Guia completo para visitar a Antuérpia

Fique por dentro de tudo sobre a Antuérpia: como chegar, onde ficar, o que fazer e outras dicas neste guia completo da cidade.


F36db49d3ff81c0fb2e6017597ad279a

Rafael

Set 23, 2019

Um cidadão italiano que é jornalista, ama esportes e resolveu comprar um scratch map para tentar raspar ele todo!

Guia para viajar para a Antuérpia

Segunda maior cidade do país-sede da União Europeia, a Antuérpia tem posição geográfica privilegiada, no centro de alguns dos principais destinos turísticos do continente. Famosa por seus diamantes e por possuir o segundo maior porto da Europa, a cidade é repleta de história e diversidade.

Localizada na região dos Flandres, no norte da Bélgica, a Antuérpia representa bem a diversidade cultural do país, que tem três línguas oficiais (francês, flamengo e alemão). Mesmo que o idioma local seja o flamengo (dialeto derivado do holandês), a cidade fala todas as línguas. Por exemplo, judeus ortodoxos moram em bairro vizinho aos marroquinos muçulmanos, no centro da cidade existe uma pequena Chinatown e colônias portuguesas e indianas se fazem presentes pela cidade. Além do mais, apenas falando inglês você consegue se comunicar com facilidade em toda a Bélgica.

Conhecer a cidade significa vivenciar todas essas culturas. Apesar de toda a Bélgica, em geral, ser um país caro, existem algumas formas de diminuir os custos da viagem e aproveitar a localização do país para conhecer diversos lugares sem gastar tanto.

Uma das formas é trabalhar em troca de estadia (e algumas outras vantagens, como refeições e lavanderia) utilizando a Worldpackers, como eu mesmo fiz. São algumas horas de trabalho por dia e a acomodação sai de graça! Confira algumas das oportunidades de voluntariado na Antuérpia.

Seguem algumas dicas pessoais para aproveitar o melhor da Antuérpia:

1. Como chegar na Antuérpia


Estação Central da Antuérpia

Os dois principais aeroportos da Bélgica são o Bruxelas e o de Charleroi (este possuindo voos mais em conta). Qualquer opção aérea para chegar na Bélgica exige que você passe por Bruxelas antes de chegar na Antuérpia. O aeroporto de Charleroi possui ônibus direto para a capital belga. A viagem dura aproximadamente uma hora.

Já de Bruxelas, existem duas opções: a mais econômica, que é pegar um ônibus da FlixBus (a compra de passagens pode ser feita pelo aplicativo da empresa), e a mais interessante, que é pegar um trem.

Ambas as opções saem da estação Gare du Midi e chegam na Estação Central da Antuérpia. O trem, apesar de mais caro, tem duas vantagens: como ele passa por cima da cidade de Bruxelas através dos trilhos elevados, é possível olhar a paisagem urbana da capital belga, mas a principal delas é poder chegar por dentro um de seus principais cartões postais: a grandiosa estação, que com sua bela arquitetura no estilo Art Nouveau e seus quatro andares de túneis ferroviários, é considerada como uma das mais belas do mundo.

Apesar do ônibus da FlixBus parar em frente a estação, perde-se a sensação de grandiosidade e de luxo do interior da construção do início do século XX.

Dica extra: sempre ande com dinheiro

Na Bélgica, as taxas para pagamentos em cartão são bastante altas, então, muitos estabelecimentos não aceitam pagamentos com cartão, ou aceitam somente com um valor mínimo.

É bom sempre andar com a quantidade de dinheiro que você pretende usar no dia. Além do mais, o país é bastante seguro e bem policiado, então não precisa ter medo de andar com dinheiro.

2. Onde ficar

O custo de vida na Bélgica como um todo não é baixo, e a Antuérpia não é exceção. Dessa forma, uma boa forma de conhecer a cidade e viver a cultura local é através de um work exchange.

Além de reduzir os custos com hospedagem e alimentação, é uma oportunidade única de vivenciar o dia-a-dia da cultura local e conhecer viajantes dos mais diversos países. Foi a maneira que eu escolhi para conhecer a Bélgica e como eu passei dois meses na cidade (minha experiência foi tão boa que até prolonguei minha estadia por um mês além do planejado).

Confira algumas vagas disponíveis para um work exchange na Antuérpia:


ABHostel, hostel com oportunidades de voluntariado

ABHostel – Indicado especialmente para os fãs de cerveja. Greg, o anfitrião, é especialista e produz sua própria cerveja. Todas as noites existe um turno voluntário no bar do hostel, que te ajuda a conseguir uma graninha extra com gorjetas e comissão pelas vendas, além da possibilidade de experimentar um cardápio variado de cervejas locais. 

O ambiente é bem familiar e de muita interação (voluntários, hóspedes e anfitriões se integram como parte de uma micro comunidade). O trabalho envolve um pouco de tudo (arrumar camas, cuidar da limpeza, recepção), mas é bem organizado e não é difícil.

Como bônus, você fica por dentro de todas as atividades alternativas que a cidade te proporciona. O hostel fica localizado no bairro marroquino (cerca de meia hora caminhando até o centro) e aqui vai uma dica quente: o melhor lugar para comprar comida é nos mercadinhos árabes, onde é possível encontrar arroz e feijão como os que temos aqui no Brasil e com valores abaixo dos praticados pelas grandes redes de mercados.

Kabas Hostel – Outro local à procura de alguém para ajudar com limpeza, cozinha e recepção. O Kabas fica localizado em uma região mais central e turística da cidade, o que facilita a locomoção e acaba com qualquer necessidade de usar o transporte público local.

The Ash – O The Ash oferece a oportunidade de trocar suas habilidades artísticas e de entretenimento por estadia. Você irá ajudar com apresentações musicais e a guiar os hóspedes em saídas organizadas pelo hostel, além de ajudar na organização e promoção de festas. A oportunidade ideal para voluntários animados e extrovertidos.

3. Bicicletas como meio de locomoção


Sistema de aluguel de bicicletas

Diferente da maior parte das cidades da Europa, a cidade não possui um sistema de transporte público muito eficiente. Existe uma única linha de tram que leva do centro ao leste da cidade, porém a passagem é cara (3 euros e vale por 60 minutos) e a cobertura é bem limitada. Existe a possibilidade de andar de ônibus, mas também é cara (mesmo valor do tram) e menos intuitiva.

Minha sugestão é que você utilize o sistema de aluguel de bicicletas Velo Antwerpen. São várias estações de bicicletas espalhadas pela cidade e um app onde você faz sua inscrição, efetua os pagamentos, te mostra um mapa com todas as estações e avisa se elas têm ou não bicicletas disponíveis.

Com 4 euros você aluga a bicicleta por um dia, ou 10 euros por uma semana. Como é uma cidade plana e não é grande, é muito fácil se locomover de bike. Outra opção é a boa e velha caminhada.

4. O que você precisa conhecer na Antuérpia

  • Estação Central (Antwerpen-Centraal) – a já citada estação central de trens da Antuérpia possui belíssima arquitetura e dimensões generosas, contando com quatro andares de plataformas ferroviárias.

Estação Central
  • Walking Tour Gratuito – diversas empresas oferecem o serviço de Walking Tour gratuito, que funciona a base do pagamento de gorjetas no final do passeio. As caminhadas têm início na Grote Markt (praça central) durante a manhã e à tarde e duram cerca de duas horas. O tour cobre a história da cidade e seus principais pontos turísticos, além de garantir outras dicas turísticas e gastronômicas.
  • Vista panorâmica da cidade (Museum aan de Stroom) – além de um museu de arte moderna, a bela construção de 65 metros também é uma das mais altas da Antuérpia e serve como vista panorâmica da cidade. O melhor de tudo: a ida até o topo é gratuita.
  • Túnel subaquático e batatas fritas (Sint-annatunnel) – um túnel de 572 m de comprimento e 32 m de profundidade para pedestres e bicicletas que interliga as margens do rio Scheldt. Na outra margem do rio você encontra diversas casas de frituras, com algumas das melhores opções para comer as tradicionais fritas belgas.
  • Distrito do Diamante (Diamantkwartier) – o famoso distrito possui várias quadras com lojas dedicadas ao corte e comércio de diamantes. Mais de 16 bilhões de dólares em diamantes passam anualmente pelas lojas do distrito, que surpreende pela opulência de suas vitrines.
  • Parque Rivierenhof (Provinciaal Groendomein Rivierenhof) – Esse extenso parque é uma boa opção para quem quer contato com a natureza e atividades ao ar livre. O espaço é bem arborizado, conta com lagos, animais silvestres e belas construções, como o castelo Rivierenhof. Também possui uma academia ao ar livre.
  • Chocolates e waffles – não esqueça de conferir os mundialmente famosos chocolates locais e as barraquinhas de waffles espalhadas pela cidade. Se você tiver dificuldade de encontrar alguma, é só seguir o aroma doce pelo ar!

Loja de chocolate Belga
  • Cervejas belgas – além do chocolate, a Bélgica é famosa por fazer as melhores e mais complexas cervejas do mundo. Você encontra bares de cerveja por toda a Antuérpia, até mesmo no bairro marroquino. O melhor: cervejas que aqui no Brasil seriam caríssimas, lá são extremamente baratas, seja em supermercados ou mesmo em bares. Minha indicação pessoal é experimentar todas as trapistas belgas, cervejas feitas artesanalmente por monges, nos mosteiros trapistas, e conhecidas por todo o mundo.
  • Muro de Grafite – anualmente, durante o verão, diversos artistas do grafite de todo o mundo se reúnem para pintar os muros da região próxima a Draakplaats. O resultado é quilômetros de muro cobertos por arte urbana, que une diversos estilos e temas. Próximo dos grafites também é possível conferir as casas em estilo Art Nouveau do bairro de Zurenborg.

5. Bate-volta em cidades próximas da Antuérpia

Como a Bélgica é pequena, é muito fácil conhecer as principais cidades do país sem gastar muito tempo nem dinheiro. É possível, por exemplo, aproveitar seus dias de folga do work exchange para fazer viagens bate-volta e conhecer lugares incríveis. Os mais corajosos podem até fazer algumas dessas viagens de bicicleta:

  • Gante: uma cidade repleta de canais e construções históricas, que viveu seu auge como centro comercial na época das grandes navegações. A cidade fica a cerca de uma hora de trem. Meu conselho é fazer o Walking Tour que se inicia diariamente na praça central.
  • Bruges: um pouco mais distante, a quase duas horas de trem, a cidade passa a sensação de que você está viajando no tempo. A arquitetura neogótica se destaca e confere ao centro de Bruges o título de Patrimônio Cultural da UNESCO. A cidade é cortada por diversos canais, sendo inclusive conhecida como Veneza do Norte, e é pequena o suficiente para ser conhecida em um dia de caminhada.
  • Ostend: se você é aficionado por praia e está na região no verão, pode dar uma passada nas praias de Ostend. Uma viagem de trem de menos de três horas te leva à extensa faixa de areia que se encontra com o Mar do Norte.

Além disso, com a localização privilegiada da Antuérpia também é possível visitar em uma curta viagem destinos como Paris, Amsterdam, Rotterdam, Colônia e Luxemburgo.

Agora que você já já conhece um pouco da cidade, é só preparar a mala (não esqueça das roupas para todas as estações já que, fora do inverno o clima é imprevisível e pode fazer frio e calor no mesmo dia), afiar o inglês e partir para essa aventura.

Já esteve na Antuérpia também? Compartilha com a gente as suas experiências nos comentários!


F36db49d3ff81c0fb2e6017597ad279a

Rafael

Set 23, 2019

Um cidadão italiano que é jornalista, ama esportes e resolveu comprar um scratch map para tentar raspar ele todo!


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor