Descubra a Chapada dos Guimarães, MT: TOP 5 atrações naturais magníficas

Procurando saber mais sobre a Chapada dos Guimarães, MT? Aqui eu conto minhas impressões do local e dou valiosas dicas de onde ficar e o que fazer.

6min

chapada-dos-guimaraes-mt

A Chapada dos Guimarães, MT foi um de meus primeiros destinos como voluntária Worldpackers. De lá, guardo na memória as paisagens e o desejo de voltar e contemplar ainda mais suas belezas naturais. 

Uma das sete chapadas brasileiras, a Chapada dos Guimarães fica no estado do Mato Grosso, a cerca de 60 km da capital Cuiabá.

A acolhedora cidade conta com uma boa estrutura, que oferece opções de hospedagem, comércio, restaurantes e feirinha local. Além, claro, de tirar muitos suspiros dos ecoturistas com suas cachoeiras, sítios arqueológicos, cânions e sua rica fauna.

Confira um pouco mais da minha estadia na região e minhas 5 indicações de melhores locais para visitar!

Leia também: Guia do Pantanal: onde ficar, como chegar e o que fazer

Voluntariado na Chapada dos Guimarães, MT

Minha experiência como voluntária na Chapada dos Guimarães teve duração de três semanas e atuei na recepção da Pousada do Parque, localizada na zona rural, a 9km do centro e pertinho da entrada do Parque Nacional.


chapada dos guimarães mato grosso

Foi lá que tive algumas das experiências mais marcantes com animais silvestres, já que eles circulam livremente pela área de 500 hectares, onde está localizada a pousada. 

Durante o dia era possível avistar cachorro-do-mato, lobo-guará, queixadas, porco-espinho, tatus, preás, lagartos, cobras, além de várias espécies de aves. 

Já a noite, diversos tipos de insetos e aranhas entravam em cena, mas a curiosidade despertava mesmo quando em meio ao silêncio se ouvia pegadas de animais maiores em torno do chalé.

Visitei doze atrações enquanto estive voluntariando na Chapada dos Guimarães MT, algumas delas dentro do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (PNCG) e outras em áreas privadas. 

Além disso, a propriedade onde a pousada está instalada oferece trilhas, cachoeiras sazonais e uma torre de observação com vista para o Morro São Jerônimo, que ultrapassa a copa das árvores.

O que fazer na Chapada dos Guimarães, MT

Para os apaixonados por atividades outdoors e cachoeiras, a Chapada dos Guimarães é um prato cheio. As atrações do Parque Nacional são gratuitas, mas algumas delas só podem ser visitadas com o acompanhamento de condutor de visitantes autorizado.

O PNCG é o segundo maior bioma do Brasil, e seu interior reserva muitas surpresas para quem o explora: centenas de espécies de mamíferos, peixes e aves, e muitas nascentes de grandes rios brasileiros, como o Araguaia, Tocantins e São Francisco.

São cerca de 450 quedas d’água catalogadas na Chapada dos Guimarães, além de quilômetros de paredões rochosos, que formam cenários naturais surpreendentes.

Você também pode se interessar: 

1. Mirante da Cachoeira Véu de Noiva

Entrada: gratuita

Localização: PNCG

Condutor autorizado obrigatório: não

Horário de visitação: diariamente, das 9h às 16h.


o que fazer no mato grosso

A Cachoeira Véu de Noiva é uma das atrações mais visitadas do Parque Nacional e também o cartão postal da Chapada dos Guimarães. 

Seus 86 metros de queda livre, cercados por um paredão de arenito em forma de ferradura, são contemplados de um mirante acessado por trilha de nível fácil com cerca de 600 metros de extensão. 

Não é permitido acessar a parte inferior da cachoeira. O estacionamento e início da trilha, fica às margens da rodovia MT-251 (Km 50).

2. Cachoeirinha

Entrada: gratuita

Localização: PNCG

Condutor autorizado obrigatório: não

Horário de visitação: diariamente, entrada das 9h às 12h. Saída até às 16h.

A portaria de acesso para a Cachoeirinha é a mesma da Cachoeira Véu de Noiva, porém a trilha é um pouco mais longa, cerca de 1,3 quilômetros de extensão.

A queda d’água tem 18 metros de altura, conta com uma piscina natural rasa e uma faixa de areia. 

O local não oferece nenhuma estrutura, mas muitas pessoas costumam frequentá-lo, considerando a facilidade de acesso.


o que fazer no Mato Grosso

3. Cidade de Pedra

Entrada: gratuita

Localização: PNCG

Condutor autorizado obrigatório: sim

Horário de visitação: diariamente, retirada das chaves das 6:30h às 9h e devolução das 16 às 17:30h. Aos domingos, devolução até as 11:30h.

Uma obra de arte natural! A Cidade de Pedra leva esse nome pelo fato de haver várias formações rochosas em meio ao cerrado, que lembram resquícios de uma cidade.

Elas podem ser avistadas durante o percurso de 500 metros que leva aos mirantes naturais, de onde a vista é impressionante. Do alto dos paredões de arenito, com cerca de 350 metros, uma pausa para contemplação do Vale do Rio Claro e das araras-vermelhas que sobrevoam e habitam o local. 

O acesso ao atrativo se dá por rodovia não asfaltada, a MT-020, por isso é recomendado veículo 4x4. 

Ao todo são 10 quilômetros de asfalto e 18 quilômetros de estrada de terra. Pelo caminho é comum encontrar pegadas de onça e anta, além de seriemas, corujas buraqueiras e emas.

Leia também sobre as mais incríveis cachoeiras da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, e 8 dias de retiro e imersão na Chapada dos Veadeiros como voluntário.

4. Complexo de Cavernas Aroe Jari e Cachoeira do Relógio

Entrada: Ingresso + serviço de guia

Localização: Fazenda Água Fria

Condutor autorizado obrigatório: Sim

Horário de visitação: Diariamente, das 8h às 13h.

O nome do complexo faz referência à maior caverna de arenito do país, com 1,5 km de extensão, que fica na propriedade. A trilha ecológica que leva aos atrativos tem 12 quilômetros (ida e volta) e passa por 4 cavernas - Aroe Jari, Lagoa Azul, Kiogo Brado e Pobe Jari - além da Ponte de Pedra, Pedra do Equilíbrio e Cachoeira do Relógio. 

As cavernas são realmente surpreendentes, assim como as paisagens do cerrado e da mata atlântica. A entrada do complexo fica na MT-450, a cerca de 30 quilômetros da Chapada dos Guimarães.

5. Vale do Rio Claro

Entrada: gratuita

Localização: PNCG

Condutor autorizado obrigatório: sim

Horário de visitação: diariamente, retirada das chaves das 6:30h às 9h e devolução das 16 às 17:30h.

O Vale do Rio Claro oferece uma experiência fascinante. No percurso, com 4 quilômetros de extensão, uma das atrações é a Crista do Galo, formação rochosa que oferece visão 360° dos paredões de arenito que abraçam o vale. 

Já nas proximidades da nascente do Rio Claro, fica o Poço da Anta, um bom local para banho e prática de mergulho livre. Do Poço Encantado até o Poço Verde é possível realizar cerca de 30 minutos de flutuação, com a ajuda da correnteza. 

O acesso ao Vale do Rio Claro fica no Km 36 da rodovia MT-251, sentido Cuiabá-Chapada dos Guimarães. Para percorrer os 6 quilômetros da portaria até o início da trilha, o uso de veículo 4x4 é indispensável. Outra alternativa é deixar o carro na portaria e fazer todo o caminho a pé.

Quando visitar a Chapada dos Guimarães, MT


atrativos chapada dos guimarães 

A Chapada dos Guimarães pode ser visitada o ano todo, mas a melhor época é o período com menor ocorrência de chuvas. 

Nos meses mais chuvosos, entre dezembro e março, há risco de cabeças d’água e algumas atrações podem ter a visitação suspensa repentinamente. Além disso, nesses meses a água dos rios e cachoeiras fica mais turva.

Nos meses mais frios também pode haver incidência de neblina, o que compromete a contemplação das paisagens de pontos mais altos da região. 

As temperaturas não chegam a baixar tanto no inverno, mas para quem não está acostumado, pode ser desafiador um mergulho nas águas geladas das cachoeiras.

Em contrapartida, o clima frio perfeito para realizar trilhas mais longas, aproveitando o contraste da terra vermelha com o verde da vegetação e o azul do céu para fazer belos registros.

Agora que você já tem todas as dicas necessárias, não perca mais tempo! Inspire-se ainda mais com esses 6 aprendizados que uma viagem ao Brasil proporcionou a um voluntário da Worldpackers.



Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor

Mais sobre esse tema