15 ONGs que oferecem trabalho voluntário com ajuda de custo

O trabalho voluntário no exterior com ajuda de custo é a forma mais econômica de dar a volta ao mundo. Aqui você vai encontrar 15 oportunidades incríveis para deixar o mundo um pouco melhor.


E56e2ad24ca6a189efd54a2cfcd71838

Raquel

Uma jornalista brasileira que escreve sobre pessoas. Eu viajo para conhecer histórias de vida e...

+ Ver mais

Out 11, 2018

Trabalho voluntário com ajuda de custo nas Filipinas

1. Economize com a ajuda de custo

As assistências mais comuns oferecidas pelos projetos sociais ao redor do mundo são a garantia de uma cama quentinha, café da manhã, almoço e jantar. A alimentação de graça, além de uma baita economia proporciona um contato verdadeiro com a culinária local. Muitos restaurantes acabam servindo adaptações ou pratos que não estão no dia a dia da comunidade.

Outras facilidades que você pode encontrar:

  • Alguém para te buscar no aeroporto
  • Bicicletas à sua disposição
  • Festas e oficinas de dança
  • Aulas do idioma local
  • Trilhas e passeios gratuitos
  • Terapias holísticas, meditação e grupos de Yoga

Ainda assim eu pensava que fazer trabalho voluntário no exterior não era para mim. Afinal, o valor da passagem fica por nossa conta. Mudei de opinião depois de encontrar um voo bem barato para Argentina e perceber que posso começar meu sonho pelos países vizinhos.

Minha dica é: Ative o alerta do Google Flights para receber promoções de trechos em seu email. Você pode se surpreender com oportunidades na América Latina como esta, de trabalhar em um programa de reciclagem de resíduos plásticos em um paraíso na beira do mar panamense.

Trabalho voluntário gratuito no Panamá

2. Horários do trabalho voluntário

Os turnos propostos pelas ONGs cadastradas no worldpackers tem uma variação média de 4,5 horas por dia e oferecem no mínimo, um dia livre para explorar a cidade. Porém, na maioria das opções de projetos de impacto social, os voluntários podem folgar o final de semana todo. Isso torna possível planejar pequenas viagens de carona ou ônibus para outras cidades ou vilarejos como oferecem essas vagas:

  • Ajude a plantar algumas árvores em uma organização de Nairobi e escale o Monte Quénia, simplesmente o segundo ponto mais alto da África no final de semana.

ou

3. Planejamento do seu voluntariado com ajuda de custo

A viagem sempre começa antes do embarque. Minha primeira dica é esperar a confirmação da ONG para comprar a passagem. A segunda é confirmar sua vaga com antecedência, para que seu host (tradução literal de anfitrião) possa tirar suas dúvidas e te ajudar com calma.

  • 4 Meses antes

Que tal começar a assistir filmes e documentários que se passam no local, escutar músicas na língua nativa e convidar alguém que conhece o país, ou que já fez volunturismo, para conferir um restaurante típico de lá na sua cidade mesmo?

Também é hora de navegar pelo site do Worldpackers e ficar de olho em organizações que precisam muito de ajuda, como o orfanato Possible Nepal, que precisa reconstruir sua escola destruída por um terremoto em Abril de 2015 no Kathmandu.

  • 3 Meses antes

  1. Pesquise o que você quer fazer nos arredores da ONG e quais festas e feriados típicos acontecerão durante sua estadia.
  2. Acesse o site da embaixada do país para saber quais costumes da sua cultura não são aceitos por lá.
  3. Pense em como economizar para viajar mais tranquilo. Eu levo marmita no trabalho, chamo meus amigos para beber em casa e troco cinema por Netflix. Veja o que é possível no seu contexto, não vale parar com o que te faz bem.
Trabalho voluntário gratuito no Equador

  • 2 Meses antes

Compre sua passagem aérea. Não é uma regra, mas 60 dias antes do vôo é quando as promoções estão esquentando e a variedade de opções ainda é ampla. Pense também nas tarefas que você irá desempenhar. Se sua ideia for ensinar futebol para crianças no Togo, comece a treinar pois os pequenos têm muita energia.

  • 1 Mês antes

Frio na barriga! Chegou a hora de fazer a mala. “Comece logo para não esquecer nada” é uma boa dica, mas confesso que não sigo. Para mim, o mais importante é fazer uma triagem final pensando em viajar mais leve.

4. Saber outro idioma é opcional

Dominar uma outra língua pode sim ser seu passaporte para fazer trabalho voluntário no exterior. Será que você é exatamente o professor de inglês que a comunidade de Mil Mil, fundada por três mulheres indígenas no Equador, precisa?

Porém você pode e deve se jogar com o portunhol ou inglês basicão que tiver. Requer um tanto de coragem, mas a recompensa será voltar com o idioma dominado (ou quase).

Prefere ficar no português mesmo? Tem experiência internacional para você sim! Que tal ajudar cachorros, gatos e outros filhotes em Cabo Verde, na África? O português também é a língua materna da Guiné-Bissau, Moçambique e Angola. 

Trabalho voluntário gratuito em Cabo Verde

5. Por que fazer trabalho voluntário social

O motivo da sua viagem trocando trabalho por hospedagem, alimentação e outra ajuda de custo é bem pessoal. Eu viajo para reconstruir minhas ideias a partir de outra vivência. Hoje escuto mais meu coração e peço mais ajuda.

Quando escrevo sobre as pessoas que conheci, procuro passar um pouco do que aprendo quando observo e escuto. O trabalho voluntário transforma a condição de patrão e empregado em uma relação de troca. Quando uma parte precisa da outra e se ajudam, coisas mágicas acontecem.

Além disso, estas opções de trabalho voluntário com ajuda de custo vão te levar para lugares fora da rota turística tradicional que você provavelmente nunca tinha pensado em ir. Por apoiar projetos acabei conhecendo índios, pescadores, mestres, bailarinos, refugiados e mergulhar em rios e mares de cores e sabores alucinantes. 

6. Qualquer um pode fazer

Independente das suas tarefas como voluntário, o mais importante é ter vontade de ajudar, ser proativo e estar motivado. Para isso, procure uma ONG da causa que te move. Não tem uma melhor que a outra.

Você luta pelos direitos dos animais?

  • Viaje para a Itália. O abrigo Agripunk tem uma vaga perfeita para você. Foi fundado em 2005 e busca resgatar animais de grandes fazendas. Eles são veganos e lutam pelos direitos de seus amigos.

ou

Você luta pelos direitos das mulheres?

ou

  • Visite aldeias Massais na Tanzânia levando alimentos e ensinando profissões para adolescentes que passaram pelas mais diferentes dificuldades. Órfãs, vítimas de abuso sexual, grávidas, possíveis vítimas de casamento precoce e mutilação genital feminina. 
Trabalho voluntário gratuito na Índia

7. Desenvolva novas habilidades

As tarefas que a organização precisa também podem ser a razão desta viagem. Independente da sua profissão remunerada ou da sua área de estudo atual, você pode aproveitar esta viagem para desenvolver outros hobbies e paixões.

Quem sabe aflorar seu lado artístico ajudando na decoração de um antigo Monastério Zen Budista de mais de 1400 anos na China? Jho, um voluntário equatoriano que esteve lá em março de 2018 contou que acabou sendo convidado a participar de um evento especial de meditação que rolou durante sua estadia lá. 

8. Faça diferença no mundo

As crianças são o futuro. Ajudá-las em seu desenvolvimento pode realmente fazer a diferença no adulto que ela vai se tornar. Você pode cuidar de bebês em um centro de assistência angolana que oferece aulas de dança ou ainda apoiar estudantes com dificuldade de aprendizado em Hanói, no Vietnã.

Preservar a cultura tradicional de um lugar também é lutar pelo direito das pessoas que lá vivem. A dança, música, folclore e outras formas de arte podem devolver a pessoas que viveram situações extremas sua humanidade. A Ghobet Lagee Organization de Belém, é uma associação criada por refugiados palestinos. Você pode passar um tempo lá dando aulas e organizando apresentações artísticas que visam valorizar sua cultura.  

9. Checklist para seu futuro voluntariado

  • Vistos

Entre os países citados acima, Angola, China, Cabo verde, Guiné, Moçambique, Nepal, Togo, Vietnã, Índia, Quênia e Tanzânia requerem visto. Em algumas ocasiões, você pode precisar pedir para seu host uma “carta convite”. Algo simples que não precisa te dar dor de cabeça.

  • Validade do Passaporte

Já viu a do seu? Essa é uma boa precaução sempre.

  • Seguro viagem

É importante. Procure o que melhor se encaixa em suas necessidades e no seu bolso.

  • Vacinas

Muitos países exigem um comprovante da vacina de febre amarela de viajantes brasileiros.

Para ler as histórias das pessoas que conheci e conhecer o que aprendi até agora acesse: www.solanomundo.com.br e siga o @solanomundo no face e no insta!


E56e2ad24ca6a189efd54a2cfcd71838

Raquel

Uma jornalista brasileira que escreve sobre pessoas. Eu viajo para conhecer histórias de vida e...

+ Ver mais

Out 11, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Raquel saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor