12. Onde morar como nômade digital

Descubra os lugares mais baratos para viver como um nômade digital e como escolher onde você deveria se instalar.

19e9377e74554566d1502c7fef07ab11

Flor

Mai 01, 2020

4min

onde-morar-como-nomade-digital

A principal característica que define um nômade digital é a capacidade ou desejo de mudança contínua. 

Os nômades não sentem a necessidade de se estabelecer permanentemente, portanto, nesta seção, discutiremos as possibilidades que temos quando viajamos continuamente ou passamos muito tempo nos deslocando de um lugar para outro.

Quais são as cidades mais baratas para nômades digitais?

Talvez um dos principais objetivos que temos quando trabalhamos on-line e desejamos viajar pelo mundo é reduzir os custos ao máximo. Há um momento em que consideramos onde poderíamos viver de forma mais barata e quais cidades oferecem a acomodação mais barata.

Quando consideramos qual cidade escolher e em que é mais barato ficar, devemos considerar principalmente o objetivo da viagem ao exterior, ou seja, seus objetivos de médio prazo.

Dito isso, vamos ser mais concretos quando falamos de cidades baratas. Se olharmos para as listas publicadas por importantes revistas ou portais, encontramos uma diversidade de países ou continentes. 

A cidade de Almaty, no Cazaquistão, por exemplo, está no topo da lista por ser em um dos países mais baratos do mundo. Lagos na Nigéria também é considerada como a cidade africana com o menor custo de vida. É comum encontrar várias cidades na Índia neste tipo de pesquisa, e também muitas cidades no sudeste da Ásia ou na América do Sul.

Aqui listamos as cidades mais baratas eleitas pela comunidade Worldpackers


Praga, na República Tcheca, é uma das cidades mais baratas para nômades digitais

Quais são as cidades mais seguras?

Como uma mulher que viaja sozinha, uma das prioridades quando se procura acomodação é a segurança. 

Não importa que lugar tenha escolhido para minha viagem, eu sempre passo um tempo pesquisando e descobrindo qual é a melhor área em termos de segurança, embora seja verdade que existam cidades mais seguras do que outras.

Para isso, refiro-me novamente a uma das investigações do The Economist, na qual descobrimos que, em um ranking das cidades mais seguras do mundo, o Japão está no topo da lista com duas de suas cidades mais importantes, Osaka e Tóquio.

A Austrália também tem cidades de baixa taxa de criminalidade, como Melbourne ou Sydney. Também na Holanda e no Canadá encontramos cidades muito seguras baseadas na segurança pessoal e em outros fatores, mas é cada vez mais comum encontrar cidades no Oriente Médio, como Abu Dhabi, ou no sudeste da Ásia, como Cingapura.

 A principal característica que define um nômade é a capacidade ou desejo de mudança contínua. Os nômades não sentem a necessidade de se estabelecer permanentemente, portanto, nesta seção, discutiremos as possibilidades que temos quando viajamos continuamente ou passamos muito tempo nos deslocando de um lugar para outro.

Qual cidade você mais aproveitou? Por quê?

A cidade que eu mais aproveitei em termos de criatividade e baixo custo para o meu bolso foi Ho Chi Minh, no Vietnã. Esta cidade, em pleno desenvolvimento, tem todos os tipos de serviços, acomodações e restaurantes. Aqui você pode comer uma porção de comidas tradicionais mistas, como a sopa Pho, um prato de Com Tam ou Bún Cha, pagando entre um euro ou um euro e cinquenta.

Vários motivos me convenceram de que o Vietnã é um ótimo lugar para passar uma temporada viajando. Primeiro, o Vietnã é um dos países mais baratos em todo o Sudeste Asiático e, ao mesmo tempo, está em um momento de grande expansão internacional.

Foi em Ho Chi Minh que experimentei pela primeira vez a opção de viver e ser voluntária em uma comunidade de jovens de diferentes categorias profissionais cujo objetivo comum era tornar-se cidadãos globais. Os criadores deste projeto colocam à disposição da população local uma ótima casa para viver e compartilhar experiências e conhecimentos, bem como espaços ideais para trabalhar.

No entanto, o projeto foi além de ser uma residência compartilhada e ofereceu a quem alugava um quarto da casa a oportunidade de morar com pessoas de outros países e receber aulas de inglês de pessoas nativas.

Como mencionei antes, eu fui uma das voluntárias que participaram deste projeto e isso me permitiu ter à minha disposição todo o conforto de uma casa, duas refeições por dia e conhecer muitas pessoas novas.

Quando decidi que queria ser voluntária no Vietnã, um dos fatores mais importantes a considerar para a escolha da cidade era a opção de ter, pelo menos, um lugar pequeno para trabalhar confortavelmente para editar meus vídeos e conteúdo e onde teria um boa conexão com a internet. Ho Chi Minh City oferece muitas opções para quem quer ser voluntário, para os que querem conhecer uma nova cultura e também viver numa cidade cosmopolita.

Por outro lado, se eu for pensar em outros tipos de fatores, como a possibilidade de trabalhar ou viajar para um lugar mais descontraído, sem o ritmo frenético de uma cidade grande e ainda interessante para um nômade digital, talvez eu escolheria um cidade como Kampot, no Camboja.

Kampot é um lugar onde você pode desenvolver sua criatividade em um ambiente muito descontraído, com muitas opções culturais e ver de perto a vida agrícola do Camboja. Alojamento em Kampot é muito barato, sua cozinha é requintada e suas paisagens são de tirar o fôlego.

Eu poderia adicionar Chiang Mai, na Tailândia, como uma mistura dos lugares que eu citei acima. Se escolhi esta cidade como uma das que mais aproveitei para viajar e criar conteúdo, é porque oferece uma rica diversidade cultural, incríveis paisagens naturais e preços de hospedagem e alimentação muito mais baratos do que no sul do país.