa "vendedor de livros", porque a área ao redor da mesquita já foi um local onde as pessoas faziam trocas de livros.

Não é a maior mesquita que você vai ver na vida, mas é a maior de Marraquexe - e vai se manter assim porque existe uma regra decretando que nenhum prédio próximo à Mesquita pode ser mais alto do que uma palmeira!

Cyber Park

Na verdade o nome completo dele é "Cyber Parc Arsat Moulay Abdeslam", mas apenas Cyber Park é mais fácil de lembrar, né? 

O lugar tem árvores antigas que dão sombras enormes, onde os locais sentam para descansar, ler um livro ou só se refrescar. Falando em refrescar, aproveite as fontes! 

Quando você for a Marraquexe, entenderá porque recomendei tantos parques: o sol é muito forte e o clima é seco. Tem horas que a gente precisa simplesmente parar e deixar o corpo descansar. E beber muita água!

Além disso, os locais vão utilizar esse local pelo wi-fi disponível em todo o espaço do parque, porém, não consegui conectar como visitante quando estava lá. Pelo jeito é necessário ser local para utilizar isso.

Preço: gratuito.

La Maison de la Photographie

Um edifício típico, restaurado, em uma região pouco visitada da Medina. Tem uma loja no térreo, exposição de fotos em todos os cômodos da casa e um café no último andar. 

O espaço é pequeno, mas com uma exposição bem legal de obras de fotógrafos marroquinos. É bom para quem quer conhecer arte local, a cultura do país, seus habitantes e a história do Marrocos.

Além disso, no último andar tem a varanda, com uma vista bem legal de Marraquexe. Você pode entrar no clima e beber um chã de hortelã admirando a paisagem.

Dica: não compre as fotos da lojinha. Vi turistas reclamando que os vendedores prometiam réplicas das fotos expostas em papel e impressão de alta qualidade, mas quando abriram, era papel sulfite. Não caia nessa.

Preço: 20 DHS (R$ 8).

Cachoeiras perto de Marraquexe

Essas cachoeiras são boas para um day tour, ou seja, aquele dia que você acordar super cedo, pega uma van que te leva até as cachoeiras, passa o dia lá e volta de noite!

É bem comum encontrar agências que te levam para as cachoeiras. Porém, é difícil saber quais são melhores e quais são confiáveis. Você vai notar que tem muita gente oferecendo na rua. Chega a ser difícil dizer tantos "nãos" em um dia.

Aconselho falar com seu hostel em Marraquexe e pedir conselhos sobre isso, pois geralmente os donos de hostels têm amigos que fazer tours, ou eles mesmos organizam. É mais confiável e mais fácil de reclamar se der algum problema.

Ouzoud falls, ou Cascades d'Ouzoud: perto dos limites do Parque Nacional do Alto Atlas Ocidental, no caminho para essa queda d'água é possível admirar a natureza da região num estado bem puro, você vai ver muitas plantas típicas e animais do deserto. Uma das cachoeiras mais altas do Marrocos.

Paradise Valley: conhecido pelas suas piscinas naturais e pequenas cachoeiras, Paradise Valley é o nome turístico para uma pequena região dentro do vale do Rio Tamraght, nas montanhas do Alto Atlas (aquelas que você viu nas fotos do Jardim Menara). Está localizado a aproximadamente 20 km ao norte da cidade de Agadir e 249 km de Marraquexe.

Cascades d'Akchour: um lugar muito fotogênico e de águas cristalinas, porém é um pouco mais longe de Marraquexe (600 km). Só vale a pena se você for explorar o Marrocos e descer para Chefchaouen!

Souks: os mercados tradicionais de Marraquexe

Andando pela Medina, principalmente na região da Praça Jemaa El Fna, você vai topar com grandes portas e portais que são entradas para os souks. Souks são grandes áreas comerciais cobertas dentro da cidade murada - labirintos de ruelas, luminárias e tapetes estendidos pelo chão, com um cheiro de couro lavado que vai ficar na sua memória para sempre. 

Nesses lugares você encontra uma variedade imensa de objetos típicos, como tecidos de pelo de camelo e carneiros - com cores intensas e características dos produtos berberes como ocre, marrom e o forte vermelho marroquino; encontra também temperos únicos, assim como coisas mais conhecidas que lá são muito baratas como damascos.

Também nos mercados você pode comprar lenços tingidos, couro feito nos curtumes típicos e todo tipo de coisa feito a partir desse couro: sapatos, sandálias, bolsas, acessórios, bijus.

Os vendedores são bem comunicativos, tem a mesma atmosfera das feiras de cidade do interior no Brasil: um grita daqui, outro grita de lá, um te chama para dentro da loja "sem compromisso" e as negociações começam! Os marroquinos adoram negociar e pechinchar com os turistas.

Tenho duas dicas para pechinchar no Marrocos: peça sempre o preço em Dirham, por mais que o vendedor insista pelo euro. Diga que é do Brasil e que euro é caro para você também, eles simpatizam. A segunda dica é: sempre coloque o preço lá embaixo de primeira, pois eles vão subindo para negociar até chegar no meio termo.

3. Onde ficar em Marraquexe?

Em todo o Marrocos existem habitações tradicionais chamadas Riads ou Ryads. São casas antigas que foram sendo transformadas em hotéis, hostels ou outro tipo de acomodação para turistas (tem Riads muito chiques no Airbnb, por exemplo). 

A estrutura básica que constitui um Riad é o jardim central, que quase sempre tem uma fonte ou uma piscina. O objetivo de construir uma casa que tem toda a sua área central aberta, com plantas e água é - você já deve ter adivinhado - refrescar os moradores! 

Como a região é muito quente, até mesmo o modo como se constrói as casas conta! Então, se você está visitando Marraquexe, ou qualquer outra cidade do Marrocos, ficar num Riad faz parte da experiência. Não é difícil conseguir, pois com a modernização cada vez maior do país com o turismo, tem muito hostel em Riad com preços mega acessíveis.

Dá uma olhada, por exemplo, nesse hostel em Marraquexe que fica num Riad!


Hospedagem Marraquexe

4. Atenção: não caia nos esquemas

Se perder na região da Medina é muito fácil, porque as ruas são estreitas e não tem um padrão "quadradinho" como os quarteirões no Brasil. É legal andar por lá e se distrair, sem pensar muito para onde está indo. 

Porém. fiquem ligados com pessoas muito solícitas para te ajudar! Existe muita gente que nem sabe para onde te levar, mas fica andando contigo por meia hora, uma hora ou mais, e depois arrumam briga para te cobrar um valor por ter te guiado - às vezes para o lugar errado. Se for pedir a alguém para te guiar, acerte um valor antes ou pelo menos pergunte se a pessoa cobra.

Outra coisa que acontece são crianças e pré-adolescentes se divertindo com os turistas perdidos. No hostel que fiquei hospedada, recomendaram que não desse atenção aos meninos na rua oferecendo para te guiar para "market", "square", entre outras palavras-chave dos turistas gringos. O lance é que eles te guiam para o lugar errado, só para zoar com a sua cara e, no final do dia, contam quantos turistas cada um conseguiu enganar.

Mais uma coisa importante: não compre maconha na rua! Vai ter muita gente te oferecendo "hash", só que lá é ilegal! Então, pode ser que você arrume encrenca por causa disso. Existe uma lenda urbana de que policiais têm hábito de oferecer hash para turistas, só para pegar no flagra, mas nunca tive evidências concretas disso.

5. Esquemas à parte, Marraquexe é demais

Como brasileiros bem treinados na malandragem, acho que podemos ficar tranquilos na nossa habilidade de detectar pessoas que estão tentando tirar proveito, a gente se vira bem! Marraquexe é recheada de descobertas e novos sabores, além de ser econômica.

Um mochilão pelo Marrocos ou uma trip para Marraquexe tem potencial para entrar na sua lista de viagens inesquecíveis! 

Vale muito a pena conhecer a cultura desse povo tão diverso e antigo. O povo berbere ocupa o Norte da África há mais de 5 mil anos. Os principais grupos de berberes que circulam mundo afora são os tuaregues, tamazights e chleuhs. Os berberes que preferem morar em regiões de oásis do Marrocos são os rifains, os kabyles e os chaouias! Em Marraquexe você vai ouvir muitas pessoas falando o idioma dos tamazights.

Apesar de serem de origem nômade, cada tribo foi se fixando e montando cidades, que hoje são grandes capitais. Por essa história rica e diversa, o Marrocos se torna um destino muito interessante para quem adora fazer slow travel e mergulhar num país, conhecendo cada região profundamente. Cada vilarejo é uma surpresa!

Tem sugestões ou dúvidas sobre algum lugar? Recomenda algo que não mencionamos aqui? Deixe um comentário!


83c7d46f2267b3467948759dc509165d

Juliana @virandogringa

Jun 14, 2019

Translator and travel writer from Brazil :) I have lived in 5 countries besides Brazil so far and visited over 20. My favourites are Netherlands, P...


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor