6 razões para fazer intercâmbio na África do Sul e aprender inglês

Faça um intercâmbio na África do Sul com a Worldpackers e aprenda inglês fácil! Você vai viver uma imersão cultural e economizar muito com hospedagem e alimentação.

5min

intercambio-africa-do-sul

A África do Sul teve colonização portuguesa, holandesa e inglesa, que se misturou às dezenas de etnias locais. Dentro das fronteiras do país é possível encontrar os gigantes da savana - leões, girafas, elefantes, zebras - e também pinguins e tubarões. 

Do deserto às montanhas, passando pelas praias e áreas de produção de vinho, a África do Sul às vezes parece vários países em um.

Para ter uma noção dessa diversidade da cultura sul africana, entre os anfitriões da Worlpackers é possível encontrar vagas de voluntariado na África do Sul que vão desde praticar o cultivo orgânico em uma fazenda até oportunidades para quem quer curtir um clima mais deslocado dando aulas de surf ou servindo drinks em um bar



Por essas e outras, fazer uma viagem ao país mais austral do continente africano é, sem dúvidas, uma experiência única na vida. E entre todas as formas de viver lá, o intercâmbio na África do Sul através de um voluntariado, é sua oportunidade de experimentar mais intensamente toda a sua diversidade.

Eu separei seis razões para, além de fazer intercâmbio voluntario para aprender inglês, você aproveitar o melhor e mais barato que o turismo na África do Sul pode oferecer!

1. Aprender inglês com um povo amistoso



A imersão que o voluntariado proporciona é a melhor maneira de aprender inglês rápido ou aperfeiçoar o idioma. Fazer um intercâmbio na África do Sul significa estar em contato com o inglês 24 horas por dia.

Você pratica o idioma o tempo inteiro, seja conversando com seu host, com outros voluntários ou passeando pela cidade. A imersão cultural melhora muito a pronúncia, a compreensão e você aprende o idioma de forma genuína - com as expressões que as pessoas usam no dia-a-dia

Embora a África do Sul tenha onze idiomas oficiais (e mais oito línguas nacionais), o inglês é dominante nos meios de comunicação, no comércio e no governo. Em grandes cidades como Cape Town (Cidade do Cabo) e Joanesburgo, todo mundo fala inglês.

Um ponto a favor de aprender inglês na África do Sul é que as pessoas são amistosas, gostam de conversar e se esforçam para entender uma pronúncia que não é perfeita. 

Muitos intercambistas têm problemas na Europa ou na América do Norte (eu passei um pouco por isso morando na Espanha) porque os nativos são meio hostis com quem não fala perfeitamente a língua local, mas isso não será um problema para que está planejando uma viagem para África do Sul.

Você também pode se interessar: Aprendendo inglês e espanhol no meu intercâmbio em Miami com a Worldpackers

2. Aprender inglês gastando pouco



Quando nós brasileiros pensamos em aprender inglês no exterior, Estados Unidos, Reino Unido ou Canadá vem logo à nossa cabeça. Mas fazer um intercâmbio na África do Sul é bem mais acessível. 

Comida, transporte e alojamento são mais baratos por lá do que em outros países de língua inglesa (inclusive muitas coisas lá são mais baratas que no Brasil). 

O custo por dia em uma viagem a Toronto é quase o dobro do mesmo período em Cape Town. Um dia em Nova York custa o equivalente a cinco dias em Joanesburgo, segundo pesquisas que fiz.

Fazendo um voluntariado, a viagem fica ainda mais econômica e você tem a oportunidade conhecer melhor a cultura sul africana através do contato colaborativo com seu anfitrião.

3. Não precisa de visto (para estadias de até três meses)



Se a viagem para África do Sul durar menos de três meses, você pode permanecer no país com o visto de turista. 

Para períodos mais longos, brasileiros necessitam de visto, mas o trâmite é menos burocrático que o do Estados Unidos ou Reino Unido, por exemplo. 

Em todos os casos, para entrar na África do Sul é necessário um passaporte válido por pelo menos um mês a partir da data de retorno ao Brasil e levar consigo o CIV (Certificado Internacional de Vacinação) comprovando que você se vacinou contra febre amarela pelo menos dez dias antes do embarque.

4. Clima ameno



Se você sofre só de pensar em invernos longos, escuros e cobertos de neve, talvez a África do Sul seja o seu lugar. 

O país tem um clima semelhante ao sul do Brasil

Em Cape Town, a cidade mais procurada pelos brasileiros para turismo e intercâmbio na África do Sul, a temperatura dificilmente é menor que 8°C. 

Durante o dia, os termômetros rondam os 20°C. O verão é quente e seco, com máximas de 30°C, quando dá para aproveitar as praias (a desvantagem é que a água é fria).

5. Fazer um safári na África do Sul



O safári é um dos pontos fortes do turismo na África do Sul. No Kruger Park, distante 500 quilômetros de Joanesburgo, dá para fazer um safári gastando pouco por dia. 

O parque e arredores contam com alojamentos bem econômicos  - inclusive campings. É possível fazer o passeio por conta própria em um carro alugado (os chamados self drives) e os restaurantes e mercadinhos dentro do Kruger não são inflacionados. 

Vai ser uma experiência inesquecível juntar os amigos de voluntariado e partir nessa road trip!

6. Pular de bungee jump, fazer rapel e nadar com tubarões



A África do Sul é conhecida pela prática de esportes radicais. O maior bungee jump de ponte do mundo, Bloukrans Bridge, tem 216 metros de altura e fica na cidade de Storms River, no fim da icônica estrada litorânea da Garden Route (anota aí, que é mais uma road trip imperdível no país). 

Em Joanesburgo, no bairro do Soweto (onde viveu Nelson Mandela) estão as Orlando Towers, outro ponto super famoso para saltar. O maior salto em pêndulo do mundo também fica na África do Sul: o big Swing está no estádio de Moses Mabhida, em Durban.

Há diversas opções para a prática de esportes radicais espalhadas pelo país. Em Cape Town é possível descer de rapel a Table Mountain, montanha que é o cartão-postal da cidade. 

A 160 quilômetros de lá, em Gansbaai, dá para mergulhar (dentro de uma gaiola) em uma área com tubarões-brancos, espécie de grande porte, carnívora e que foi apelidada de “máquina de matar” pela sua força e tamanho da mandíbula.



Espero que esse post tenha te inspirado a fazer uma viagem para este país maravilhoso. Aproveite para conferir todas as oportunidades de voluntariado na África do Sul, e outras 365 vagas abertas para continuar sua viagem pelo continente, dessa vez fazendo um trabalho voluntário na África gratuito em ONG's e projetos sociais. 

Deixe sua pergunta ou comentário logo abaixo! Nos vemos em breve!



Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor









Mais sobre esse tema