Tudo sobre os folclores de Taiwan

Taiwan está localizado entre a China, Filipinas e Japão. É praticamente do tamanho da Holanda e possui inúmeras ilhas ao seu redor com grande importância histórica.

Aproximadamente 15% da população taiwanesa vieram como refugiados da China durante a guerra civil, o restante são descendentes da mistura entre os chineses e os nativos taiwaneses, ou aborígenes de diferentes tribos que se encontram na ilha há mais de 350 anos. 

Estima-se que existem cerca de 10 tribos atualmente, cada uma com características culturais e idiomas diferentes, mantendo viva as suas tradições até os dias de hoje.

Em mais de 400 anos de história, Taiwan já foi ocupada pelos holandeses, espanhóis, chineses e japoneses. Embora exista uma óbvia predominância da influência da cultura chinesa e japonesa, a ilha ainda é fortemente influenciada pela cultura ocidental. 

Repleta de histórias, desde criança sou apaixonada pela forma como cada acontecimento, ensinamento e tradição é explicada e se mantem  viva até hoje. 

Por isso, quero dividir com vocês tudo sobre alguns dos mais famosos contos folclóricos de Taiwan, essa pequena ilha repleta de lendas e mistérios.

Confira tudo sobre as 5 principais lendas de Taiwan:

1. A lenda do Lago SunMoon

Era uma vez uma tribo chamada Shao, que vivia nas montanhas da região central de Taiwan. Em uma manhã, enquanto se ocupavam com as suas atividades agrícolas, ouviu-se um grande “boom”, seguido de um grande tremor e o sol desapareceu misteriosamente. 

Felizmente, após algumas horas, a lua surgiu e a tribo pôde continuar as suas atividade sob a luz do luar. Porém, em apenas alguns minutos ouviu-se o segundo “boom”, seguido de um tremor ainda maior e a lua também desapareceu. 

Então a tribo passou dias sem ver o sol ou a lua e o desespero surgiu quando as suas plantações morriam sem poder serem coletadas e a caça e pesca ficaram impossibilitadas.

Um jovem casal, DaJianGe e ShuiSheJie, preocupados com a sobrevivência do seu povo decidiram ir à busca do sol e da lua. Buscaram por vários dias sob a luz de uma tocha, até que ao alto de uma montanha avistaram uma luz vindo em direção do fim do lago. 

Correram em direção da luz e se depararam com dois enormes dragões brincando com o sol e a lua. Enfurecidos, mas receosos de enfrentar os dragões, o casal sentou-se sob as rochas à beira do lago em busca de uma solução.

Foi então que perceberam que havia uma fumaça saindo sob as rochas em que estavam sentados. DaJianGe levantou a rocha e descobriram um túnel, por onde se aventuraram até chegarem à uma cozinha onde uma senhora cozinhava. Surpresa com a visita de humanos, que já não via há muitos anos, a senhora se inteirou da situação desesperadora da tribo e deu ao casal o seguinte conselho:

“Os dragões são cruéis e me aprisionaram aqui, me forçaram a cozinhar para eles por anos. Para derrotá-los, a lenda diz que existe uma tesoura e um machado feito de ouro escondido sob a montanha Ali. Basta jogá-los no rio que os mesmos matarão os dragões.”

O casal foi então correndo para a montanha e cavaram por dias até que encontraram a tesoura e o machado de ouro. Jogaram-os no lago e o sangue dos dragões se esparramou pela água cristalina, porém ao alcançarem o sol e a lua, perceberam que não eram grandes o suficiente para os colocarem de volta no céu. Foi então que a velha senhora disse que a lenda conta que ao comer o olho do dragão, eles poderiam crescer a tal tamanho que seriam altos o suficiente para colocarem o sol e a lua em seus devidos lugares.

Mais uma vez, obedecendo a velha senhora, o casal comeu o olho do dragão, cresceram como prometido e colocaram o sol e a lua de volta à sua normalidade. Com medo de que o sol e a lua pudessem ser roubadas novamente, o casal permaneceu sob o lago vigiando e com o tempo se tornaram as duas famosas montanhas DaJianGe e ShuiSheJie. Atualmente, existe uma celebração em que o povo dança em homenagem e gratidão ao casal que salvou a sua tribo.


Tudo sobre Taiwan: Lago SunMoon

2. A lenda do Lago das Irmãs na Montanha Ali

Há muitos anos, apenas os povos aborígenes viviam na região central de Taiwan. Awana e Awacha eram conhecidas como as irmãs mais belas de todas as tribos. Todos os povos viviam em paz e em perfeita harmonia, exceto Mogulu, chefe de uma das tribos. Mogulu era temido por ser cruel e conhecido como o Urso da Montanha Ali.

Um dia, enquanto Mogulu caçava com os seus comparsas, escutou belíssimas vozes cantando, seguiu em direção à cantoria e foi então que se viu diante de várias moças cantando e dançando na beira do lago. 

Assustadas com a presença de Mogulu, todas fugiram, com exceção de Awana e Awacha, que confrontaram o temido chefe por sua grosseria e crueldade. Os seus comparsas reconheceram as irmãs e aconselharam Mogulu a capturar elas para se tornarem suas concubinas. 

Nesse exato momento, dois irmãos surgiram da floresta e suplicando a ajuda do Deus da Montanha, enfrentaram Mogulu e sua tribo. O Deus da Montanha afugentou os temíveis homens com fortes trovoadas e as irmãs celebraram a vitória dançando e cantando ao redor dos irmãos.

Alguns dias se passaram e o incidente foi esquecido, porém não por Mogulu. Enfurecido com a derrota, o temível chefe ameaçou a tribo das irmãs dizendo que destruiria tudo e mataria todos caso as irmãs não se entregarem no prazo de três dias. 

Na noite do último dia, as irmãs se encaminharam à tribo de Mogulu e no meio do caminho suplicaram em meio ao choro que o Deus da Montanha as ajudassem a proteger a sua tribo. Compadecido pelas irmãs, o Deus da Montanha as transformou em dois grandes lagos, um se conectando ao outro como se estivessem de mãos dadas.

No dia seguinte, Mogulu se encaminhou para atacar a tribo de Awana e Awacha e se deparou com o gigantesco lago no meio do caminho. Ainda questionando como o lago surgiu no período de três dias, as irmãs surgiram do lago e avisaram Mogulu que o Deus da Montanha o castigaria se ele não deixasse a sua tribo em paz. Mogulu correu em direção às irmãs na tentativa de capturá-las, em vão ao se ver perdido no meio do lago encoberto pela neblina enviada pelo Deus da Montanha. O cruel e temido chefe nadou, nadou, nadou em vão em busca das irmãs e de terra, nadou tanto que acabou se afogando com o cansaço.

Alguns dias se passaram e os irmãos que defenderam Awana e Awacha de Mogulu vão ao lago para fazerem companhia para elas. Mais uma vez, o Deus da Montanha, vendo que os irmãos estavam decididos a permanecerem com as irmãs, os transformou em duas grandes árvores. Diz a lenda que em noites de lua cheia, as irmãs saem do lago e dançam e cantam ao redor dos irmãos.


Tudo sobre Taiwan: Montanha Ali

3. Festival do Dragon Boat

O festival ocorre atualmente durante todo quinto dia do quinto mês e é um dos eventos mais esperados pelos taiwaneses. Além da famosa corrida dos incrivelmente decorados barcos, a celebração comporta diversos outros jogos entretendo todas as faixas etárias.

A tradição se iniciou após a morte de Chu, poeta renomado da antiga China. Conta a lenda que Chu, devastado com as consequências da guerra civil, se jogou no rio de tanto que era o seu pesar em ver a sua amada terra devastada pelo imperador Qin. 

Os moradores do vilarejo local tentaram em vão buscar e salvar o poeta, remando dia e noite em seus barcos para encontrar o seu corpo. Após algum tempo, para evitar que os peixes devorassem o seu corpo e também como oferenda a Chu, os moradores embrulharam arroz em folhas de bananeira e jogaram no rio. Nasce então, a tradição de comer os famosos zongzi, arroz com carne de porco, cogumelos e amendoim cozidos à vapor embrulhados em folha de bananeira.

Em dedicação à sua memória, o festival ocorre anualmente e a corrida dos barcos juntamente com a tradição de comer os famosos bolinhos de arroz em folha de bananeira.


Tudo sobre Taiwan: Festival Dragon Boat

4. Julho, o mês dos espíritos

Na cultura taiwanesa, o mês de Julho é considerado o período em que o portal do céu e do inferno se abrem, liberando os espíritos a vaguear pela terra. Durante o mês inteiro os taiwaneses evitam celebrações, matrimônios, grandes mudanças, tudo para evitar atrair e enfurecer os espíritos.

Se você está imaginando que aproveitamos a oportunidade para celebrar o mês como se celebra o Halloween com fantasias, festas e “doces ou travessuras”, está muitíssimo enganado. Culturalmente, os espíritos são temidos e devidamente respeitados, o mês inteiro é levado com muita cautela. 

Quando mencionados, existe um apelido um tanto carinhoso, sendo referidos como “pequeno irmão”. Existem outras datas em que os espíritos são venerados, mas geralmente se refere somente às primeiras gerações da família, quando durante o mês de julho, a tradição e oferenda se estende a todos, inclusive às mais novas gerações.

Se você estiver pela ilha durante o mês de julho, esteja preparado para ver oferendas, incensos e um cuidado enorme quando os espíritos são mencionados. Em alguns locais, barquinhos de papel em formato de lótus transportando uma vela são vistos flutuando nos rios com a finalidade de guiar os espíritos de volta para o seus respectivos mundos.

Sei que parece piada, mas vou te contar os dez principais tabus durante o período: evitar nadar, não andar à noite sozinho, evitar se encostar em paredes, não matar insetos diferentes na sua casa, evitar estender roupa fora de casa, evitar assoviar, evitar recolher dinheiro encontrado no chão, definitivamente não olhe pra trás se sentir alguém cutucando você pelo ombro, não ocupe a primeira fila em casas de ópera e não faça xixi ao pé de árvores. Tudo isso para evitar que os espíritos entrem na sua casa, que te afoguem e que fiquem irritados. Na dúvida, recomendo seguir a tradição com respeito e evitar maiores problemas nos dois mundos.

5. A lenda da Deusa da Lua

Essa deve ser uma das lendas mais famosas, sendo celebrada em Taiwan, Hong Kong, Vietnã e China. Ela é tão famosa que foi mencionada em 1969 quando o homem aterrissou na lua pela primeira vez.

Há muitos anos, existiam 10 sóis ao redor da terra, tornando a vida de todos extremamente difícil. Um arqueiro, chamado Hou Yi decidiu acabar com o sofrimento na terra e de um em um conseguiu eliminar os sóis. 

Quando estava prestes a desferir a flecha ao último sol, Chang, uma bela moça que morava no vilarejo, suplicou que o último sol fosse poupado e alertou o bravo arqueiro quanto à necessidade da terra em manter o calor e a luz do sol para que sobrevivessem. 

O último sol foi poupado e Hou Yi foi recompensado pelos deuses com o elixir da imortalidade e Chang se ofereceu em casamento ao guerreiro (soa familiar com a lenda de Hércules?). O casal planejava viver na terra e compartilhar o elixir ao fim de suas vidas para que pudessem usufruir da imortalidade e da morada dos deuses juntos.

Um dia, Hou Yi foi à caça e deixou o elixir sob os cuidados da esposa. No mesmo dia, Chang foi pega de surpresa por alguns bandidos que queriam tomar posse do elixir. Para evitar que a substância caísse em mãos erradas, Chang consumiu todo o elixir e sentiu o seu corpo cada vez mais leve, flutuando vagarosamente até o palácio na lua, onde manteve moradia.

Separados para a eternidade, Hou Yi nada pode fazer e, a cada ano, para honrar a esposa, o bravo guerreiro oferece frutas e bolos no altar durante o período em que Chang juntou-se aos deuses. 

Desde então, durante o festival de outono, os famosos bolos de lua, moon cake, são consumidos nos mais diversos sabores. O moon cake mais tradicional é o de feijão doce com gema de ovo cozinha e curada simbolizando a lua.


Tudo sobre Taiwan: Mooncake

Taiwan é repleta de histórias, lendas e superstições. Existe um conto para cada acontecimento, cada montanha, festa, tradição e uma justificativa para tudo ser como conhecemos hoje. 

Existem outras diversas lendas, muitas com influência japonesa, outras muito similares com os famosos João e Maria, porém com um toque especial asiático. Essas são uma das principais e mais famosas que ouvimos desde crianças e espero que possa despertar em você um pouco da curiosidade e vontade de conhecer a Ilha Formosa.


C26fec2dc4057e094af1a0a287e940aa

Torisa

Nascida em Taiwan, criada no Brasil, morando atualmente em Taipei. Estou viajando e me mudando po...

+ Ver mais

Nov 16, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Torisa saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor