Como fazer um intercâmbio de inglês barato

Tá procurando um intercâmbio barato para aprender inglês no exterior? Vou falar um pouquinho mais sobre as outras vantagens de fazer intercâmbio de trabalho pela Worldpackers para aprender inglês, já que as vantagens vão muito além do preço.


83c7d46f2267b3467948759dc509165d

Juliana

Engenheira, tradutora e autora do Virando Gringa, segue lá! Gosta de falar de viagem muito barata...

Sep 06, 2018

Conversação com locais é uma forma de aprender inglês barato

O grande diferencial de um intercâmbio para aprender inglês pela Worldpackers é que aprender é inevitável. Aprende ou aprende, pois tudo acontece de maneira muito natural.

Não tenha medo de viajar sem saber inglês, ou qualquer idioma que você vá aprender. Pode ter certeza que durante a convivência, no trabalho diário, nas refeições com a galera que está trabalhando com você, nas brincadeiras, nas festas, nos rolês pela cidade você vai aprender e não vai nem perceber, e da melhor maneira possível: na prática.

Eu preferi aprender inglês por work exchange porque era uma maneira mais barata do que escolas de inglês no exterior, mas não foi só isso que essa experiência me trouxe.

Vou contar um pouco da minha história para situar vocês: sai do Brasil em 2011 para trabalhar em uma empresa de mudas e aprender inglês na Holanda, na marra. Depois, entre 2012 e 2013, consegui uma bolsa na Wageningen University, também Holanda, e passei mais um ano por lá. Depois consegui outras bolsas. Conto tudo sobre bolsas no Virando Gringa.

O que mudou foi a minha visão mesmo. Como tive oportunidade de estudar em faculdades do exterior, consegui comparar o modo como as pessoas usavam o inglês no contexto acadêmico e no contexto social.

O que percebi foi que pelo fato de eu ter ido aprender inglês com intercâmbio de trabalho, o meu vocabulário era diferente, mais aplicado e mais prático. O intercâmbio de trabalho me tornou um pouco diferente dos meus amigos brasileiros que aprenderam por escola de inglês no Brasil e depois foram direto para a universidade na Holanda.

Não é que eles saibam menos, nem que eu saiba menos. Nós só sabemos diferente. Vou contar por que!

1. Aprender no seu tempo

Diferente de uma escola com tempo programado para cada conteúdo, ao aprender inglês com work exchange você determina seu próprio ritmo de aprendizado. No meu caso, como eu fui trabalhar numa empresa (foi antes do surgimento da Worldpackers, lá em 2011), tinha algumas cobranças em relação ao meu inglês, então estudei um pouco antes de ir, sozinha mesmo. Assistia vários canais do youtube que passei a gostar e aprendia inglês com filmes, séries e muito estudo em casa.

Me dediquei e fui pra aventura, trabalhar numa empresa numa cidade pequena no sul da Holanda. O que percebi quando cheguei lá é que o meu inglês polido e gramaticalmente correto não era o que eles esperavam!

Foi nessa hora que aprendi o inglês mais aplicado, principalmente as abreviações, algumas gírias e também palavras novas. Mudei quase metade do vocabulário que havia aprendido no Brasil, pois saí dos livros e fui pra vida real! 

2. Ter uma experiência mais pessoal

Quem já está aprendendo inglês sabe disso: quanto mais pessoal for o aprendizado, quanto mais emoções aquele aprendizado gerar no seu coraçãozinho, mais rápido você vai fixar o inglês!

Isso é um fato, tanto que tem muitos professores que tentam reproduzir isso em sala de aula com jogos, interatividade e brincadeiras. É claro que vai funcionar na sala também, mas quando você usa um idioma na prática, queridas e queridos, se preparem pois aquela palavrinha jamais sairá da sua mente!

Vou contar a história de como aprendi a falar “fusca azul” em inglês. Sabe aquele costume que existe em quase todo o Brasil de quando passa um fusquinha, o amigo dá um tapa ou um murro no braço do outro? Já vi isso do Pará ao Paraná!

Pois é, aprendi isso quando estava numa roadtrip pela Áustria com uma amiga austríaca. Estávamos conversando normalmente, eu dirigindo e ela falando no banco do passageiro. Quando de repente ela me deu um murro no braço e falou: “punch buggy no punch back”.

Fiquei com o braço roxo por uns dias, e nunca mais esqueci a expressão.

Resumindo: quando temos um momento de emoção relacionado a um novo vocabulário, a receita é imbatível, vai ficar pra sempre.

A convivência é uma das melhores formas de aprender inglês barato

3. Conhecer versões diferentes do idioma

Muita gente pensa que para aprender inglês é preciso ir para os Estados Unidos, Austrália, Reino Unido, ou qualquer outro país que tenha o inglês como idioma oficial.

É claro que facilita, mas não é regra absoluta que você precise ir a um país que fale inglês como primeiro idioma para aprender inglês.

No meu caso, por exemplo, aprendi inglês na Holanda. Não foi nenhum bicho de sete cabeças, pois eles falam inglês muito bem e tem uma desenvoltura que eu não esperava encontrar!

Como o idioma deles é de origem similar ao inglês, os holandeses acabam por ter um vocabulário imenso e muita naturalidade ao falar inglês, assim como acontece com os suecos e outras nações.

O inglês falado pelas pessoas na Bélgica vai ser diferente daquele falado pelos holandeses ou alemães. Isso não quer dizer que algum deles fale errado, de forma alguma, só tem sotaques e escolhas de vocabulário diferentes!

Olha só esse host da Worldpackers em Eindhoven, Holanda. Pra quem ainda não conheceu, Eindhoven é uma cidade onde fica um aeroporto internacional das empresas low-cost (aquelas bem baratinhas), então tem gente do mundo inteiro circulando o tempo todo. Gente que gosta muito de viajar barato, afinal, quem compra essas passagens de low-cost não tá pra brincadeira!

Numa dessas, você aprende todas as versões de inglês e com viajantes que se parecem com você, ou seja, econômicos e que ainda estão de peito aberto para o mundo!

4. Ganhar experiência em um ofício que pode ser usado em casa ou na próxima viagem

Essa dica é óbvia, não é? Fazendo work exchange você vai muito além de sentar em uma cadeira e ouvir um professor por algumas horas ao dia. Você aprende coisas novas de acordo com cada lugar que vai. Imagine aprender sobre plantas e bio construção nessa ecovila na Holanda, que sonho <3.

No meu work exchange aprendi a falar coisas que nunca pensei que saberia falar, desde o objeto mais simples como um rodo ou uma vassoura, até coisas específicas da minha área, como tipos de planta, adubos, termos de compostagem e termos assim. Isso ninguém me tira, eu traduzo qualquer texto da minha área super rápido porque os termos estão fixados na minha cabeça e não tem erro. Esse tipo de fixação só a prática vai trazer!

Você vai aprender algo novo, algo que não faria no seu cotidiano em casa, e vai se desafiar a ver o mundo a partir dos olhos de quem te recebe, o seu host.

O work exchange traz uma imersão bem diferente de aprender inglês em uma escola, pois você vai estar trabalhando e convivendo com pessoas no dia a dia, só que falando um idioma novo!

Por isso, se você tá na procura por um intercâmbio barato para aprender inglês, dá uma conferida nas oportunidades da Worldpackers e se tiver qualquer dúvida venha falar comigo no chat!

Partiu?


83c7d46f2267b3467948759dc509165d

Juliana

Engenheira, tradutora e autora do Virando Gringa, segue lá! Gosta de falar de viagem muito barata...

Sep 06, 2018


¿Te gusta? No te olvides de dejar julianaarthuso saber :-)


Comentarios