3 dicas de roteiro para uma viagem para o Chile

O Chile é um país com paisagens diversas e que encanta todos os tipos de viajantes. Confira essas dicas de roteiro que elaborei para uma viagem para lá.


0abc9e942e7f514952c38fa1bda6888d

Rosana Romão

Set 09, 2019

Jornalista, corredora e mochileira. Amo meu Ceará, mas sou curiosa e quero conhecer o mundo. Bora?

Dicas de roteiro de uma viagem para o Chile

Se você busca um destino marcante, próximo do Brasil e com ótima relação de custo - benefício, o Chile é uma ótima opção. A riqueza geográfica de seu território — extenso em comprimento e pequeno em largura — permite que o turista encontre diferentes climas e paisagens.

Em uma mesma viagem é possível ver neve, praia, deserto, montanhas e muito mais. Neste texto, você vai descobrir como programar uma viagem para o Chile e aproveitar ao máximo os seus atrativos.

Confira essas sugestões de roteiro para uma viagem para o Chile:

1. Norte — Deserto do Atacama


Atacama - Norte do Chile / Imagem: Google Maps

É nessa região que você vai encontrar algumas das paisagens mais surpreendentes da sua vida, afinal de contas, estamos falando do deserto mais seco do mundo. As poucas chuvas proporcionam um raro espetáculo da natureza: céu limpo (sem nuvens), estrelado e brilhante. O melhor é que você não precisa ser especialista no assunto ou usar algum acessório especial. Tudo é visível a olho nu!

O Atacama tem 105 mil km² de área com paisagens que vão muito além do nosso conceito de deserto. O tom azul está presente tanto de dia quanto à noite, há diversas formações rochosas esculpidas pelo vento e a vida selvagem é um verdadeiro presente.

Que tal encontrar lagos a 4 mil metros de altitude com águas cristalinas e muitos flamingos colorindo a paisagem? Ou mergulhar em lagos que não afundam? E ver de perto um deserto de sal? Sítios arqueológicos, superfícies que se assemelham com a da Lua, um céu de tirar o fôlego, tudo isso espera por você! Veja agora mais detalhes sobre esse destino incrível!

Como chegar:

Reserve um dia para chegada e um dia para a partida, pois o trajeto não é tão fácil. Saindo do Brasil é preciso comprar uma passagem aérea com destino a cidade de Calama. No entanto, como não há voos diretos, é preciso fazer uma escala em Santiago.

Depois de desembarcar em Calama, é preciso pegar um transfer até San Pedro do Atacama (100 km de distância), cidade base do Atacama que está a 2.450 metros de altitude. O pequeno vilarejo tem ruas encantadoras,restaurantes charmosos, povo acolhedor e diversas opções de hospedagem: hotéis, pousadas e hostels.


Deserto do Atacama

Quando ir:

Esse destino pode ser visitado em qualquer época do ano, o que vai mudar é a sua preparação para o período escolhido. Por exemplo, de dezembro a fevereiro acontece o inverno altiplânico, um fenômeno meteorológico onde raras gotas de chuvas atingem a região — no máximo 35 milímetros por ano. O volume é tão pequeno que não impede a visita.

Para quem não gosta de temperaturas extremas, o ideal é programar a viagem entre março e maio ou de setembro a novembro, pois nessa época o calor é mais ameno durante o dia e não faz tanto frio à noite. A diferença de temperatura pode variar de 10 a 15 graus e há grandes chances de céu aberto.

Agora, se você quer curtir o friozinho do inverno, escolha o período entre junho e agosto. Nesses meses o dia apresenta clima agradável, em torno dos 22º C, e à noite vem a surpresa: temperaturas próximas ou até abaixo de zero. Nessa época é muito importante consultar a previsão do tempo antes de sair para os passeios porque há lugares com mínimas de - 14 ºC, como acontece nos Geysers del Tatio.

O que fazer:

Além de passar pela charmosa cidade de San Pedro do Atacama e conferir o comércio da Calle Caracoles (principal rua da vila), há vários passeios que valem a pena inserir no roteiro. Reserve pelo menos 5 dias para conseguir aproveitar esses atrativos com calma:

  • Geyser del Tatio;
  • Lagunas Altiplânicas;
  • Piedras Rojas;
  • Salar de Tara;
  • Valle de la Luna;
  • Valle de la Muerte.

Como economizar:

Para aproveitar melhor o destino, praticar espanhol e fazer seu dinheiro render mais, experimente um intercâmbio de trabalho no Atacama. Lugares que costumam receber muitos turistas, como o San Pedro do Atacama, sempre precisam de alguém para atividades como recepção, cozinha, passeios, jardinagem, ensino de idiomas e limpeza. É uma oportunidade de aprender algo novo ou desenvolver habilidades que já possui.

2. Centro — Santiago, Valparaíso e Viña del Mar


Santiago e Valparaíso / Imagem: Google Maps

A região central do país é o ponto de partida de qualquer viajante, afinal de contas, a maioria dos voos passa por lá. É uma área com tantos atrativos que muitas pessoas programam viagens apenas para conhecê-la. Neste tópico você vai conhecer um pouco mais sobre os três principais destinos do centro do Chile.

Santiago


Santiago, Chile

A capital chilena é um ótimo lugar para conhecer a cultura do país. São mais de 6 milhões de habitantes e uma estrutura de metrópole. A cidade é limpa, organizada e bem localizada — a poucas horas das praias e das estações de esqui. O povo educado, acolhedor, prestativo e bem humorado.

Lá você vai encontrar uma paisagem privilegiada — a cidade é cercada pela Cordilheira dos Andes —, que pode ser avistada de seus mirantes, muitas opções para compras, construções históricas, gastronomia rica (com destaque para os frutos do mar) e transporte de excelente qualidade. Uma dica: não deixe de experimentar o suco de framboesa e os vinhos locais.

Para chegar em Santiago é simples, pois há voos diretos saindo do Brasil. Já o período deve ser escolhido de acordo com a programação que você pretende fazer. Por exemplo, para quem deseja ver neve e esquiar em lugares como o Valle Nevado, o ideal é viajar entre junho e setembro. Para quem busca conhecer as praias do Chile e até a Ilha de Páscoa, a melhor época é de novembro a março.

Entre os principais atrativos locais e próximos estão:

  • Bairro Bellavista;
  • Palácio de la Moneda;
  • La Chascona (residência de Pablo Neruda);
  • Museu Histórico Nacional;
  • Museu da História e dos Direitos Humanos;
  • Parque Metropolitano de Santiago;
  • Capital Metropolitana de Santiago;
  • Edifício Sky Costanera;
  • Cerro de Santa Lucía;
  • Vinícolas (Concha y Toro, Undurraga e Viña Casa Del Bosque).

Dica de hospedagem:

A capital chilena tem inúmeras opções de hospedagem, mas existe uma forma mais autêntica de viver Santiago. Que tal aproveitar todos os atrativos da cidade e ter a visão de um morador local? E o melhor: de forma gratuita. Sim, isso é possível.

Tem mais de 45 oportunidades de trabalho voluntário em Santiago, onde você dedica algumas horas por semana para uma determinada atividade e recebe em troca hospedagem e até alimentação grátis, além de descontos em alguns passeios. Entre as principais opções estão:

Valparaíso


Cerros de Valparaíso

Essa é uma das cidades mais antigas do país, um verdadeiro museu a céu aberto. Banhada pelo Oceano Pacífico, a cidade portuária herdou uma arquitetura muito peculiar, adaptada ao cenário natural: casas coloridas no topo de penhascos. O local foi escolhido como moradia de Pablo Neruda e abriga o Congresso do Chile.

Valparaíso é acessível por passeios turísticos partindo de Santiago ou por contra própria, de carro ou ônibus. Por ser litoral, vale a pena ir no verão, de dezembro a fevereiro. Sobre as atrações para inserir no roteiro, estão:

  • La Sebastiana (casa do escritor Pablo Neruda);
  • Playa de Los Enamorados;
  • Morros e elevadores funiculares;
  • Museu Marítimo Nacional;
  • Cerro Artilleria;
  • Cerro Concepción;
  • Praça Sottomayor;
  • Porto de Valparaíso;
  • Walking tour pelos grafites.

Viña del Mar


Costa de Viña del Mar

Apesar de ser vizinha de Valparaíso, Viña del Mar é o seu oposto: moderna, agitada e bem desenvolvida. Vale a pena conhecer os dois lugares e conferir de perto esse contraste. Enquanto Valparaíso é antiga, cheia de ladeiras, Viña del Mar é contemporânea, plana e surpreendente.

Em um passeio pela cidade é possível conferir a sua impecável arquitetura, com castelos e prédios modernos envoltos pela natureza, como as diversas palmeiras espalhadas pela cidade, boa gastronomia nos restaurantes distribuídos pela orla e muito entretenimento, como o Casino Municipal e até eventos conhecidos mundialmente, como o Festival de Música que acontece durante o mês de fevereiro.

Da mesma forma que Valparaíso, o destino é acessível em passeios de bate e volta saindo de Santiago ou por conta própria, pelo meio terrestre (carro e ônibus). A data da viagem pode ser tanto no inverno quanto no verão, pois os atrativos locais são válidos em qualquer época. No roteiro, inclua:

  • Castillo del Mar;
  • Castillo Wulff;
  • Casino Municipal;
  • Relógio de Flores;
  • Playa los Canones;
  • Museu Fonk e Moai.

3. Sul — Puerto Varas e Lagos Andinos


Puerto Varas / Imagem: Google Maps

Depois de conhecer o deserto do norte e o contraste entre passado e modernidade da região central, chegou a vez da parte em que a natureza é protagonista. O Sul do Chile é composto por montanhas, florestas primárias, lagos e geleiras. A paisagem muda constantemente e é palco para muitas atividades: turismo, esportes, pesca e intercâmbio cultural. Confira os principais atrativos da região.

Puerto Varas


Puerto Varas

A charmosa cidade de Puerto Varas, localizada no norte da Patagônia, é caracterizada por suas belezas naturais, clima ameno e boa gastronomia. O lugar parece um destino europeu devido à imigração alemã durante meados do século XIX. No inverno é uma ótima escolha para uma viagem romântica, como bodas e lua de mel, e no verão é válido para quem gosta de atividades ao ar livre, como passeios de barco e ciclismo.

A cidade é cercada pelo Lago Llanquihue — segundo maior do país — e por vulcões, como o Osorno, cuja vista é espetacular e durante o inverno torna-se uma estação de esqui. A gastronomia é outro destaque: experimente o salmão, os frutos do mar pescados do próprio Lago Llanquihue e a centolla, uma espécie de caranguejo gigante que vive nas águas do Oceano Pacífico.

É possível chegar em Puerto Varas pelos meios aéreo e terrestre. Quem vai de avião deve comprar uma passagem com destino ao aeroporto Puerto Montt, que fica a 25 km de distância do destino e cerca de mil km de Santiago (aproximadamente 1h45 de voo).

De ônibus você pode comprar um bilhete com as empresas Cruz del Sur e TurBus e de carro o ideal é usar a Ruta 5, também chamada de Panamericana.

O verão em Puerto Varas começa em novembro e vai até maio. É uma boa época para fazer caminhadas e aventurar-se pelos lagos e vulcões, no entanto é importante levar um casaco de frio pois a temperatura mínima pode atingir 5º C. O inverno, que vai de junho a outubro, é ótimo para esquiar aproveitar as tarifas turísticas — como recebe menos visitantes, os hotéis e passeios ficam com preços mais atrativos.

Lagos Andinos


Trajeto Lagos Andinos

Que tal incluir dois países na mesma viagem? Essa é a proposta da travessia dos Lagos Andinos, que vai de Puerto Varas (Chile) até Bariloche (Argentina) ou o contrário. O trajeto pode ser feito de ônibus ou pelo Cruce Andino (ônibus e barco).

É uma ótima oportunidade de navegar pelos lagos e admirar os visuais do lado extremo do hemisfério sul. A viagem pode ser feita em dois dias ou mais, caso queira conhecer o pequeno vilarejo de Peulla, no lado chileno.

Se você leu o texto até aqui, já sabe que tem motivos de sobra para programar uma viagem para o Chile. O país é repleto de atrações e oferece muitas vantagens para os brasileiros: cultura rica, boa gastronomia, proximidade com o Brasil, moeda local com valor semelhante ao real e até hospedagem gratuita com o apoio da Worldpackers. Ou seja, o pacote completo para a sua próxima aventura.

Agora você já pode se organizar e começar a cantar: chi-chi-chi-le-le-le!


0abc9e942e7f514952c38fa1bda6888d

Rosana Romão

Set 09, 2019

Jornalista, corredora e mochileira. Amo meu Ceará, mas sou curiosa e quero conhecer o mundo. Bora?


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor